Parasitologia na pratica

Parasitologia na pratica

(Parte 1 de 5)

Alexis Galeno Matos2
Profa. ANDRÉA MARQUES DA SILVA PIRES

REVISÃO Profa. Dra. FLÁVIA RAQUEL NASCIMENTO e

“Dedico esta obra, primeiramente, a Deus e meus pais, minha família por inteiro, meus amigos de 72º turma de Medicina, amigos de apartamento e aos professores Aymoré, Vitorino, Flávia Raquel, Andréa Pires, Eloísa que muito me ensinaram e continuam a ensinar”

Alexis Galeno Matos

Sou cearense e resido no Maranhão desde 2000, onde curso, na

Universidade Federal do Maranhão, o curso de Medicina. Sou monitor da disciplina de Parasitologia desde 2003.

Comecei a me interessar pela Parasitologia durante o curso e na vida prática me deparava com alguns insetos como “barbeiro” ou moscas e os guardava. Quando percebi, já tinha uma grande coleção.

Durante as aulas práticas, percebi que havia dificuldade, por parte de alguns alunos, em identificar as lâminas. Então, desenvolvi esta apostila de aprendizado prático para incentivá-los e auxiliá-los na aprendizagem.

servirão para o melhoramento de futuras edições

Caso tenham sugestões ou critica, elas poderão ser feitas pessoalmente ou enviadas para meu e-mail: alexis_galeno@yahoo.com.br . Elas serão muito bem aceitas e

_ PARASITOLOGIA NA PRÁTICA Alexis Galeno Matos........................................................................................ 3

Alexis Galeno Matos4

Eu, na época que estava na disciplina de Parasitologia, ficava me perguntando: Por que estudar isto? Para que saber a autonomia de vôo de uma mosca? Por acaso vou ser médico de inseto? Eu percebo que estas dúvidas se repetem entre os alunos.

Mas a Parasitologia é muito maior que insetos ou saber sobre a autonomia de vôo das moscas.

Estudar Parasitologia é saber das doenças a partir da sua origem. É saber e conhecer para poder evitá-las. É ter um conhecimento amplo sobre a natureza e sobre as doenças. É ampliar seus horizontes de conhecimento muito mais que enfermarias de hospitais ou laboratórios de pesquisa.

Estudar e viver Parasitologia é algo essencial na vida de qualquer profissional da saúde.

Pensando nisso e baseado nas aulas práticas, foi desenvolvida esta apostila para auxiliar o aprendizado e fixar o conteúdo assimilado nas aulas, sendo complementar ao livro texto para aprendizagem.

Aconselho que antes e depois das aulas seja dada uma breve olhada na apostila, procurando identificar as características dos organismos. E, durante a aula, desenhe as lâminas, anote as observações e compare com a apostila.

Esta apostila não substitui as aulas práticas, pois as lâminas que serão observadas serão outras e as provas serão feitas baseadas nelas.

Desta forma, você verá que o aprendizado será muito mais fácil e agradável.

Bom estudo!

Alexis Galeno Matos5
Ascaris lumbricoides

HELMINTOS – ASCHELMINTHES 6

Enterobius vermicularis7
Trichuris trichiura8
Ancylostomidae10
Necator americanus…10
Wuchereria bancrofti12
Strongyloides stercoralis13
Schistosoma mansoni14
Hymenolepis nana16
Hymenolepis diminuta17
Dipylidium caninum18
Echinococcus granulosus19
Taenia solium20
Taenia saginata2
Cryptosporidium24
Isospora belli25
Toxoplasma gondii26
Plasmodium sp27
Trypanosoma e Leishmania30
Giardia lamblia32
Trichomonas vaginalis3
Entamoeba34
Psychodidae36
Culicidae37
Simuliidae38
Ceratopogonidae39
Triatominae39
Anoplura40
Siphonaptera42
Ixodides4
Moscas47

HELMINTOS – PLATYELMINTHES PROTOZOÁRIOS – APICOMPLEXA PROTOZOÁRIOS – SARCOMASTIGOPHORA ARTROPODES- INSECTA(NEMATOCERA) ARTROPODES- INSECTA(HEMIPTERA) ARTRÓPODES- INSECTA (ANOPLURA) ARTROPODES- INSECTA (SIPHONAPTERA) ARTROPODES- INSECTA(ACARI) ARTROPODES- INSECTA(CYCLORRAPHA) e (BRACHYCERA) Bibliografia......................................................................................................................... 50

Ascaris lumbricoides

SISTEMÁTICA: FILO: Aschelminthes CLASSE: Nematoda SUPERFAMÍLIA: Ascaroidea FAMÍLIA: Ascarididae GÊNERO: Ascaris ESPÉCIE: A. lumbricoides

São animais longos, robustos e cilíndricos, apresentando extremidade afilada.

Macho: apresenta cor leitosa. Extremidade posterior fortemente encurvada para face ventral. Fêmea: é mais robusta que o macho. Extremidade posterior é retilínea.

Macho (extremidade posterior encurvada) e fêmea (extremidade posterior retilínea)

OVOS: Tem cor castanha, são grandes, ovais com membrana externa mamilonada. Infértil: mais alongado, membrana mamilonada, mais delgada e citoplasma granuloso. Fértil: membrana com mamelões e citoplasma denso e escuro. Fértil embrionado: mais arredondado, embrióforo presente. Fértil decorticado: duas membranas, transparente e lisa.

ovo fértil ovo embrionado ovo fértil ovo infértil

_ PARASITOLOGIA NA PRÁTICA Alexis Galeno Matos........................................................................................ 6

Ciclo do Ascaris lumbricoides

Enterobius vermicularis

SISTEMÁTICA: FILO: Aschelminthes CLASSE: Nematoda SUPERFAMÍLIA: Oxyuroidea FAMÍLIA: Oxyuridae GÊNERO: Enterobius ESPÉCIE: E. vermiculares

Corpo filiforme, presença de asas cefálicas na extremidade anterior, boca seguida de esôfago terminando em um bulbo cardíaco. Macho: cerca de 5mm, cauda fortemente recurvada ventralmente com espículo permanente. Fêmea:1 cm de comprimento cauda pontiaguda e longa.

Asas cefálicas Comparação entre macho e fêmea

_ PARASITOLOGIA NA PRÁTICA Alexis Galeno Matos........................................................................................ 7

OVOS: Aspecto de D, amarelado, membrana lisa dupla e transparente, é embrionado

Ovos de E. vermiculares (formato de D) Ciclo do E. vermicularis

Trichuris trichiura

SISTEMÁTICA: FILO: Aschelminthes CLASSE: Nematoda ORDEM: Trichurida FAMÍLIA: Trichuridae GÊNERO: Trichuris ESPÉCIE: T. trichiura

Mede de 3 a 5 cm, sendo os machos menores que as fêmeas.Região anterior afilada e mais comprida que a posterior que é mais robusta. Aspecto de chicote.

_ PARASITOLOGIA NA PRÁTICA Alexis Galeno Matos........................................................................................ 8

Macho: é menor, extremidade posterior fortemente recurvada ventralmente, apresenta espículo protegido por bainha. Fêmea:é maior, extremidade posterior romba e reta

Comparação entre macho e fêmea OVOS: Ovo com formato elíptico, com poros salientes e transparentes nas extremidades preenchido por material lipídico, saliências nas regiões polares. Aspecto de bandeja.

Ovos de T. trichiura Ciclo do T. trichiura

_ PARASITOLOGIA NA PRÁTICA Alexis Galeno Matos........................................................................................ 9

Ancylostomidae

SISTEMÁTICA: FILO: Aschelminthes CLASSE: Nematoda SUPERFAMÍLIA: Strongyloidea FAMÍLIA: Ancylostomidae GÊNERO: Ancylostoma

ESPÉCIES: A. duodenale A. caninum, A.braziliense

Ancylostoma duodenale: corpo cilindriforme, cápsula bucal com 2 pares de dentes ventrais, cor róseo vermelho. Ancylostoma caninum : corpo cilindriforme, cápsula bucal com 3 pares de dentes ventrais, cor róseo vermelho. Ancylostoma braziliense: corpo cilindriforme, cápsula bucal com 1 par de dentes ventrais, cor róseo vermelho. Macho: extremidade posterior com bolsa copulatória bem desenvolvida. Fêmea: extremidade posterior afilada.

Necator americanus

SISTEMÁTICA: FILO: Aschelminthes CLASSE: Nematoda SUPERFAMÍLIA: Strongyloidea FAMÍLIA: Ancylostomidea GÊNERO: Necator

ESPÉCIE: Necator americanus Necator americanus: forma cilíndrica, cápsula bucal com duas laminas cortantes na margem interna da boca e outras duas subventrais. Macho: menor que a fêmea, com bolsa copulatória bem desenvolvida Fêmea: maior, com extremidade posterior afilada sem processo espiniforme terminal.

machoN.americanus A. duodenale

_ PARASITOLOGIA NA PRÁTICA Alexis Galeno Matos........................................................................................ 10

(Parte 1 de 5)

Comentários