(Parte 1 de 5)

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

(From: Horan TC, Gaynes RP. Surveillance of nosocomialinfections. In:Hospital Epidemiology and Infection Control, 3rd ed., Mayhall CG, editor. Philadelphia:Lippincott Williams & Wilkins, 2004:1659-1702.)

- Infecção do Sítio Cirúrgico (SSI) - Infecções Primárias da Corrente Sanguínea (BSI)

- Infecções do Sistema Cardiovascular (CVS)

- Infecções do Trato Urinário (UTI)

- Infecções do Trato Respiratório (PNEU)

Gerência Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde Gerência de Investigação e Prevenção de Infecções e eventos Adversos

Brasília, 06 de setembro de 2005. w.anvisa.gov.br

- Infecção do Sítio Cirúrgico (SSI)

Critério Ocorre nos primeiros 30 dias após a cirurgia e envolve apenas pele e tecido subcutâneo à incisão Mais pelo menos um dos seguintes:

d. Diagnóstico de infecção superficial pelo cirurgião ou médico assistente

a. Drenagem purulenta da incisão superficial b. Cultura positiva de fluído ou tecido da incisão superficial obtido assepticamente c. Pelo menos um dos seguintes sinais ou sintomas de infecção: dor ou aumento da sensibilidade, edema local, hiperemia ou calor e a incisão superficial é deliberadamente aberta pelo cirurgião, exceto se a cultura for negativa.

Incisional Profunda(2)

Critério

a. Ocorre nos primeiros 30 dias após a cirurgia se não houver colocação de prótese

Todos os seguintes:

Caso haja colocação de prótese, pode ocorrer em até um ano se a infecção parecer ter relação com o procedimento cirúrgico. b. Envolve tecidos moles profundos à incisão (ex: fáscia e músculos)

Mais pelo menos um dos seguintes: a. Drenagem purulenta da incisão profunda, mas não de órgão/cavidade. b. A incisão profunda sofre deiscência espontânea ou é deliberadamente aberta pelo cirurgião quando o paciente tem pelo menos um dos seguintes sinais ou sintomas: febre (> 38ºC), dor ou aumento da sensibilidade local, exceto se a cultura for negativa. c. Abscesso ou outra evidência da infecção envolvendo a incisão profunda é visualizado durante exame direto, reoperação ou exame histopatológico ou radiológico. d. Diagnóstico de infecção incisional profunda pelo cirurgião ou médico assistente.

Órgão / Cavidade(3,4)

(SSI – código específico do órgão/cavidade)

Critério

a. Ocorre nos primeiros 30 dias após a cirurgia se não houver colocação de prótese
Caso haja colocação de prótese, pode ocorrer em até um ano se a infecção parecer ter
musculares, que tenha sido aberta ou manipulada durante a cirurgia.

Todos os seguintes: relação com o procedimento cirúrgico. b. Envolve qualquer parte do corpo, exceto pele no local da incisão, fáscia e camadas Mais pelo menos um dos seguintes:

a. Drenagem purulenta pelo dreno colocado dentro do órgão/cavidade através da ferida. b. Cultura positiva de fluído ou tecido do órgão/cavidade obtido assepticamente c. Abscesso ou outra evidência de infecção envolvendo o órgão/cavidade visualizado durante exame direto, reoperação, exame histopatológico ou radiológico. d. Diagnóstico de infecção de órgão/cavidade pelo cirurgião ou médico assistente.

(1) INSTRUÇÕES DE NOTIFICAÇÃO

• Não notifique SSI-SKIN para a cirurgia NNIS de transplante de bypass arterial coronário (TBAC). Para

TBAC, se a infecção é no tórax, use SSI-STC (soft tissue-chest) ou se é na perna do doador, use SSISTL (soft tissue -leg).

• Não notifique um abscesso dos pontos (mínima inflamação e drenagem de secreção limitada aos pontos de sutura) como infecção.

• Não notifique uma infecção localizada de ferimento cortante como SSI, e sim, como infecção de pele e partes moles, conforme a profundidade.

• Notifique uma infecção do local da circuncisão em recém-nascido como SST-CIRC. Circuncisão não é procedimento NNIS.

• Notifique infecção de episiotomia como REPR-EPIS. Episiotomia não é um procedimento NNIS.

• Notifique queimadura infectada como SST-BURN.

• Se a infecção incisional envolve ou se estende para fáscia ou camadas musculares, notifique como SSI incisional profunda.

• Classifique a infecção que envolve tecidos superficial e profundo como SSI incisional profunda.

• Notifique o espécime de cultura de incisões superficiais como ID (drenagem incisional).

(2) INSTRUÇÕES DE NOTIFICAÇÃO

• Não notifique SSI-SKIN para a cirurgia NNIS de transplante de bypass arterial coronário (TBAC). Para TBAC, se a infecção é no tórax, use SSI-SKNC (skin-chest) ou se é na perna do doador, use SSI-SKNL (skin-leg).

• Classifique infecções que envolvem o tecido incisional superficial e profundo como SSI incisional profunda.

• Notifique o espécime de cultura de incisões profundas como ID (drenagem incisional).

• Considera-se como prótese um corpo estranho implantável não derivado de humano (ex: válvula cardíaca protética, transplante vascular não-humano, coração mecânico ou prótese de quadril) que é implantado permanentemente em um paciente durante uma cirurgia.

(3) DEFINIÇÕES

• Considera-se como prótese um corpo estranho implantável não derivado de humano (ex: válvula cardíaca protética, transplante vascular não-humano, coração mecânico ou prótese de quadril) que é implantado permanentemente em um paciente durante uma cirurgia.

• Uma SSI órgão/cavidade envolve qualquer parte do corpo, exceto a pele no local da incisão, fáscia ou camadas musculares, que tenha sido aberta ou manipulada durante a cirurgia. Sítios específicos são definidos para as SSI órgão/cavidade para melhor identificação da localização da infecção. Estão listados a seguir os sítios específicos que devem ser usados para diferenciar as SSI órgão/cavidade. Um exemplo é apendicectomia seguida de abscesso subdiafragmático, que seria notificado como uma SSI órgão/cavidade de localização intra-abdominal (SSI-IAB).

BONE OsteomieliteLUNG Outras infecções do trato respiratório inferior
EMET EndometriteOUTI Outras infecções do trato urinário
ENDO EndocarditeSA Abscesso medular sem meningite
JNT Articulação ou bolsa

SÍTIOS ESPECÍFICOS DE SSI - órgão/cavidade BRST Mastite ou abscesso da mama MED Medisatinite CARD Miocardite ou pericardite MEN Meningite ou ventriculite DISC Espaço do disco ORAL Cavidade oral (boca, língua ou gengivas) EAR Ouvido, mastóide OREP Outro masculino ou feminino EYE Olhos (exceto conjuntivite) SINU Sinusite GIT Trato gastrointestinal UR Trato respiratório superior IAB Intra-abdominal, não especificada em outro local VASC Infecção arterial ou venosa IC Intracraniana, abscesso cerebral ou duramáter VCUF Cuff vaginal

(4) INSTRUÇÕES DE NOTIFICAÇÃO

• Ocasionalmente, há drenagem pela incisão de uma infecção de órgão/cavidade. Tal infecção geralmente não requer reoperação e é considerada uma complicação da incisão. Assim sendo, ela é classificada como SSI incisional profunda.

• Notifique o espécime de cultura de órgão/cavidade como D (drenagem profunda).

- Infecções Primárias da Corrente Sanguínea (Sepsis)

Sepsis Laboratorialmente Confirmada (5)

Pelo menos um dos seguintes critérios: Critério 1

Isolamento, em uma ou mais hemoculturas, de patógeno não relacionado a infecção em outro sítio.

Critério 2

Presença de pelo menos um dos seguintes sinais ou sintomas não relacionado a infecção em outro sítio: febre (>38º C), calafrios ou hipotensão

Pelo menos um dos seguintes exames não relacionado a infecção em outro sítio: a. Contaminante comum de pele (ex: difteróides, Bacillus sp., Propionibacterium sp., estafilococos coagulase negativo ou micrococos) isolados de duas ou mias hemoculturas obtidas em momentos deferentes b. Contaminante comum de pele (ex: difteróides, Bacillus sp., Propionibacterium sp., estafilococos coagulase negativo ou micrococos) isolado de pelo menos uma hemocultura de paciente com cateter intravascular e o médico inicia terapia antimicrobiana apropriada. c. Teste de antígeno positivo no sangue (ex: Haemophilus influenzae, Streptococcus pneumoniae, Neisseria meningitidis ou Streptococcus do grupo B)

(Parte 1 de 5)

Comentários