Aula 5 organização centro cirúrgico - recursos humanos

Aula 5 organização centro cirúrgico - recursos humanos

Definido como a unidade designada para a realização de atividades cirúrgicas, bem como à recuperação pós-anestésica e pós-operatória imediata.

  • Definido como a unidade designada para a realização de atividades cirúrgicas, bem como à recuperação pós-anestésica e pós-operatória imediata.

  • [ Figueiredo, Viana

  • e Machado, 2010].

  • As cirurgias são classificadas conforme o momento em que se encontra a necessidade do cliente em realizar a mesma, podendo ser:

  • O paciente requer atenção imediata; o distúrbio pode ameaçar a vida

  • Ex. Hemorragia intensa, ferimentos com armas de fogo ou branca, fratura de crânio

  • O paciente requer pronta atenção

  • Prazo de 24 a 30h

  • Ex : Infecção aguda, cálculos renais ou uretrais

  • O paciente deve ser operado

  • Prazo de algumas semanas ou meses

  • Ex: Hiperplasia de próstata, sem obstrução intestinal

Eletiva

  • Eletiva

  • O paciente deve ser operado

  • Prazo: a não realização da cirurgia não representa catástrofe

  • Ex: Reparo de cicatrizes, hérnia simples, reparo vaginal

  • A decisão é do paciente

  • Prazo: Preferência pessoal

  • Ex: Cirurgias cosméticas

  • O potencial de contaminação é entendido como o risco de exposição para infecção, sendo dividido como:

  • Cirurgia Limpa

  • Cirurgia Potencialmente Contaminada

  • Cirurgia Contaminada

  • Cirurgia Infectada

São cirurgias eletivas não traumáticas, que ocorrem sem falha na técnica asséptica, em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação, na ausência de processo infeccioso e inflamatório local. [SOBECC;2009]

  • São cirurgias eletivas não traumáticas, que ocorrem sem falha na técnica asséptica, em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação, na ausência de processo infeccioso e inflamatório local. [SOBECC;2009]

CIRURGIA POTENCIALMENTE CONTAMINADA - São aquelas realizadas sob condições controladas, sem contaminação significativa realizada em tecidos colonizados por flora microbiana pouco numerosa, ou na ausência de um processo infeccioso. [SOBECC;2009]

  • CIRURGIA POTENCIALMENTE CONTAMINADA - São aquelas realizadas sob condições controladas, sem contaminação significativa realizada em tecidos colonizados por flora microbiana pouco numerosa, ou na ausência de um processo infeccioso. [SOBECC;2009]

Caracteriza na cirurgia onde a técnica asséptica foi empregada incorretamente ou quebrada, onde há tecidos colonizados com uma flora microbiana abundante, na presença de inflamação sem supuração local aguda, de difícil descontaminação. [SOBECC;2009]

  • Caracteriza na cirurgia onde a técnica asséptica foi empregada incorretamente ou quebrada, onde há tecidos colonizados com uma flora microbiana abundante, na presença de inflamação sem supuração local aguda, de difícil descontaminação. [SOBECC;2009]

CIRURGIA INFECTADA - Toda cirurgia realizada na presença de processo infeccioso e supuração local podendo ser em tecido ou órgão. [SOBECC;2009]

  • CIRURGIA INFECTADA - Toda cirurgia realizada na presença de processo infeccioso e supuração local podendo ser em tecido ou órgão. [SOBECC;2009]

O ato cirúrgico e dividido em três períodos:

  • O ato cirúrgico e dividido em três períodos:

  • Pré-operatório (antes)

  • Intra-operatório (durante)

  • Pós-operatório (após)

A enfermagem faz presente nas intervenções cirúrgicas desde os primórdios das cirurgias juntamente com os chamados “cirurgiões barbeiros”, onde as mesmas eram responsáveis pelo ambiente seguro, confortável, higiênico. [SOBECC;2009]

  • A enfermagem faz presente nas intervenções cirúrgicas desde os primórdios das cirurgias juntamente com os chamados “cirurgiões barbeiros”, onde as mesmas eram responsáveis pelo ambiente seguro, confortável, higiênico. [SOBECC;2009]

Thomas Eakins, THE AGNEW CLINIC 1889. Nesta pintura, pode observar o uso do capote, anestésico(éter) e a paciente está coberta. A enfermeira participa como membro da equipe.

  • Thomas Eakins, THE AGNEW CLINIC 1889. Nesta pintura, pode observar o uso do capote, anestésico(éter) e a paciente está coberta. A enfermeira participa como membro da equipe.

  • Enfermeiro Chefe

  • “O enfermeiro é o profissional habilitado para gerenciar as necessidades que envolvem o ato anestésico-cirúrgico em todas as suas etapas” (SOBECC,2009, p.26).

  • Podendo exercer a função de coordenador(Chefe) ou assistencial.

O ENFERMEIRO COORDENADOR (Chefe) - O enfermeiro coordenador tem as suas atividades referentes ao funcionamento da unidade cirúrgica, coordenando todas as atividades necessárias para garantir o suprimento de todas as áreas, ao menor custo possível e de maneira que a prestação de serviços/assistência não sofra interrupções, prejudiciais ao clientes. [SOBECC;2009]

  • O ENFERMEIRO COORDENADOR (Chefe) - O enfermeiro coordenador tem as suas atividades referentes ao funcionamento da unidade cirúrgica, coordenando todas as atividades necessárias para garantir o suprimento de todas as áreas, ao menor custo possível e de maneira que a prestação de serviços/assistência não sofra interrupções, prejudiciais ao clientes. [SOBECC;2009]

compartilhar na preparação de normas, rotinas e procedimentos do setor;

  • compartilhar na preparação de normas, rotinas e procedimentos do setor;

  • garantir o correto uso de materiais e equipamentos, orientando, supervisionando e avaliando;

  • ter controle administrativo, técnico-operacional e ético sobre as atividades desempenhadas na unidade cirúrgica;

  • preparar escalas mensais e diárias das atividades que serão desempenhadas pelos funcionários;

prover recursos humanos e materiais que possibilite a realização do ato anestésico cirúrgico;

  • prover recursos humanos e materiais que possibilite a realização do ato anestésico cirúrgico;

  • participar do planejamento e da execução dos treinamentos e do processo de educação continuada para a equipe de enfermagem;

  • cuidar da qualidade do ambiente e da segurança, procurando o conforto do paciente e da equipe interdisciplinar;

Enfermeiro assistêncial

  • Enfermeiro assistêncial

O enfermeiro assistencial tem suas atividades relacionadas diretamente ao cuidado do paciente, desempenhando plano de cuidados de enfermagem e dando continuação na assistência oferecida para os pacientes cirúrgicos. Algumas das atividades do enfermeiro assistencial:

  • O enfermeiro assistencial tem suas atividades relacionadas diretamente ao cuidado do paciente, desempenhando plano de cuidados de enfermagem e dando continuação na assistência oferecida para os pacientes cirúrgicos. Algumas das atividades do enfermeiro assistencial:

  • conferir se contem materiais e equipamentos necessários para o ato anestésico-cirúrgico;

  • desempenhar as atividades pré-operatória, intra-operatória e pós-operatória conforme as condições oferecidas pela instituição;

recepcionar o paciente na sua entrada ao CC, fazendo a conferencia dos exames relacionados ao ato cirúrgico, certificando-se do correto preenchimento dos impressos próprios da área, do prontuário e da pulseira de identificação (se houver);

  • recepcionar o paciente na sua entrada ao CC, fazendo a conferencia dos exames relacionados ao ato cirúrgico, certificando-se do correto preenchimento dos impressos próprios da área, do prontuário e da pulseira de identificação (se houver);

  • se necessário executar sondagem vesical de demora ou de alívio;

  • fazer evoluções de enfermagem;

  • auxiliar ou realizar o curativo cirúrgico;

O enfermeiro é responsável pela coordenação das atividades realizadas no centro cirúrgico, mas devido ao pouco efetivo de enfermeiros atuantes na unidade cirúrgica, não ha tempo de dedicar exclusivamente para um ato cirúrgico específico. Mas na falta de técnico de enfermagem para executar alguma tarefa o enfermeiro deve estar hábil para exercer sua função como circulante ou instrumentador, devendo, assim, conhecer todos os procedimentos .

  • O enfermeiro é responsável pela coordenação das atividades realizadas no centro cirúrgico, mas devido ao pouco efetivo de enfermeiros atuantes na unidade cirúrgica, não ha tempo de dedicar exclusivamente para um ato cirúrgico específico. Mas na falta de técnico de enfermagem para executar alguma tarefa o enfermeiro deve estar hábil para exercer sua função como circulante ou instrumentador, devendo, assim, conhecer todos os procedimentos .

Auxiliar a equipe cirúrgica

  • Auxiliar a equipe cirúrgica

  • Recepção do paciente

  • Atendimento durante a cirurgia

  • Montagem da sala

  • Relatórios,

  • Assistência no pós-operatório

  • Auxiliar o anestesista

Auxiliar o enfermeiro

  • Auxiliar o enfermeiro

  • Verificar funcionamento de todos os aparelhos e equipamentos

  • Controlar estoque e validade dos materiais da CME

  • Identificar e encaminhar materiais aos laboratórios especializados

  • Exercer função de circulante quando necessário (Auxiliar a equipe cirúrgica, a recepção do paciente, atendimento durante a cirurgia, montagem d asala operatória, relatórios e auxiliar o anestesista

Conhecer os instrumentos e prepará-los conforme necessidade

  • Conhecer os instrumentos e prepará-los conforme necessidade

  • Responsável pela assepsia. Limpeza e acomodação dos instrumentos do início ao fim da operação

  • Ser ágil na entrega do instrumental

  • Intervir como 2º auxiliar quando necessário

  • Solicitar materiais à circulante quando se fizer necessário

  • Apostila, pág. 20

  • Apostila, pág. 20

Responsável pelo ato operatório

  • Responsável pelo ato operatório

  • É o chefe da equipe e deverá conduzirá intervenção desde a abertura ao fechamento da parede, seccionando e suturando tecidos, pinçando vasos e manejando instrumentos

Auxiliar o cirurgião, abrindo campos, expondo vísceras da melhor maneira, de forma a permitir que o cirurgião realize as manobras com a mínima dificuldade

  • Auxiliar o cirurgião, abrindo campos, expondo vísceras da melhor maneira, de forma a permitir que o cirurgião realize as manobras com a mínima dificuldade

  • Providenciar cuidados pré-operatórios, tais como sondagens vesicais, gástricas, etc

  • Colaborar com o instrumentador a montar a mesa de intrumentais

  • Orientar a posição do cliente na mesa operatória e fazer a anti-sepsia

  • Permanecer junto ao cliente após o despertar da anestesia até sua colocação no leito

Paciente: Avaliação clínica pré-anestesica; Prescrição do pré-anestésico; Assistência contínua; Controle das funções vitais

  • Paciente: Avaliação clínica pré-anestesica; Prescrição do pré-anestésico; Assistência contínua; Controle das funções vitais

  • Cirurgião :Autorização para início da cirurgia; Manter troca de informações durante a cirurgia; Acompanhar os tempos operatórios auxiliando as manobras

  • Material e Equipamentos :Verificação e instalação antes da operação; Ter à mão medicamentos necessários

  • Técnica :Escolher com o cirurgião o tipo de anestesia; Via apropriada para infusões venosas; Controlar a perda de sangue e líquidos; Conhecer a técnica cirúrgica

Defina centro cirúrgico

  • Defina centro cirúrgico

  • Defina cirurgia

  • Cite e explique a classificação das cirurgias de acordo com a necessidade

  • Cite e explique a classificação das cirurgias de acordo com o potencial de contaminação

  • Cite quais são os membros da equipe de enfermagem e suas funções

  • Descreva resumidamente (3 a 4 palavras) cada um dos deveres e dos direitos do instrumentador

  • Cite quais são os membros da equipe médica e suas funções

Defina centro cirúrgico

  • Defina centro cirúrgico

  • Definido como a unidade designada para a realização de atividades cirúrgicas, bem como à recuperação pós-anestésica e pós-operatória imediata.

Defina cirurgia

  • Defina cirurgia

  • Cirurgia são técnicas realizadas por profissionais da área da medicina, sendo realizadas por vários motivos baseando-se na obtenção da cura ou no alívio dos sintomas. Um procedimento cirúrgico pode ser paliativo (p. ex., melhorar as condições de vida do cliente), corretivo (p. ex., finalidade estética ou de correção), curativo (p. ex., remoção de um tumor ou de um apêndice inflamado) radical (p. ex., remoção parcial ou total de um órgão ou segmento) ou diagnóstico (p. ex., retirada de matéria para exames ou exploradora. [BRUNNER & SUDDARTH; 2005]

Emergência

  • Emergência

  • O paciente requer atenção imediata; o distúrbio pode ameaçar a vida

  • Urgência

  • O paciente requer pronta atenção

  • Necessária

  • O paciente deve ser operado

  • Eletiva

  • O paciente deve ser operado

  • Opcional

  • A decisão é do paciente

CIRURGIA LIMPA - São cirurgias eletivas não traumáticas, que ocorrem sem falha na técnica asséptica, em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação, na ausência de processo infeccioso e inflamatório local. [SOBECC;2009]

  • CIRURGIA LIMPA - São cirurgias eletivas não traumáticas, que ocorrem sem falha na técnica asséptica, em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação, na ausência de processo infeccioso e inflamatório local. [SOBECC;2009]

  • CIRURGIA POTENCIALMENTE CONTAMINADA - São aquelas realizadas sob condições controladas, sem contaminação significativa realizada em tecidos colonizados por flora microbiana pouco numerosa, ou na ausência de um processo infeccioso. [SOBECC;2009]

  • CIRURGIA CONTAMINADA - Caracteriza na cirurgia onde a técnica asséptica foi empregada incorretamente ou quebrada, onde há tecidos colonizados com uma flora microbiana abundante, na presença de inflamação sem supuração local aguda, de difícil descontaminação. [SOBECC;2009]

  • CIRURGIA INFECTADA - Toda cirurgia realizada na presença de processo infeccioso e supuração local podendo ser em tecido ou órgão. [SOBECC;2009]

ENFERMEIRO COORDENADOR (Chefe) - O enfermeiro coordenador tem as suas atividades referentes ao funcionamento da unidade cirúrgica, coordenando todas as atividades necessárias para garantir o suprimento de todas as áreas, ao menor custo possível e de maneira que a prestação de serviços/assistência não sofra interrupções, prejudiciais ao clientes. [SOBECC;2009]

  • ENFERMEIRO COORDENADOR (Chefe) - O enfermeiro coordenador tem as suas atividades referentes ao funcionamento da unidade cirúrgica, coordenando todas as atividades necessárias para garantir o suprimento de todas as áreas, ao menor custo possível e de maneira que a prestação de serviços/assistência não sofra interrupções, prejudiciais ao clientes. [SOBECC;2009]

  • ENFERMEIRO ASSISTENCIAL - O enfermeiro assistencial tem suas atividades relacionadas diretamente ao cuidado do paciente, desempenhando plano de cuidados de enfermagem e dando continuação na assistência oferecida para os pacientes cirúrgicos.

  • AUX. ENFERMAGEM - Auxiliar a equipe cirúrgica, Recepção do paciente, Atendimento durante a cirurgia, Montagem da sala, Relatórios, Assistência no pós-operatório, Auxiliar o anestesista

  • TÉCNICO DE ENFERMAGEM - Auxiliar o enfermeiro, Verificar funcionamento de todos os aparelhos e equipamentos, Controlar estoque e validade dos materiais da CME, Identificar e encaminhar materiais aos laboratórios especializados, Exercer função de circulante quando necessário (Auxiliar a equipe cirúrgica, a recepção do paciente, atendimento durante a cirurgia, montagem d asala operatória, relatórios e auxiliar o anestesista

  • Intrumentador - Conhecer os instrumentos e prepará-los conforme necessidade, Responsável pela assepsia. Limpeza e acomodação dos instrumentos do início ao fim da operação, Ser ágil na entrega do instrumental, Intervir como 2º auxiliar quando necessário, Solicitar materiais à circulante quando se fizer necessário

Conhecer os instrumentos

  • Conhecer os instrumentos

  • Manter assepsia rigorosa do instrumental

  • Diligência e ajuste das ações manuais

  • Ter ordem e método na organização do instrumental

  • Limpeza do material durante a cirurgia

  • Presteza na entrega do instrumental

  • Entregar instrumentais em silêncio

  • Observar tempo cirúrgico para entrega dos instrumentais

  • Sincronismo com o cirurgião e assistentes

  • Manter silêncio absoluto

Ser dona absoluta da mesa de instrumentais

  • Ser dona absoluta da mesa de instrumentais

  • Que peçam instrumentais com precisão

  • Que não modifiquem as técnicas padronizadas

  • Que lhe permitam o tempo necessário para sincronismo

  • Que peçam um instrumento de cada vez

  • Que não invadam a liberdade de tomar os instrumentos de sua mesa

  • Que não a distraia

  • Que não precipitem na solicitação dos instrumentos

  • Que requeira do cirurgião ordens e métodos ajustados

  • Que exija perfeito estado do instrumental ao enfermeiro

Cite quais são os membros da equipe médica e suas funções

  • Cite quais são os membros da equipe médica e suas funções

  • Cirurgião

  • Responsável pelo ato operatório. É o chefe da equipe e deverá conduzirá intervenção desde a abertura ao fechamento da parede, seccionando e suturando tecidos, pinçando vasos e manejando instrumentos

  • Assistente(s)

  • Auxiliar o cirurgião, abrindo campos, expondo vísceras da melhor maneira, de forma a permitir que o cirurgião realize as manobras com a mínima dificuldade, Providenciar cuidados pré-operatórios, tais como sondagens vesicais, gástricas, etc, Colaborar com o instrumentador a montar a mesa de intrumentais, Orientar a posição do cliente na mesa operatória e fazer a anti-sepsia, Permanecer junto ao cliente após o despertar da anestesia até sua colocação no leito

  • Anestesista

  • Paciente: Avaliação clínica pré-anestesica; Prescrição do pré-anestésico; Assistência contínua; Controle das funções vitais

  • Cirurgião :Autorização para início da cirurgia; Manter troca de informações durante a cirurgia; Acompanhar os tempos operatórios auxiliando as manobras

  • Material e Equipamentos :Verificação e instalação antes da operação; Ter à mão medicamentos necessários

  • Técnica :Escolher com o cirurgião o tipo de anestesia; Via apropriada para infusões venosas; Controlar a perda de sangue e líquidos; Conhecer a técnica cirúrgica

Comentários