Assistencia de Enfermagem nas alterações digestiva 2010

Assistencia de Enfermagem nas alterações digestiva 2010

Acalasia= ausência ou ineficiência da peristalse do esôfago. Caracteriza-se pela dificuldade ou dor na deglutição (disfagia e odinofagia). A dilatação pneumática ou cirurgia de separação cirúrgica das fibras musculares são os tratamentos indicados para essa alteração.

  • Acalasia= ausência ou ineficiência da peristalse do esôfago. Caracteriza-se pela dificuldade ou dor na deglutição (disfagia e odinofagia). A dilatação pneumática ou cirurgia de separação cirúrgica das fibras musculares são os tratamentos indicados para essa alteração.

  • Hérnia de hiato ocorre mais em mulheres. Acontece quando a abertura do diafragma para a passagem do esôfago torna-se dilatada e parte da porção superior do estômago tende a se mover para cima. As manifestações clínicas mais comuns : azia,regurgitação e disfagia. A hérnia hiatal implica em refluxo e plenitude gástrica.

  • Cirurgia de refluxo

  • Refluxo retrógrado é a incompetência do esfíncter esofágico inferior em reter o conteúdo gástrico. A correção cirúrgica é indicada nesse caso.

Esofagectomia é retirada cirúrgica do esôfago.

  • Esofagectomia é retirada cirúrgica do esôfago.

  • Para o pcte alimentar-se, este esôfago pode ser substituido por um tubo produzido com o estômago, com o intestino delgado ou com o intestino grosso.

  • Para restaurar o trânsito alimentar é utilizado um tubo criado com jejuno. Este é enxertado entre o esôfago e a faringe substituindo a porção esofágica anormal.

Nutrição desequilibrada menor que os requisitos corporais, relacionada com a dificuldade de deglutição.

  • Nutrição desequilibrada menor que os requisitos corporais, relacionada com a dificuldade de deglutição.

  • Risco para aspiração relacionado com a dificuldade de deglutição ou com a alimentação por sonda.

  • Dor aguda relacionada com a dificuldade de deglutição, ingestão de agente abrasivo, tumor e refluxo gástrico freqüente.

  • Conhecimento deficiente sobre o distúrbio esofágico, exames, tratamento, intervenção cirúrgica e reabilitação.

  • Risco para infecção devido à cirurgia

Estado nutricional é monitorado durante PO se IV,enteral ou VO.

  • Estado nutricional é monitorado durante PO se IV,enteral ou VO.

  • Estabelecer a posição de Fowler e aspiração de cavidade oral e gástrica risco de aspiração e pneumonia.

  • Alívio da dor –analgésicos e pequenas porções de dietas(se conseguir).

  • Orientar exercícios respiratório para expansão pulmonar devido drenagem de tórax.

  • SNG NÃO movimentá-la ou reentroduzí-la pois pode lesar o enxerto esofágico.Orientar permanência de 5 a 7 dias.

  • Ao iniciar dieta oral orientar e estimular ingestão de água em pequenos goles, depois alimentos líquidos e após purês ESTIMULAR.

  • Se pcte passar radioterapia a esofagite poderá ocorrer e o apoio da família será fundamental para que se alimente.

A educação do paciente e família será fundamental para sua recuperação.

  • A educação do paciente e família será fundamental para sua recuperação.

  • Apoio nas necessidades psicossociais como medo, angústia, tristeza deverá ser o foco da equipe e família.

  • Monitorização da drenagem torácica.

  • Intubação e Aspiração nasogástrica.

  • Monitoriza sinais de infiltração em mediastino de líquidos gástricos.

Úlceras péptica é uma escavação que se forma na mucosa do estômago, piloro , duodeno ou esôfago chamada ULCERA GASTRICA.

  • Úlceras péptica é uma escavação que se forma na mucosa do estômago, piloro , duodeno ou esôfago chamada ULCERA GASTRICA.

  • Tem indicação de cirurgia as úlceras intratáveis (sem cura após 12 a16 semanas), hemorragia com risco de vida, perfuração ou obstrução.

  • O procedimento cirúrgico incluem a vagotomia, com ou sem piloroplastia, antrectomia e gastrectomia subtotal com anastomose à (Billroth I-gastroduodenostomia) e Billroth II (gastrojejunostomia).

  • Problema interdependentes/complicações potenciais: hemorragia, perfuração, penetração e obstrução pilórica (saída gástrica).

Diagnósticos de enfermagem :

  • Diagnósticos de enfermagem :

  • Dor aguda relacionada a cirurgia e processo da doença

  • Ansiedade relacionada com o enfrentamento de uma doença.

  • Nutrição desequilibrada relacionada com as alterações na dieta/jejum.

  • Deficiência de conhecimento sobre a prevenção dos sintomas e controle da condição.

Gastrostomia: é um procedimento cirúrgico no qual é criado uma abertura no estômago com a finalidade de administrar alimentação e líquidos. É inserido uma sonda de gastrostomia.Indicada em doenças crônicas ou terminais.

  • Gastrostomia: é um procedimento cirúrgico no qual é criado uma abertura no estômago com a finalidade de administrar alimentação e líquidos. É inserido uma sonda de gastrostomia.Indicada em doenças crônicas ou terminais.

  • Processo de Enfermagem:

  • Determinar a capacidade do paciente para o autocuidado,alteração da imagem corporal, estado psicológico e apoio familiar.

  • Diagnósticos de Enfermagem:

  • Nutrição desequilibrada, menor que as necessidades corporais relacionada com problemas com a dieta enteral.

Diagnósticos de Enfermagem:

  • Diagnósticos de Enfermagem:

  • Risco de integridade da pele prejudicada no local da sonda.

  • Enfrentamento ineficaz relacionado com a incapacidade de alimentar-se naturalmente.

  • Imagem corporal perturbada devido presença da sonda de gastrostomia.

  • Risco de controle ineficaz do regime terapêutico relacionado com o déficit de conhecimento sobre o cuidado no domicílio e o procedimento de alimentação.

Cirurgia bariátrica:

  • Cirurgia bariátrica:

  • Recomendada

  • para perda de peso a

  • longo prazo.É realizado um

  • bypass gástrico de Y de

  • Roux (gastroenteroanastomia em antro da porção distal do jejuno e a porção proximal é anastomosada no próprio jejuno).

  • Consiste em reduzir o volume do estômago a não mais do que 30 ml e conectá-lo ao intestino. Esta técnica além de reduzir o volume gástrico também diminui a velocidade de esvaziamento já que é colocado um pequeno anel de contenção.

Cirurgia bariátrica:

  • Cirurgia bariátrica:

  • Complicações em PO : peritonite, obstrução do estoma, úlceras do estoma, atelectasia e pneumonia, tromboembolia e desequilíbrios metabólicos por vômito e diarréia prolongado.

Processo de Enfermagem:

  • Processo de Enfermagem:

  • O enfermeiro deverá ficar

  • atento aos diagnósticos:

  • Padrão respiratório ineficaz;

  • Dor aguda;

  • Fadiga;

  • Ansiedade;

  • Nutrição desequilibrada relacionada as alterações na dieta, náusea e diarréia;

  • Deficiência de conhecimento sobre a prevenção dos sintomas e controle da condição.

  • Integridade tissular prejudicada;

  • Risco para infecção.

Processo de Enfermagem:

  • Processo de Enfermagem:

  • Planejamento e Metas:

  • Manter padrão respiratório fisiológico;

  • Aliviar a dor;

  • Estimular atividade passiva e progressivamente ativa;

  • Promover o relato do paciente de seus sentimentos e identificar estressores;

  • Promover a ingesta oral indicada para manter padrão nutricional.

  • O paciente deverá apresentar conhecimento sobre seu tratamento cirúrgico e controle sobre condições indesejáveis (náusea, vômito).

  • Apresentar processo de cicatrização fisiológico;

  • Manter ausência de sinais de infecção.

Prescrição de Enfermagem:

  • Prescrição de Enfermagem:

  • Manter cabeceira do leito em Fowler,

  • Promover e estimular exercícios respiratórios;

  • Aliviar a dor com posicionamento adequado, uso de cintas abdominais e analgésicos;

  • Estimular atividade passiva e progressivamente ativa;

  • Estimular a leitura, ouvir música e atividades manuais e interação com outros pacientes;

  • Ouvir as queixas do paciente;

  • Solicitar avaliação psicológica se necessário.

  • Oferecer a ingesta líquida fracionada nas 24h após retorno dos RHA.

  • Monitorizar balanço hídrico e SSVV;

  • Educar e orientar o paciente em suas dúvidas quanto ao tratamento.

Prescrição de Enfermagem:

  • Prescrição de Enfermagem:

  • Manter cabeceira do leito em Fowler,

  • Promover e estimular exercícios respiratórios;

  • Aliviar a dor com posicionamento adequado, uso de cintas abdominais e analgésicos;

  • Estimular atividade passiva e progressivamente ativa;

  • Estimular a leitura, ouvir música e atividades manuais e interação com outros pacientes;

  • Ouvir as queixas do paciente;

  • Solicitar avaliação psicológica se necessário.

  • Oferecer a ingesta líquida fracionada nas 24h após retorno dos RHA.

  • Monitorizar balanço hídrico e SSVV;

  • Educar e orientar o paciente em suas dúvidas quanto ao tratamento.

Distúrbios

  • Distúrbios

  • inflamatórios

  • agudos:

  • Apendicite é a inflamação por esvaziamento inadequado dessa projeção intestinal. As manifestações clínicas são variadas como dor na FID ou lombar, náusea, febre baixa,inapetência, diarréia ou constipação.

  • Apêndice roto- distensão abdominal, dor difusa e abdome em tábua.

  • Tratamento cirúrgico- APENDICECTOMIA

Distúrbios

  • Distúrbios

  • inflamatórios

  • agudos:

  • Diverticulite é a inflamação causada por alimento e bactérias retidas em um divertículo as quais podem prejudicar a drenagem e levar a perfuração ou formação de abscesso.

  • Manifestações clínicas precedem o processo infeccioso é a CONSTIPAÇÃO.

  • Dor em cólica, irregularidade intestinal com período de diarréia, náusea, anorexia,febre e pode ocorrer distensão abdominal.

  • Tratamento cirúrgico - COLECTOMIA

Distúrbios

  • Distúrbios

  • inflamatórios

  • agudos:

  • Colectomia total com ileostomia – é a criação de uma abertura cirúrgica no íleo na parede abdominal para permitir a drenagem de material fecal.

  • Manifestações clínicas

  • Dor abdominal após refeições em cólicas, diarréia, tenesmo intermitente e sangramento retal . Perda de peso,desnutrição e anemia.

  • Tratamento cirúrgico - COLECTOMIA TOTAL

Abscessos anorretais causado por obstrução da glândula anorretal, resultando em infecção retrógrada.

  • Abscessos anorretais causado por obstrução da glândula anorretal, resultando em infecção retrógrada.

  • Tratamento – cirúrgico para drenagem do abscesso.

  • Fístula anal resultam de uma infecção desenvolvida em traumas, fissuras ou enterite regional.

  • Tratamento é a fistulectomia.

  • Hemorróidas é a dilatação de veias inflamadas no canal anal. Podem ser internas ou externas.

  • Tratamento cirúrgico é a hemorroidectomia.

Constipação relacionada coma dor durante a eliminação; M - Compreende o processo cirúrgico e as preparações necessárias; O- Repete orientações dadas, expressa medos qto a cirurgia, explica alteração intestinal que será realizada,tolera uso de sondas.

  • Constipação relacionada coma dor durante a eliminação; M - Compreende o processo cirúrgico e as preparações necessárias; O- Repete orientações dadas, expressa medos qto a cirurgia, explica alteração intestinal que será realizada,tolera uso de sondas.

  • E as intervenções quais vocês realizariam?

Comentários