Mapeamento genético

Mapeamento genético

Resumos do 54º Congresso Brasileiro de Genética • 16 a 19 de setembro de 2008 Bahia Othon Palace Hotel • Salvador • BA • Brasil w.sbg.org.br - ISBN 978-85-89109-06-2

Torres, AA1; Cruz, SG1; Massironi, SMG2; Guénet, JL3; Godard, ALB1

1Laboratório de Genética Animal e Humana, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Minas Gerais 2Biotério de Experimentos do Departamento de Imunologia, Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo 3Unité de Génétique dês Mammifères, Institut Pasteur, França adrianaamorimtorres@yahoo.com.br

Palavras-chave: mapeamento genético, mutação induzida por ENU, clonagem gênica, modelo animal, protocaderina 15

O mapeamento genético tem por finalidade identificar o lócus (gene) causador de uma patologia hereditária ou genética. O modelo murino para doenças humanas tem enorme aplicabilidade porque, apesar do genoma de camundongo ser menor do que o humano, estudos sugerem que as duas espécies compartilham 9% dos seus genes. Além disso, o ciclo reprodutivo curto, o conhecimento da embriologia, a existência de linhagens isogênicas e a fácil manipulação dos camundongos são fatores favoráveis à utilização desse modelo. Um projeto denominado “O Camundongo como organismo modelo – Indução de novas mutações” desenvolvido, em parceria, pelo Laboratório de Genética Animal e Humana (ICB/UFMG) e pelo Biotério de Experimentação do Departamento de Imunologia (IB/USP) teve por objetivo a indução de mutações em camundongos através da utilização do agente mutagênico Etil-Nitroso-Uréia. Esse agente alquilante gera mutações pontuais aleatórias nas espermatogônias dos animais machos tratados. Para o tratamento, foi escolhida a linhagem de camundongos isogênicos BALB/c porque apresenta maior tolerância ao ENU, as características fenotípicas são relativamente bem conhecidas e porque vários polimorfismos genéticos já foram descritos para essa linhagem. Nesse projeto, foram obtidos onze mutantes, dentre eles o rodador. A mutação rodador é herdada de forma autossômica recessiva e tem caráter monogênico. Caracteriza-se pela realização de movimentos em círculos, acompanhados de movimentação da cabeça para cima e para baixo. O animal mutante apresenta déficit auditivo hereditário e certo grau de desequilíbrio. O fenótipo agrava-se quando o animal é submetido ao estresse. A análise histológica revela presença de estereocílios anormais no aparelho vestíbulo-coclear. A mutação pode ser um bom modelo para o estudo de surdez hereditária no homem. O genoma dos animais mutados foi mapeado por análise de ligação. Animais da linhagem isogênica Balb/c identificados como portadores da mutação rodador foram submetidos a um protocolo de cruzamentos com animais C57BL/6 normais para a criação de animais recombinantes. O mapeamento genético, pela análise de ligação no genoma desses animais recombinantes, foi realizado utilizando-se marcadores microssatélites polimórficos para as duas linhagens de camundongos. A mutação foi localizada no cromossomo 10, entre os marcadores D10Mit170 (29.0 cM) e D10Mit11 (50.0 cM), onde encontra-se o gene da protocaderina 15 (pcdh15), um possível gene candidato. Essa região apresenta homologia com os cromossomos 2q, 6q, 10q, 12q, 19p, 21q e 22q do genoma humano. Dando prosseguimento à análise de ligação reduziremos a região delimitada.

Apoio financeiro: CAPES/FAPESP, USP e Instituto Pasteur - Paris.

Mapeamento genético e procura de genes candidatos para a mutação rodador em camundongos

54º Cong resso Br asileir o de Genética

Comentários