Fisiologia e Alongamento

Fisiologia e Alongamento

Fisiologia e Alongamento Muscular

Tálita Verginia Léchiw

Estrutura do Músculo Esquelético

Filamentos

• Filamentos finos: actina, tropomiosina e tropo

• Filamentos grossos: miosinaninas

Sistema Sarcotubular

• Sistema T: contínuo com o sarcolema

• Retículo sarcoplasmático: rede em volta de cada miofibrila cisternas terminais (em contacto com os túbulos T na junção A-I)

• Tríades

Bases Moleculares da Contração Muscular

1. Despolarização do motoneurônio

2. Libertação do neurotransmissor (acetilcolina) na placa motora

3. Ligação da acetilcolina aos receptores nicotínicos

4. Aumento da conductância ao Na+ e K+

5. Potêncial de placa

6. Potencial de ação nas fibras musculares

Bases Moleculares da Contração Muscular

Bases Moleculares da Contração Muscular

8. Libertação do Ca++ a partir das cisternas terminais e difusão para os filamentos finos e grossos. O Ca++ inicia a contracção ao ligar-se à Troponina C. A ligação da Tropina I à Actina enfraquece, permitindo o deslocamento lateral da Tropomiosina. Permite a ligação da cabeça de miosina aos locais activos da actina.

Bases Moleculares da Contração Muscular

Bases Moleculares da Contração Muscular

• O deslizamento entre os filamentos de actina e miosina é a base do encurtamento muscular: Onde a largura da banda A permanece constante, enquanto as linhas Z se aproximam (diminuia banda I e a H).

  • O relaxamento muscular é o processo pelo qual o sarcómero adquire o seu tamanho inicial. Onde o Ca++ bombeado novamente para o RS, levando a dissociação do complexo Ca++/troponina promovendo o fim da interacção entre Actina e Miosina.

Tipos de Contração Muscular

  • Abalo Muscular

  • Contração Tetânica (tétano completo ou incompleto)

Abalo Muscular

Contração Tetânica

Tensão X Comprimento

Unidades Motoras

OTGs

Tendão

Processo da Sensação

  • Estimulação do receptor sensorial;

  • Transdução do estímulo;

  • Geração de impulsos pelos neurônios de primeira ordem;

  • Integração dos inputs sensoriais.

Tipos de Receptores Sensoriais

  • MECANORRECEPTORES:

Pressão mecânica ou estiramento;

  • TERMORECEPTORES:

Temperatura;

  • NOCICEPTORES:

Resposta a lesão física ou química;

  • FOTORRECEPTORES:

Luz sobre a retina dos olhos;

  • QUIMIORRECEPTORES:

Substâncias químicas na boca, nariz e líquidos corporais.

Sensações Proprioceptivas

  • Grau de contração e relaxamento;

  • Grau de tensão nos tendões;

  • Posição das articulações;

  • Velocidade do movimento do corpo;

  • Orientação da cabeça em relação ao solo e ao movimento;

  • Estimação do peso dos objetos;

  • Determinação do esforço muscular necessário para determinadas tarefas.

Proprioceptores – Receptores de Adaptação Lenta

  • Fusos Musculares

  • Orgãos Tendinosos

  • Receptores cinestésicos das articulações

Receptores Cinestésicos Articulares

  • Corpúsculos lamelares

  • Corpúsculos de Ruffini

  • Órgãos tendinoos

  • Terminações nervosas livres

Reflexo de Estiramento – Inervação Recíproca

Relaxamento

  • Abordagem somática: Respiração, movimentos e técnicas especiais, massagens e manipulações

  • Terapêuticos: Frio, calor, acupuntura, eletroterapia

  • Cogntivos, mentais e de controle

  • Tecnológicos (biofeedback)

  • Farmacológicos

Alongamento

  • "Forma de trabalho que visa a manutenção dos níveis de flexibilidade obtidos e a realização dos movimentos de amplitude normal com o mínimo de, restrição física possível. (ESTELIO DANTAS,1995)

  • "Exercícios físicos com objetivos de manter e/ou desenvolver a flexibilidade" (ABDALAH, JR, 1999)

  • “Técnica utilizada para aumentar a extensibilidade músculotendinosa e do tecido conjuntivo periarticular, de tal modo contribuindo para aumentar a flexibilidade articular.” (HALL; BRODY, 2001)

Efeitos do Alongamento

AGUDOS

  • Flexibilização do componente elástico da unidade musculotendinosa, Mudança no comprimento do tendão;

  • Mudança dos componentes elásticos seriais ou paralelos;

  • Mudança no comprimento e distribuição dos sarcômeros ao longo das fibras musculares

CRÔNICOS

  • Acréscimo no número de sarcômeros que implica o aumento do comprimento muscular.

  • Aumento na produçào de RNAm

  • Mudança na composição do tendão que pode ocasionar mudanças nas propriedades viscoelásticas na unidade musculo-tendinosa.

Influência do Alongamento sobre a Força Muscular

  • Muitos autores afirmam que exercícios resistidos para grande hipertrofia promovem aumento da flexibilidade quando realizados em grandes amplitudes articulares e que uma flexibilidade bem desenvolvida auxilia no ganho de força.

(DANTAS, 1995; SANTARÉM, 2001; ALTER, 1999; FLECK; KRAEMER, 1999; BOMPA; CORNACCHIA, 2000).

Benefícios do Alongamento

  • Reduz encurtamento musculares

  • Desenvolve a Flexibilidade

  • Propicia um bom relaxamento

  • Melhora a circulação sanguínea

  • Melhora a coordenação motora

  • Elimina ou reduz nódulos musculares

  • Otimiza as posturas estáticas e dinâmicas

Aquecimento

  • Um processo através do qual se busca aumentar a temperatura corporal, a freqüência cardíaca e o fluxo de sangue no músculo, melhorando o transporte de oxigênio e remoção do dióxido de carbono e lactato.

  • Aumenta a ativação neuromuscular do SNC, melhorando a coordenação, tempo de reação e qualidade de execução do movimento, aumentando a capacidade de contração muscular e melhorando a eficiência contrátil, através de melhora nas propriedades viscoelásticas do músculo, resultando numa menor incidência de contusões musculotendinosas

Flexibilidade

  • "Qualidade física, responsável pela execução voluntária de um movimento de amplitude angular máxima, por uma articulação ou conjunto de articulações, dentro dos limites morfológicos, sem risco de provocar lesão." (ESTELIO DANTAS,l995).

  • "Máxima amplitude de movimento voluntário em uma ou mais articulações, sem lesioná-Ias". (ABDALAH, IR, 1999)

  • Segundo HOLLMANN & HETTINGER (1989), flexibilidade ou mobilidade é o movimento máximo de extensão voluntária em uma ou mais articulações.

Flexionamento

  • Forma de trabalho que visa obter uma melhorada flexibilidade através da viabilização de amplitudes de arcos de movimento articular superiores às originais." (ESTÉLIO DANTAS, 1995)

Tipos de Flexibilidade

  • Ativa: Se refere as possibilidades de movimento de uma articulação a qual se encontra limitada pelos músculos antagonistas que limitam o movimento.

  • Passiva: Consiste em a “não participação da pessoa que se movimenta” a qual fica bem relaxada para evitar a participação no maior grau possível dos músculos antes mencionados.

  • Anatômica: Refere-se as possibilidade de movimentação real da articulação, onde não existe nenhum ligamento, cápsula ou músculos que limite o movimento. Naturalmente esta só é possível aos cadáveres.

Tipos de Alongamento

  • Alongamento Dinâmico

  • Alongamento Ativo

  • Alongamento Passiva

  • Alongamento Estático

  • Alongamento com Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP)

Alongamento Dinâmico

  • Utiliza-se o balanço de um segmento

  • Também conhecido como Balístico

  • Possui grande risco de lesões

  • Utilizado somente em atletas, após aquecimento, aumentando mobilidade e temperatura.

  • Alongamento Estático

  • Alongamento de Amplitude Curta, Lenta

  • Alongamento de Amplitude Completa, Lenta

  • Alongamento de Amplitude Curta, Rápida

  • Alongamento de Amplitude Completa, Rápida

(Zachazewski, 1990)

Alongamento Ativo

  • Uso voluntário dos músculos, sem ajuda.

  • Ativo Livre: músculos produzem movimentos sem aplicação de resistência externa.

  • Ativo Resistido: Contrações musculares voluntárias para mover-se contra uma resitência aplicada.

Alongamento Passivo

  • Passivo Manual: Deve ser observado a compreensão do tempo (tempo X tração)

  • Passivo Mecânico Prolongado: Baixa intensidade (peso do paciente ou por sistema mecânico)

  • Passivo Mecânico Cíclico: Repetitivo por meio de dispositivos mecânicos

Alongamento Estático

  • Segundo Hall de 15 a 60 segundos.

  • Segundo Brandy de forma lenta e gradual.

  • Consiste no afastamento da origem da inserção, de modo que os tecidos, muscular e conectivo, são estendidos e mantidos em posição estacionária por determinado tempo.

Vantagens do Alongamento Estático

  • Contribui para o alivio das dores musculares e para melhora da flexibilidade. (ALLSEN,1999)

  • Reduzem o gasto de energia global, diminuem a possibilidade de ultrapassar a extensibilidade tecidual e diminui a possibilidade de causar dores musculares. (HALL & BRODY, 2001)

  • Reduz a atividade dos fusos musculares e aumenta consideravelmente a atividade dos órgãos tendinosos de golgi (OTG). (BRANDY, 2003)

Alongamento com FNP

  • Segunda Allsen as técnicas de FPN são métodos para promover ou acelerar a resposta de um mecanismo neuromuscular pela estimulação de proprioceptores.

  • Foi desenvolvida no final dos anos 40 por Herman Kabat;

  • Possui combinações isométrica e isotônicas junto a movimentos passivos;

  • Usadas para reabilitação e treinamento atlético.

Técnicas de FNP

  • Manter-Relaxar: Move-se passivamente o membro a ser alongado até o final da ADM. Aplica-se uma força isométrica contra o profissional por 10 s. Inibição autógena. Após a contração o pcte é instruído a relaxar, e alonga-se a partir daí mantendo de 10 a 15 s.

  • Contração-Relaxamento: Após o músculo retraído ter sido alongado passivamente, o paciente faz uma contração concêntrica contra resistência do músculo retraído antes dele ser alongado.

  • Contração do antagonista: O paciente contrai o músculo oposto ao músculo retraído contra resistência. Isso provoca uma inibição recíproca do músculo retraído e esse alonga-se facilmente à medida que o músculo se move.Efetivo quando o músculo retraído tem dor ou estágio iniciais de recuperação.

  • Sustentar-Relaxar com contração do agonista: É a contração isométrica de pré alongamento do músculo retraído e relaxamento deste seguido por uma contração concêntrica do músculo oposto ao músculo retraído

Benefícios da FNP

  • Produzem maiores ganhos de flexibilidade;

  • Maior força e equilíbrio de força, bem como estabilidade articular;

  • Técnica que pode ser útil na prevenção de lesões atléticas;

  • Melhora a resistência e a circulação vascular;

  • Aumento da coordenação geral;

  • Relaxamento muscular.

Desvantagens da FNP

  • Alguns são mais desconfortáveis e dolorosos do que o alongamento estático;

  • Alto risco de lesão em tecidos moles;

  • Possibilidade de Manobra de Valsalva (alterando a PAS).

Considerações Gerais

  • Recomenda-se para o método estático e o FNP a manutenção da postura por um período de 10 a 30 segundos de duração num ponto de desconforto médio, o método FNP utiliza ainda a contração isométrica por um período aproximado de 6 segundos para o aumento da flexibilidade, com uma freqüência de 2 a 3 sessões por semana

(POLLOCK 1998)

  • Dinâmicos com velocidade aumentada gradualmente melhorando assim as adaptações aos movimentos do corpo, produzindo melhor aquecimento e especificidade para o desporto

(MANN & JONES 1999)

  • Tem o seu pico máximo de performance na infância e adolescência

(WEINECK, 1991)

Tempo de Alongamento

  • BORNS = 10 s

  • MADDING = 15 s

  • BANDY = 30 s

  • Idosos: 15, 30, 60 segundos

  • Adulto jovem saudável: 15, 30, 45, 60 segundos e até 2 minutos.

  • FREQUÊNCIA: No mínimo 2 vezes por semana em indivíduos hipomóveis. Ganhos de ADM persistem por até 1 semana após cessar sessão de alongamento.

Cuidados Especiais

  • IDOSO: segurança e eficiência, elasticidade reduzida, osteoporose e artrite, força reduzida, medicação, equilíbrio e mudança de propriocepção.

  • REDUÇÃO DE RISCOS: pré-avaliação clínica, ambientes e facilidades, comunicação e instrução, centro de gravidade baixo, aquecidos e respiração natural

  • GRAVIDEZ: avaliação obstétrica e clínica, observar sintomatologia diversas, estabilidade biomecânica, alterações hormonais.

  • DEFICIÊNCIAS FÍSICAS

Recomendações Práticas

  • Realizar exercício somente quando houver bem-estar físico.

  • Usar roupas e calçados adequados.

  • Evitar o fumo e o uso de sedativos.

  • Não se exercitar em jejum.

  • Respeitar os limites pessoais, interrompendo se houver dor ou desconforto.

  • Evitar extremos de temperatura e umidade.

  • Iniciar a atividade lenta e gradativamente para permitir adaptação.

  • Hidratação adequada antes, durante e após a atividade física.

Indicações

  • Limitações na amplitude de movimento que interferem nas atividades funcionais diárias

  • Deformidades estruturais

  • Fraqueza muscular

  • Retração nos tecidos opostos

Contra-Indicações

  • Bloqueio ósseo que possa limitar a mobilidade articular;

  • Após uma fratura recente;

  • Evidências de processos inflamatórios ou infeccioso agudo intra ou extra-articular;

  • Sensação de dor extrema;

  • Trauma nos tecidos;

  • Contraturas;

  • Tecidos moles encurtados estiverem promovendo aumento na estabilidade articular em substituição a estabilidade estrutural normal;

  • Quando forem a base de habilidade funcionais, principalmente em pacientes com paralisia ou fraqueza.muscular.

Dicas

  • Materiais

  • Música

  • Mobilizações Articulares

  • Quebra de Padrões

  • Percepção Corporal

  • Relaxamento Induzido

  • Massagens E Auto-Massagens

Comentários