O Matrimonio Perfeito

O Matrimonio Perfeito

(Parte 3 de 7)

Não temos como explicar aqueles momentos de gozo supremo. Agita−se a serpente do fogo, avivam−se os fogos do coração e cintilam, cheios de majestade, na fronte dos seres unidos sexualmente, os raios terríveis do Pai.

Se o homem e a mulher sabem retirar−se antes do espasmo, se nesses momentos de gozo delicioso tiverem força de vontade para dominar o Ego animal, retirando−se do ato sem derramar o sêmen; nem dentro do útero, nem fora dele, nem pelos lados, nem em parte alguma, teriam praticado um ato de Magia Sexual. Isso é o que se chama em ocultismo o Arcano A.Z.F.

Com o Arcano A.Z.F. podemos reter toda essa luz mravilhosa, todas essas correntes cósmicas, todos esses poderes divinos. Então se desperta em nós o Kundalini, o fogo sagrado do Espírito Santo, e nos convertemos em deuses terrivelmente divinos.

Mas quando derramamos o sêmen, as correntes cósmicas fundem−se nas correntes universais e penetra na alma dos dois seres uma luz sanguinolenta, as forças luciféricas do mal, o magnetismo fatal. Então Cupido se afasta chorando e fecham−se as portas do Éden. O amor converte−se em desilusão, vem o desencanto, fica a negra realidade deste vale de lágrimas.

Quando sabemos retirar−nos antes do espasmo sexual, desperta a Serpente Ígnea dos nossos mágicos poderes.

Os cabalistas falam−nos da Nona Esfera. A Nona Esfera da Cabala é o sexo.

A descida à Nona Esfera foi, nos antigos mistérios, a prova máxima para a suprema dignidade do Hierofante. Jesus, Hermes, Buda, Dante, Zoroastro, etc., tiveram que descer à Nona Esfera a fim de trabalharem com o Fogo e a Água, origem de mundos, bestas, homens e deuses. Toda autêntica e legítima Iniciação Branca começa por aí.

O Filho do Homem nasce na Nona Esfera. O Filho do Homem nasce da Água e do Fogo.

Quando o Alquimista completou seu trabalho no Magistério do Fogo, recebe a Iniciação Venusta. O desposamento da Alma com o Cordeiro é a festa maior da Alma. Aquele Grande Senhor de Luz entra nela. Ele se humaniza e ela se diviniza. Desta mescla divina e humana advém "Isso" que com tanto acerto o Adorável chamou de "0 Filho do Homem".

O triunfo máximo da suprema adoração é o nascimento do Filho do Homem no Presépio do Mundo. O homem e a mulher amando−se mutuamente são, verdadeiramente, duas harpas de milagrosas harmonias, um êxtase de glória, aquilo que não se pode definir, porque se se define, desfigura−se. Isso é Amor.

O Filho do Homem

O beijo é a consagração profundamente mística de duas almas que se adoram e o ato sexual é a chave com a qual nos convertemos em Deuses. Deuses, há Deus!..

Sabei vós que vos amais verdadeiramente, que Deus é Amor.

Amar, quão belo é amar. O amor se alimenta com amor, e só com amor são possíveis as bodas da Alquimia.

Jesus, o Bem−Amado, alcançou a Iniciação Venusta no Jordão. No instante do batismo, O Cristo entrou no Adorável Jesus pela glândula pineal. O Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a sua glória como o Filho Unigênito do Pai, cheio de Graça e de Verdade.

Ao que sabe, a palavra dá poder; ninguém a pronunciou, ninguém a pronunciará, senão aquele que O tiver encarnado.

No Apocalipse, o Santo da Revelação nos descreve−nos o Filho do Homem, o Filho de nossos beijos, com os seguintes versículos:

"Eu fui arrebatado em espírito no dia do Senhor e ouvi por detrás de mim uma grande voz como de trombeta (o Verbo), que dizia: Eu sou o alfa e o ômega, o primeiro e o último. Escreve em um livro o que vês e envia−o às sete Igrejas que estão na Ásia: a Éfeso (o centro magnético do cóccix); a Esmirna (o centro magnético da próstata); a Pérgamo (o plexo solar situado na região do umbigo); a Tiátira (o centro magnético do coração); a Sardis (o centro magnético da laringe criadora); a Filadélfia (o Olho da Sabedoria, o centro da clarividência situado entre as duas sobrancelhas) e a Laodicéia (a Coroa dos Santos, centro magnético da glândula pineal)".

"E voltei−me para ver a voz que falava comigo; assim voltado, vi sete candelabros de ouro e, no meio deles, um semelhante ao Filho do Homem, vestido com uma roupa que chegava até os pés (A Túnica de linho branco de todo Mestre, a túnica de Glória)". Os sete candelabros que o Santo da Revelação viu são as Sete Igrejas da Medula Espinhal.

"Sua cabeça e seus cabelos eram brancos como a lã branca, como a neve. Seus olhos eram como chamas de fogo (sempre imaculados e puros)".

"E seus pés eram semelhantes ao latão polido, como se fosse derretido na fornalha. E sua voz era como o ruído de muitas águas" (as águas humanas, o

O Filho do Homem sêmen).

"Tinha na mão direita sete estrelas (os sete anjos que governam as sete igrejas da medula espinhal). E de sua boca saía uma espada aguda, de dois gumes (o verbo). E seu rosto era como o Sol quando resplandesce em sua força".

"Quando o ví, caí como morto a seus pés; e ele pôs a sua mão direita sobre mim, dizendo: não temas, eu sou o primeiro e o último; e aquele que vive. Estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos, e tenho as chaves do inferno e da morte".

Quando o Cristo Interno entra na alma, se transforma nela. Ele se transforma nela e ela n'Ele. Ele se humaniza e ela se diviniza. Desta mescla alquimista, divina e humana, advém isso que com tanto acerto nosso adorável Salvador chamou de: "0 Filho do Homem".

Os Alquimistas dizem que devemos transformar a Lua em Sol. A Lua é a alma. O Sol é o Cristo. A transformação da Lua em Sol só é possível com o Fogo e este só acende mediante o conúbio amoroso do Matrimônio Perfeito.

Um Matrimônio Perfeito é a união de dois seres. Um que ama mais e outro que ama melhor.

O Filho do Homem nasce da água e do fogo. A água é o sêmen e o fogo é o Espírito. Deus resplandece sobre o casal perfeito.

O Filho do Homem tem poder sobre o fogo flamígero, sobre o ar impetuoso, sobre as embravecidas ondas do oceano e sobre a perfumada terra.

O ato sexual é muito terrível. Com justa razão diz o Apocalipse: "Ao que vencer fá−lo−ei coluna do Templo de meu Deus e não mais sairá dali".

O Filho do Homem

A Grande Batalha

Em Jeremias, Capítulo 21, Versículo 8, lê−se: "Eis que ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte".

O homem e a mulher podem utilizar o contato sexual e as delícias do amor e dos beijos, para converterem−se em Deuses ou em Demônios.

Desde o amanhecer da vida, existe uma grande batalha entre os poderes da Luz e os poderes das Trevas. A raiz secreta dessa batalha está no sexo.

Existe a correta interpretação dos mistérios do sexo. Existe a falsa interpretação dos mistérios do sexo. Os magos brancos nunca derramam o sêmen. Os magos negros sempre derramam o sêmen. Os magos brancos fazem subir a serpente ígnea de nossos mágicos poderes pelo canal medular. Os magos negros fazem a cobra descer até os infernos atômicos do homem.

Os deuses e os demônios vivem em eterna luta. Os deuses defendem a doutrina da castidade. Os demônios odeiam a castidade. A raiz do conflito entre deuses e demônios está no sexo.

A grande batalha realiza−se na luz astral. A luz astral é o depósito de todas as formas passadas, presente e futuras da grande Natureza. A luz astral é o Azoth e a Magnésia dos velhos alquimistas; o Dragão Voador de Medéia; o INRI dos Cristãos; o Tarot dos Bohemios. A luz astral é um fogo terrivelmente sexual, desprendido nimbo do Sol e fixado na Terra pela força da gravidade e o peso da atmosfera. O Sol é quem atrai e repele essa luz encantadora e deliciosa. A luz astral é a Alavanca de Arquimedes. O velho sábio disse: "dai−me um ponto de apoio e moverei o Universo".

O sêmen é o astral líquido do homem. No sêmen está a luz astral. O sêmen é a chave de todos os poderes e a chave de todos os impérios.

A luz astral tem dois pólos: um positivo e outro negativo. Quando a serpente sobe,é positiva: é a serpente de bronze que curava os lsraelitas no deserto. Quando a serpente desce, é negativa, é serpente tentadora do Éden.

Quando sabemos adorar e beijar com ternura infinita e suprema castidade, a serpente sobe. Quando gozarmos ardentemente da luxúria e derramarmos a taça, a serpente se precipita, embriagada pela loucura, para os infernos atômicos do homem.

Na região da luz moram os seres que se adoram. Na região das trevas, vivem as almas que se embriagam com o cálice da luxúria e que, depois de haverem se embriagado, derramam a taça. Essas almas consomem−se no fogo de sua própria luxúria.

A Terra é dirigida por Cristo e Javeh, os quais vivem em eterna luta.Cristo é o Chefe dos Deuses, Javeh é o chefe dos Demônios.

Javeh é aquele demônio terrivelmente perverso que tentou a Cristo na montanha, quando lhe disse: "Itababo". "Todos os reinos do mundo te darei se te ajoelhares e me adorares". E Cristo respondeu−lhe: "Satã, Satã, está escrito: ao Senhor teu Deus não tentarás e só a Ele obedecerás".

Javeh é um anjo caído, terrivelmente perverso. É o Gênio do Mal.

Cristo é o Chefe da Grande Loja Branca. Javeh, a sua antítese, é o Chefe da Grande Loja Negra. Os poderes da Luz e das Trevas vivem em eterna luta e essa luta tem sua raiz no sexo. O sêmen é o campo de batalha. No sêmen, os anjos e os demônios lutam até a morte. O ponto nevrálgico do grande conflito entre anjos e demônios é o sexo. Cristo tem o seu programa de ação. Javeh também tem o seu. Os escolhidos seguem ao Cristo. Porém, a grande maioria dos seres humanos segue, fanaticamente, a Javeh. Contudo, todos se escondem por trás da cruz.

Na Luz astral se combatem mutuamente as colunas de anjos e demônios. Frente a cada anjo existe um demônio.

Todo ser humano tem o seu duplo. Eis aí um dos mistérios das almas gêmeas. Os Lamas dizem que Devahdet, o rei do inferno, foi irmão e rival de Buda.

O duplo é semelhante, em tudo, a sua contra−parte. Tem as mesmas tendências, mantendo, todavia, a diferença das analogias dos contrários. Frente a um astrólogo branco existe um astrólogo negro. Se um Mestre ensina a magia sexual branca, seu duplo ensinará a magia sexual negra. Os duplos são sempre análogos em tudo, porém antitéticos.

A Grande Batalha

(Parte 3 de 7)

Comentários