Apostila Segurança do Trabalho

Apostila Segurança do Trabalho

(Parte 7 de 13)

3.5 - RISCOS ERGONÔMICOS

Os RISCOS ERGONÔMICOS são aqueles relacionados a fatores fisiológicos e psicológicos. Dentre eles destacamos o esforço físico intenso; o levantamento e o transporte manual de cargas; a necessidade de posturas inadequadas; a atenção, a preocupação e a responsabilidade; os controles rígidos de produtividade; os ritmos excessivos de trabalho; os trabalhos em turnos e os noturnos; as jornadas de trabalho prolongadas; a monotonia; a repetitividade além de outras situações causadoras de fadiga física e/ou psíquica.

Das medidas de controle no caso dos riscos ergonômicos citamos a conscientização dos riscos, o projeto de máquinas e equipamentos perfeitamente adaptados ao operário, o treinamento adequado, a assistência médico psicológica do empregado, a adoção de ritmos e posições adequadas de trabalho, as pausas durante a jornada de trabalho, etc.

3.6 - RISCOS DE ACIDENTES

Os RISCOS DE ACIDENTES (mecânicos) estão relacionados aos equipamentos utilizados e às condições físicas do local de trabalho, como por exemplo:

- Animais peçonhentos e outras situações de risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes.

Para controlar os riscos de acidentes devemos estudar arranjos físicos mais adequados, utilizar Equipamentos de Proteção Coletiva, SÓ utilizar ferramentas na função para a qual elas foram projetadas e eliminá-las quando defeituosas, determinar os níveis ideais de iluminamento de cada ambiente de trabalho, treinar o pessoal no combate aos princípios de incêndio, além de manter uma sinalização de segurança eficiente.

Higiene e Segurança no Trabalho - Mário L. C. Almeida

CLASSIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS RISCOS OCUPACIONAIS EM GRUPOS, DE ACORDO COM A SUA NATUREZA E A PADRONIZAÇÃO DAS CORES CORRESPONDENTES (NR-05)

Grupo 1:

Verde Riscos Físicos

Grupo 2: Vermelho Riscos Químicos

Grupo 3: Marrom Riscos Biológicos

Grupo 4: Amarelo Riscos Ergonômicos

Grupo 5:

Azul Riscos de Acidentes

Ruídos Poeiras Vírus Esforços físicosintensosArranjo físico inadequado

Vibrações F umos Bactérias Levantamento e transporte manual de pesos

Máquinas e equipamentos sem proteção

Radiações ionizantes Névoas Protozoários Exigência de posturas inadequadas

Ferramentas inadequadas ou defeituosas

Radiações

Não-ionizantes

Neblinas Fungos

Controles rígidos deprodutividade Iluminação inadequada

Frio Gases Parasitas Imposição de ritmos excessivos Eletricidade

Calor Vapores Bacilos Trabalhos em turnosou noturnosProbabilidade de incêndio ou explosão

Pressões Anormais

Substâncias, compostos ou produtos químicos em geral

Jornadas de trabalho prolongadas Armazenamento inadequado

Umidade Monotonia e repetitividade Animais peçonhentos

Outras situações causadoras de stress físico e/ou psíquico

Outras situações de risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes

A CIPA E SUAS ATRIBUIÇÕES 4

4.1 - O SESMT - SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO

De acordo com a NR-04, as empresas privadas ou públicas, os órgãos públicos da administração direta, da indireta e dos poderes Legislativo e

Judiciário que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), deverão manter, obrigatoriamente, Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT, com a finalidade de promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador no local de trabalho.

O SESMT é composto por Engenheiros de Segurança, Médicos do Trabalho, Enfermeiros do Trabalho, Técnicos de Segurança do Trabalho e Auxiliares de Enfermagem do Trabalho; e o número de seus componentes varia em função do grau de risco da atividade econômica e do número de funcionários da empresa, conforme o quadro de dimensionamento dos SESMT.

Para fins de dimensionamento, nos canteiros de obras e nas frentes de trabalho com menos de mil empregados, situados num mesmo Estado,

Território ou Distrito Federal, os Engenheiros de Segurança, os Enfermeiros e Médicos do Trabalho poderão ficar centralizados. Para os Técnicos de

Segurança do Trabalho e os Auxiliares de Enfermagem do Trabalho, o dimensionamento será feito conforme o quadro I da NR-04, anexo.

Pela NR-04, as empresas obrigadas a constituir os SESMT deverão exigir, dos profissionais que os integram, comprovação de que satisfazem os seguintes requisitos:

a) Engenheiro de Segurança do Trabalho – Engenheiro ou Arquiteto portador de certificado de conclusão do curso de especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, em nível de pós-graduação; b) Médico do Trabalho – Médico portador do certificado de conclusão de curso de especialização em Medicina do Trabalho, em nível de pós-graduação, ou portador de certificado de residência médica em área de concentração em saúde do trabalhador ou denominação equivalente, reconhecida pela Comissão Nacional de Residência

Médica, do Ministério da Educação, ambos ministrados por universidade ou faculdade que mantenha curso de graduação em medicina.

Higiene e Segurança do Trabalho – Mário L.C. Almeida c) Enfermeiro do Trabalho – Enfermeiro portador de certificado de conclusão de curso de especialização em Enfermagem do Trabalho, em nível de pós-graduação, ministrado por universidade ou faculdade que mantenha curso de graduação em enfermagem; d) Auxiliar de Enfermagem do Trabalho – Auxiliar de enfermagem ou técnico de enfermagem portador de certificado de conclusão de curso de qualificação de Auxiliar de Enfermagem do Trabalho, ministrado por instituição especializada reconhecida e autorizada pelo Ministério da Educação.

e) Técnico de Segurança do Trabalho – Técnico portador de comprovação de Registro Profissional expedido pelo Ministério do Trabalho.

4.2 - A CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

A NR-05 determina que as empresas privadas, as públicas, os órgãos de economia mista, os órgãos de administração direta e indireta, as instituições beneficentes, as associações recreativas, cooperativas, bem como outras instituições que admitam trabalhadores como empregados, deverão constituir e manter em regular funcionamento, por estabelecimento, uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA.

Aplicam-se ainda as disposições da NR-05 aos trabalhadores avulsos e às entidades que lhes tomem serviços.

A CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

(Parte 7 de 13)

Comentários