(Parte 1 de 6)

SUMÁRIO 1-Sistema operacional Linux 2. Sistema operacional e ambiente Windows. 3.Edição de textos, planilhas e apresentações. 3.1 OpenOffice 3.2 Microsoft Office. 4. Edição de textos, planilhas e apresentações em ambiente Windows. 5. Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e procedimentos de Internet. 6. Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e procedimentos de Intranet.

7. Conceitos de organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas e programas.

8. Segurança da informação. 8.1 Procedimentos de segurança. 8.2 Noções de vírus e pragas virtuais. 8.3 Noções de firewall. 8.4 Aplicativos para segurança (anti-vírus, anti-spyware, etc). 8.5 Procedimentos de backup

1- SISTEMA OPERACIONAL LINUX

1-INTRODUÇÃO: O sistema operacional Linux é um sistema operacional criado em 1991 por Linus Torvalds, na época estudante finlandês, e atualmente sendo mantido por uma comunidade mundial de desenvolvedores (que inclui programadores individuais e empresas como a IBM, a HP e a Hitachi), coordenada pelo mesmo Linus, agora um desenvolvedor reconhecido mundialmente. Linux é o termo comumente usual para indicar um sistema operativo (português europeu) ou sistema operacional (português brasileiro) que utilize o núcleo Linux.

Linus havia criado um sistema parecido com o UNIX, e concorrente do MINIX, criado por Tanenbaum, Linux então solicitou para programadores do mundo da internet ajudassem a ele, melhorando o seu sitema e enviou aos interessados um 1código fonte.

Ainda que Linus Torvalds não tenha apresentado como objetivo inicial tornar o Linux um sistema portável, ele evoluiu nessa direção. Linux é nos dias atuais um dos núcleos de sistemas operativos mais portáveis, visto em sistemas desde o iPaq (um computador portátil) até o IBM S/390 (um denso e altamente custoso mainframe).

O Linux segue licença livre – o que significa, entre outros fatos, que todos os interessados podem usá-lo e redistribuí-lo. Incorporado a múltiplos outros softwares livres, como o KDE, o GNOME, o Apache, o Firefox e o OpenOffice.org, o Linux pode aperfeiçoar um ambiente moderno, protegido e estável para o seu desktop ou servidor.

Figura 1 : Linux em ambiente desktop.

1 É o nome dado a um conjunto de instruções, escritas pelo programador em linguajem compreensiva para ele.

O Linux, assim como o DOS ou Windows, é um Sistema Operacional. Sistema operacional é aquele programa (ou conjunto de programas) que serve de base para que programas clientes possam ser executados. Podemos citar como exemplo de programas clientes:

• Editores de textos;

• Planilhas;

• Programas de áudio

• Navegadores Internet, etc.

O Linux evoluciona muito rapidamente, e os fundamentais distribuidores lançam versões novas a cada 3 ou 4 meses, ou pelo menos semestralmente.

O Linux originalmente tornou-se conhecido em parte devido ao empenho para que os códigos-fonte GPL ou outros favoritos de todos corressem em Linux.

Como em geral você pode obter o software gratuitamente ou a custo baixíssimo, não faz sentido eleger pela versão antiga – espere a nova versão, e instale.

O termo Linux refere-se ao núcleo(em inglês "kernel") do sistema operativo. O termo também é usado pelos meios de comunicação e usuários para referir-se aos sistemas operacionais fundamentado no núcleo Linux agregado a outros programas.

Segundo Tanenbaum e Silberschatz, um núcleo pode ser considerado como o próprio sistema operativo, quando este é determinado como um gerenciador de recursos de hardware.

Inicialmente, Torvalds lançou o Linux sob uma licença de software que proibia qualquer uso comercial. Isso foi mudado de imediato para a GNU General Public License. Essa licença aceita a distribuição e mesmo a venda de versões possivelmente modificadas do Linux mas exige que todas as cópias sejam lançadas dentro da mesma licença e acompanhadas do código fonte.

Apesar de alguns dos programadores que colaboraram para o núcleo permitirem que o seu código seja licenciado com GPL versão 2 ou posterior, grande parte do código (abrangido as contribuições de Torvalds) refere-se unicamente a GPL versão 2.

2-Sistemas de arquivos suportados: O Linux possui suporte de leitura e escrita a vários sistemas de arquivos, de vários sistemas operacionais, além de alguns sistemas nativos. Por causa deste fato, quando o Linux é instalado em dual boot com outros sistemas (Windows, por exemplo) ou mesmo funcionando como Live CD, ele poderá ler e escrever nas partições formatadas em FAT e NTFS. Devido a este fator, Live CDs Linux são muito empregados na manutenção e recuperação de outros sistemas operacionais.

Atualmente, um Sistema Operacional (em Portugal Sistema Operativo) Linux ou

GNU/Linux completo (uma "Lista de distribuições de Linux ou GNU/Linux") é uma coleção de software livre (e por vezes não-livres) mencionados por indivíduos, grupos e organizações do mundo todo, incluindo o núcleo Linux.

No decorrer do tempo, várias distribuições passam a existir e desapareceram cada qual com sua característica. Algumas distribuições são maiores outros menores, dependendo do número de aplicações e sua finalidade. Algumas distribuições de tamanhos menores cabem num disquete com 1,4 MB, outras precisam de vários CDs, havendo até algumas versões em DVD. Todas elas têm o seu público e sua finalidade, as pequenas (que ocupam poucos disquetes) são usadas para recuperação de sistemas danificados ou em monitoramento de redes de computadores.

3-Instalação: Não há mais mistérios em se instalar um sistema Linux, cada distro tem algo em particular, mas em seu todo, todos seguem o mesmo princípio. Um sistema Linux é ajustado com várias plataformas de hardware, sendo necessário apenas você baixar a versão para a qual irá precisar trabalhar, ou seja: i386, alpha, arm, hppa, hurd-i386, ia64, m68k, mipsel, mips, powerpc, s390, sh, sparc.

4-Ambiente Linux:

No Linux, não existe um só ambiente gráfico. Existem dezenas. É certo que, na maioria das distribuições reinam soberanos o KDE e o GNOME. Porém há outras opções, mais leves, e igualmente eficientes. A interface que mais se desenvolveu no sistema Linux foi o KDE, por isso é um dos mais estudados.

Constitui basicamente, K Desktop Enviroment. O K não tem função especial, a não ser por ser a letra que vem prontamente antes de L, de Linux. Tem amplo suporte a temas, além de diversos aplicativos escritos especialmente para ele. Ele é apresentado assim: O tema, como se pode observar, é retratando o ambiente do Windows XP. Muitos preferem utilizar este tema, com o intuito de não ser traumático a migração do Windows para o Linux.

Mas, no desígnio de facilitar a vida dos usuários Windows, tal concepção se faz presente no Desktop de vários usuários.

Como se pode observar, assim como no Windows, o KDE possui uma barra onde ficam alojadas o menu (iniciar no Windows), e que pode variar de diversas maneiras no KDE:

A partir deste menu, pode-se acessar múltiplos submenus que nos remete a outras aplicações, todas colocadas dentro de um mesmo contexto. Por exemplo, o submenus multimídia nos autoriza descobrir vários programas de áudio e de vídeo. O submenu internet nos libera deparar com programas para acesso à internet, como discador, browser, bate-papo, e outros. Note-se, também, na barra inferior do lado direito, diversos ícones acoplados ao relógio. Diversos aplicativos se aproveitam destes pequenos ícones para abrangerem qualificadas tarefas, assim sendo que forem clicados. Quem já se emprega do Windows tem costume com tais ícones.

Assim como no Windows, a barra inferior não é fixa, podendo variar de tamanho e posição. A flexibilidade é tamanha, que, dependendo da configuração

7 teremos um desktop idêntico ao Windows ou mesmo ao Macintosh.

Conforme a vontade do usuário podemos mudar radicalmente o desktop.

Centro de controle KDE- o caminho que o KDE faz engloba a procura de documentos salvos (arquivos de texto, planilhas, desenhos, etc.). Este último servirá, a priori, para os programas que forem determinados por softwares que o KDE reconheça, ou seja, dilatações que, como no Windows, possam ser abertas absolutamente pelo navegador de arquivos.

O outro item é algo bem particular, que não está atualizado em todas as distribuições do Linux; trata-se de configuração do laptop Sony Vaio, aliás, uma das corporações que adotam o Linux como alternativo para desktop.

5-Variáveis de ambiente no Linux

Definição: São variáveis que arquivam informações sobre preferências pessoais usadas por programas, para que eles adquiram dados sobre seu ambiente sem que você tenha que passar sempre os mesmos dados. As variáveis de ambiente normalmente são escritas em letras maiúsculas.

Estes caminhos informam ao sistema onde estão localizados, respectivamente: A área de trabalho, a lixeira, o diretório onde estarão os atalhos para os programas que deverão iniciar automaticamente;

Configuração do laptop Sony Vaio

Permite ao usuário fazer duas alterações: mudar o nome real com o qual foi cadastrado e a senha de acesso ao sistema.

É utilizado para se fazer a alteração da hora do computador. Só poderá ser feito pelo root (usuário administrador).

Mas não é necessário se fazer o logon como root para isto. Basta selecionar o botão "modo administrador", conforme ilustração ao lado.:

Serve para se definir a inicialização padrão do sistema

O gerenciador de login, é o utilitário do KDE para o XDM, responsável por prover o loginde diferentes usuários ao sistema gráfico

O item "instalador de fontes", serve para adicionar novas fontes ao sistema.

Para usuários avançados, que entendem de programação e sabem exatamente como a sua máquina se comporta, é possível fazer recompilar o kernel (núcleo do sistema operacion al.

Finalidade é proporcionar uma busca mais detalhada do que se está procurando.

Ambiente de Trabalho

mantém atalhos para aplicações, lista de janelas abertas,

Permite programar diversas funções, tais como: exibir ícones na área de trabalho

permitindo alterar, por exemplo, a ação do duplo clique do mouse sobre o enfeite superior da janela, entre enrolar, maximizar

Editar diretamente o menu, para incluir alguma aplicação que não foi incluída por um motivo qualquer. Esse item permite que defina pelo usuário como o menu será exibido, com uma série de recursos interessantes.

Múltiplos ambientes de trabalho:

permite que, em uma mesma máquina, possa haver diferentes ambientes de trabalho

define a forma e ações do Painel, ou Kicker, como é mais conhecido

Aparência e Temas:

Aqui você define a cor predominante. Define as decorações da janela (superior)

Estilo (botões, barra de carga (porcentagem), etc.

Define as fontes a serem utilizadas pelo ambiente KDE. Os demais ambientes (como o GNOME, WindowMaker,etc.)

"Papel de Parede" em outros sistemas

Habilita a ação do mouse quando um programa está carregando, além da indicação na barra de tarefas.

conhecido como "splash". É possível também adicionar novas telas.

Permite definir quais ícones você irá utilizar

"screensaver", permite definir o protetor, quando este irá funcionar, etc.

Componentes do KDE

poderemos informar ao sistema que, um determinado arquivo com a extensão

aplicativo para modo texto, onde os seus frontend's gráficos podem ser configurados neste item.

KDE que permitem a sua configuração através do Centro de Controle, tais como o "calendar" e o "kontact".

Configura o programa que equivale ao Explorer, do Windows. Este programa também funciona como navegador internet.

definir alguns itens sobre como iniciará e finalizará a sessão do KDE.

Permite que tenha melhor desempenho em cada sessão Escolher os programas que serão padrão no sistema aqui

Defina aqui qual o verificador ortográfico o KDE utilizará.

Permite monitorar a bateria do seu laptop, indicando, inclusive, quando é hora de recarregá-la.

Compatível com os recursos avançados de economia de energia, você poderá habilitar esta função aqui.

Internet e rede: Internet e Rede – da rede discada a sem fio tudo pode configurar nesta função.

é um método de comunicação utilizado por dois ou mais hardwares, onde se dispensa a utilização dos fios.mais conhecido Protocolo: 802.11b.

recurso utilizado geralmente por empresas, meio de comunicação

serve para compartilhar arquivos, projetos,docuentos.

Pode-se configurar aqui : cache, cookies, fontes, dentre outras coisas, podem ser definidas.

Trata-se da sua área de trabalho

Emissão e recebimento de email, mas também para outros programas enviarem informações pela internet.

uma interface para configuração do iptables, programa em modo texto que cuida da segurança da rede.

determinadas redes para serem usadas , mesmo sendo local pedem uma senha Isso é muito usado quando se emprega o samba, protocolo utilizado pelo Linux para se conectar a uma máquina Windows.

Define prioridades diversas, não comtempladas em outros tópicos

Pode- se filtrar conteúdo, sites, dentre outras coisas para se evitar abusos e perda de tempo no trabalho.

Permite conectar um computador a outro sem a utilização de cabos.

Periféricos: Periféricos são o hardware que, conectados a cpu, nos permite a interação com o computador. Exemplos são o mouse, teclado, impressora, câmera digital, etc.

Impressoras: Permite instalar e configurar a sua impressora. Apesar do Linux possuir mais de um gerenciador de impressão, sendo os mais conhecidos o LPR e o CUPS. Permite que configure a impressora sem problemas.

Regional e Acessibilidade: O KDE é demonstrado para múltiplos idiomas, até mesmo os menos comuns, como é o caso do esperanto. Com isso, pode ser empregado em diversos países, acionando características próprias de cada país, como o tipo da moeda, separação de numerações dentre outros.

Segurança e Privacidade: No nosso mundo atual, usamos a internet para se fazer compras, acessar o banco, acessar email e outras prestezas onde o envio de informações pessoais através da grande rede é muito comum. Proteja-se, configurando suas opções de segurança neste item. Temos: carteira do KDE, senha,privacidade, criptografia.

SOM E MULTIMÍDIA: Aqui mora o coração multimídia do KDE. Todas as configurações a multimídia podem ser realizadas aqui. Por exemplo CDs e áudio, campainha,mixer, Recuperação do CDDB(O CDDB é um arquivo público), Sistema de Som ,O KDE dispõe de um controlador próprio de som, conhecido como art's.

Depois de discorrermos sobre o "coração" do KDE, vale a pena apreciar alguns dos aplicativos desenvolvidos designadamente para esta plataforma.

Konqueror: empregado como gerenciador de arquivos (a la Explorer do Windows) e como um navegador web de primeira linha. alterar permissões de arquivos, pré-visualizar arquivos como: sons, páginas html, texto, gráficos, etc. pode ainda ripar cd's, acessar rede interna, dentre outras funcionalidades. Ark: abre arquivos compactados .

Kontact: na realidade, de quatro aplicativos em um só: o kmail, programa de gerenciamento de email's super completo, o kalendar, aplicativo calendário e de compromissos, um aplicativo gerenciador de contatos e outro para leitura de news, o knode.

KSCD: Um aplicativo para tocar cd's, com suporte a CDDB. Kaffeine: Autêntico multimídia –faz tudo.

Instalação de Programas: todo e qualquer programa, para ter seu funcionamento acionado em qualquer sistema operacional (Windows, Linux, Mac, etc.), tem que, inicialmente, ser instituído em um editor de texto, segundo uma linguagem própria (programas gráficos como Delphi, Visual Basic, dentre outros também podem ser utilizados, mas precisa que se digite também.

(Parte 1 de 6)

Comentários