Via de administração de medicamentos

Via de administração de medicamentos

(Parte 2 de 5)

• Realizar higiene do paciente antes do procedimento;

Após a administração do medicamento por VO verificar se o paciente deglutiu realmente a medicação.

• Deitar o paciente sobre o lado esquerdo , na cama, mantendo o joelho direito flexionado em direção ao peito e a perna esquerda esticada (posição de Sims). Os braços devem ficar relaxados, apoiados sobre a cama;

• Introduza o aplicador no reto do cliente;

• Acionar o mecanismo do aplicador até que todo o seu conteúdo seja transferido para o intestino;

• Retirar a cânula do reto;

• Manter o cliente deitado , orientando que ele segure o líquido até que sinta forte vontade de evacuar. Em pacientes comatosos colocar comadre antes de iniciar a infusão do líquido para o intestino;

• Higienizar o paciente após evacuação. Se o paciente estiver lúcido encaminha-lo ao banheiro;

• Desprezar o material utilizado em local apropriado;

• Trocar a roupa de cama se necessário;

• Retirar as luvas e despreza-las em local apropriado;

• Lavar as mãos;

• Registrar o procedimento no prontuário. Sem esquecer, se teve retorno e qual aspecto do eliminação.

3. Via parenteral: via injetável

Os medicamentos administrados por via injetável têm a vantagem de fornecer uma via mais rápida; quando a VO é contra-indicada, favorecendo, assim a absorção mais rápida. Para realizarmos esse procedimento, é necessário entender sobre a seringa e sua graduação e o calibre das agulhas disponíveis.

Tipos de agulha:

• 13 x 4,5 = utilizadas para as vias intradérmica e subcutânea; • 25 x 7 ou 25 x 8 = utilizadas para as vias subcutâneas, intramuscular e endovenosa;

• 30 x 7 ou 30 x 8 = utilizadas para as vias intramuscular e endovenosa;

• 40 x 10 ou 40 x 12 = utilizadas para aspiração das medicações, durante o preparo.

Tipos de seringa:

• 1ml = utilizadas para as vias intradérmica e subcutânea; • 3ml = utilizadas para as vias subcutânea e intramuscular;

• 5ml = utilizadas para as vias intramuscular e endovenosa (no caso de medicações que não são diluídas);

• 10ml = utilizadas para a via endovenosa;

• 20ml = utilizadas para a via endovenosa;

Preparando a injeção:

- Identificar o medicamento a ser administrado, de acordo com a prescrição médica; - Lavar bem as mãos antes e após de preparar e aplicar a injeção;

- Abrir a embalagem da seringa e da agulha, conectando-as sem tocar na agulha, no bico e nem na haste da seringa, para não contaminá-la;

- Não esquecer de fazer a assepsia da ampola e do fraco ampola com álcool a 70%, antes da aspiração (passar o algodão com álcool a 70% três vezes na ampola);

Preparando medicações armazenadas em ampola:

- Desinfetar toda a ampola com algodão embebido em álcool a 70%; - Proteger os dedos com o algodão embebido em álcool ao destacar o gargalo da ampola;

- Aspirar a solução da ampola para a seringa;

- Proteger a agulha com a própria capa e o êmbolo da seringa com o próprio invólucro;

- Não esquecer de identificar o medicamento com os 5 Certos, antes da administração;

- Após administração, NUNCA reencapar a agulha, e desprezá-la no descarte apropriado.

Preparando medicações armazenadas em frasco ampola:

- Realize a desinfecção do gargalo da ampola do diluente com algodão e álcool 70%, abra

- Retirar o lacre do frasco ampola e realizar a desinfecção da tampa de borracha com algodão embebido em álcool a 70% (passando o algodão 3 vezes); a ampola, aspire o conteúdo e injete-o pela parede interna do frasco ampola; - Homogeneíze bem o pó com o diluente colocando o frasco ampola entre as mãos e realizando movimentos rotacionais; - Aspire o conteúdo e retire as eventuais bolhas da seringa, expulsando o ar e deixando somente a suspensão; - Despreze o frasco ampola no descarte apropriado.

3.1. Via Intradérmica (ID)

Após aspirar a medicação estar atento para a diluição preconizada para cada medicação.

Após aspirar o conteúdo do frasco ampola lembrar de rediluir a medicação conforme padronização.

Nesta via, os medicamentos são administrados na pele (na derme). Via muito restrita, usada para pequenos volumes (de 0,1 a 0,5 ml). Usada para reações de hipersensibilidade, como provas de ppd (tuberculose), e sensibilidade de algumas alergias.

O local de aplicação mais utilizado é a face interna do antebraço. É também utilizada para aplicação de BCG (vacina contra tuberculose), sendo de uso mundial a aplicação ao nível da inserção inferior do músculo deltóide.

Material necessário:

• Bandeja contendo: luva de procedimento, seringa de 1 ml (100UI), medicação a ser aspirada, agulha para aplicação da medicação (13x4,5), bolas de algodão e álcool a 70%.

Técnica para aplicação: • Observar os protocolos de preparo ;

• Realizar a antissepsia do local de aplicação com algodão embebido em álcool a 70%;

• Esticar a pele utilizando os dedos polegar e indicador para inserir a agulha;

• A agulha deve ser introduzida com o bisel para cima e com angulação de 15graus;

• Injetar o medicamento que não deve ultrapassar 0,5ml, observando a formação de pápula (elevação da pele);

• Descartar a seringa e agulha em recipiente apropriado.

3.2. Via Subcutânea (SC)

(Parte 2 de 5)

Comentários