Revista Enfermagem -87 COREM-sp

Revista Enfermagem -87 COREM-sp

(Parte 1 de 7)

Revista Enfermagem • Dezembro/2010 | 1

Construindo o futuro da Enfermagem Gestão 2008 – 2011

Publicação Oficial do Conselho Regional de Enfermagem de São Pauloano 1 • nº 87 • Dez/2010

Revista Enfermagem • Dezembro/2010 | 3

Índice

para facilitar o atendimento9
EditoRiAL4

AtEndimEnto Respeito ao profissional motivou desenvolvimento de soluções

Coren-SP itinerante10
mais espaço, mais conforto, mais respeito12

AtEndimEnto

CAPE16
1º Forum de Enfermagem18
Realização, patrocínio e apoio20
PRoGRAmAS23
Apoio à assistência com segurança24
Abordagem múltiplas de temas25
Programas do Coren-SP26

APRimoRAmEnto

A hora e a vez da Enfermagem30
Um ano para a segurança31
Em defesa dos interesses da categoria32
ComUniCAÇÃo35
o valor do Reconhecimento36
informação em todos os lugares38
Atendimento é na sua hora39

VALoRiZAÇÃo

Resultados preliminares do programa competências40
Seminário de Ética41
Fórum de RH42
Fundação da AnGEPE43
Parceria inédita entre Enfermagem e medicina45
Julgamento Simulado46
Avaliação de competências ético-profissionais48
Prêmio dimensão hospitalar50

CoREn FAZ

Autoridades internacionais52
nova diretoria da ABEn-SP52

notAS

Casos Stephanie e mariana54
CAPE no interior5
Enfermagem: Quanto somos e onde estamos57

AtUALidAdES

já beneficiou profissionais em todo o estado15

APRimoRAmEnto oferta de cursos e eventos gratuitos e a inaguração do CAPE

da Enfermagem29

4 | Revista Enfermagem • Dezembro/2010

Desde novembro de 2008, quando a atual gestão tomou posse, conseguimos fazer do COREN-SP um órgão que, no lugar de seu anterior papel omisso e passivo, vem se aproximando do profissional de Enfermagem, com ações cada vez mais voltadas para a transformação da Enfermagem paulista. Uma Enfermagem exercida com dignidade científica, moral, ética e social, ciente de sua responsabilidade social.

Esta edição, na verdade, é pequena para comportar todas as conquistas alcan- çadas. Não foram realizações de uma gestão, mas propostas por ela e assimiladas pelos profissionais. Estes, enfim, simbolizam o despertar da Enfermagem com que todos sonhamos e que a sociedade tanto espera e tem o direito de receber.

Obviamente, muitas outras conquistas ainda esperam por nós. Entre elas, des- tacamos a melhoria das condições de trabalho, para que o profissional não seja exposto a uma condição de exploração de mão de obra, em situação extrema de sobrecarga, insegurança e baixa auto- estima.

Essas conquistas serão essenciais para eliminar definitivamente as situações que tristemente ocorrem em nosso trabalho e que provocam, de forma direta ou indireta, erros profissionais inaceitáveis.

Temos aí uma luta incessante contra a péssima qualidade da formação profissional, com escolas técnicas e instituições de ensino superior que não estão formando profissionais conscientes de seu papel e comprometimento com a dignidade moral e ética e a responsabilidade social de seus atos.

Temos de lutar com todas as forças para evitarmos novas Marianas, Stephanies e tantos outros pacientes que acabam sofrendo as consequências dessas aberrações profissionais.

Estamos entrando em um ano com muita esperança e certeza de estarmos no caminho certo.

Temos agora uma Federação Nacional dos Enfermeiros, comandada pela nossa colega presidente do SEESP, Solange Caetano, que certamente intensificará a luta pelas conquistas relacionadas ao mundo do trabalho.

Estamos muito próximos de conquistas como a jornada de 30 horas e, embora um pouco mais distante, um piso salarial decente e coerente com o nível de nossas responsabilidades.

Somos profissionais que enfrentamos em nosso trabalho todos os dias, a todo momento, situações de extremo risco ope- racional, frequentemente em condições desumanas de trabalho, que nos fazem adoecer moral, psíquica e fisiologicamente.

Temos diante de nós, diariamente, situa-

Revista Enfermagem, nº 87 Expediente

tania de oliveira ortega

Presidente Claudio Alves Porto Primeiro-secretário Edmilson Viveiros Segunda-secretária Josiane Cristina Ferrari Primeiro-tesoureiro marcos Luís Covre Segunda-tesoureira

Presidente da Comissão de tomada de Contas-CtC mariangela Gonsalez membros da CtC marlene Uehara moritsugu marcia Rodrigues

Conselheiros efetivos Andréa P. da Cruz, Cleide mazuela Canavesi (licenciada), denilson Cardoso, Edna mukai Corrêa, Edwiges da Silva Esper, Francisca nere do nascimento, Henrique C. Cardoso, Lidia Fumie matsuda, maria Angélica G. Guglielmi, marinete Floriano Silva, Paula Regina de Almeida oliveira, Paulo Roberto n. de Paula, Rosana de oliveira S. Lopes

Conselheiros suplentes Aldomir P. de oliveira, Brígida B. da Silva, Cicera maria Andre de Souza, demerson Gabriel Bussoni, Elaine Garcia, Elizete P. do Amaral, Flávia Alvarez F. Caramelo, Gutemberg do Brasil B. moreira, ivone Valdelice dos S. oliveira, José messias Rosa, Lúcia Regina P. L. Sentoma, Luciana maria C. P. de Almeida, Luciene marrero Soares, Roberta P. de Campos Vergueiro, Sandra ogata de oliveira, Sebastião Cezar da Silva, Selma Regina C. Casagrande, Sonia marly mitsue Yanase Rebelato, tamami ikuno, Zainet nogimi, Zeneide maria Cavalcanti

Conselho Editorial César da Silva, maria Angélica Azevedo Rosin, mônica Farias, Silvia Regina martins Alves, tânia de oliveira ortega

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo Alameda Ribeirão Preto, 82 – Bela Vista São Paulo – SP CEP 01331-0 Fone: (1) 3225-6300 Fax: (1) 3225-6380 w.corensp.org.br

Redação, fotos e revisão: mônica Farias, Patrícia Julien, marco Antônio Petucco e Larissa morais

Foto de Capa: Glória Flugel

Fotográfos: Silmara Ciuffo, Hiroto Yoshioka, milton Shibata, Helena Yoshioka

Criação e diagramação: deBRito Propaganda

Publicação oficial bimestral do CoREn-SP / Reg. nº 24.929 / 4º registro / 335 mil exemplares/ distribuição gratuita dirigida

Expediente COREN-SP: O qUE ERa,

O qUE é E O qUE SERá!

Chegamos ao final de 2010 e o COREN-SP tem muito o que mostrar aos profissionais de Enfermagem do estado de São Paulo.

Revista Enfermagem • Dezembro/2010 | 5 ções de confrontos com a vida, a morte, o sofrimento, a angústia...

Por tudo isso, nosso grito de socorro e nossa consistente luta. a gestão 2008-2011, por mim presidida, vem desenvolvendo aos poucos e crescentemente, estratégias e ações para a valorização profissional, o reconhecimento da profissão e dos profissionais e a compreensão de nossos problemas e dificuldades no exercício profissional.

São estas as ações que recordaremos a seguir, para que você, profissional de Enfermagem, se sinta lembrado, se veja representado e resgate a autoestima, a esperança e a certeza de melhores dias profissionais.

algumas dessas estratégias e ações serão intensificadas, como:

1. ações voltadas para o desenvolvimento profissional: temos o CaPE (Centro de aprimoramento Profissional de Enfermagem), construído na Rua Dona Veridiana, onde se localizava a antiga sede do COREN-SP. a construção desse centro de desenvolvimento foi fruto de uma luta intensa, iniciada antes mesmo de nossa posse, em novembro de 2008. Naquela época, batalhamos com a antiga gestão para que não houvesse a alienação do prédio, como estava determinado pela ex-gestora do COREN-SP, pois idealizávamos esta conquista e sonhávamos com ela. Um centro totalmente voltado para o aperfeiçoamento, o desenvolvimento e a valorização técnica, científica, moral e ética dos profissionais de Enfermagem, sejam enfermeiros, técnicos ou auxiliares.

Hoje, conseguimos transformar em números reais e indiscutíveis todo o sucesso deste empreendimento, representado pelos mais de 21 mil profissionais que passaram por algum tipo de treinamento e reciclagem em 14 meses, com mais de 540 cursos, palestras, seminários, workshops e eventos científicos lá realizados, GRaTUITaMENTE. Temos hoje, no CaPE, 29 sociedades de especialistas de Enfermagem desenvolvendo eventos gratuitos mensais para os profissionais, além de associações de imensa relevância para o desenvolvimento da personalidade profissional, como aBEn-SP, aBRaTE, entre outras, além de sindicatos.

Temos como parceiros, no CaPE, mais de trinta indústrias de equipamentos, instrumentos e produtos voltados para a Enfermagem, utilizando o espaço para desenvolver a habilidade, a destreza e a responsabilidade profissional.

Tivemos nestes últimos 14 meses visitas ilustres para conhecer o complexo, como as do governador, prefeitos, senadores, deputados, vereadores e presidentes de sindicatos e associações que não representam a Enfermagem, mas que queriam conhecer o inédito potencial do empreendimento.

Tivemos, no primeiro semestre deste 2010, a visita oficial da princesa consorte da Jordânia que, em visita ao Brasil, ouviu falar deste inovador empreendimento e fez questão de nos visitar, lá permanecendo por mais de três horas, em vez dos 15 minutos previstos pelo cerimonial.

ainda no item desenvolvimento, tivemos outras iniciativas importantíssimas, como o Programa Portas abertas (PPa), em todo o estado, envolvendo mais de 7.500 profissionais em palestras científicas e ético-profissionais; o Programa Café com o Presidente, reunindo mais de 500 enfermeiros responsáveis técnicos de Enfermagem para discutir prioridades, problemas e projetos profissionais. Foram mais de 600 outras palestras atendendo solicitações de instituições assistenciais e de formação, com abordagem profissional, com mais de 6 mil profissionais; foram realizados eventos especiais, como o Fórum

Paulista de Enfermagem, em conjunto com a Hospitalar, envolvendo mais de 3 mil profissionais, o Fórum de RH de Enfermagem, em Ribeirão Preto e Presidente Prudente, com mais de mil profissionais; dois seminários de ética em Enfermagem, envolvendo as Comissões de ética em Enfermagem no estado. Tivemos ainda o Seminário Paulista de Gestão em Enfermagem, reunindo mais de 600 enfermeiros responsáveis técnicos para discutir a gestão assistencial e de formação profissional.

Todo este universo de ações, estratégias e eventos sobre desenvolvimento profissional envolveu mais de 40 mil profissio- nais de Enfermagem. Todos eles, de uma forma ou de outra, tiveram no COREN-SP a oportunidade de ampliar o horizonte do conhecimento e da ética profissional.

Pretendemos, em 2011, intensificar esses eventos, tendo como meta atingir ao final de 12 meses um mínimo de 50 mil profissionais de Enfermagem em situações que os levem a refletir sobre o exercício profissional e a ampliar o horizonte do conhe- cimento técnico, científico, ético e moral.

Implantamos o curso de informática básica, na sede, gratuito, para que os profissionais de Enfermagem se familiarizem mais rapidamente com a realidade tecnológica de nossos dias.

Nunca o profissional de Enfermagem teve tanto acesso gratuito a seu desenvolvimento profissional.

Pretendemos oferecer a ele, e também a instituições de saúde e de formação profissional, ainda no primeiro semestre de 2011, amplo acesso a todos esses eventos, através do sistema de videoconferência em fase de implantação no CaPE.

Este sistema permitirá, não somente em São Paulo, mas em todo o Brasil, amplo acesso a essas realizações, projetando definitivamente a Enfermagem e sua força no cenário nacional e mundial.

2. ações voltadas para a excelência da qualidade no atendimento ao profissional de Enfermagem, já em pleno desenvolvimento, como a completa reestruturação operacional na sede e subseções, desconstruindo a antiga concepção do atendimento como um favor. O profissional era maltratado em diversos aspectos, na recepção e no atendimento a suas solicitações.

Hoje, ao entrar na sede e nas subseções, o profissional encontra um funcionário treinado na recepção, um sistema de Posso ajudar para orientá-lo e, no atendimento documental, um colaborador apto para recebê-lo, com postura e atitude acolhedoras.

Nestes 18 meses de gestão, adquirimos de forma definitiva oito prédios para comportar as subseções (antes, alugadas e precárias em espaço, conforto e comodidade), completamente informatizadas, com auditórios próprios e amplos espaços de convivência. Reformamos o prédio da sede, reestruturando a geografia do atendimento profissional, tornando sua permanência mais confortável e acolhedora. Foi implantado, ainda, o sistema de agendamento de atendimento, possibilitando ao profissional, em dia e hora marcados, ter imediato atendimento.

O profissional, que antes perdia até três ou quatro horas para resolver sua situação, em espaços inadequados e desconfortáveis, hoje tem seu problema sanado na média de 15 minutos!

Inauguraremos, até o final do próximo semestre, as novas sedes de Santos, Campinas e São José do Rio Preto, além da abertura das sedes de Botucatu e Itapetininga, ampliando o acesso ao Conselho.

além disso, teremos mais um ônibus itinerante por todo o es-

Editorial Editorial

6 | Revista Enfermagem • Dezembro/2010 tado, somado ao veículo existente, possibilitando a realidade da sede móvel, cada vez mais perto do profissional. Com o ônibus atual, atendemos mais de 15 mil profissionais de Enfermagem, em mais de 40 municípios do interior, Litoral Sul e Litoral Norte.

Implantamos ainda o sistema de Chat Eletrônico, destinado ao atendimento imediato e seleto de responsáveis técnicos de Enfermagem, residentes de comissões de ética e enfermeiros de educação permanente on-line, facilitando e aumentando a segurança na tomada de decisões.

3. ações voltadas para a organização e reestruturação operacional do COREN-SP, em nível interno, tornando transparentes todas as decisões e ações da gestão, em iniciativa nunca antes vista, em nome do respeito ao profissional de Enfermagem, que tem o direito inalienável de saber o que seu Conselho pensa, faz e decide.

Priorizamos as ações de divulgação e valorização da imagem profissional, como as diversas campanhas publicitárias, em jornais, rádios, TVs e revistas de grande circulação, divulgando a Enfermagem paulista, enchendo de orgulho e autoestima o profissional de Enfermagem que se viu valorizado como nunca!

Tivemos ainda ações voltadas para ampliar o conhecimento e a segurança na assistência de Enfermagem, como a distribuição gratuita do Dicionário de Termos Profissionais e do livro sobre segurança do paciente, distribuído a TODOS os profissionais no estado.

Temos também uma fiscalização do exercício profissional totalmente voltada para o trabalho compartilhado entre fiscal e enfermeiro responsável técnico, buscando conjuntamente a transformação do processo assistencial e organizacional nas instituições de saúde.

Com nossa força política, conseguimos a realização do TECSaúde, um dos maiores programas de formação profissional já desenvolvido, promovido pelo governo do estado e coordenado pela FUNDaP, atingindo o universo de 100 mil auxiliares de Enfermagem, que terão os estudos complementares para Técnico.

E atenção: em 2011, teremos o CaPE ITINERaNTE em todo o estado, como um dos mais ousados projetos de desenvolvimento de habilidade profissional! aguardem!

O mais importante nesta questão política será o que está por vir, com o COREN-SP diretamente envolvido na condução das políticas públicas de saúde. Em 2011 teremos, finalmente, o reconhecimento do técnico de Enfermagem na rede pública do SUS!

Este é o COREN-SP atual, com uma filosofia de trabalho que veio para ficar, negando a volta ao passado, quando o des- respeito ao profissional e à profissão era uma evidência prática na gestão do órgão.

Enfim, temos realmente o QUE ERA, o QUE É E o QUE SERÁ!

Claudio ALVES PoRto PRESidEntE Gestão 2008-2011

Editorial Editorial

Revista Enfermagem • Dezembro/2010 | 9 agilizar. Facilitar. Descomplicar. Palavras que não combinavam com as ações e os procedimentos sob responsabilidade do COREN-SP e que marcaram negativamente o órgão até outubro de 2008.

Mas tudo isso vem mudando desde novembro de 2008, quando assumiu a presidência da atual gestão o enfermeiro Claudio alves Porto.

Simplificar procedimentos e facilitar o acesso ao que o COREN-SP oferece têm sido práticas comuns nos setores de atendimento ao profissional, tanto na sede, em São Paulo, quanto nas subseções do interior e litoral.

Iniciativas e investimentos, como reformas na área de atendimento da sede, aquisição de novos imóveis para subseções, possibilidade de atendimento com hora marcada e o ônibus COREN-SP Itinerante, são alguns dos exemplos de ações da Gestão 2008-2011 que transformaram o Conselho e encurtaram o tempo e a distância entre COREN-SP e o profissional.

(Parte 1 de 7)

Comentários