(Parte 4 de 5)

As portas dos abrigos deverão dispor de viseiras de vidro com a inscrição "INCÊNDIO", em letras vermelhas com as dimensões mínimas: traço de 0,5 cm e moldura de 3 x 4 cm. A porta do abrigo deverá possuir dispositivos para ventilação, de modo a evitar o desenvolvimento de fungos e/ou líquens no interior dos abrigos.

Em edificações residenciais, quando separado do hidrante de parede, o abrigo de mangueira não poderá ser instalado a mais de 3 m de distância.

Os abrigos de mangueiras poderão ser dotados de dispositivos de fechamento à chave, devendo observar: I - As dimensões devem atender às exigências das normas; I - Os dispositivos utilizados devem permitir a rápida abertura dos abrigos; I - A chave (ou outro dispositivo que possibilite a abertura) deve estar situada ao lado do abrigo de mangueiras; IV - O abrigo para a chave deve possuir dimensões mínimas de 0,10 x 0,15 x 0,04 m; V - A parte frontal do abrigo da chave deve ser envidraçada, contendo informações quando a sua destinação e forma de acioná-la.

Os abrigos poderão também dispor de fachada envidraçada, devendo-se observar: a) Fachada em moldura, que não reduza as dimensões internas do abrigo de mangueiras - destinado a acomodar a mangueira que o caminhamento exija; b) Ser em vidro com espessura máxima de 3 m; c) Dispor de identificação com a inscrição "incêndio" em cor amarela, à meia porta; d) Deve apresentar no terço médio inferior, instruções quanto ao uso do equipamento, ressaltando, particularmente, a necessidade de ser quebrado o vidro para acesso e uso do hidrante e cuidados com relação aos estilhaços; e) Os abrigos devem ter área para ventilação, com o objetivo de evitar o desenvolvimento de líquens e/ou fungos, igual a 10% da área envidraçada, na parte superior e inferior; f) Possuir afixado ao abrigo dispositivo para auxiliar no arrombamento da fechadura, de forma a se apresentar bem identificado; g) Ter drenagem, através de orifícios com pingadeiras, na parte inferior do abrigo; h) Deve possuir dispositivo ou permitir a sua abertura para manutenção ou vistoria.

5.4.6. Linhas de mangueiras

As linhas de mangueiras, dotadas de juntas de união, tipo Storz, não poderão ultrapassar o comprimento máximo de 30 m.

Quando o caminhamento máximo for de 30 m, as mangueiras deverão ser em dois lances de tamanhos iguais.

As mangueiras deverão ser previstas de modo a não existirem áreas brancas. As mangueiras deverão resistir à pressão mínima de 8,5 kg/cm2.

Prof. Enedir Ghisi

UFSC / Depto de Engenharia Civil / ECV 5317 – Instalações I 15

Os diâmetros mínimos das mangueiras e os requintes a serem adotados nos esguichos, deverão obedecer aos valores indicados na Tabela 5.6.

Tabela 5.6. Diâmetro da mangueira e do requinte em função do grau de risco Risco Diâmetro da mangueira Diâmetro do requinte Leve 38 m (1 1/2") 13 m (1/2") Médio 63 m (2 1/2") 25 m (1") Elevado 63 m (2 1/2") 25 m (1")

As mangueiras devem ser flexíveis, de fibra resistente à umidade e com revestimento interno de borracha. Deverão estar acondicionadas nos abrigos, de modo a facilitar o seu emprego imediato.

As mangueiras poderão ser dotadas de esguicho de vazão regulável, em substituição ao esguicho com requinte, desde que a pressão residual, medida no esguicho, atenda às exigências de pressão mínima. Em parques de armazenamento e/ou depósito de líquidos inflamáveis com risco Médio e Elevado, os esguichos deverão ser do tipo vazão regulável.

5.4.7. Hidrante de recalque

O hidrante de recalque será localizado preferencialmente junto à via pública, na calçada ou embutido em muros ou fachadas, observando-se as mesmas cotas para instalação dos hidrantes de parede. Poderá ser instalado junto à via de acesso de veículos, via de circulação interna, de modo a ser operado com facilidade e segurança e em condições que lhe permitam a fácil localização.

O hidrante de recalque será dotado de válvula angular com diâmetro de 63 m, dotado de adaptador RxS de 63 m com tampão cego.

O abrigo do hidrante de recalque deverá ser em alvenaria de tijolos ou em concreto, com as dimensões mínimas de 0,50 x 0,40 x 0,40 m, dotado de dreno ligado à canalização de escoamento pluvial ou com uma camada de 0,05 m de brita no fundo, de modo a facilitar a absorção da água, quando a ligação do dreno com a canalização não puder ser efetuada. A borda superior do hidrante de recalque não pode ficar abaixo de 0,15 m da tampa do abrigo, e o hidrante dentro do abrigo, instalado em uma curva de 45°, deve ocupar uma posição que facilite o engate da mangueira, não provocando quebra com perda de carga. A tampa do abrigo do hidrante de recalque será metálica com as dimensões mínimas 0,40 x 0,30 m e possuirá a inscrição INCÊNDIO. O hidrante de recalque poderá ser instalado em um nicho (quando for em paredes), observando as dimensões de 0,40 x 0,50 x 0,20 m, projetando a saída para frente; deve constar a inscrição incêndio na viseira da porta em fibra de vidro, com eixo pivotante; deve dispor de dreno em pingadeiras.

Em edificações residenciais é proibido o uso de válvula de retenção que impeça a retirada de água do sistema, através do hidrante de recalque.

É permitida a interligação de duas ou mais colunas em um único hidrante de recalque, no caso de conjuntos residências em blocos, desde que os reservatórios elevados se apresentem na mesma cota e com a mesma altura.

5.4.8. Reserva técnica de incêndio (RTI)

A reserva técnica de incêndio será dimensionada de tal forma que forneça ao sistema uma autonomia mínima de 30 minutos.

No dimensionamento da reserva técnica de incêndio, deverão ser consideradas as seguintes vazões: a) Risco Leve - A vazão no hidrante mais favorável (maior pressão), acrescido de 2 minutos por hidrante excedente a quatro; b) Risco Médio e Risco Elevado - As vazões nos hidrantes mais desfavoráveis (menor pressão), considerando em uso simultâneo: 1) 1 hidrante: quando instalado 1 hidrante; 2) 2 hidrantes: quando instalados de 2 a 4 hidrantes; 3) 3 hidrantes: quando instalados 5 ou 6 hidrantes;

Prof. Enedir Ghisi

UFSC / Depto de Engenharia Civil / ECV 5317 – Instalações I 16

4) 4 hidrantes: quando instalados mais de 6 hidrantes; e acrescentar 2 minutos por hidrante excedente a quatro.

Exemplo 1: Prédio de 6 pavimentos com 1 hidrante por pavimento

No caso de risco leve, calcula-se a vazão no hidrante mais favorável (Q6, no pavimento térreo) através da Eq 5.7. A RTI será dada por:

RTI = Q6 (30min + 4min) [litros]

No caso de risco médio ou elevado, como tem-se 6 hidrantes, considera-se os 3 hidrantes mais desfavoráveis em uso simultâneo. Assim, calcula-se as vazões nos hidrantes Q1, Q2 e Q3, da cobertura para baixo através da Eq 5.7. A RTI será dada por:

RTI = (Q1+Q2+Q3) (30min + 4min) [litros]

Exemplo 2: Prédio de 1 pavimento com 7 hidrantes na mesma cota (H1 mais próximo do reservatório)

No caso de risco leve, calcula-se a vazão no hidrante mais favorável (Q1)) através da Eq 5.7. A RTI será dada por:

RTI = Q1 (30min + 6min) [litros]

No caso de risco médio ou elevado, como tem-se 7 hidrantes, considera-se os 4 hidrantes mais desfavoráveis em uso simultâneo. Assim, calcula-se as vazões nos hidrantes Q4, Q5, Q6 e Q7, através da Eq 5.7. A RTI será dada por:

RTI = (Q4+Q5+Q6+Q7) (30min + 6min) [litros]

Em edificações de risco leve, a RTI mínima deve ser de 5000 litros.

A RTI, quando em reservatório subterrâneo, será o dobro da previsão para a do reservatório elevado, para todas as classes de risco.

Admite-se o desmembramento da RTI em reservatório elevado em células separadas com unidades equivalentes, desde que estas sejam interligadas em colar ou barrilete e abasteçam o mesmo sistema. Quando o reservatório for inferior e em células separadas, estas terão que ser desmembradas em unidades equivalentes.

Blocos de edificações poderão ter suas prumadas alimentadas por um único reservatório elevado (superior ou em Castelo d'água), desde que este comporte as RTI mínimas para cada um dos blocos.

Prof. Enedir Ghisi

UFSC / Depto de Engenharia Civil / ECV 5317 – Instalações I 17

Exercício 5.3. Determinar a RTI para um edifício residencial com 4 pavimentos. O pé-direito de cada pavimento e a altura entre o fundo do reservatório e a laje de cobertura é de 3,0 m; a altura entre a laje de cobertura e a tubulação para o primeiro hidrante é de 1,50 m.

Exercício 5.4. Verificar se a pressão no hidrante mais desfavorável do exercício anterior atende as exigências da NSCI/CBSC (1994).

Prof. Enedir Ghisi

UFSC / Depto de Engenharia Civil / ECV 5317 – Instalações I 18 Exercício 5.4 (continuação)

Exercício 5.5. Determinar a RTI para um edifício residencial com 12 pavimentos. O pé-direito de cada pavimento e a altura entre o fundo do reservatório e a laje de cobertura é de 3,0 m; a altura entre a laje de cobertura e a tubulação para o primeiro hidrante é de 1,50 m.

5.5. Referências bibliográficas

NSCI/94 Norma de Segurança Contra Incêndios, Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, 1994. Disponível em http://www.pm.sc.gov.br/ccb/cat/

ABNT (2003) NBR 13714 – Sistemas de hidrantes e de mangotinhos para combate a incêndio. Rio de Janeiro.

(Parte 4 de 5)

Comentários