Tec. Basicas de Aspiração de secreção

Tec. Basicas de Aspiração de secreção

  • Prof. Silvana

Manter as vias aéreas livres;

  • Manter as vias aéreas livres;

  • Retirar secreções do trato respiratório e ou boca sem traumatismo;

  • Prevenir e tratar infecções respiratórias e vias aéreas superiores.

Tipos

  • Tipos

  • * aspiração orofaríngea e nasofaríngea, aspiração orotraqueal e nasotraqueal e a aspiração do tubo endotraqueal.

  • Ordem de Aspiração

  • A ordem de aspiração é: primeiro o tubo endotraqueal, segundo a cavidade nasal e terceiro a cavidade oral, quando se trata de utilizar a mesma sonda de aspiração.

Aspiração orofaríngea e nasofaríngea

  • Aspiração orofaríngea e nasofaríngea

  • É indicada no paciente que consegue tossir normalmente, mas que não consegue eliminar as secreções por deglutição ou expectoração.

  • A aspiração é realizada após tosse do paciente.

Aspiração de orofaringe e nasofaringe

  • Aspiração de orofaringe e nasofaringe

  • É indicada no paciente que apresenta secreções pulmonares, capacidade de tossir diminuída e ausência do tubo endotraqueal.

  • A sonda é introduzida até a traquéia pela cavidade oral ou, através da narina preferencialmente. Este procedimento não deve ultrapassar 15 segundos

É indicado nos casos de diminuição do estado de consciência, obstrução das vias aéreas, ventilação mecânica e remoção das secreções acumuladas na traquéia.

  • É indicado nos casos de diminuição do estado de consciência, obstrução das vias aéreas, ventilação mecânica e remoção das secreções acumuladas na traquéia.

  • A incidência de aspiração será determinada pela observação do paciente, sendo necessária sempre que a inspeção ou a ausculta revelarem a presença de secreções.

  • Cânula de Guedel - Facilita a aspiração orotraqueal do paciente inconsciente, tornando mais fácil o acesso da sonda à traquéia.

A retirada das secreções da traquéia precisa ser asséptica, atraumática e eficaz.

  • A retirada das secreções da traquéia precisa ser asséptica, atraumática e eficaz.

  • A técnica de aspiração da traquestomia também tem que ser asséptica. Aspirar inicialmente a traquestomia a seguir cavidade nasal e oral.

COMPLICAÇÕES

  • COMPLICAÇÕES

  • Hipoxemia e dispnéia, pela remoção de oxigênio com as secreções.

  • Proporciona ansiedade e inquietação podendo alterar o padrão respiratório.

  • As arritmias cardíacas podem resultar da hipóxia e do estímulo ao nervo vago na árvore traqueobrônquica.

Traumatismo traqueal ou bronquial devido a aspiração traumática ou prolongada.

  • Traumatismo traqueal ou bronquial devido a aspiração traumática ou prolongada.

  • Pacientes em uso de anticoagulantes ou com discrasia sanguinea podem apresentar sangramento como resultado da aspiração.

  • Infecções sistêmicas e pulmonares.

Bandeja contendo:

  • Bandeja contendo:

  • Aspirador que pode ser fixado na saída de vácuo ou portátil;

  • Frasco coletor e extensão de borracha;

  • Cateter de aspiração com ou sem dispositivo para controlar a sucção;

  • Frasco com água destilada;

  • Luva estéril;

  • Toalha de rosto;

  • Mascara e óculos protetor;

  • Gazes

Orientar o paciente;

  • Orientar o paciente;

  • Reunir o material;

  • Lavar as mãos;

  • Ajustar o leito em posição de fowler;

  • Colocar a toalha no tórax do paciente;

  • Testar e ajustar o aspirador para pressão apropriada;

  • Colocar máscaras e óculos protetor e avental ;

Abrir a embalagem do cateter de aspiração sem contaminar, conectá-lo na extensão de látex;

  • Abrir a embalagem do cateter de aspiração sem contaminar, conectá-lo na extensão de látex;

  • Abrir o frasco de água destilada;

  • Manter todo cateter na embalagem estéril;

  • Calçar a luva estéril;

  • Expor o cateter e segurá-lo com a mão dominante.

  • Umedecer o cateter com água destilada mergulhando no frasco e verificar o funcionamento da pressão devida;

Calcular a distância do lóbulo da orelha até a narina, inserir delicadamente o cateter com a sucção desligada, deslizar o cateter sem forçar através da base de uma narina, em direção a traquéia, para aspirar a nasofaringe, ou inserir o cateter na boca para aspirar a orofaringe;

  • Calcular a distância do lóbulo da orelha até a narina, inserir delicadamente o cateter com a sucção desligada, deslizar o cateter sem forçar através da base de uma narina, em direção a traquéia, para aspirar a nasofaringe, ou inserir o cateter na boca para aspirar a orofaringe;

  • Aplicar a sucção, ocluindo o orifício de aspiração com o polegar e, com suavidade , girar o cateter a medida que está sendo retirado;

  • Irrigar o cateter com a água destilada e repetir o procedimento;

  • Quando estiver concluido o procedimento de aspiração, realizar higiene oral;

  • Realizar anotação de enfermagem, registrando volume e aspecto do que foi aspirado.

Comentários