Desenho Tecnico 2 Modulo 1

Desenho Tecnico 2 Modulo 1

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II

  • Unidade 1

  • Esboço em perspectiva

  • Perspectiva isométrica

  • Perspectiva cavaleira

Esboço em perspectiva

Tipos de perspectivas:

  • Tipos de perspectivas:

    • - Cilíndrica ortogonal (Isométrica) (revisão)
    • 2) - Cilíndrica oblíqua ou cavaleira
    • 3) - Linear cônica

Leitura por meio do esboço.

  • Leitura por meio do esboço.

  • Uma das melhores maneiras de ler um desenho consiste em recorrer ao esboço em perspectiva do objeto. Normalmente, antes de estar terminado o esboço, as projeções ortogonais já estão perfeitamente esclarecidas. Em vista da importância que o esboço a mão livre tem para o engenheiro, este deve cedo iniciar a sua prática, para adquirir facilidade de execução. Já foram dados exercícios práticos para a execução de esboços em projeção ortogonal. A prática do esboço em perspectiva requer o estudo preliminar da técnica de execução.

  • Esboço em perspectiva.

  • O traçado dos esboços em perspectiva tem por base um sistema de três eixos de referência, dos quais um é vertical e os dois outros fazem um ângulo de 30° com a horizontal. Representam três linhas do espaço perpendiculares entre si. Sobre estes eixos marcam-se as dimensões proporcionais à largura, profundidade e altura de qualquer objeto em forma de paralelepípedo.

  • As circunferências são traçadas com o auxílio dos quadrados circunscritos.

ESBOÇO DAS VISTAS ORTOGRÁFICAS PRINCIPAIS

  • O esboço deverá respeitar a proporção da peça e ser executado em traço firme e uniforme.

  • Para a representação das vistas ortográficas principais de uma peça em esboço a partir de sua perspectiva cotada, deve-se primeiramente considerar as dimensões totais de cada vista, delimitando seu espaço através de linhas estreitas e claras, que possam ser eliminadas ao final do trabalho se for necessário.

  • Antes de delimitar, é recomendado prefixar uma unidade de medida referencial, para que o esboço fique todo proporcional

1) - Perspectiva Cilíndrica Ortogonal (revisão)

PROCESSO DO SÓLIDO ENVOLVENTE

  • PROCESSO DO SÓLIDO ENVOLVENTE

  • Dadas as vistas principais de um objeto, parte-se de um ponto que representa o vértice frontal do sólido envolvente e traçam-se os três eixos, que farão entre si ângulos de 120°.

  • Em seguida, constrói-se o paralelepípedo com as maiores dimensões de comprimento, largura e altura, segundo a visibilidade desejada para os três planos.

  • Analisando as vistas ortográficas, fazem-se cortes no sólido envolvente de acordo com as formas e dimensões dadas nas referidas vistas, adaptando, separadamente, cada vista no seu plano, até que se tenha o objeto desejado.

2) - Perspectiva Cilíndrica Oblíqua (Cavaleira)

  • Consiste na representação do objeto, como ele seria visto por um observador situado a uma distância infinita, segundo uma direção inclinada em relação ao quadro, o qual deve ser paralelo a dois eixos do referido objeto.

A figura ilustra o que foi dito, mostrando que os eixos paralelos ao quadro são OX e OZ. O eixo a ser perspectivado seria O(Y), cuja perspectiva aparece no quadro, segundo OY.

  • A figura ilustra o que foi dito, mostrando que os eixos paralelos ao quadro são OX e OZ. O eixo a ser perspectivado seria O(Y), cuja perspectiva aparece no quadro, segundo OY.

  • A perspectiva desse eixo não paralelo ao quadro recebe o nome de fugitiva.

  • COEFICIENTE DE ALTERAÇÃO - É a cotangente do ângulo ângulo este, formado pelas projetantes com o eixo perspectivado.

  • Na Fig. anterior chamando de o ângulo que as projetantes fazem com o eixo pespectivado OY, temos:

  • O triângulo O1 (1) é retângulo. Então:

  • A perspectiva ou seja, o real multiplicado por um coeficiente de deformação.

  • Tirando partido da propriedade da perspectiva Cilíndrica Oblíqua, sempre que duas dimensões do objeto ficam paralelas ao quadro, tem-se que perspectivar somente a terceira dimensão. Para isso, usam-se as seguintes regras práticas:

  • 1) O objeto deve ser colocado com o contorno irregular paralelo ao quadro;

  • 2) A maior dimensão deve ser, de preferência, também paralela ao quadro.

  • Como a vista que normalmente atende a esses requisitos é a frontal, esta será a vista tomada como referência, na maioria das vezes, para a representação de um objeto.

Exemplo: Seja (direção das fugitivas) = 45° e o coeficiente de alteração (cotg = 0,5 = (k)

  • Exemplo: Seja (direção das fugitivas) = 45° e o coeficiente de alteração (cotg = 0,5 = (k)

Coeficiente de alteração

  • Coeficiente de alteração

  • Para proporcionar uma forma agradável e reconhecível ao objeto, usa-se um coeficiente de alteração ou redução (K) no eixo das larguras que varia de acordo com o seu ângulo de inclinação podendo ser de 30°, 45° ou 60°.

A principal vantagem do emprego da perspectiva cavaleira está na representação de objetos cuja face frontal contém detalhes circulares ou irregulares que aparecerão em verdadeira grandeza (VG), como mostram os dois exemplos a seguir.

  • A principal vantagem do emprego da perspectiva cavaleira está na representação de objetos cuja face frontal contém detalhes circulares ou irregulares que aparecerão em verdadeira grandeza (VG), como mostram os dois exemplos a seguir.

PERSPECTIVA AÉREA: Quando o quadro é colocado numa posição horizontal, a perspectiva cavaleira recebe o nome de aérea ou a vôo de pássaro. Nessa perspectiva, a direção das fugitivas é a perspectiva cavaleira de uma reta perpendicular ao plano horizontal.

  • PERSPECTIVA AÉREA: Quando o quadro é colocado numa posição horizontal, a perspectiva cavaleira recebe o nome de aérea ou a vôo de pássaro. Nessa perspectiva, a direção das fugitivas é a perspectiva cavaleira de uma reta perpendicular ao plano horizontal.

Observação: na prática a representação mais usada é a perspectiva cavaleira à 45° devido a facilidade de execução

  • Observação: na prática a representação mais usada é a perspectiva cavaleira à 45° devido a facilidade de execução

  • A posição do terceiro eixo determina quais faces do sólido serão representadas na perspectiva; em geral, são usadas as duas primeiras posições mostradas na figura abaixo, que apresentam a face superior do sólido.

EXERCÍCIOS: Desenhar num formato A4, utilizando a escala 2:1, as vistas de frente, superior e lateral esquerda da peça em perspectiva cavaleira.

  • EXERCÍCIOS: Desenhar num formato A4, utilizando a escala 2:1, as vistas de frente, superior e lateral esquerda da peça em perspectiva cavaleira.

Comentários