Confecção de ppr

Confecção de ppr

(Parte 1 de 10)

CONFECÇÃO DE UMA PRÓTESE

PARCIAL REMOVÍVEL

SÃO PAULO

2010

UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO

LARA FERNANDES NOGUEIRA

CONFECÇÃO DE UMA PRÓTESE

PARCIAL REMOVÍVEL

Dissertação apresentada à disciplina de Prótese Parcial Removível da UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO como quesito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Odontologia, sob orientação do Profa. Dra. Vânia Amorim.

SÃO PAULO

2010

PLANO DE TRATAMENTO PARA A CONFECÇÃO DE UMA PPR

  • PLANO DE AULA

Plano de tratamento através de anamnese, exame extra – oral, exame intra – oral e exame radiográfico.

  • MODELO DE DIAGNÓSTICO E MONTAGEM EMASA

    • Personalização de guia.

    • Enceramento de diagnóstico.

    • Confecção de provisórios.

      • CONCEITOS

        • Diagnóstico: é o procedimento usado para identificar uma condição existente.

        • Modelo: é a reprodução mais obtida em gesso a partir da moldagem.

        • Prótese Dentária: é a especialidade da odontologia que tem a função de reproduzir elementos dentários e tecidos bucais faltantes por elementos artificiais. Estes devem reproduzir a anatomia, função, estética e fonética, proporcionando saúde e conforto ao paciente e restabelecendo o equilíbrio do sistema estomatognático.

          • PLANO DE TRATAMENTO

            • Planejamento individualizado.

            • Coletar todas as informações.

              • OBSERVAR DURANTE A ANAMNESE E NO DECORRER DO TRATAMENTO EM CASOS MAIS COMPLEXOS

                • Aspecto psicológico.

                • Necessidades funcionais.

                • Hábitos parafuncionais.

                • Necessidades estéticas.

                • Queixa principal.

                • Outros.

1) ANAMNESE

  • Pesquisar inicialmente o estado geral de saúde do paciente.

  • Descartar determinados tipos de tratamento por:

    • Condições físicas.

    • Condições emocionais.

    • Idade

      • Destacar na Ficha

          • Alergias a medicamentos ou materiais.

          • Diabetes e anemia.

          • Fumantes.

          • Cardíacos.

          • História de hemorragias.

          • Bruxismo / apertamento.

          • Hipertensão.

          • Estética.

          • Personalidade.

          • Febre reumática.

          • Epilepsia.

            • Fazer histórico de tratamentos pregressos

Quanto Tempo não vai ao dentista:

        • pouco tempo;

        • tratamento sem resultado;

        • muito tempo;

        • desinteresse;

        • fazer motivação.

2) ESTADO PSICOLÓGICO

              • Mais motivação de higiene oral.

              • Planejamentos diferentes em função da falta de motivação.

              • Procurar tratamento interdisciplinar.

3) EXAME EXTRA – ORAL

  • Este inicia – se durante a anamnese.

  • Observar – se o aspecto facial

    • Suporte de lábio.

    • Dimensão vertical.

    • Linha do sorriso.

      • Suporte de Lábio

              • Em prótese fixa ou implantes.

              • Aumento cirúrgico:

        • Enxerto ósseo;

        • Enxerto de tecido conjuntivo;

Sem suporte labial, antes de fazer a PPR, fazer enxerto de tecido mole, aumentando o volume labial.

Em PPR posiciona – se bem o dente e coloca – se o suporte de gengiva.

Em pacientes edêntulos total: montar a PPR aumentando a cera na base de prova.

      • Gengiva Artificial

  • Acrílica móvel.

  • Fixa em cerâmica rosa.

      • Perda da Dimensão Vertical

  • Quelite angular.

  • Sintomatologia articula.

  • Sensibilidade dentária.

  • Problemas fonéticos.

  • Vestibularização de anteriores.

OBS.: DVO = DVR – EFL

  • Aumento da Dimensão Vertical

    • Face alongada.

    • Falta de elementos para a fonética.

    • Dor muscular (estiramento).

    • Sensibilidade periodontal.

    • Dificuldade de deglutição.

    • Sintomatologia articular.

  • Colapso Facial

  • Diminuição do terço inferior da face.

  • Projeção do mento.

  • Intrusão dos lábios.

  • Aprofundamento dos sulcos nasogenianos.

  • Linha do Sorriso

  1. Linha Alta:

        • Posicionamento intragengival do termino.

        • Evitar injúrias.

        • Planejar enxertos

  1. Linha Baixa

4) EXAME INTRA – ORAL

  • Perguntar Queixa Principal:

    • Exame de dentes;

    • Exame de tecidos moles (mucosa e língua);

    • Exame dos músculos (exame clínico oclusal);

    • Exame do periodonto;

    • Exame das relações oclusais.

      • Dentes

        • Carie e restaurações extensas.

        • Alterações de facetas estéticas.

        • Estética.

        • Oclusão.

        • Ferulização.

        • Inclinação.

        • Vitalidade pulpar.

        • Tamanho de coroa clinica.

  • Exame Clínico Oclusal

    • Músculos:

  1. Fáceis / Perfil do Paciente.

  2. Grau de Abertura Bucal.

  3. Palpação Muscular e Articular.

    1. Palpação do Masseter;

    2. Palpação do Temporal;

    3. Palpação do Pterigóideo Medial;

    4. Palpação do Esternocleidomastoídeo;

    5. Palpação dos Músculos Cervicais Posteriores;

    6. Palpação da ATM.

  4. Auscultação da ATM.

  5. Trespasse vertical e horizontal.

  6. Dimensão Vertical

  7. Linha Média.

  8. Lado de Trabalho e Lado de Balanceio.

  9. Protrusão (guia incisal).

  10. Contatos Oclusais Anormais.

  11. Facetas de Desgaste.

  • Número e Disposição dos Dentes

  • Ferrulização (esplintagem)

mésio distal.

  • Nos sentidos

vestíbulo lingual.

  • Polígono de Roy

sentido de movimentação dos dentes

    • Posteriores no plano sagital;

    • Caninos: plano lateral;

    • Incisivos: plano frontal.

      • Periodonto

Classificação: Paciente de Risco

    • Pouco risco;

    • Médio risco;

    • Alto risco.

Paciente sem Risco

    • pode tornar – se de risco.

  • Paciente de Risco

  • Sinais Clínicos:

      • Mobilidade (graus I, II e III);

      • Migração de anteriores;

      • Tecido gengival flácido e avermelhado;

      • Contorno gengival alterado;

      • Perda óssea;

      • Sangramento a sondagem; Etc.

  • Exame de Sondagem

  • Ultra-som prévio.

  • Sonda delicada.

  • 6 medidas no mínimo

        • vestibular e lingual

        • mesial – centro

        • distal – centro

  • Sondar paralelamente ao longo eixo do dente.

(Parte 1 de 10)

Comentários