A excelência em gestão de SMS

A excelência em gestão de SMS

Universidade Federal Fluminense

Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Rua Passo da Pátria, 156, sala 265, bloco D São Domingos | Niterói | RJ | 24210-240 Tel.: +5 21 2629-564 Fax: +5 21 2629-5420 1 | 3

CLASSIFICAÇÃO DO ASSUNTO Excelência em gestão de SMS com foco nos fatores humanos

THEOBALD, R.; LIMA, G. B. A.. A excelência em gestão de SMS: uma abordagem orientada para os fatores humanos. Revista Eletrônica Sistemas, Vol. 2 (1), 50-64, 2007.

Estrutura Conceitual; Excelência em SMS; Fatores Humanos.

Entender e melhorar a interação do conjunto homem–equipamento–sistema organizacional, denominado “fatores humanos”, e a busca de sua incorporação aos processos, passou então a ser o desafio da industria neste novo milênio. Através da revisão de literatura e a análise crítica do autor, este trabalho apresenta uma proposta de “estrutura conceitual” para a integração dos “fatores humanos” ao modelo do sistema de gestão de SMS da International Association of Oil & Gas Producers (OGP), buscando contribuir para o alcance da excelência.

O presente trabalho é estruturado em pesquisa contínua e seqüencial de bibliografias nacionais e internacionais, nos temas excelência em gestão de SMS, acidentes industriais maiores, desempenho em SMS, falha humana e fatores humanos, em diferentes níveis de aprofundamento para cada um deles. Após a fundamentação teórica, conclui-se este trabalho apresentando uma proposta de “estrutura conceitual” para a integração dos “fatores humanos” ao modelo de Sistema de Gestão de SMS da International Association of Oil & Gas Producers (OGP).

Universidade Federal Fluminense

Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Rua Passo da Pátria, 156, sala 265, bloco D São Domingos | Niterói | RJ | 24210-240 Tel.: +5 21 2629-564 Fax: +5 21 2629-5420 2 | 3

A busca da excelência em SMS tornou-se parte irrevogável da estratégia empresarial que busca a sustentabilidade do negócio. Neste aspecto, os fatores humanos compõem uma parte indissociável deste processo pois, em maior ou menor grau estará sempre presente e terá contribuição decisiva para o sucesso ou o fracasso desta estratégia. A integração dos fatores humanos ao Sistema de Gestão de SMS é realizada a partirde seis passos básicos, a saber:

• PASSO 1: Seleção do elemento do sistema de gestão de SMS;

• PASSO 2: Análise do elemento selecionado, quanto aos aspectos dos fatores humanos (ambiente regulatório, trabalho, indivíduos e organização), visando identificar os elementos aplicáveis ao elemento do selecionado e que deverão ser trabalhados para garantir a integração;

• PASSO 3: Análise do elemento visando o agrupamentos destes elementos e um ou mais domínios que representam as seis dimensões dos fatores humanos, que permitirá posteriormente definir as disciplinas a serem chamadas a contribuir no desenvolvimento do plano de implementação da integração;

• PASSO 4: Identificação da forma como a incorporação dos fatores humanos ao sistema de gestão será evidenciada:

• PASSO 5: Identificação das atividades a serem desenvolvidas para a realização da integração, bem como as ferramentas dos fatores humanos, disponíveis para tal;

• PASSO 6: Identificação de referências bibliográficas complementares sobre fatores humanos, relacionadas ao elemento selecionado, que podem auxiliar na implementação da integração.

Verifica-se que as organizações têm buscado o aprimoramento na gestão de processos e na gestão de pessoas, mas considerando a impossibilidade de dissociação entre ambos, as organizações deveriam estar buscando o aprimoramento da gestão de “processos com pessoas” e não de “processos e pessoas”. Os sistemas de gestão e os fatores humanos não são concorrentes, mas sim complementares pois, qualquer sistema produtivo, por mais simples ou complexo, manual ou automatizado, será sempre em maior ou menor grau, projetado, operado e mantido por seres humanos e, independente do seu grau de complexidade e automação, estará sempre inserido em um sistema organizacional maior gerenciado por seres humanos. Por isso, um sistema de gestão será tanto mais eficaz, quanto mais objetivamente considerar a importância das pessoas. O entendimento de que a incorporação dos fatores humanos aos processos é a forma pela qual será possível atingir um novo salto de qualidade no desempenho em SMS neste início de século, representa uma clara demonstração de que novamente a industria coloca-se em uma posição de vanguarda. Por isso, a “estrutura conceitual” apresentada neste trabalho, preenche uma lacuna nas discussões ora desenvolvidas sobre o tema. A sua incorporação aos Sistemas de Gestão de SMS, fortalece a implementação por fazê-la sobre uma base sólida e estruturada, capaz de permitir ao mesmo tempo, minimização dos esforços e a maximização dos resultados.

OPINIÃO (PONTOS FORTES E FRACOS) Pontos fracos abordados:

As empresas que atuam em áreas que envolvem altos riscos tecnológicos, como no segmento petróleo e gás, estão mais susceptíveis a se defrontarem com dificuldades na obtenção de sucesso nesta busca, devido a permanente possibilidade de ocorrência de um acidente industrial maior. As informações apresentadas em publicações científicas evidenciam o progresso ao longo das últimas décadas na

Universidade Federal Fluminense

Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Rua Passo da Pátria, 156, sala 265, bloco D São Domingos | Niterói | RJ | 24210-240 Tel.: +5 21 2629-564 Fax: +5 21 2629-5420 3 | 3 melhoria dos indicadores de SMS deste segmento, mas identificam, também, que os indicadores de segurança atingiram um patamar que vem se mantendo constante, indicando que esforços adicionais devem ser implementados para que um novo salto de qualidade seja conseguido neste processo. Estes esforços, na maioria dos casos, estão direcionados para a incorporação do fatores humanos aos processos. O problema identificado para o desenvolvimento desta pesquisa é analisar a forma com que esta incorporação deve ser realizada, de modo a permitir o acompanhamento do progresso conseguido, minimizando os esforços e maximizando os resultados.

Pontos fortes abordados:

As organizações que atuam em áreas que envolvem altos riscos tecnológicos, como as empresas do segmento petróleo e gás, consideram a reputação como um ativo corporativo crítico a ser preservado a todo custo. Segundo NELSON, SINGH E ZALLINGER (2001, p.7), essa reputação é construída “a partir de bens intangíveis como confiança, credibilidade, qualidade, coerência, relacionamento e transparência, e tangíveis como investimento nas pessoas, diversidade e meio ambiente”. Qualquer um destes ativos pode afetar tanto positivamente quanto negativamente o desempenho da organização. A reputação também é importante para que a organização consiga manter a sua “licença para operar” que de acordo com NELSON, SINGH E ZALLINGER (2001, p.7), “representa mais do que o simples cumprimento das obrigações legais, ela depende também da construção de um bom relacionamento com todas as partes interessadas”. Neste contexto, o desempenho em SMS passou a representar um papel tão fundamental quanto o desempenho financeiro. Primeiro porque as organizações que hoje ocupam um lugar de destaque em seu segmento de negócios e as que buscam ocupar, já identificaram que o desempenho em SMS é decisivo para a rentabilidade da empresa, pois: reduz o risco de acidentes e impactos ao homem e ao meio ambiente; promove a saúde e a satisfação da força de trabalho; melhora os resultados operacionais e cria novas oportunidades de crescimento. Segundo porque, o crescente nível de conscientização e organização da sociedade, tem imputado a estas organizações requisitos legais cada vez mais rigorosos. Verifica-se, portanto, que o desempenho em SMS está diretamente relacionado com a sustentabilidade do negócio, representando para as organizações uma área com significativo impacto também nos resultados econômicos, pois possui a capacidade de atrair ou afastar investidores. Por isso, as implementação das ações como proposto passa a ser encarado como uma forma de vencer-se o desafio da sustentabilidade e da agregação de valor às suas reputações.

NELSON, J.; SINGH, A. ZALLINGER, P. The Power to change: mobilising board leadership to deliver sustainable values to market and society. London: International Business Leaders Forum. 2001.

Comentários