Estudo de Caso: Batata Yacon e o Diabetes tipo 2

Estudo de Caso: Batata Yacon e o Diabetes tipo 2

(Parte 1 de 2)

ESTUDO DE CASO: A utilização da batata Yacon para controle dos níveis de glicemia em indivíduos portadores do diabetes tipo 2

STUDY OF THE CASE: The use of Yacon potato to control the glucose levels in individuals with diabetes type 2

Valine Borges da Penha1

Juliana Capareli1

Lúcia Helena Pelizer2 Patrícia de Aquino Rodrigues Aleixo Silva3

A batata Yacon cujo nome científico é Polymnia sonchifolia, da família Asteraceae, originária da Cordilheira dos Andes, é um alimento muito conhecido devido as suas concentrações de frutooligossacarídeos (FOS) e fibras, podendo ser considerada um alimento funcional. A presente pesquisa tem como finalidade demonstrar o efeito da batata Yacon no controle dos níveis de glicemia em indivíduos portadores de diabetes mellitus tipo 2. Trata-se de um estudo de caso realizado em dois indivíduos diabéticos, que foram submetidos ao consumo moderado e contínuo da batata em questão, acompanhado de uma dieta específica para esse tipo de patologia, por um período de 28 dias. Foram realizados exames de glicemia no ínicio e no final do tratamento. O indivíduo do sexo feminino (F), 50 anos, no exame inicial apresentou um valor de 296,0 mg/dL e o indivíduo do sexo masculino (M) de 49 anos apresentou um valor de 191,0 mg/dL. No exame final, o indivíduo F, apresentou um valor de 275,0 mg/dL, e o indivíduo M um valor de 138,0 mg/dL, ou seja, a redução da glicemia foi de 7,09% e 27,74 %, respectivamente. Como foi possível observar nessa pesquisa, a batata Yacon, quando utilizado de forma contínua, pode apresentar o potencial para diminuir os níveis glicêmicos em indivíduos diabéticos tipo 2.

Palavras-chave: Alimentos Funcionais; batata Yacon; diabetes Mellitus tipo 2.

Yacon potato, whose scientific name is Polymnia sonchifolia, Asteraceae family, originated from Andes Cordillera, is well known nourishment due to its concentrations of frutoligossacarideos (FOS) and fibres, and it can be considered functional nourishment. The aim of this current research is to demonstrate the Yacon potato effect on the control of blood glucose in individuals who suffer from diabetes mellitus type 2. It is a study of case realized in two diabetic individuals, who were submitted to a moderate and continuous consumption of this kind of potato, followed by a specific diet to this kind of pathology, during 28 days. Blood tests were done at the beginning and at the end of the treatment. The female individual (F), 50 years old, in the first test showed 296,0 mg/dL and the male individual (M), 49 years old, showed 191,0 mg/dL. In the last exam, F individual showed a result of 275,0 mg/dL and M individual 138,0 mg/dL. In other words, there was a reduction of blood glucose of 7,09% and 27,74%, respectively. As we could observe in this research, Yacon potato, when utilized in a continuous way, can show a potential to decrease the blood glucose levels in individuals diabetic type 2.

1Graduandas do Curso de Nutrição da Universidade de Franca. 2Engenheira de Alimentos, Doutora em Tecnologia Bioquímico-Farmacêutica FCF/USP, Docente co-orientadora do Curso de Nutrição e do Programa de Mestrado em Promoção de Saúde da Universidade de Franca. 3Nutricionista, Mestre em Ciências e Tecnologia de Alimentos ESALQ/USP, Docente do Curso de Nutrição da Universidade de Franca.

2 Key words: Functional effects; Yacon potato; Diabettes Mellitus.

Alimento funcional é aquele alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou efeitos benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica. A eficácia e segurança desses alimentos devem ser assegurados por estudos científicos (SALGADO, 2007).

Segundo a resolução n° 398 de 30 de abril de 1999, propriedade funcional é aquela relativa ao papel metabólico ou fisiológico que o nutriente ou não nutriente tem no crescimento, desenvolvimento, manutenção e outras funções normais do organismo humano. O consumo de alimentos funcionais vem aumentando bastante como resultado de uma preocupação individual com a saúde. Ressalta-se que muitos alimentos ainda não têm comprovação científica, dada à variedade de oferta de alimentos e quantidade de etapas de avaliações para que determinado componente tenha seu efeito comprovado (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2007).

A espécie herbácea Polymnia sonchifolia é conhecida popularmente como batata Yacon, é originária da cordilheira dos Andes e tem sido introduzida em diversos países, incluindo o Brasil devido seu potencial alimentício, forrageiro e principalmente como fonte de inulina. Os frutooligossacarídeos (FOS) presentes na batata Yacon, e a inulina apresentam propriedades promotoras de saúde (fibra alimentar e efeito prebiótico) e podem melhorar aspectos sensoriais em alimentos (MOSCATTO; PRUDÊNCIO-FERREIRA; HAULY, 2004).

O tubérculo lembra o sabor da pêra e do melão, sendo bastante consumido no oriente na forma in natura e também desidratada na forma de chips. Não é rica em amido como a maioria dos tubérculos, ele acumula inulina, uma forma de oligofrutano, ingrediente prebiótico, o qual tem um alto poder adoçante e baixo poder calórico. A batata yacon está sendo considerada um alimento funcional, em decorrência dos estudos sobre a diminuição dos níveis de açúcar no sangue, após consumo repetido da mesma. As folhas e as túberas são indicadas para o tratamento do diabetes e do colesterol (UFSC, 2007).

A inulina é um dos ingredientes prebióticos mais estudado, é encontrada naturalmente no alho, cebola, aspargos, trigo, e raiz de chicória. Após ser ingerida, a inulina chega quase que integralmente no colón, onde é fermentada pela microflora e transformada em gases (10%) e ácidos graxos voláteis (50%), que por sua vez, são utilizados pelas células. Seus resíduos são excretados através da biomassa bacteriana (40%). Assim, a inulina não aumenta nem a glicemia nem a taxa de insulina no sangue, sendo, consequentemente, indicada para os diabéticos. Como não aumenta a glicemia no sangue, a mesma pode ser uma alternativa para indivíduos diabéticos, por também ser considerada uma fibra solúvel, a inulina reduz a liberação de glicose após as refeições, e pode ainda, diminuir a concentração de ácidos graxos e colesterol no sangue (UFSC, 2007).

As fibras da dieta estão incluídas na ampla categoria dos carboidratos e elas podem ser classificadas como solúveis, insolúveis ou mistas, podendo ser fermentáveis ou não-fermentáveis.

A nova definição de fibra da dieta sugere a inclusão de oligossacarídeos e de outros carboidratos não-digeríveis. A inulina é denominada de frutano, que é um tipo de fibra solúvel e não-fermentável, a qual não é digerível pela α-amilase e por enzimas hidrolíticas, como a sacarase, maltase e isomaltase na parte superior do trato gastrintestinal (CARABIN; FLAMM, 1999).

Na maioria das raízes e dos tubérculos o armazenamento de carboidratos ocorre na forma de amido, um polímero de glicose, por outro lado a Yacon armazena carboidratos na forma de inulina e oligofrutanos, um polímero composto principalmente por frutose, por esse motivo, pertencem a classe de carboidratos conhecida como frutanos. De acordo com a literatura as raízes tuberosas de Yacon acumulam quantidades apreciáveis de fruto-oligossacarídeos, na faixa de 60 á 70 % da massa seca (NATIONAL ACADEMY PRESS, 1989; CISNEROS-ZEVALLOS et al., 2002).

Rica em água, a yacon possui baixo valor energético. A seguir, tabela mostra sua composição nutricional.

Tabela 1- Composição centesimal e valor energético da batata Yacon: Composição Kcal/ g/100 g

Energia 3 calorias Carboidratos 8,41 Fibras Totais 1,17 Fibras Insolúveis 1,01 Fibras Solúveis 0,16 Proteínas 0,35 Lipídios 0,29

O diabetes tipo 2 resulta de uma combinação de resistência à insulina e falha da célula β, mas a extensão na qual cada um destes fatores contribuem para o desenvolvimento da doença não é clara (FERRANNINI,1998). Os níveis endógenos de insulina podem ser normais, diminuídos ou elevados, mas são inadequados para superar a resistência concomitante à insulina (sensibilidade tecidual ou responsividade à insulina); como resultado decorre a hiperglicemia. Inicialmente há um aumento compensatório na secreção de insulina, que mantêm as concentrações normais de glicose, mas, conforme a doença progride a produção de insulina diminui gradualmente (MAHAN; ESCOTT-STUMP, 2005).

O diabetes tipo 2 pode ser responsável por 90 a 95% de todos os casos de diabetes diagnosticados e é uma doença progressiva, que na maioria dos casos está presente muito antes de ser diagnosticada. A hiperglicemia se desenvolve gradualmente e com freqüência, porém não é grave o suficiente nos estados iniciais para o paciente observar qualquer um dos sintomas clássicos de diabetes (MAHAN; ESCOTT-STUMP, 2005).

Os fatores de risco para o diabetes tipo 2 englobam fatores genéticos e ambientais, como história familiar de diabetes, idade avançada, obesidade, inatividade física, história de diabetes gestacional, homeostase deficiente da glicose e raça ou etnia (MAHAN; ESCOTT-STUMP, 2005).

A adiposidade total é um fator de risco estabelecido para o desenvolvimento de diabetes tipo, mas, isso não quer dizer que apenas pessoas obesas o desenvolvem. A obesidade combinada com uma predisposição genética pode ser necessária para que aconteça o diabetes tipo 2 (MAHAN; ESCOTT-STUMP, 2005).

Outra possibilidade é que uma predisposição genética similar leve independentemente à obesidade e resistência à insulina, que aumenta o risco de diabetes tipo 2 (MAHAN; ESCOTTSTUMP, 2005).

O presente estudo de caso teve como objeto de pesquisa indivíduos portadores do diabetes tipo 2 que consumiram a batata Yacon juntamente com uma dieta balanceada durante um período de tempo, comparando os níveis glicêmicos no ínicio e término do tratamento.

2 MATERIAL E MÉTODOS

Participaram deste estudo de caso, dois indivíduos sendo um do sexo feminino e outro do sexo masculino, ambos portadores do diabetes tipo 2. Estes pacientes foram submetidos a um exame inicial de glicemia e, durante o período de 28 dias, os indivíduos fizeram uso de 50 gramas/dia de batata Yacon, que foi ingerida na colação, associada a uma dieta balanceada adequada a diabéticos.

Ao final dos 28 dias de tratamento com a dieta e a batata Yacon, ambos os pacientes foram submetidos a um novo exame de glicemia, a fim de comparar os níveis glicêmicos atuais com os anteriores.

Este projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade de Franca pelo n° de processo: 181/06.

5 3 RESULTADOS

Como podemos observar na Figura 1, houve uma diminuição dos níveis séricos de glicemia nos indivíduos Feminino (F) e Masculino (M).

Figura 1 - Comparativo de glicemia Feminino (F) e Masculino (M) no início e final do tratamento com Yacon.

A redução dos níveis de glicemia para o indivíduo F foi menor do que para o individuo M.

Isso significa uma porcentagem de 7,09% do indivíduo F e de 27,74% do indivíduo M. Essa diferença pode ser atribuída a não adesão completa da dieta do indivíduo F, uma vez que não houve mudanças na sua rotina alimentar, e sendo realizada apenas a ingestão da batata Yacon no período determinado. O paciente F apresentou episódios de mal estar, onde foi necessário acrescentar mais um tipo de alimento no período da colação paralelo a batata. O indivíduo F apresentou sobrepeso durante todo o tratamento e não houve alterações de peso.

Através da Figura 1 observa-se que os resultados apresentados pelo individuo M foram significativos em relação à diminuição de seus níveis glicêmicos através do consumo da batata yacon.

A adesão ao tratamento em relação à dieta foi completa e não houve reações adversas conseqüentes ao consumo diário da batata, mais sim melhoras no seu caso clínico geral.

4 DISCUSSÃO

Sabe-se que o diabetes é uma doença que ocorre conseqüente a disfunções metabólicas devido a deficiência da ação da insulina (MAHAN; ESCOTT-STUMP, 2005).

Segundo Sachs (2005), a automonitoração nutricional requer uma abordagem individualizada, apropriada ao estilo de vida pessoal e aos objetivos em relação ao controle da doença. No caso do diabetes, manter a glicemia controlada é um fator fundamental para se manter uma qualidade de vida.

No estudo realizado por Sanchez et al (2001), foi administrado em uma concentração de 10% de yacon desidratado via intra-peritoneal em ratos diabéticos e constatou-se um decréscimo considerável nos níveis plasmáticos de glicose.

Em outro estudo realizado por Sanchez (2005), foi administrada a farinha da raiz de Yacon como suplementação da dieta em ratos normais, a fim de se observar a toxicidade do tubérculo quando consumido em altas doses. O resultado obtido foi que em ratos normais, não há sintomas de hipoglicemia, mas, houve diminuição nas taxas de colesterol em todos os ratos observados, isso após as refeições.

Os indivíduos estudados nesse estudo de caso, apresentam diabetes mellitus tipo 2 já por algum tempo, que segundo exames laboratoriais, nota-se altos índices de glicemia.

Com este estudo de caso, foi necessário individualizar o tratamento com a batata, respeitando a aceitação de cada indivíduo, observou-se que cada um deles teve uma forma diferente de aceitar o alimento que lhes era novo. Não há comprovação científica de que a batata Yacon tem potencial para controle de níveis glicêmicos em humanos. O fato observado nesse estudo foi que houve uma diminuição dos níveis séricos de glicemia. No indivíduo do sexo feminino foi constatada uma diminuição de 7,09% do exame inicial para o exame final, enquanto que no indivíduo do sexo masculino houve uma diminuição de 27,74%.

Ressalta-se que juntamente com a ingestão diária da batata, foi elaborado um cardápio específico e balanceado de todos os nutrientes, adequado a pacientes diabéticos. Foi observado que a batata yacon foi bem aceita pelos indivíduos, não ocasionando sintomas adversos graves, visto que é um alimento novo com características próprias.

Percebe-se que há muito que se comprovar a respeito de alimentos funcionais. Há diversos produtos no mercado, que vendem a idéia de curar algum tipo de sintoma que a pessoa possa ter, mas na verdade, entende-se que alimento funcional não é um remédio, não cura doenças, mas sim, ajuda prevenir e promover uma melhoria na qualidade de vida.

É necessário ter cuidado com aquilo que ingerimos; quando se trata de um novo alimento, é de extrema importância verificar se há fundamentação científica que comprove todos os efeitos possíveis que podem ocorrer. Os alimentos funcionais têm muito que oferecer para quem busca uma melhoria na qualidade de vida, mas para que isso aconteça com segurança, é necessário obter todos os tipos de informações possíveis, procurar deixar de lado tabus alimentares, crenças, preconceitos, e tentar se informar sobre o que aquele alimento pode conter, que possa oferecer benefícios para a saúde. É necessário continuar avaliando a utilização da batata Yacon em mais indivíduos portadores do diabetes tipo 2, sendo que assim poderá ser observado o potencial do alimento em outras condições variadas, tais como a dieta específica onde se pode avaliar o efeito em indivíduos que seguiram a dieta ou não.

Com o presente estudo de caso, foi possível alcançar o objetivo proposto, que era o de verificar o potencial do alimento funcional, a batata Yacon, em relação ao organismo dos indivíduos diabéticos.

Os autores agradecem a colaboração do Dr. Carlos Henrique Gomes Martins, responsável técnico do laboratório de análises clínicas da UNIFRAN, pela gentileza de nos conceder todos os exames laboratoriais utilizados para o desenvolvimento da pesquisa.

(Parte 1 de 2)

Comentários