O Matrimonio Perfeito

O Matrimonio Perfeito

(Parte 4 de 7)

A fisionomia e o corpo dos duplos são iguais, porque são gêmeos. Este é um dos grandes mistérios do ocultismo. Cada alma branca tem um duplo negro − uma alma contrária, antagônica, que lhe dá combate. O Amor e o Contra−Amor combatem−se mutuamente.

Anael é o anjo do amor. Lilit é seu duplo tenebroso e representa o contra−amor. Nos tempos antigos, o grande teurgo Jâmblico invocou estes dois gênios e, então, de um rio saíram dois meninos: o amor e o contra−amor; Eros e Anteros; Anael e Lilit. As multidões que presenciaram o milagre de Jâmblico prostraram−se ante o grande Teurgo.

O discípulo da pedregosa senda que conduz ao Nirvana enche−se de êxtase quando tem a felicidade de poder contemplar Anael, o Anjo do Amor. Anael apresenta−se ante os invocadores que sabem chamá−lo como um formoso menino da Aurora. Na presença do Anjo do Amor, sentimo−nos regressar à inocência perdida do Éden. O cabelo de Anael parece uma cascata de ouro, caindo sobre seus ombros alabastrinos, e seu rosto tem a cor rosada da aurora. Anael veste−se com túnica branca e é de uma beleza indescritível. Ele é o Anjo da música e do amor; da beleza e da ternura. É o delicioso cupido dos namorados, o êxtase de toda adoração.

Lilit, o irmão rival de Anael, é a sua antítese fatal. É um menino terrivelmente maligno, o anjo infernal de todas as grandes decepções amorosas; é um monarca dos infernos atômicos do homem.

Lilit não pode resistir ao olhar do Anjo do Amor, porém é a sua sombra. Lilit apresenta−se como um menino terrivelmente maligno. Os cabelos desgrenhados e desbotados de Lilit, seu semblante maligno e sua túnica com as cores negra e azul nos falam claramente de um mundo de crueldade e amargura.

Anael representa o raio positivo de Vênus. Lilit representa o raio negativo de Vênus.

As tradições dos grandes cabalistas dizem que Adão tinha duas esposas: Lilit e Nahemah. Lilit é a mãe dos abortos, da pederastia, da degeneração sexual, do homossexualismo, do infanticídio, etc.

Nahemah é a mãe do adultério. Nahemah seduz com o encanto de sua beleza maligna.

A Grande Batalha

Quando um homem é infiel à esposa que lhe foi dada pelos Senhores da Lei, recebe uma marca luciférica entre as duas sobrancelhas. Quando o homem casa−se com uma mulher que não lhe pertence, quando realiza um matrimônio violatório da Lei, é fácil de reconhecer o erro, porque no dia das bodas a noiva aparece calva. Instintivamente a noiva cobre tanto a cabeça com o véu que não aparece o cabelo. O cabelo é o símbolo do pudor na mulher e nas bodas de Nahemah é proíbido usar o cabelo. Essa é a lei.

Os anjos da luz e os anjos das trevas vivem em eterna luta. No sexo está a raiz da grande batalha entre os poderes da luz e das trevas.

Todo planeta tem duas polaridades, de acordo com a grande lei. O raio positivo de Marte está representado por Elohim Gibor. O raio negativo de Marte é representado pelo duplo deste Elohim, que se chama Andramelek. Esse perverso demônio esta reencarnado agora na China.

O Chefe supremo do raio positivo da Lua é Jehová. Chavajoth é, exatamente, sua antítese, seu irmão rival. Jehová dirige o raio positivo da Lua. Chavajoth, dirige o raio negativo da Lua. Jehová ensina a magia sexual branca; Chavajoth ensina a magia sexual negra.

Existem duas luas: uma branca e outra negra. Nas duas luas acham−se representadas as forças femininas universais da sexualidade.

A Criação advém dos processos evolutivos do Som. O Som é a expressão da sexualidade. Os Anjos criam com o poder sexual da laringe criadora.

O som primordial imanifestado, através de seus incessantes processos evolutivos, chega a converter−se em formas energéticas de matéria densa estabilizada. O Som primordial imanifestado é a sutil voz. O Som primordial contém em si mesmo as forças sexuais masculinas e femininas.

Estas forças se multiplicam e complicam conforme descemos nos abismos difíceis da matéria. O pólo positivo do Som é a força maravilhosa que nos atrai para o Absoluto Imanifestado onde só reina a felicidade. O pólo negativo do Som é a força tenebrosa que nos atrai para este vale de amarguras. O pólo positivo é solar, crístico, divinal. O pólo negativo é lunar e está representado pela Lua. A sombra da Lua Branca é Lilit. A origem da fornicação está em Lilit. A origem da individualidade separada está em Lilit. A origem do Eu é a Lua Negra. A Lua Negra é Lilit.

A Grande Batalha

Jehová trabalha com a Lua Branca. Chavajoth trabalha com a Lua Negra. É impossível a criação do universo fenomênico sem a intervenção das forcas lunares. Infelizmente, intervêm as forças tenebrosas da Lua Negra e danificam a Criação.

O Sol e a Lua representam os polos positivo e negativo do Som. O Sol e a Lua originam a Criação. O Sol é positivo e a Lua é negativa. O Som é o esposo e a Lua a esposa. O diabo Lilit se mete entre os dois e danifica a Grande Obra.

"Tal como é acima, é embaixo". O homem é o Sol e a mulher é a Lua. Lllit é o Satã que seduz a ambos e os leva à fornicação e ao abismo. Lilit é a Lua Negra, o aspecto obscuro da Lua Branca, a origem do Eu e da individualidade separada.

Jehová não tem corpo físico. Chavajoth tem corpo físico. e está agora reencarnado na Alemanha, fazendo−se passar por veterano de guerra. Ele trabalha para a Grande Loja Negra. Nos mundos internos o Mago Negro Chavajoth usa túnica e turbante vermelhos. Este demônio cultiva os mistérios da magia sexual negra numa caverna tenebrosa e tem muitos discípulos europeus.

Jehová vive normalmente no Éden. O Éden é o mundo etérico. Todo aquele que retorna ao Eden é recebido pelo Senhor Jehová. A porta do Éden é o sexo.

No astral existem templos de luz e de trevas, e onde a luz brilha mais claro, as trevas tornam−se mais espessas.

Na Catalunha, Espanha, existe um templo maravilhoso em estado de Jinas. É o Templo de Montserrat, onde está guardado o Santo Graal, o Cálice de prata em que Jesus, o Cristo, bebeu o vinho na Última Ceia.

No Santo Graal está contido o sangue coagulado do Redentor do Mundo.

Conta a tradição que o senador romano José de Arimatéia encheu esse cálice de Sangue Real, ao pé da cruz do Salvador. O sangue manava das feridas do Adorável e com ele o Cálice se encheu.

No Templo de Montserrat vive um grupo de Mestres da Grande Loja Branca; estes são os Cavaleiros do Santo Graal. Em outras épocas, o Templo de

A Grande Batalha

Montserrat e o Santo Graal eram visíveis para todo mundo. Mais tarde, tanto um como o outro se tornaram invisíveis. O Templo existe em estado de Jinas. O Templo e o Santo Graal submergiram−se no hiperespaço. Agora só em corpo astral, ou então com o corpo físico em estado de Jinas, podemos visitar o Templo.

Um corpo físico pode ser tirado do mundo tridimensional e colocado na 4a. Dimensão. Isso pode ser feito sabendo−se usar o hiperespaço. Dentro em breve a Astrofísica comprovará a existência do hiperespaço.

As tribos indígenas da América conheceram a fundo a ciência Jinas. Os cavaleiros tigres, no México, sabiam colocar seu corpo físico dentro do hiperespaço. Na América, existem lagoas,montanhas e templos em estado de Jinas. O Templo de Chapultepec, no México, se encontra em estado de Jinas (situado dentro do hiperespaço). O Mestre Huiracocha recebeu a iniciação neste Templo.

Junto a todo templo de luz existe um templo das trevas. Onde a luz resplandece mais, ali, por contraste, as trevas mudam de aspecto e tornam−se mais espessas.

Os cavaleiros do Graal Branco devem lutar, inevitavelmente, contra os cavaleiros do Graal Negro. O salão de bruxaria, situado em Salamanca, na Espanha, é a antítese fatal do Templo de Montserrat.

Estudemos esta curiosa analogia dos contrários. O Templo do Graal Branco é um esplêndido mosteiro da Grande Luz. A sua antítese, O Templo de Salamanca, é um esplêndido mosteiro das trevas. O Templo de Montserrat tem dois pisos e está rodeado de belos e doces jardins. O salão de bruxaria também possui dois pisos e está cercado por românticos jardins, onde cada flor exala um hálito de morte.

Ambos os edifícios são esplêndidos. Em ambos edifícios fala−se do bem, da verdade e da justiça. Em ambos os templos reina a ordem e a cultura, e se fala de santidade e de amor. Isto poderá causar assombro ao leitor, que se perguntará: "Como é possível que nos templos do mal se fale de santidade e amor?

Querido leitor, não se desconcerte por favor. Recorde, irmão, que os cavaleiros do Graal Negro são lobos vestidos com pele de ovelha. Os adeptos da mão esquerda gostam de ejacular o sêmen cristônico, por isso

A Grande Batalha são magos negros. A filosofia deles é a filosofia da fatalidade. Todo o bem para eles é mal e todo o mal para eles é bem. Para eles, a doutrina de Javeh é divina e a doutrina do Cristo é diabólica. Os senhores das trevas horrorizam−se com o Cristo. Os filhos do abismo detestam a Mãe Divina. Em suas regiões, eles atacam violentamente a todo aquele que invoca a Mãe Divina ou a seu Filho muito amado.

Se o investigador ocultista penetrar com seu corpo astral no salão da bruxaria encontrar−se−á, inevitavelmente, diante de belíssimas e elegantes escadas espiralóides, que o conduzirão ao lugar mais secreto do recinto. Trata−se de um elegante salão, decorado com todo o esplêndido luxo das mansões senhoriais do Século XVIII. Aií resplandecem espelhos maravilhosos, tapetes encantados e toda a beleza maligna de Nahemah. Quem governa aquela mansão da fatalidade é Don Ramon Rubifero, distinto cavaleiro do Graal Negro, horrível demônio das trevas.

Desgraçados dos discípulos que visitarem o salão da bruxaria. A beleza fatal de Nahemah seduzi−los−á com toda a magia deliciosa de seus encantos. Então, rodarão ao abismo, onde só se ouve o pranto e o ranger de dentes. Mais lhes valeria não haver nascido, ou melhor seria que amarrassem uma pedra de moinho ao pescoço e se lançassem ao fundo do mar.

No Templo de Montserrat resplandece a glória do Cálice de prata com o Sangue do Redentor do Mundo e ali celebram−se festas cósmicas. No Templo de Salamanca, resplandecem as trevas do Graal Negro e ali são celebrados bailes profanos e asquerosos conluios de bruxas.

Os cavaleiros do Santo Graal adoram ao Cristo e à Mãe Divina, ao passo que os cavaleiros do Graal Negro adoram a Javeh e à sombra fatal da Grande Natureza. Essa sombra chama−se Santa Maria. O reino de Santa Maria é o Abismo. A Grande Batalha entre os poderes da luz e das trevas é tão antiga quanto a eternidade.

O ponto nevrálgico da grande batalha é o sexo. Os magos brancos querem fazer a serpente subir. Os magos negros querem fazer a serpente descer. Os magos brancos seguem o caminho do Matrimônio Perfeito. Os magos negros amam o adultério e a fornicação.

Existem Mestres da Grande Loja Branca. Existem Mestres Grande Loja Negra. Há discípulos da Grande Loja Branca. Há discípulos da Grande Loja Negra.

A Grande Batalha

Os discípulos da Grande Loja Branca sabem mover−se consciente e positivamente em corpo astral. Os discípulos da Grande Loja Negra também sabem viajar em corpo astral.

Todos nós, quando crianças, escutamos muitas histórias de bruxas e de fadas. Nossas avós nos contavam sempre historinhas de bruxas que, à meia noite, viajavam pelas nuvens, montadas em vassouras.

Ainda que pareça incrível a muitos estudantes de ocultismo, teosofia e rosacrucianismo, essas bruxas existem realmente. Não andam montadas em vassouras, como crêem as avozinhas, mas é certo que sabem viajar pelos ares.

As chamadas bruxas viajam com o seu corpo de carne e osso através do espaço. Elas sabem aproveitar o hiperespaço para transportar−se fisicamente de um lugar a outro. Dentro em breve a astrofísica descobrirá a existência do hiperespaço, que pode ser demonstrado com a hipergeometria. Quando um corpo se submerge no hiperespaço, diz−se que entrou em estado de Jinas. Todo corpo em estado de Jinas escapa à lei da gravidade e flutua no hiperespaço.

Existe o volume e o hipervolume. As chamadas bruxas locomovem−se dentro do hipervolume do espaço curvo em que vivemos. A curvatura do espaço não pertence exclusivamente ao planeta Terra. A curvatura do espaço corresponde ao infinito espaço estrelado. Se os ciclones constituem, por si mesmos, uma prova do movimento de rotação terrestre, é também muito certo e perfeitamente lógico que a rotação de todos os sóis, constelações e mundos, seja uma prova inequívoca da curvatura do espaço.

(Parte 4 de 7)

Comentários