Introdução à Administração (Apostila)

Introdução à Administração (Apostila)

(Parte 1 de 8)

Introdução à Administração (ADM 200)

(Cole sua foto aqui)

Introdução à Administração (ADM 200)

Salvador 2005

Introdução à Administração (ADM 200)

Todas as teorias de organização são fundamentadas em uma filosofia da ciência e uma teoria da sociedade, quer os teóricos estejam conscientes disto ou não. Para muitos, esta pode parecer uma afirmação injustificadamente banal e simplista. Na verdade, muitos teóricos parecem estar inconscientes ou, no mínimo, ignorar os pressupostos que as várias teorias refletem.

Burrel Gibson & Gareth Morgan

pelos que tateiam, pelos que erram

Para ser o que sou hoje, fui vários homens. E, se volto a encontrar-me com os homens que fui, não me envergonho deles. Foram etapas do que sou. Tudo o que sei custou as dores das experiências. Tenho respeito pelos que procuram, Goethe

Você não pode ensinar nada a um homem; você pode apenas ajudá-lo a encontrar a resposta dentro dele mesmo.

Galileu Galilei

PROGRAMA DA DISCIPLINAI
IV MAPA CONCEITUAL
VI CALENDÁRIO DE AULAS E ATIVIDADES
01 1. A MÁQUINA DO MUNDO NEWTONIANA
16 2. A CIÊNCIA NA ERA DOS SISTEMAS
27 3. O NASCIMENTO DAS FÁBRICAS
40 4. AS ORIGENS DA GERÊNCIA
46 5. PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA
71 6. ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL E GERAL
94 7. O QUE É BUROCRACIA
1 8. AS ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO MÁQUINAS
126 9. DA ESCOLA DE RELAÇÕES HUMANAS AOS ESTRUTURALISTAS
142 10. ESTRUTURA BUROCRÁTICA E PERSONALIDADE
150 1. A TOMADA DE DECISÕES NAS ORGANIZAÇÕES ADMINISTRATIVAS
162 12. AS ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO ORGANISMOS

ADM 200 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS

060 - - 060 Sem pré-requisito 04

A administração enquanto área do conhecimento: conhecimento, trabalho e administração - as bases teórico-históricas que fundamentam a origem do conhecimento em administração. As organizações como área de estudo da administração. Análise evolutiva das abordagens em administração: principais aspectos e suas relações. Visões contemporâneas do trabalho do administrador, no contexto brasileiro.

Geral: oferecer a oportunidade aos estudantes de compreender os significados da Administração e da organização enquanto campo privilegiado da atuação do administrador. Reconhecer os elementos constitutivos da organização, assim como seus processos e relações com o ambiente. Examinar como as teorias da administração contribuem para o conhecimento da realidade organizacional e do trabalho do administrador. Refletir sobre o perfil e as condições de atuação do administrador na contemporaneidade.

Específicos: analisar as bases que fundamentam o conhecimento administrativo; Apresentar o pensamento administrativo em perspectiva histórica. Discutir as contribuições do conhecimento administrativo no sentido de compreender a realidade organizacional e a atuação do administrador.

O método de ensino terá a preocupação de promover o debate em sala, com as aulas sendo expositivas – mas dialogadas – buscando atrair o interesse do aluno para o assunto abordado. A idéia é abordá-los em harmonia – sempre que possível – com casos e situações trazidas pelos alunos. O objetivo é que se propicie o exercício da cidadania, bem como, o aprofundamento do conhecimento e de algumas habilidades, tais como: a elaboração de conceitos e expressão crítica e criativa. Nessa perspectiva, a metodologia estará centrada na construção do conhecimento que se processará em resenhas críticas, exposição participada e trabalhos em equipes, que privilegiem a participação ativa dos alunos na identificação e superação de dificuldades, porventura apresentadas.

O uso de situações práticas é uma alternativa de fixação de conteúdo a ser utilizada. Além disso, faz parte da proposta do processo de ensino/aprendizagem a leitura prévia dos textos e elaboração de sínteses, resenhas e estudos dirigidos para entrega e debate em sala. Portanto, todas as aulas deverão ter ao menos uma indicação bibliográfica (artigos, capítulos de livros...) a ser seguida como orientação complementar. Os textos básicos compõem o módulo, que será disponibilizado em três meios: CD, e-mail e xerox. Os meios de apoio empregados nas aulas serão: projetor multimídia (data show), retroprojetor, quadro e equipamentos de TV & vídeo.

trabalho e administraçãoAdministração: ciência, arte ou ideologia? As organizações

1. As bases do conhecimento em administração. Contextualização histórica: conhecimento, como campo privilegiado de atuação do administrador;

2. Evolução do pensamento em administração: A revolução industrial e as origens da gerência. Abordagens mecanicistas da administração: as formulações de Taylor e Fayol; A “organização burocrática” em perspectiva histórica. Da escola de relações humanas aos estruturalistas: temáticas emergentes - estilos de administração, motivação, liderança e teoria da decisão. Abordagem sistêmica e teoria da contingência. O alcance e os limites das teorias da administração;

3. Breve panorama sobre a natureza do trabalho do administrador na contemporaneidade: A visão legal/formal (CRA) e a visão teórico-empírica ( Mintzberg, H. e outros).

Avaliar-se-á a aprendizagem do aluno por meio de provas individuais de natureza dissertativa; Também serão utilizados como instrumentos de avaliação: a elaboração de sínteses e resenhas dos textos indicados, exercícios em sala, trabalhos de grupo, considerando a participação e o interesse no desenvolvimento das atividades.

Freqüência, assiduidade e pontualidade são elementos da avaliação qualitativa do aluno que irão compor sua nota final, relativamente ao interesse e responsabilidade frente ao curso e a vida como cidadão.

ACKOFF, R. L. A ciência na Era dos Sistemas. Operations Research, 1973.

BRAVERMAN, H. As Origens da Gerência. In: BRAVERMAN, H. Trabalho e Capital

Monopolista: A Degradação do Trabalho no Século X. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.p. 61-70.

CAPRA, F. A Máquina do Mundo Newtoniana. In: CAPRA, F. O Ponto de Mutação. São Paulo: Cultrix, 1999. p. 49-69.

DECCA, E.S. de. Introdução. In: DECCA, E.S. de. O Nascimento das Fábricas. Col. Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 1982.p. 7-10.

DECCA, E.S. de. Nunca Temos Tempo para Sonhar. In: DECCA, E.S. de. O Nascimento das Fábricas. Col. Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 1982.p. 1-40.

ETZIONI, A. Da Teoria de Relações Humanas aos Estruturalistas. In: ETZIONI, A. Organizações Modernas. São Paulo: Pioneira, 1989. p.43-65.

FAYOL, H. Necessidade e Possibilidade de Ensino Administrativo. In: FAYOL, H.

Administração Industrial e Geral: Previsão, Organização, Comando, Coordenação e Controle. 10 ed. São Paulo: Atlas, 1990. p. 37-39.

FAYOL, H. Princípios Gerais de Administração. In: FAYOL, H. Administração Industrial e

Geral: Previsão, Organização, Comando, Coordenação e Controle. 10 ed. São Paulo: Atlas, 1990. p.43-64.

MORGAN, G. A Mecanização Assume o Comando: As Organizações Vistas como Máquinas. In: MORGAN, G. Imagens da Organização. São Paulo: Atlas, 1996, p 21-41.

MORGAN, G. A Natureza entra em cena: As Organizações Vistas como Organismos. In: MORGAN, G. Imagens da Organização. São Paulo: Atlas, 1996, p 43-79.

MOTTA, F.C.P. Introdução. In: MOTTA, F.C.P. O que é Burocracia. Col. Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 1994.p. 7-9.

MOTTA, F.C.P. Burocracia é Poder. In: MOTTA, F.C.P. O que é Burocracia. Col. Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 1994.p. 10-32.

MOTTA, F.C.P. Burocracia é Alienação. In: MOTTA, F.C.P. O que é Burocracia. Col. Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 1994.p. 58-7.

MERTON, R.K. Estrutura Burocrática e Personalidade. In: Etzioni, A. (org.) Organizações

Complexas: um Estudo das Organizações em Face dos Problemas Sociais. (1961), São Paulo: Atlas, 1978.

SIMON, H. A. A Tomada de Decisões nas Organizações Administrativas. In: SIMON, H. A.,

Comportamento administrativo – Estudos dos Processos Decisórios nas Organizações Administrativas (1948), Rio de Janeiro: FGV, 1965. p. 1-2.

TAYLOR, F.W. Introdução. In: TAYLOR, Frederico W. Princípios de Administração Cientifica. 8 ed. São Paulo: Atlas, 1990.p.21-23.

TAYLOR, F.W. Fundamentos de Administração Científica. In: TAYLOR, Frederico W. Princípios de Administração Cientifica. 8 ed. São Paulo: Atlas, 1990. p.24-36.

TAYLOR, F.W. Princípios da Administração Científica. In: TAYLOR, Frederico W. Princípios de Administração Cientifica. 8 ed. São Paulo: Atlas, 1990. p.37-54.

AKTOUF, O. A Administração entre a Tradição e a Renovação. São Paulo: Atlas, 1996. BARNARD, C. As Funções do Executivo. São Paulo: Atlas. 1971

DUARTE JÚNIOR, J.F. O que é Realidade. 10ª ed. Col. Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 1994.

DESCARTES, R. Discurso do Método: Regras para a Direção do Espírito. São Paulo: Martin Claret, 2003.

McGREGOR, D. O Lado Humano da Empresa. São Paulo, Martins Fontes, 1992.

MINTZBERG, H. O Trabalho do Executivo: O Folclore e o Fato. In: Harvard Business Review. Nova Cultural: São Paulo, 1986.

(Parte 1 de 8)

Comentários