Introdução a teologia - Geografia Bíblica

Introdução a teologia - Geografia Bíblica

(Parte 1 de 16)

Curso Livre de Graduação – Bacharelado Faculdade de Educação Teológica Fama

FACULDADE DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA FAMA

CURSO LIVRE DE TEOLOGIA

INTRODUÇÃO A TEOLOGIA

GEOGRAFIA BÍBLICA

INTRODUÇÃO

Esta disciplina é mais um manual de consulta do que o material de estudo, aproxima-se mais de uma literatura para pesquisa, devido ao fato de que geografia é informação a ser decorada, mas estes estudos foram feitos com a intenção de dar ao aluno uma perfeita noção da importância desta ciência, bem como de seu uso diário nos estudos bíblicos, na preparação de sermões, estudos para artigos em revistas especializadas, na escrituras de livros (caso você seja um escritor) e na construção de material de estudos para alunos de Escola Bíblica Dominical.

Sua importância é extrema para quem queira entender o texto bíblico, pois quaise todos os textos bíblicos citam cidades, regiões, províncias, planícies, montanhas, rios, vales, estradas, territórios, impérios, viagens, densidade demográfica ou pluviométrica, guerras, climas, etc. Por isto vamos aqui fazer um verdadeiro estudo geográfico de todo o território envolvido pela história bíblica chegando aos primeiros séculos da igreja. Algumas ciências caminham juntas com a geografia, não há como separá-las, a presença da arqueologia, por exemplo, será uma constante, pois ela confirma com suas escavações os fatos declarados na bíblia, ela comprova muitos fatos bíblicos para os muitos “Tomés”, que só crêem vendo e também para auxiliar os trabalhos de exegese, ela tem comprovado ao mundo cada vez mais a veracidade dos relatos bíblicos.

A história é a irmã gêmea da geografia, o estudo de uma, sempre corre em paralelo com o apoio da outra, pois muitos aspectos geográficos foram modificados ao longo do tempo tanto pela humanidade quanto por fatores naturais; é praticamente impossível não nos questionarmos sobre os locais onde aconteceram os fatos históricos, assim como as datas e personagens relativos a fatos geográficos. Esta disciplina engloba em si então o estudo superficial de algumas outras ciências relativas à geografia, tais como política, meteorologia, astronomia, geologia, etc. Nosso estudo será dividido em quatro partes.

A primeira parte será um estudo sobre a própria geografia e em si, a necessidade da geografia na teologia, e sobre os fundamentos da cosmogonia hebraica responsável pela produção do texto bíblico, que é óbvio se deu por ação divina. A segunda parte será um estudo geral sobre todas as terras envolvidas pelo relato bíblico e pelo período inter-bíblico, veremos aqui as características geográficas imutáveis deste imenso território, tudo o que ao longo do templo não foi modificado, densidade pluviométrica, ventos, rios, mares, planícies, vales, terras férteis, etc.

Após esta segunda parte os estudos seguintes tratarão de todas as informações que são mutáveis ao longo do tempo tais como política, economia, comércio, agropecuária, cidades, guerras, etc. Por isso o estudo terá caráter cronológico após esta segunda parte.

Na terceira parte estudaremos a história da criação, dos idiomas e das antigas civilizações que são descendentes de Noé, na narrativa bíblica (criacionista) e secular (evolucionista); engloba desde a criação até as primeiras civilizações. Também aqui estudaremos os impérios do oriente bíblico, desde o mundo antigo até o início do império romano (Egípcio, Assírio, Babilônico, Medo Persa, Grego, Ptolomeu, Seleucida, Macabeu, e Romano), e um estudo sobre as cidades bíblicas do AT. Na quarta parte teremos um estudo geográfico, político e econômico do NT e da igreja, da vida de Jesus, dos atos dos apóstolos tudo em caráter cronológico, e estudos sobre outras cidades envolvidas na história do NT.

A própria bíblia dá muita importância à história, as maiorias dos fatos bíblicos possuem âncoras fincadas na história, a maioria dos livros dos profetas citam a época em que foram escritos, tais referências ou ligações históricas, procuram comprovar a veracidade dos relatos e juntamente no texto pode-se notar centenas de citações geográficas, pode-se facilmente através da narrativa bíblica fazer um paralelo entre as histórias bíblicas e seculares; dentro os 66 livros bíblicos 13 são puramente históricos e muitos outros trazem muitos relatos históricos.

Passagens tais como 1º Reis 15.22 onde se lê "então, o rei Asa fez apregoar por toda Judá que todos, sem exceção, trouxessem as pedras de Ramá, e a sua madeira com o que Baasa edificara; e com elas edificou o rei Asa a Geba de que Benjamim e a Mizpá”. São difíceis de serem compreendidas, pois, sempre temos de pesquisar em enciclopédias bíblicas tais referências. Outras passagens tais como Neemias 1.1, onde se lê "As palavras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu no mês de Quislev, no ano vigésimo estando eu e Susã a Fortaleza", já possuem referências históricas e geográficas. Observação: Por vezes o estudo da geografia confunde-se com um estudo histórico.

Nesta disciplina não há a intenção de fazer o aluno decorar milhares de referências geográficas, estes estudos são apenas uma base, conhecer a geografia bíblica profundamente é função de alguém que tenha se especializado nisto, mas nós ainda temos muito mais disciplinas para estudar neste curso, portanto queremos fornecer um fundamento, uma base.

Como efeito deste estudo, ao ler a Bíblia o aluno passará a perceber as informações históricas e geográficas do texto, perceberá também a importância deste tipo de conhecimento para o entendimento no texto bíblico, e este é nosso objetivo; sofisticadas equipes de exegetas se esforçam cada vez mais para desvendar a história bíblica a partir de importantes relatos geográficos; as referências bíblicas têm também servido de base para milhares de pesquisas arqueológicas, etc.

Observação: Trazemos aqui, nesta disciplina, muitos estudos seculares e peço que os alunos tenham atenção e sejam analíticos.

__________

INDICE

PARTE UM

A) O estudo da geografia.

O que é a Geografia.

A necessidade da geografia.

A necessidade da geografia bíblica.

B) A cosmogonia hebraica.

PARTE DOIS - Estudo geográfico das regiões bíblicas (características imutáveis):

A) Planícies

Planície do Acre

Planície de Sarom

Planície de Filístia

Planície de Sefelá

Planície de Armagedom

B) Vales

Vale do Jordão

Vale do Jezreel

Vale de Acor

Vale de Aijalom

Vale de Escol

Vale de Hebrom

Vale de Sidim

Vale de Siquém

Vale de Basam

Vale de Moabe

C) Planaltos

Planalto Central

Planalto de Naftali

Planalto de Efraim

Planalto de Judá

Planalto Oriental

Planalto de Basam

Planalto de Gileade

Planalto de Moabe

D) Montes

Montes Palestínicos

Montes de Judá

Monte Sião

Monte Moriá

Monte das Oliveiras

Monte da Tentação

Montes de Efraim

Monte Ebal

Monte Gerizim

Montes de Naftali

Monte Carmelo

Monte Tabor

Monte Gilboá

Monte Hatim

Montes Transjordanianos

Monte de Gileade.

Monte de Basam

(Parte 1 de 16)

Comentários