Processo de Assistência de Enfermagem Psiquiátrica VI

Processo de Assistência de Enfermagem Psiquiátrica VI

(Parte 1 de 2)

Unidade Temática

Enfermagem na Saúde Mental

ProfPriscila Maria Marcheti Fiorin

•Sistematização a Assistência de

Enfermagem aos Pacientes com Transtornos Afetivos; com Transtornos Neuróticos, Relacionados ao Stress e Somatomorfo

Tema 6Tema 6

•Habilidades e Competências: compreender os principais tipos de transtornos de humor e a sistematização a assistência de enfermagem aos pacientes com transtornos afetivos, neuróticos, relacionados ao stress e somatomorfo.

• Conteúdo:

Transtorno do humor

Episódio Maníaco e depressivo

Transtornos relacionados ao estresse e somatoformes

Mas o que éesse tal de Transtorno de Humor???

E essa tal de Mania??

Mas o que éesse tal de Transtorno de Humor???

E essa tal de Mania??

TRANSTORNO DO HUMOR (CID 10: F 30 àF 39)

TRANSTORNO DO HUMOR (CID 10: F 30 àF 39)

•Éuma alteração do humor ou do afeto, no sentido de uma depressão (com ou sem ansiedade associada) ou de uma euforia (mania).

•A maioria destes transtornos podem estar relacionados com situações estressantes.

•Normalmente o afeto ou o humor se modifica de pessoa para pessoa.

•Ausência da mudança transitória do humor, prevalecendo sempre ou tristeza ou alegria

•10 a 14 milhões de norteamericanos são afetados por distúrbio afetivo

•20% da população vão ter um episódio de depressão pelo menos uma vez na vida.

•émaior nas ♀(25%) do que nos ♂(15%), em relação ao transtorno depressivo, jáno distúrbio bipolar é aproximadamente igual entre os sexos.

•a depressão émaior em ♀jovens e tem a tendência em diminuir com a idade, o contrário acontecesse com os ♂.

•idade de início dos distúrbios bipolares éde aproximadamente 18 anos nos ♂e 20 anos nas ♀.

•vem crescendo o número de crianças, parece ser mais comum em meninos do que em meninas.

•classes sociais mais elevadas.

•maior incidência de depressão em pessoas solteiras e divorciadas.

Episódio maníaco (CID-10: F 30)

•Estado de hiperexitaçãodas funções nervosas (exaltação do humor). Início entre os 20 e os 50 anos de idade.

EuforiaEuforia pensamento, fuga de idéias, descarrilamento, relatando projetos mirabolantes, delírio de grandeza, irritabilidade, hipersexualidade, diminuição da necessidade de sono,, com voz alta, podendo ser cheia de associações e rimas.

•Agravamento da doença apresenta mais incoerente, hostil e ameaçador.

•Ausência de juízo crítico atos de exibicionismo, consumismo, emitindo cheques sem fundo, prejudicando e comprometendo a economia familiar.

•Éraro apresentar alucinações.

•Elevação ligeira, mas persistente do humor, associada a um sentimento intenso de bem-estar e de eficácia física e psíquica.

•aumento da sociabilidade, do desejo de falar e da energia sexual, e uma redução da necessidade de sono;

•estes sintomas não são, tão graves de modo a entravar o funcionamento profissional ou levar a uma rejeição social.

euforia mais leve euforia mais leve

Mania sem sintomas psicóticos (CID-10: F 30.1)

•Elevação do humor fora do comum, aumento da energia, hiperatividade, um desejo de falar e uma redução de sono, aumento da auto-estima com idéias de grandeza. A perda das inibições sociais pode levar a condutas imprudentes e inapropriadas.

Mania com sintomas psicóticos (CID-10: F 30.2)

•Apresenta o mesmo quadro de mania, mas com sintomas psicóticos. O paciente apresenta idéias delirantes, atividade motora excessiva e fuga de idéias.

Transtorno afetivo bipolar (CID-10: F 31)ou Transtorno Bipolar (DSM-IV)

•Caracteriza-se por oscilações do humor, podendo aparecer aumento da energia e da atividade (hipomaniaou mania) e em outro momento, rebaixamento do humor, com redução da energia e da vontade (depressão).

•Delírios e alucinações podem ou não fazer parte do quadro clínico.Distúrbio crônico do humor de pelo menos dois anos de duração, envolvendo vários

episódios de hipomaniae humor deprimido. O paciente nunca fica sem sintomas hipomaníacosou depressivos por mais de 2 meses. Começa no início da fase adulta e segue curso crônico.

Ciclotímicos

Episódios recorrentes de depressão maior, com ocorrência de episódios hipomaníacos. O pacientes nunca tiveram sintomas que preenchesse os critérios de mania.

Transtorno Bipolar tipo I

Estáapresentando uma síndrome de mania ou sintomas mistos, podendo ter também episódios de depressão.

Transtorno Bipolar tipo I

•F 31.0 -Transtorno afetivo bipolar, episódio atual hipomaníaco

•F 31.1-Transtorno afetivo bipolar, episódio atual maníaco sem sintomas psicóticos

•F 31.2 -Transtorno afetivo bipolar, episódio atual maníaco com sintomas psicóticos

•F 31.3 -Transtorno afetivo bipolar, episódio atual depressivo leve ou moderado

•F 31.4 -Transtorno afetivo bipolar, episódio atual depressivo grave sem sintomas psicóticos

•F 31.5 -Transtorno afetivo bipolar, episódio atual depressivo grave com sintomas psicóticos

•F 31.6 -Transtorno afetivo bipolar, episódio atual misto

Atividade psicomotora, movimentos agitados e sem finalidade. Podendo ocorrer exaustão, danos a si mesmo e aos outros.

psicomotora excessiva, aumento do sexual, gastos, manipula os outros para satisfazer seus desejos, energia inesgotável, insônia, higiene descuidada, vestuário e maquiagem em excesso.

Aumento da atividade motora, extrovertidos e sociáveis, falam e riem muito, e às vezes muito alto, aumento da libido, anorexia e perda de peso.

Confusão mental, desorientação. Delírios grandeza ou persecutório; alucinações auditivas ou visuais.

Fragmentada; o pensamento rápido e desconexo; logorreico, distraído, comuns delírios de grandeza

Idéias de grandeza e capacidade, pensamento e idéias rápidas, a percepção do ambiente

Estado confusional, desespero convertidos em alegria, ou irritável; indiferente ao ambiente;

Euforia e alegria, humor sofre alterações freqüentes, podendo ir facilmente da raiva para o choro.

Alegre, expansivo, humor volúvel, pode ficar irritada quando não ésatisfeita.

Alguns diagnósticos de enfermagem utilizados para bipolar (Mania)

•Risco para lesão relacionada àhiperatividadeextrema, evidenciada por maior agitação e ausência de controle sobre os movimentos.

•Risco de violência: autodirigidaou dirigida aos outros, relacionada a excitação maníaca, pensamentos delirantes ou alucinações.

•Nutrição alterada: abaixo das necessidades corporais, relacionada a recusa ou incapacidade de sentar-se por um tempo para comer, evidenciada por perda de peso.

•Distúrbio do padrão do sono relacionado a hiperatividadeexcessiva e agitação, evidenciado por dificuldade em pegar no sono.

Episódios Depressivos (CID-10: F32)

Como éque vou saber quando édepressão ou somente uma tristeza passageira??

Como éque vou saber quando édepressão ou somente uma tristeza passageira??

Episódios Depressivos (CID-10: F32)

•humor deprimido ou perda do interesse em atividades habituais (vontade).

•S.S humor deprimido; perda de interesse e prazer; energia reduzida com aumento da fadiga; atividade diminuída; visões pessimistas do futuro; idéias de culpa e inutilidade; idéias ou atos autolesivosou suicídios; sono perturbado e apetite diminuído ou aumentados.

•10 a 25%dos pacientes que procuram por um médico apresentam sintomas de depressão.

•♀são duas vezes mais afetadas que os ♂.

•depressão estápresente em 1%das crianças e em 5%dos adolescentes.

•Ter um dos pais com depressão aumenta de 2 a 4 vezeso risco da criança. Em pelo menos 20% dos pacientes com depressão instalada na infância ou adolescência, existe risco de surgirem distúrbios bipolares.

•Estima-se que aproximadamente um terçodos idosos apresentam transtornos depressivos.

Os sintomas da depressão interferem na qualidade de vida do paciente e estão associados a altos custos sociais, como perda de dias no trabalho, atendimento médico, medicamentos e suicídio. Cerca de 60% das pessoas que se suicidam apresentam características dessa doença.

Os sintomas da depressão interferem na qualidade de vida do paciente e estão associados a altos custos sociais, como perda de dias no trabalho, atendimento médico, medicamentos e suicídio. Cerca de 60% das pessoas que se suicidam apresentam características dessa doença.

Fatores de risco para a depressão

•História familiar

•Acontecimentos estressantes (principalmente na infância)

•Transtorno de Ansiedade:

Uma grande parte dos pacientes com depressão apresenta ansiedade ao mesmo tempo.

Fatores de risco para a depressão

•Sexo feminino:cerca de 5% a 9%, comparada a uma porcentagem de 1% a 3% entre os homens.

•Doenças:Hipotireoideismo, CA, AIDS,

Insuficiência Renal,, LúpusEritematoso, Parkinson, Artrite Reumatóide, Esclerose Múltipla, outras

•Episódios anteriores de depressão:A doença érecorrente. Os que játiveram um episódio de depressão no passado correm 50% de risco de repeti-lo. Se jáocorreram dois, a probabilidade de recidiva pode chegar a 90%; e se tiverem sido três episódios, a probabilidade de acontecer o quarto ultrapassa 90%.

Fatores de risco para a depressão

•Parto recente:cerca de 15% das mulheres relatam sintomas de depressão até seis meses do parto.

•Dependência de drogas:

O consumo de drogas pode induzir ou agravar sintomas depressivos.

1)Depressão menor:2 a 4 sintomas por duas ou mais semanas, incluindo estado deprimido ou anedônia;

2)Distimia:3 ou 4 sintomas, incluindo estado deprimido, durante dois anos, no mínimo;

3)Depressão maior:5 ou mais sintomas por duas semanas ou mais, incluindo estado deprimido ou anedônia.

•Estado deprimido:sentir-se deprimido a maior parte do tempo

•Anedônia:interesse diminuído ou perda de prazer para realizar as atividades de rotina

•Sensação de inutilidadeou culpa excessiva

•Dificuldade de concentração

•Distúrbios do sono:insônia ou sonolência

•Problemaspsicomotores:agitação ou retardo psicomotor

•Perda ou ganho significativo de peso

•Idéias de morte ou suicídio.

•F 32.0-Episódio depressivo leve

•F 32.1-Episódio depressivo moderado

•F 32.2-Episódio depressivo grave sem sintomas psicóticos

•F 32.3-Episódio depressivo grave com sintomas psicóticos

•Rebaixamento crônico do humor, persistindo ao menos por vários anos, mas cuja gravidade não ésuficiente para responder aos critérios de transtorno depressivo recorrente grave, moderado ou leve.

óvida, ócéus, ó azar...

óvida, ócéus, ó azar...

Distúrbio Depressivo

•Os sintomas de depressão podem ser descritos como 4 esferas do funcionamento humano: afetiva, comportamental, cognitiva e fisiológica, podendo ser modificadas de acordo com a gravidade da doença.

Retardo psicomotor, posição encolhida, andar lento, comunicação inexistente, isolamento social, ausência de higiene.

Movimentos mais lentos, fala lenta, verbalizações limitadas, isolamento social, menor interesse pela higiene.

Crises de choro, inquietação, agitação.

Algum choro.

desespero, apatia, solidão, tristeza, sem prazer, sem expressão emocional.

Desânimo, desesperança, impotência, pessimistas, baixa auto-estima, dificuldade em sentir prazer.

Raiva, ansiedade, culpa, desespero, tristeza, desesperança

Tristeza, desânimo, peito apertado.

Lentificaçãode todo o corpo, diminuição da libido, anorexia, dificuldade em pegar no sono, sentir-se pior logo pela manhã, desperta muito cedo.

Anorexia, distúrbio do sono, cefaléias, dores abdominais, baixo nível de energia, fadiga, sentir-se melhor de manhã, essa sensação piora com o passar do dia.

Anorexia ou fome, insônia ou hipersônia, cefaléia, mialgia.

cansado. Fisioló gicas

Pensamentos delirantes, indecisão, incapacidade de se concentrar, idéias de suicídio.

Pensamento lento, dificuldade de concentração, pensamentos pessimistas

Preocupação com a perda, autoacusações, culpa os outros.

dificuldade de esquecer o desaponta mento.

Cognit ivas

Alguns diagnósticos de enfermagem utilizados para depressão

•Risco de violência autodirigidarelacionado a humor deprimido.

•Distúrbio de auto-estima relacionado a impotência apreendida, sentimentos de abandono, distúrbio da cognição estimulando uma visão negativa de si.

•Déficit do autocuidadorelacionado a humor deprimido, sentimentos de menos valia, evidenciado por máhigiene.

•Distúrbio do padrão do sono relacionado a humor deprimido, ansiedade, temores, evidenciado por dificuldade em pegar no sono, acordar mais sedo, insônia.

•O transtorno de humor, se não tratado corretamente (medicamentoso e psicoterapia) pode perdurar por 6 a 15 meses.

•O tratamento bem sucedido reduz este período para 8 a 12 semanas. Podendo ocorrer recidiva ou crônificar.

•O tratamento medicamentoso visa restaurar o comportamento, controlar sintomas agudos e prevenir a ocorrência de novos episódios.

Tratamento medicamentoso

•Éindispensável para a melhora do quadro.

•Uso de anticonvulsivante para o tratamento dos sintomas de mania. Melhoram todos os sinais e sintomas associados àelevação patológica do humor.

•O lítioéa primeira escolha no tratamento da mania, mas ácido valpróico, carbamazepina(CBZ) e antipsicóticosatípicos (olanzapinae risperidona) e os típicos (clorpromazina e haloperidol)

Antidepressivo

•Produzem, em média, uma melhora dos sintomas de 60% a 70%, no prazo de 15 dias a 1 mês.

•Não existem muitas diferenças entre os antidepressivos, mas e relação aos efeitos colaterais, preços, riscos de suicídio, tolerabilidade varia bastante para cada paciente.

•Não háantidepressivo ideal, mas hoje existe uma disponibilidade de drogas atuando através de diferentes mecanismos de ação

•Esta taxa de melhora dificilmente éencontrada em outras abordagens terapêuticas de depressão, a não ser o ECT (eletroconvulsoterapia).

As drogas antidepressivas são usadas para muitos outros distúrbios como: Anorexia Nervosa, Ansiedade, Síndrome do Pânico, Bulemia, Hiperatividade, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), Estresses, Fibromialgia, Enxaquecas, e outros.

As drogas antidepressivas são usadas para muitos outros distúrbios como: Anorexia Nervosa, Ansiedade, Síndrome do Pânico, Bulemia, Hiperatividade, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), Estresses, Fibromialgia, Enxaquecas, e outros.

Eletroconvulsoterapia

•A eletroconvulsoterapia(ECT) éum procedimento médico que consiste na indução de crises convulsivas generalizadas por meio de uma passagem elétrica pelo cérebro, para o tratamento de sintomas psiquiátricos.

Tratamentos psicológicos

• Psicoterapia Individual •Psicoterapia em Grupo

•Terapia em Família

Transtornos Fóbico-ansiosos (CID-10: F40)

•Medos de lugares abertos, sair de casa, ou de situações nas qual o socorro imediato não é possível (aviões, elevadores, cinemas, outros).

•Maioria édo sexo feminino, aparecendo no início da fase adulta, com aproximadamente 0,6% da população apresentando em algum período da sua vida

F 40.1 –Fobias social

•Éo medo de falar, escrever, comer, ou seja, agir de forma ridícula na frente de outras pessoas.

•Igual entre homens e mulheres

•Início na adolescência.

•Uma característica éa ansiedade antecipatória.

•O paciente pode viver período sem sintomas mas eles podem reaparecem.

•alteração do sono, no apetite e na concentração sofrendo antecipadamente com a situação e não melhora com o início da reunião.

F 40.2 –Fobias específicas

•Restritas a situações altamente específicas, como: animais, insetos, altura, tempestades, escuro, ambientes fechados, medo de exposição a doenças.

•O contato com a situação pode provocar um ataque de ansiedade aguda.

•Pode surgir na infância e permanecer por toda a vida.

•O tratamento érealizado apenas se ocorrer prejuízo na qualidade de vida da pessoa.

(Parte 1 de 2)

Comentários