Nomenclatura de complexos inorgânicos

Nomenclatura de complexos inorgânicos

(Parte 1 de 2)

Nomenclatura dos Compostos de Coordenação - Prof. J. D. Ayala - 1 -

São conhecidos milhares de compostos de coordenação. O método sistemático de denominação desses compostos, a nomenclatura dos compostos, deve proporcionar a informação fundamental sobre a estrutura do composto de coordenação. Qual o metal no complexos ? O átomo do metal está no cátion ou no ânion ? Qual o estados de oxidação do metal ? Quais são os ligantes ? As respostas a essas perguntas se têm pelas regras da IUPAC (International Union of Pure and Applied Chemistry). São regras que, na essência, generalizam as originalmente propostas por Werner.

Antes da proposição das regras de nomenclatura, em português, para os compostos de coordenação, deve-se estabelecer a formulação correta de tais compostos. Os compostos de coordenação tratados aqui são aqueles que envolvem um elemento central (metal ou não) cercado por ligantes, constituindo a esfera de coordenação . Os complexos podem ser monômeros ou polímeros.

As fórmulas dos compostos de coordenação constituem o meio mais simples de se designar a composição dos complexos. Tais fórmulas também são freqüentemente empregadas para mostrar detalhes estruturais ou aspectos de interesse comparativo, devendo ser escrita da maneira mais conveniente possível. Nos casos gerais a seguinte ordem é recomendada: a) Coloca-se primeiro o símbolo do átomo central, seguido das fórmulas ou abreviações dos ligantes iônicos e depois dos ligantes neutros. A fórmula do complexo é depois encerrada entre colchetes, colocando-se como expoente sua carga, quando se tratar de espécie iônica. b) Dentro de cada classe de ligante, as espécies são colocadas em ordem alfabética (sem levar em conta os prefixos) em relação ao símbolo do átomo ligante. Exemplos: [CoN3(NH3)5]2+;

c) Os sinais, parênteses, chave e colchetes, devem ser empregados nesta ordem, ou seja,

Nomenclatura dos Compostos de Coordenação - Prof. J. D. Ayala - 2 -

1) Nos nomes dos compostos de coordenação o nome do ânion deve preceder o do cátion e o átomo central é citado após o(s) do(s) ligante(s):

K4[Fe(CN)6] hexacianoferrato(I) de potássio ânion cátion

[Co(NH3)6]Cl3 cloreto de hexamincobalto(I) ânion cátion

2) O nome do complexo - aniônico, catiônico ou neutro - tem duas partes que se escrevem uma se seguida à outra, com a preposição de mediana. Os ligantes comparecem primeiro e o átomo metálico depois.

Fe(CN)64- Hexacianoferrato(I) de
Co(NH3)63+de hexamincobalto(I)

3) Os ligantes são identificados por um nome precedido por prefixo grego que dá o número de unidades do ligante ligadas ao átomo. A ordem da nomeação dos ligantes é a alfabética (sem levar em conta os prefixos). a) Os ligantes aniônicos têm os nomes terminados em o.

Nome do Ânion Fórmula Nome do Ligante Brometo Br- Bromo

Carbonato CO32- Carbonato Cianeto CN- Ciano

Cloreto Cl- Cloro Fluoreto F- Fluoro Hidrogenoperóxido HO2- Hidrogenoperoxo Hidrogenossulfeto HS- Mercapto Hidróxido OH- Hidroxo

Metóxido H3CO- Metoxo

Oxalato C2O42- Oxalato Óxido O2- Oxo

Sulfato SO42- Sulfato Sulfeto S2- tio

Para os ligantes H-, H2N-, HN2- e N3- a denominação usual, hidreto, amideto, imideto e azoteto, respectivamente, é preferível em relação a hidro, amido, imido ou azido, por razões de ambiguidade. Observa-se que, em português, os nomes dos haletos coordenados, com exceção de F- correspondem aos nomes dos elementos: cloro, bromo e iodo.

Nomenclatura dos Compostos de Coordenação - Prof. J. D. Ayala - 3 -

Ligantes aniônicos contendo prefixos numéricos (como trifosfato), assim como os tio-, seleno- e teluro- derivados dos oxi-ânions (como tiossulfato), devem ser colocados entre parênteses. Exemplos:

b) Os ligantes neutros têm em geral o nome da molécula. Há exceções importantes: Molécula Fórmula Nome do Ligante

Água H2O Aqua

Amônia NH3 Amin Monóxido de Carbono CO Carbonil

Monóxido de nitrogênio NO Nitrosil c) Os prefixos que indicam o número de ligantes são: mono (1 ligante - geralmente omitido) di (2 ligantes) tri (3 ligantes) tetra (4 ligantes), etc.

d) Quando o nome do ligante também tem prefixo numérico, o número dos ligantes é identificado por: bis (2), tris (3), tetraquis (4), pentaquis (5), hexaquis (6), etc.

[Co(en)3]Cl3 cloreto de tris(etilenodiamino)cobalto(I) e) Uso de parênteses, chaves e colchetes nos nomes dos complexos: A justaposição de nomes pode prejudicar a clareza ou conduzir a formas incorretas do ponto de vista ortográfico. Por exemplo:

[CoCl3(NH3)2(H2NCH3)] diam intriclorometilaminacobalto(I) Neste caso a colocação de parênteses em metilamina torna-se imprescindível para evitar a ambigüidade com triclorometilamina (Cl3NCH3), portanto, o nome correto deste complexo é: diamintricloro(metilamina)cobalto(I).

[Ru(HPO4)2(OH)2(NH3)2]3- íon diamindihidrogenofosfatodihidroxirutenato(I) Neste exemplo existem duas letras h no interior do nome e uma letra r precedida de vogal, o que está em desacordo com as regras de ortografia da língua portuguesa. A forma correta implicaria

Nomenclatura dos Compostos de Coordenação - Prof. J. D. Ayala - 4 - na supressão dos h e na duplicação do r, ou seja: diamindiidrogenofosfatodiidroxirrutenato(I). É preferível, entretanto, por uma questão de clareza, preservar a identidade dos constituintes através de parênteses: diaminbis(hidrogenofosfato)di(hidroxi) rutenato(I).

f) As seguintes recomendações se aplicam ao uso das abreviações: a) Quando se tratar de publicações, o significado de cada abreviação deve ser escrito por extenso. Exemplo: en etilenodiamina. b) As abreviações devem ser curtas, não mais que quatro letras e não devem conter hífens.

Exemplo: phen e não o-phen (para 1,10-fenantrolina). c) Deve-se procurar evitar confusões com abreviações comumente aceitas, tais como Me (metil), Et (etil), Ph (fenil), etc.

d) Com exceção de algumas abreviações do tipo H4edta, H2ox e L (ligante), todas as abreviações devem ser feitas com letras minúsculas. A abreviação genérica para metal é M, para íons lantanídeos é Ln e para os íons actinídeos é An.

As seguintes abreviações são as mais comumente utilizadas: Abreviação Nome Fórmula/Estrutura

Hacac Acetilacetona acac acetilacetonato

H4edta ácido etilenodiamintetraacético dmg dimetilglioximato H2dmg dimetilglioxima

CH3 CH3 N N OHOH

CH3 CH3 N N O

Nomenclatura dos Compostos de Coordenação - Prof. J. D. Ayala - 5 -

Abreviação Nome Fórmula/Estrutura ox oxalato py piridina bipy 2,2’-bipiridina phen 1,10-fenantrolina en 1,2-diaminoetano (etilenodiamina) dien dietilenotriamina tren 2,2’,2”-triaminotrietilamina trien trietilenotetraamina gly glicinato

dtox ditioxamida dmso dimetilssulfóxido

SO CH3

CH3

NH2 N H

NH2

N NH2NH2

Nomenclatura dos Compostos de Coordenação - Prof. J. D. Ayala - 6 -

Abreviação Nome Fórmula/Estrutura

dmf dimetilformamida ur uréia diars o-fenilenobis(dimetilarsina)

4) A identificação do metal se faz pelo nome do átomo de metal quando o complexo é neutro ou catiônico, ou pelo nome do átomo de metal com a terminação ato quando o complexo for aniônico, algumas exceções são:

Nome em Português Nome em Latim Nome do ânion

Chumbo (Pb) Plumbum Plumbato Cobre (Cu) Cuprum Cuprato Estanho (Sn) Stannum Estanato Ferro (Fe) Ferrum Ferrato Ouro (Au) Aurum Aurato Prata (Ag) Argentum Argentato

(Parte 1 de 2)

Comentários