Apostila - de - Tecnicas - de - Estudo - e-Pesquisa

Apostila - de - Tecnicas - de - Estudo - e-Pesquisa

(Parte 1 de 6)

Esta unidade tem como um de seus principais objetivos apresentar aos estudantes algumas técnicas que envolvem o ato de estudo, visando o desenvolvimento dessa prática. Entretanto, nada se conseguirá se os iniciantes não buscarem um envolvimento adequado, valorizando o processo e percebendo o quanto a prática de estudo poderá trazer benefícios para seu próprio cotidiano.

Desse modo, a 1ª etapa que o estudante precisa vencer para se tornar um estudioso é conhecer e utilizar procedimentos que facilitem os seus estudos. Pesquisas realizadas comprovam a validade de tal afirmativa.

Severino (1994) adverte que a aprendizagem exige dos estudantes novas atitudes para que esse processo seja alcançado com sucesso. O autor destaca dois elementos como fundamentais:

- A autonomia no processo de aprendizagem e postura de auto-atividade didática rigorosa, crítica e criativa; ou seja, o estudante deve torna-se responsável por suas estratégias de modo que elas possam trazer significado real para esse processo.

- Um projeto de trabalho intelectual individualizado, levando-se em conta os materiais didático e científico que se constituem, basicamente, em bibliografia especializada.

Isso nos leva à questão da formação da biblioteca pessoal dos estudantes.

Os livros são caros, tornam-se ultrapassados com alguma rapidez (pelo menos as edições), e o hábito de utilização de cópias dificulta a formação de acervos pessoais. Apesar disso, os estudantes devem se conscientizar de que existem livros fundamentais nas diferentes áreas do conhecimento e que devem ser adquiridos.

A assinatura de revistas também pode ser destacada como um hábito a ser cultivado, uma vez que os relatórios de pesquisa e as descobertas nas diferentes áreas do conhecimento, antes de aparecerem em livros, são publicadas em revistas e jornais. As revistas também oferecem a oportunidade de se ampliar a bibliografia sobre determinado assunto com novas referências.

As universidades possuem bibliotecas. O estudante pode freqüentá-las, explorá-las. Lá se encontram obras de referência geral, periódicos, livros e diferentes materiais que podem ajudar os estudantes em suas pesquisas e trabalhos.

As bibliotecas estão organizadas no sentido de auxiliar os leitores e pesquisadores. Assim, seu acervo se apresenta classificado por assunto, título e autor, em fichas individuais reunidas em fichários por ordem alfabética. Nas fichas, além de dados sobre a obra e o autor, está registrada a referência da obra (código da biblioteca), por meio da qual ela é localizada nas prateleiras. Muitas bibliotecas estão hoje informatizadas, oferecendo uma alternativa de organização mais moderna.

1.1 Como e por que estudar?

Estudar seriamente um texto é estudar o estudo de quem, estudando, o escreveu. É perceber o quando e como um conhecimento foi produzido. É buscar as relações entre o conteúdo em estudo e outras dimensões do conhecimento. Estudar é uma forma de reinventar, de recriar, de reescrever - tarefa de sujeito e não de objeto. Dessa maneira, não é possível a quem estuda, numa tal condição, alienar-se ao texto, renunciando, assim, a sua atitude crítica no mundo em que vive.

Hoje, estamos vivendo um momento em que as informações e o conhecimento aparecem a todo tempo. O mundo do trabalho, então, busca profissionais preparados, atentos e cientes dos acontecimentos. Esse preparo só pode ser alcançado através da capacitação. A importância da capacitação profissional para a vida das pessoas encontra-se na possibilidade de acesso às oportunidades de trabalho que, por sua vez, têm suas características modificadas a cada dia.

A capacitação não só nos oferece condições para o exercício de determinadas profissões como também objetiva preparar-nos para o mundo do trabalho, oferecendo a oportunidade de uma melhor adaptação ao mercado competitivo. A pessoa deve estar pronta, com hábitos e atitudes condizentes às exigências desse mercado. Nesse caso, estudar torna-se uma ferramenta de superação social, capaz de oferecer novas oportunidades e novos horizontes.

O ato de estudar demanda humildade. Quando estudamos com vontade, assumimos realmente uma posição humilde, coerente com a atitude crítica. Não nos sentimos diminuídos se encontramos dificuldades. Isso ocorre porque o humilde e crítico sabe que um texto, como desafio, pode estar mais além de sua capacidade de resposta.

Nem sempre o texto se dá facilmente ao leitor. Nesse caso, o que se deve fazer é reconhecer a necessidade de melhor se preparar e voltar ao texto para buscar novamente condições de entendê-lo. Não adianta passar a página de um livro se sua compreensão não foi alcançada. Impõe-se, pelo contrário, a insistência na busca de seu entendimento. A compreensão de um texto não é algo que se recebe de presente, mas que exige trabalho paciente de quem, por ele, se sente problematizado.

Não se mede o estudo pelo número de páginas lidas numa noite ou pela quantidade de livros lidos em um semestre ou em um ano. Devemos ter em mente que estudar não é um ato de consumir idéias, mas de criá-las e recriá-las, fazendo dessas um caminho para superar obstáculos.

1.2 Como e por que estudar?

Estudar seriamente um texto é estudar o estudo de quem, estudando, o escreveu. É perceber o quando e como um conhecimento foi produzido. É buscar as relações entre o conteúdo em estudo e outras dimensões do conhecimento. Estudar é uma forma de reinventar, de recriar, de reescrever - tarefa de sujeito e não de objeto. Desta maneira, não é possível a quem estuda, numa tal condição, alienar-se ao texto, renunciando assim à sua atitude crítica no mundo em que vive. Devemos então procurar espaços reservados com silêncio, isto pode nós ajudar a buscar concentração para entendermos o que estamos estudando.

Hoje, estamos vivendo um momento onde as informações e o conhecimento aparecem à todo tempo. O mundo do trabalho então, busca profissionais preparados, atentos e cientes dos acontecimentos. Este preparo só se pode ser alcançado através da capacitação. A importância da capacitação profissional para a vida das pessoas, encontra-se na possibilidade de acesso as oportunidades de trabalho, que por sua vez, têm suas características modificadas a cada dia.

A capacitação não só oferece a condições para o exercício de determinadas profissões como também objetiva preparar para o mundo do trabalho, oferecendo a oportunidade de uma melhor adaptação ao mercado competitivo, uma vez que a pessoa deverá estar pronta, com hábitos e atitudes condizentes às exigências desse mercado. Neste caso, estudar torna-se ema ferramenta de superação social, capaz de oferecer novas oportunidades e novos horizontes.

O ato de estudar demanda humildade. Quando estudamos com vontade assumimos realmente uma posição humilde, coerente com a atitude crítica, não nós sentimos diminuído se encontramos dificuldades. Isto porque o humilde e crítico sabe que o texto, na razão mesma em que é um desafio, pode estar mais além de sua capacidade de resposta. Nem sempre o texto se dá facilmente ao leitor. Neste caso, o que se deve fazer é reconhecer a necessidade de melhor se preparar e voltar ao texto para buscar novamente condições de entendê-lo. Não adianta passar a página de um livro se sua compreensão não foi alcançada. Impõe-se, pelo contrário, a insistência na busca de seu entendimento. A compreensão de um texto não é algo que se recebe de presente mas que se exige trabalho paciente de quem por ele se sente problematizado.

quantidade de livros lidos num semestre, ou em um anoIsto porque devemos ter

Não se mede o estudo pelo número de páginas lidas numa noite ou pela em mente que estudar não é um ato de consumir idéias, mas de criá-las e recriá-las fazendo destas um caminho para superar obstáculos.

1.3 - Organizar – Para que e por quê?

É muito comum encontrarmos pessoas que não sabem distribuir adequadamente o tempo de que dispõem para o estudo. A prática mais comum consiste em ir acumulando tudo e estudar às vésperas das provas ou dos concursos que desejamos fazer. Dependendo do estudante, isto talvez seja suficiente para safar-se da reprovação, mas não o será para produzir a fixação adequada do conteúdo e este será esquecido pouco tempo após as provas, testes e trabalhos mais complexos.

Desta forma, a prática correta está em estudar um pouco todos os dias.

Mesmo que não seja um estudante do tipo "fera", daqueles que cumprem um outro expediente de estudo em casa, valerá muito mais distribuir o número de horas que você distribuiu no decorrer da semana do que estudar às vésperas das provas achando que o dia anterior a ela, será o suficiente. Em outras palavras, o estudante não estará "se matando" de estudar e sua aprendizagem dar-se-á de maneira mais sólida e com maior consistência.

É por este caminho que julgamos ser o ideal para que você possa conseguir fazer isso com sucesso. Desta forma, aconselhamos que o estudante organize cuidadosamente o seu tempo de estudo. Ele pode começar colocando uma hora de estudo por semana para cada disciplina. Assim, aqueles que obtêm bons resultados nas avaliações não estudam necessariamente mais tempo do que aqueles que não conseguem. O segredo está em descobrir qual é a forma mais eficiente de estudar. O que importa é a qualidade do estudo e não apenas a quantidade de horas estudadas.

1.4 – Como tornar mais produtivo o estudo

Para que possamos tornar o estudo mais produtivo, devemos tomar certas atitudes que possam favorecer este momento. Isto porque para que haja proveito satisfatório do tempo reservado para o estudo, vale apenas dividi-lo - sobre tudo para iniciantes. Para Matos (1994), esta divisão inicialmente deve ser feita por períodos de cinqüenta minutos com paradas entre os períodos que se seguirem. Estas paradas ajudam a quebrar a monotonia, a espantar o sono e a refrescar a cabeça. Assim, Ribeiro (1997) nós oferece algumas dicas para elaborar melhor nosso horário de estudos tornando esta tarefa mais proveitosa. Então:

• Reserve pelo menos duas horas de estudo diário.

• Procure estudar os conteúdos apresentados pelo professor o mais cedo possível após a aula.

• Faça intervalos de dez minutos a cada 50 minutos de estudo.

• Estude primeiramente os conteúdos mais difíceis.

• Ao estudar um conteúdo, desligar-se das demais.

• Não esperar sentir vontade para começar a estudar na hora marcada.

estudar

• Seguir um plano de estudo até formar o hábito exemplo, hoje vou

• Procurar estudar alternadamente conteúdos onde haja mais ou menos dificuldade.

• Utilizar o domingo como dia de descanso, no máximo usá-lo para a leitura.

• Não esquecer de deixar espaço para o lazer, diversão faz muito bem

1.5- O que é a técnica e o que é método?

O ser humano contém em si uma potencialidade natural para a aprendizagem (Rogers, 1986).

Desta forma, apresentamos aqui algumas sugestões que podem auxiliar você neste momento. Não podemos ensinar, apenas podemos facilitar a aprendizagem (ROGERS, 1974, p381). A aprendizagem torna-se significativa quando o assunto é percebido pelo estudante como importante para os seus propósitos, o que significa que o estudante aprende muito mais sabendo que este conhecimento se tornará uma ferramenta importante para modificar sua própria condição.

De acordo com as definições estabelecidas ensinar é a ação de comunicar um conhecimento, habilidade ou experiência a alguém, com a finalidade de que este o aprenda, utilizando para isso um conjunto de métodos, técnicas e procedimentos que se consideram apropriados. Neste sentido o método é o caminho que você irá utilizar-se para promover seus estudos. Ou seja, são as etapas que você utilizará para garantir este processo. Já as técnicas são as passos que você traçará para promover este processo. Assim, reunimos aqui algumas sugestões para ajudá-los neste momento:

- Prepare um ambiente adequado para estudar, reúna o material necessário, planeie o quanto irá estudar nesse dia e que sejam compatíveis com as metas propostas por você. Focalize então toda a sua atenção no texto, ou disciplina que você está interessado em estudar;

- Programe-se em relação ao tempo. Veja que anteriormente já indicamos que você deve destinar para cada 50 minutos de estudo um intervalo de 10 minutos, procurando movimentar-se a fim de fazer circular o sangue no corpo, e principalmente no cérebro. Este intervalo é o tempo adequado para o seu cérebro processar toda a matéria até ali estudada e com isso ter um maior rendimento, ou seja, poderá estudar mais horas por dia, sem com isso “cansar” a sua cabeça e prejudicar o seu desempenho.

- Antes de cada sessão de estudo procure dar uma vista de olhos no que vai estudar, de forma a estruturar a matéria dentro da sua cabeça e rever a que você já havia estudado, Organize por itens ou tópicos utilizando-se de lápis coloridos ou canetas destaque.

- Durante as sessões de estudo, procure comer frutas e beber bastante água, evite alimentos ricos em hidratos de carbono, tais como: bolachas, pão, bolos, etc., pois estes induzem à produção de hormonas facilitadoras do sono. Lembre-se que o cérebro é o órgão do corpo humano que mais utiliza sangue e que mais consome energia, portanto alimente-se adequadamente. Se for almoçar ou jantar massas e carnes, opte por comer carne no almoço e massas à noite, pois a carne (proteína) induz a produção de hormonas inibidoras do sono, e a massa (hidratos de carbono) hormonas facilitadoras do sono.

- Procure dormir adequadamente, ou seja, cerca de oito horas diárias, não invada a madrugada a estudar, pois, desta forma está a prejudicar várias funções importantes, tanto cerebrais quanto de recuperação celular. O sono não é perda de tempo, ele é muito importante no desempenho global, pois a “sua máquina” precisa render ao máximo, e o máximo só se consegue cuidando bem dela. Conheça-se bem, a si e aos seus ritmos e limites, procure respeitá-los.

- Quando você for estudar a primeira coisa que você precisa ter em mente é uma questão: O que é

(Parte 1 de 6)

Comentários