Modulo III - aula 28 - morfologia das angiosperma - parte 04

Modulo III - aula 28 - morfologia das angiosperma - parte 04

PROFº: HUBERTT GRÜN. Página 1

MÓDULO I -- BOTÂNICA:: MORFOLOGIA DAS ANGIOSPERMAS – PARTE 04

Flor:

Gineceu:

O gineceu (gine = mulher) é a parte feminina da flor, sendo constituído por folhas que se fecham, formando os carpelos. O carpelo possui na base uma cavidade — o ovário —, que se segue por um pedúnculo chamado estilete. A extremidade livre do estilete apresenta uma dilatação: o estigma. Este recebe o grão de pólen, precedendo a fecundação. O ovário contém um ou mais óvulos (macrosporângios), que produzem esporos. Quando os esporos crescem, surge o saco embrionário (gametófito feminino). No saco embrionário está o gameta feminino: a oosfera (figura 1).

Em geral o gineceu possui carpelos independentes, cada um com seu próprio ovário (gineceu apocárpico), ou carpelos ligados, formando um único ovário (gineceu sincárpico). O gineceu apocárpico, às vezes, é composto por apenas um carpelo como ocorre nas leguminosas (jacarandá, ervilha). Quando existem vários carpelos e eles estão ligados, caracteriza - se um ovário com várias lojas ou lóculos (cavidade correspondente ao ovário) — tantas quanto o número de carpelos. Ou então eles estão fundidos de tal modo que se forma um ovário com apenas uma loja (figura 1). No caso de um carpelo ou de vários carpelos ligados temos a estrutura chamada pistilo.

Figura 1: O gineceu e a produção do saco embrionário.

Plantas Monóicas e Dióicas:

As flores que possuem androceu e gineceu são hermafroditas.

Caso só exista verticilos, ela é unissexuada.

Uma planta é monóica se possui flores masculinas e femininas no mesmo pé (abóbora); se o pé possui apenas flores de um sexo; a planta é dióica (mamoeiro).

As flores hermafroditas e as plantas monóicas possuem mecanismos que dificultam a autofecundação: às vezes há uma incompatibilidade entre o pólen e o carpelo da mesma planta e o pólen não germina; outras vezes há um amadurecimento em épocas diferentes do estame e do carpelo: o carpelo pode amadurecer antes (protoginia) ou depois do estame (protandria).

Inflorescência:

Uma inflorescência é um conjunto de flores no mesmo ramo. Há vários tipos característicos de inflorescência, como podemos ver na figura 2.

Figura 2: Alguns tipos de inflorescência.

Fruto:

Como vimos no estudo das angiospermas, depois da polinização o grão de pólen germina dentro do carpelo, formando o tubo polínico. Após a fecundação, o óvulo dá origem à semente e o ovário se hipertrofia, surgindo o fruto. Às vezes, o ovário se desenvolve sem prévia fecundação — a planta se reproduz assexuadamente, pois não tem semente —, como no caso da banana. Outras vezes, uma mutação produz o fruto sem semente e a planta é perpetuada artificialmente pelo homem, através de enxertos, como no caso da laranja – da - baía. Esses frutos são chamados de partenocárpicos.

O fruto possui geralmente pericarpo (epicarpo, mesocarpo e endocarpo) e semente (figura 3).

Epicarpo: Parte resultante da epiderme externa do ovário.

Mesocarpo:

Resultante do tecido médio do ovário. O mesocarpo é geralmente a parte comestível dos frutos, graças ao acúmulo de substâncias nutritivas. Muitas vezes essa região Figura 3: Partes do fruto (abacate e tomate).

comestível não é o mesocarpo, como por exemplo na laranja, onde o que se come são os pêlos suculentos do endocarpo; no caju comemos o pedúnculo floral, estando o fruto representado pela castanha; na maçã e na pêra é o receptáculo floral que acumula alimento e envolve o fruto, que fica no centro da fruta e é desprezado (não é comido). Nesses casos, em que a parte comestível não é proveniente do ovário, dizemos que se trata de um pseudofruto. Endocarpo: Parte resultante da epiderme interna do ovário.

Tipos de frutos:

Os frutos podem ser classificados em carnosos e secos. Frutos carnosos: Possuem pericarpo suculento e são de dois tipos: baga e drupa. A baga é proveniente de um ovário, formado por um ou mais carpelos e portadores de uma ou diversas sementes. É o caso da goiaba, do tomate e da uva. A drupa comumente é formada de um único carpelo e possui uma semente envolta pelo endocarpo duro, que forma o caroço. Um dos exemplos mais comuns é a manga, mas podemos também citar o pêssego e o abacate (figura 4).

Figura 4: Tipos de frutos carnosos.

Frutos secos: Com pericarpo seco, podem ser classificados em deiscentes — abrem-se ao amadurecer, liberando as sementes — e indeiscentes — não se abrem, mesmo quando maduros.

Os frutos secos deiscentes podem ser de quatro tipos: folículo (um carpelo) — que se abre por uma fenda longitudinal, como na magnólia; legume (um carpelo) — abrindo-se por duas fendas longitudinais, como é o caso do feijão; cápsula (dois ou mais carpelos) — com deiscência variada, como no algodão (abertura no meio de cada carpelo), na azaléia (abertura na linha de união

PROFº: HUBERTT GRÜN. Página 2 dos carpelos), na sapucaia (abertura transversal), papoula (abertura por poros); síliqua (dois carpelos) — com duas aberturas deixando o septo ao centro (mostarda).

Os frutos secos indeiscentes podem ser dos tipos: aquênio (um carpelo) — com uma semente presa ao fruto em apenas um ponto (girassol); cariopse (um carpelo) — com uma semente soldada completamente ao fruto (arroz); sâmara — com expansões aladas (murici). Veja figura 5.

Figura 5: Tipos de frutos secos.

Além desses casos, mencionamos também: os pseudofrutos — originados do pedúnculo ou do receptáculo de uma única flor (maçã e caju); os pseudofrutos compostos — como o morango, que é proveniente do receptáculo de flores com vários ovários; a infrutescência — que é formada após a fecundação de uma inflorescência, isto é, de um conjunto de flores no mesmo ramo, como no caso do abacaxi (figura 6).

Figura 6: Pseudofruto: a parte comestível é o receptáculo desenvolvido.

Questões para revisão: 1. Qual a função do câmbio e do felogênio? 2. Descreva a estrutura interna da gema terminal do caule. 3. Cite e caracterize dois tipos de caule. 4. Qual a diferença entre a distribuição dos feixes condutores do caule das monocotiledôneas e das dicotiledôneas? 5. Quais as partes de uma folha completa? 6. Qual a diferença, na distribuição das nervuras, entre as monocotiledôneas e as dicotiledôneas? 7. Descreva a estrutura de uma folha. 8. Quais as partes de uma flor completa? 9. Qual a função do estame e do carpelo? 10. O que é fruto e quais são as suas partes? 1. O que é um pseudofruto? Dê um exemplo.

Questões de Múltipla Escolha: 1. (PUC-PR) A figura representa uma folha em corte transversal. A função específica dos tecidos vegetais indicados é, respectivamente, de:

a) Circulação de ar transpiração Fotossíntese e circulação de ar

Trocas gasosas b) proteção fotossíntese Fotossíntese e circulação de ar

Trocas gasosas c) proteção transpiração transporte Trocas gasosas d) fotossíntese transporte transpiração absorção e) proteção fotossíntese absorção transpiração

2. (USU-RJ) Após a fecundação, as flores sofrem transformações morfológicas, perdendo estruturas e adquirindo novas características. Indique no quadro abaixo a alternativa correta para exemplificar o fenômeno:

Perde: Transforma:

a) pétalas/estames ovário em fruto e óvulo sem sementes b) pétalas/sépalas pétalas e receptáculo em fruto/sementes c) ovários/sépalas pétalas e sépalas em fruto e sementes d) pétalas/pedúnculo androceu e gineceu em fruto composto e) estigma/ovário óvulos em frutos e ovários em sementes

Gabarito: Questões para Revisão: 1. Câmbio: produz o xilema e o floema secundários. Felogênio: produz súber e feloderma. 2. Possui os três tipos de meristemas da raiz, além dos primórdios foliares e das gemas axilares. 3. Tubérculo: caule que armazena reservas nutritivas; haste: caule herbáceo e flexível. 4. Monocotiledôneas: os feixes condutores estão espalhados pelo parênquima fundamental; dicotiledôneas: os feixes estão dispostos em anel, ao redor da medula. 5. Limbo, pecíolo, bainha e estipulas. 6. A folha das monocotiledôneas tem nervuras paralelas; nas dicotiledôneas há uma nervura principal com ramificações. 7. Há uma epiderme superior, um parênquima clorofiliano do tipo paliçádico, um parênquima clorofiliano do tipo lacunoso e uma epiderme inferior com estômatos. 8. Pedúnculo, receptáculo e verticilos (cálice, corola, androceu e gineceu). 9. Estames: produção de grãos de pólen; carpelos: produção do saco embrionário. 10. É o resultado do desenvolvimento do ovário. Possui epicarpo, mesocarpo, endocarpo e semente. 1. Fruto em que a parte comestível não é proveniente do ovário. Ex: maçã e caju.

Questões de Múltipla Escolha: 1.B 6.A

FORMATAÇÃO E EDIÇÃO: LAST UPDATE: 30.01.2011 PROF: LIMA VERDE, HUBERTT. huberttlima@gmail.com; BIOLOGIA MÓDULO I - BOTÂNICA.

Comentários