Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum annuum) em cultivo protegido

Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum...

(Parte 1 de 2)

Comunicado 01

Técnico ISSN 0102-099 Novembro, 2003

Boa Vista, R

Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum annuum) em cultivo protegido

Kátia de Lima Nechet1 Bernardo de Almeida Halfeld-Vieira 2 Paulo Roberto Valle da Silva Pereira 3

Em março de 2003 foram verificados pela primeira vez sintomas do ataque de nematóide das galhas em plantas de pimentão sob cultivo protegido localizado no cinturão verde de Boa Vista- Roraima. As plantas apresentavam sintomas de murcha e nanismo e, quando arrancadas observaram-se galhas nas raízes. Este é um sintoma característico causado pelo nematóide das galhas Meloidogyne sp. (Figura 1). Esse fitopatógeno pode limitar o cultivo do pimentão principalmente quando plantado sucessivamente na mesma área, como geralmente acontece em cultivo protegido, ou quando se faz rotação com outra cultura suscetível, como feijão de vagem, quiabo e tomate (Lopes e Ávila, 2003).

Muitos produtores não identificam o problema de nematóide em sua cultura porque precisam arrancar a planta e observar as galhas nas raízes. Além disso, os sintomas são similares ao de deficiência mineral, pois a absorção de nutrientes pela planta é dificultada em razão dos danos que o nematóide causa no sistema radicular.

Fig. 1: Raízes de pimentão com galhas
de nematóides.

Foto: B.A. Halfeld-Vieira, 2003 Embrapa Roraima, BR 174, Km 08, Distrito Industrial, CP 133, 69301-970, Boa Vista-R Eng.Agrônomo, D.Sc. Fitopatologia, e-mail: katia@cpafrr.embrapa.br Eng.Agrônomo, D.Sc. Fitopatologia, e-mail: halfeld@cpafrr.embrapa.br Eng.Agrônomo, D.Sc. Entomologia, e-mail: paulo@cpafrr.embrapa.br

protegido

2 Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum annuum) em cultivo

Etiologia:

Para a identificação da espécie de Meloidogyne encontrada no pimentão, as fêmeas presentes nas galhas (Figura 2) foram retiradas do tecido radicular e seccionada na parte posterior para montagem em lâmina e observação em microscópio ótico. A identificação foi feita pela observação da configuração perineal, nome dado ao desenho formado pelas dobras da cutícula da fêmea, na região ao redor do ânus e da vulva (Campos, 2000).

A configuração perineal observada foi característica de Meloidogyne incognita que apresenta arco dorsal elevado, em forma trapezoidal, com linhas contínuas (Figura 3a e 3b). Essa espécie apresenta quatro raças que são diferenciadas através de reações positivas ou negativas, verificadas em plantas de espécies diferentes (Moura, 1996). A raça de M. incognita encontrada no pimentão será identificada posteriormente. Meloidogyne incognita é relatado associado a várias plantas hospedeiras no Brasil. No pimentão já foi relatado no Distrito Federal, Bahia e Maranhão (Manso et al., 1994). Esse é o primeiro relato de M. incognita associado ao pimentão no estado de Roraima.

Foto: B.A. Halfeld-Vieira, 2003

Fig. 2: Fêmeas adultas de M. incognita em galhas de raízes de pimentão. A=capa que protege a fêmea adulta de M. incognita; B=fêmea translúcida de M. incognita aderida à galha; C= fêmea de M. incognita com 1 ovo aderido; D= detalhe do corpo em forma de pêra da fêmea de M. incognita.

protegido

3 Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum annuum) em cultivo

Arco dorsal

Foto: B.A. Halfeld-Vieira, 2003 ânus

Arco ventral vulva

Fig. 3: Configuração da região perineal de Meloidogyne incognita.A= foto da região perineal tirada em microscópio ótico (40x). B= Desenho da região perineal (Nechet, K.L.).

Classificação Taxonômica (Moura,1996) :

Filo: Nematoda Classe: Secernentia Ordem: Tylenchida Família: Meloidogynidae Subfamília: Meloidogyninae

Gênero: Meloidogyne Goeldi, 1887

Espécie: Meloidogyne incognita

(Kofoid e White, 1919) Chitwood, 1949

Ciclo de Vida:

A figura 4 representa o resumo do ciclo de vida do nematóide das galhas. O ciclo de vida de M. incognita completa-se em média em 25 dias, quando a temperatura está próxima a 28 ºC (Moura, 1996). Há duas fases no ciclo vital do patógeno: a primeira é móvel denominada juvenil de 1º estádio

(J1) que sofre a 1a ecdise dentro do ovo, passando para juvenil do 2º estádio (J2).

Após a eclosão, o J2 migra em direção a raiz atraído por exsudatos radiculares da hospedeira. A penetração é direta na região adjacente à coifa da raiz e o movimento pelo córtex é intracelular. Quando se instala definitivamente numa área o J2 secreta enzimas e, em resposta, a planta hospedeira forma células hipertrofiadas, contendo muitos núcleos denominadas células gigantes. Nessas células ocorre armazenamento de substância orgânicas que são fonte de alimentação para os nematóides. O J2 inicia então o desenvolvimento pós-infecção, com um

protegido

4 Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum annuum) em cultivo aumento rápido na largura do corpo, que é acompanhado da desintegração das células musculares, tornando-se imóvel. Até atingir o estádio adulto, o juvenil passa por algumas fases. As fêmeas ao atingirem a maturidade depositam ovos numa matriz gelatinosa que os protege. Mais de 1000 ovos podem ser encontrado em uma massa de ovos (Tihohod, 1993).

Ilustração: B.A. Halfeld-Vieira 2003

Fig. 4: Ciclo de vida do nematóide das galhas (Ilustração: Halfeld-Vieira, B.A.)

Disseminação:

A disseminação dos nematóides é resultante das atividades agrícolas tais como: a) mudas produzidas em viveiros infestados; b) solo aderido à calçados, ferramentas e máquinas agrícolas; c) enxurradas e águas de irrigação, principalmente em sistemas que permitem

protegido

5 Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum annuum) em cultivo que a água passe de uma área para outra. Infestações por nematóides podem ocorrer em vários tipos de solo, sendo os arenosos os mais favoráveis e os com alta umidade ou excessivamente compactos desfavoráveis aos nematóides (Lordello, 1981).

Controle:

O controle mais importante é o preventivo, evitando-se a entrada e o estabelecimento do nematóide na área de cultivo. Para isso o produtor deve utilizar mudas sadias que não apresentem galhas.

Uma vez detectada a infestação por nematóides é necessário adotar medidas de controle que reduzam sua população tais como:

Erradicar as plantas com galhas e queimar.

Erradicar plantas daninhas como Bidens pilosa (picão) e Ipomoea aristolochiaefolia (corda-de-viola) que são hospedeiras de M. incognita e mantém a população de nematóide na ausência do pimentão (Costa e Campos, 2001).

Após a erradicação das plantas doentes o produtor pode adotar uma ou mais medidas de controle relacionadas abaixo:

Adotar a rotação de culturas com espécies resistentes ou não hospedeiras. Para isso deve-se identificar a espécie e raça de Meloidogyne que ocorre na área para verificar a gama de hospedeiros do patógeno e selecionar as culturas não hospedeiras para a rotação. As cultivares de pimentão disponíveis no mercado são suscetíveis a M. incognita, mas híbridos de pimentão como fonte de resistência estão sendo avaliados com resultados promissores (Santos et al., 2002).

efeito nematicida (Ferraz et al., 2001)

Uso de plantas antagonistas em rotação, plantio consorciado ou como cobertura vegetal. Os gêneros Mucuna e as espécies Crotalaria juncea e Tagetes patula, T. erecta e T. minuta (cravo-de-defunto) são as plantas mais utilizadas nas pesquisas de controle de nematóides por possuírem

Deixar o solo em pousio, sem irrigação por 15 dias e em seguida fazer o revolvimento expondo as camadas mais profundas para a superfície, seguido de pousio por mais 15 dias. O nematóide, por ser um parasita obrigatório, não sobrevive na ausência de um hospedeiro e também é sensível ao secamento do solo (Vida et al., 2001).

Solarização do solo, que consiste na cobertura do solo úmido com plástico transparente; o calor solar é captado pelo plástico e aumenta a temperatura do solo a níveis letais para o nematóide. O período de solarização varia com a região do país, mas, em média 4 a 8 semanas de solarização é suficiente para afetar os nematóides (Ferraz et al., 2001).

protegido

6 Ocorrência e medidas de controle do nematóide das galhas em pimentão (Capsicum annuum) em cultivo Referências Bibliográficas:

Costa, M.J.N.; Campos, V.P. Aspectos da sobrevivência de Meloidogyne incognita. Nematologia Brasileira, v.25, n.2, p.163- 170, 2001.

Ferraz, S.; Dias, C.R.; Freitas, L.G. de. Controle de nematóides com práticas culturais. In: Zambolim, L. (ed.) Manejo Integrado Fitossanidade. Cultivo protegido, pivô central e plantio direto. Viçosa: Editora UFV, 1-35p. 2001.

Lopes, C.A.; Ávila, A.C. de. Doenças do pimentão. Diagnose e controle. Brasília: Embrapa Hortaliças, 2003, 96p.

Lordello, L.G.E. Nematóide das plantas cultivadas. São Paulo: Editora Nobel, 1981, 314p.

Manso, E.C.; Tenente, R.C.V.; Ferraz, L.C.B.; Oliveira, R.S.; Mesquita, R. Catálogo de nematóides fitoparasitos encontrados associados a diferentes tipos de plantas no Brasil. Brasília: Embrapa-SPI, 1994. 488p.

(Parte 1 de 2)

Comentários