Liderança

Liderança

LIDERANÇA

Liderança é o processo de conduzir um grupo de pessoas, transformando-o numa equipe que gera resultados. É a habilidade de motivar e influenciar os liderados, de forma ética e positiva, para que contribuam voluntariamente e com entusiasmo para alcançarem os objetivos da equipe e da organização.

Assim, o líder diferencia-se do chefe, que é aquela pessoa encarregada por uma tarefa ou atividade de uma organização e que, para tal, comanda um grupo de pessoas, tendo autoridade de mandar e exigir obediência.

Para os gestores atuais, são necessárias não só as competências do chefe, mas principalmente as do líder.

A natureza e o exercício da liderança tem sido objeto de estudo do homem ao longo da sua história. Bernard Bass (2007) argumenta que "desde sua infância, o estudo da história tem sido o estudo dos líderes - o que e porque eles fizeram o que fizeram".A busca do ideal do líder também está presente no campo da filosofia. Platão, por exemplo, argumentava em A República que o regente precisava ser educado com a razão, descrevendo o seu ideal de "rei filósofo". Outros exemplos de filósofos que abordaram o tema são Confúcio e seu "rei sábio", bem como Tao e seu "líder servo".

Acadêmicos argumentam que a liderança como tema de pesquisa científica surgiu apenas depois da década de 30 fora do campo da filosofia e da história. Com o passar do tempo, a pesquisa e a literatura sobre liderança evoluíram de teorias que descreviam traços e características pessoais dos líderes eficazes, passando por uma abordagem funcional básica que esboçava o que líderes eficazes deveriam fazer, e chegando a uma abordagem situacional ou contingencial, que propõe um estilo mais flexível, adaptativo para a liderança eficaz.

Nos últimos anos, boa parte dessas pesquisas e obras tem sido criticada por ser de escopo muito restrito, mais preocupado com a explicação dos comportamentos de líderes face a face com seus colaboradores, ao invés de examinar os líderes no contexto maior de suas organizações, prestando pouca atenção ao papel da liderança organizacional em termos do tratamento da mudança ambiental. É o processo de maior importancia ao qual se deve fazer enfâse.

Conceito - Líder é o condutor, o guia, aquele que comanda. Ser líder é ter uma visão global, uma relação entre o homem e o seu ambiente de trabalho. É saber ensinar e também aprender, sendo este último de vital importância, ou de maior importância. A principal atividade de um gestor ou líder é a de conduzir pessoas, como o próprio nome indica, sabendo para isso lidar com elas e conseguir os melhores resultados.

As pessoas são, sem dúvida, o principal ativo de uma organização, o seu mais importante recurso, necessário ao ponto de pequenas, médias e grandes empresas terem um setor somente desenvolvido em função delas: o departamento de R.H. Em outras palavras, elas são o capital intelectual, o mais importante de uma empresa realmente moderna. De fato, os líderes influenciam seguidores. Por este motivo, muitos acreditam que os líderes têm por obrigação considerar a ética de suas decisões. Apesar de a liderança ser importante para a gerência e estreitamente relacionada a ela, liderança e gerência não são os mesmo conceitos.

Liderar não é uma tarefa simples, pelo contrário, liderança exige paciência, disciplina, humildade, respeito e compromisso, pois a organização é um organismo vivo, dotado de colaboradores dos mais diferentes tipos. Dessa forma, pode-se definir liderança como o processo de dirigir e influenciar as atividades relacionadas às tarefas dos membros de um grupo. Porém, existem três implicações importantes nesta definição:

1ª) A liderança envolve outras pessoas: Onde houver mais de uma pessoa, haverá a necessidade de um líder, o que contribuirá na organização de um trabalho, tarefa ou até mesmo no convívio familiar.

2ª) A liderança envolve uma distribuição desigual de poder entre os líderes e os demais membros do grupo: A distribuição de poder dentro de uma empresa é sem dúvidas sua ponte para crescimento.

3ª) A liderança é a capacidade de usar diferentes formas de poder para influenciar de vários modos seus seguidores – Pode até faltar os recursos, só não pode faltar a criatividade para criá-los.

Sabendo que a liderança é o exercício adequado da função de líder. Ou em resumo: é o indivíduo que exercita sua capacidade de persuasão, argumentação e carisma. Mesmo não estando presente, ele é percebido como se estivesse, e sempre lembrado pela inovação e liderança. Tendo sua maior função de gerar novas idéias e colocá-las em prática. Ele deve liderar talvez ainda inspirar, ele não pode deixar que as coisas se tornem rotineiras, e para ele, a prática de hoje jamais será suficientemente boa para amanhã.

LIDERANÇA VISIONÁRIA

Até agora temos utilizado o conceito de visão como relacionado a liderança carismática, mas neste momento o conceito de Liderança Visionário leva essa idéia muito além de carisma.

Robbins (1999) conceitua Liderança Visionária como “a capacidade de criar e articular uma visão realista, crível e atraente do futuro para uma organização ou unidade organizacional que cresce e melhora a partir do presente”.

Essa visão, se selecionada e implementada apropriadamente, é tão energética que “na verdade dá partida para o futuro clamando por habilidades, talentos e recursos para fazê-lo acontecer”.

Visão extrai emoção e energia das pessoas.

Articulada adequadamente, uma visão cria o entusiasmo que as pessoas têm por acontecimentos esportivos e outras atividades de lazer, trazendo energia e compromisso ao local de trabalho.

São inúmeros os argumentos a favor da liderança visionária, por exemplo:

• “A organização no Séc. XXI praticamente exige a liderança visionária. Nada pode funcionar sem ela, pois uma organização dirigida por mudança tecnológica acelerada, constituída por uma mistura diversificada, multicultural de trabalhadores inteligentes altamente reconhecidos, enfrentando complexidade global, um enorme caleidoscópio de necessidades individuais de clientes e exigências incessantes de constituintes múltiplos, simplesmente se autodestruiria sem um sentido de direção comum.”

• “A cola que une indivíduos de um grupo com a mesma meta comum... quando partilhada por empregados pode manter uma empresa inteira movendo-se adiante frente a dificuldades, capacitando e inspirando líderes e empregados da mesma maneira“.

Dados de uma pesquisa realizada com 1.500 líderes seniores, incluindo aí 870 CEOs (Chief Executive Officer – Presidente da Empresa) indicam a crescente importância da liderança visionária. Requisitou-se aos entrevistados que descrevessem os traços-chave ou talentos desejáveis para um CEP no ano 2000, sendo que os resultados encontrados foram:

• As características dominantes mais freqüentemente mencionadas informam que o CEO devia transmitir um “forte sentido de visão”.

• Noventa e oito por cento classificaram esse traço como o mais importante.

Outra pesquisa comparou 18 empresas visionárias com 18 empresas não visionárias por um período de 65 anos. Descobriu-se que as empresas visionárias ultrapassaram de forma significativa a performance das empresas não visionárias:

• Empresas visionárias ultrapassaram em seis vezes as empresas não visionárias em relação a critérios financeiros padrões.

• As ações das empresas visionárias ultrapassaram o mercado geral em 15 oportunidades.

Algumas considerações sobre como a visão impacta a empresa e gera inúmeras possibilidades na busca dos objetivos da organização e de seus membros, seja através de uma maior união, como através da criação da imagem do futuro da organização (Robbins, 1999, p.235):

• As propriedades-chave de uma visão parecem ser possibilidades inspiradoras que são centradas em valor, realizáveis, com um conjunto de imagens superior e articulação.

• As visões devem ser capazes de criar possibilidades que sejam inspiradoras, únicas, e que ofereçam uma nova ordem que possa produzir distinção organizacional.

• Uma visão provavelmente falhará se não oferecer uma imagem do futuro, que seja clara e demonstravelmente melhor para a organização e seus membros.

• Visões desejáveis combinam os tempos e as circunstâncias e refletem a união da organização. As pessoas na organização devem também acreditar que a visão é alcançável.

• A visão deve ser percebida como desafiadora, porém factível. Visões que têm articulação clara e imagens poderosas são mais facilmente compreendidas e aceitas.

Geralmente é mais fácil mostrar uma visão do que falar sobre ela, por isso, aí vão alguns exemplos de visão:

• “Ser a única fonte de fornecedor de software para a indústria de serviços financeiros”

• “Ser a empresa líder de relações publicas e promoções de propriedade de afro-americanos nos EUA”

• “Tornar-se o produtor de acabamento interno de automóveis que melhor atende ao cliente na América do Norte”

As qualidades de um líder visionário podem ser divididas em três:

1. Capacidade de explicar a visão para os outros.

• O líder precisa tornar a visão clara em termos de ações e propósitos exigidos através do processo de comunicação oral e escrita claras. A melhor visão, provavelmente, será ineficaz se o líder não for um forte comunicador.

• Exemplo: Ronald Reagan (Ex-Presidente dos EUA) – chamado o grande comunicador – usou seus anos de experiência como ator para ajudá-lo a articular uma visão simples para a sua presidência: uma volta aos tempos mais felizes e mais prósperos através de menos governo, impostos mais baixos e uma poderosa forca militar. 2. Capacidade de Expressar a visão não apenas verbalmente, mas através de comportamento do líder.

• Isso requer comportar-se de uma maneira que continuamente transmita e reforce a visa.

• Exemplo: Herb Keller, da Southwest Airlines, vive e respira seu compromisso com o serviço ao cliente. Ele é famoso dentro da empresa por, quando necessário, ajudar a fazer o check-in de passageiros, carregar a bagagem, cobrir comissários de bordo ou fazer qualquer coisa que torne a experiência do cliente mais agradável. Podemos identificar neste exemplo o Comandante Rolim, que também estava sempre buscando oferecer o melhor serviço para os clientes da TAM.

3. Ser capaz de estender a visão a contextos diferentes de liderança.

• É a habilidade de sequenciar atividades para que a visão possa ser aplicada em uma variedade de situações.

• Exemplo: a visão tem que ser tão significativa para as pessoas da contabilidade quanto para as do marketing, e para os empregados em Londres como em São Paulo.

• Exemplo: Ronald Reagan (Ex-Presidente dos EUA) – chamado o grande comunicador – usou seus anos de experiência como ator para ajudá-lo a articular uma visão simples para a sua presidência: uma volta aos tempos mais felizes e mais prósperos através de menos governo, impostos mais baixos e uma poderosa forca militar. 2. Capacidade de Expressar a visão não apenas verbalmente, mas através de comportamento do líder.

• Isso requer comportar-se de uma maneira que continuamente transmita e reforce a visa.

• Exemplo: Herb Keller, da Southwest Airlines, vive e respira seu compromisso com o serviço ao cliente. Ele é famoso dentro da empresa por, quando necessário, ajudar a fazer o check-in de passageiros, carregar a bagagem, cobrir comissários de bordo ou fazer qualquer coisa que torne a experiência do cliente mais agradável. Podemos identificar neste exemplo o Comandante Rolim, que também estava sempre buscando oferecer o melhor serviço para os clientes da TAM.

3. Ser capaz de estender a visão a contextos diferentes de liderança.

• É a habilidade de sequenciar atividades para que a visão possa ser aplicada em uma variedade de situações.

• Exemplo: a visão tem que ser tão significativa para as pessoas da contabilidade quanto para as do marketing, e para os empregados em Londres como em São Paulo.

2. Capacidade de Expressar a visão não apenas verbalmente, mas através de comportamento do líder.

• Isso requer comportar-se de uma maneira que continuamente transmita e reforce a visa.

• Exemplo: Herb Keller, da Southwest Airlines, vive e respira seu compromisso com o serviço ao cliente. Ele é famoso dentro da empresa por, quando necessário, ajudar a fazer o check-in de passageiros, carregar a bagagem, cobrir comissários de bordo ou fazer qualquer coisa que torne a experiência do cliente mais agradável. Podemos identificar neste exemplo o Comandante Rolim, que também estava sempre buscando oferecer o melhor serviço para os clientes da TAM.

3. Ser capaz de estender a visão a contextos diferentes de liderança.

• É a habilidade de sequenciar atividades para que a visão possa ser aplicada em uma variedade de situações.

• Exemplo: a visão tem que ser tão significativa para as pessoas da contabilidade quanto para as do marketing, e para os empregados em Londres como em São Paulo.

REFERÊNCIAS

Robbins, Stephen P. Administração: Mudanças e Perspectivas. Editora Saraiva 2000.

Robbins, S.P. Comportamento Organizacional. Editora LTC, 1999.

Comentários