(Parte 1 de 3)

Afrânio/PE 2012

Projeto apresentada como requisito de avaliação da disciplina Estágio supervisionado I do Curso de Licenciatura Plena em Matemática da Faculdade de Tecnologia e Ciências – FTC - EaD, sob orientação do Tutor Eduardo de Sousa Silva.

AFRÂNIO – PE 2012

1. INTRODUÇÃO04
1.1 INDENTIFICAÇAO DOS ESTAGIÁRIOS04
1.2 INDENTIFICAÇÃO DOS ESTUDANTES04
1.3 INDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO05
1.4 TEMA05
1.5 PROBLEMA05
1.6 HIPÓTESE06
1.7 JUSTIFICATIVA06
1.8 OBJETIVOS07
1.8.1 OBJETIVOS GERAIS07
1.8.2 OBJETIVOS ESPECIFÍCOS07
2. FUNDAMENTAÇÃO TEORICA09
3. DESENVOLVIMENTO10
3.1 CONTEÚDOS1
3.2 METODOLOGIA1
3.3 CRONOGRAMA12
3.4 RECURSOS12
4. CONCLUSÃO13
4.1 RESULTADOS ESPERADOS13
4.2 AVALIAÇÃO14
5. REFERÊNCIAS15
6. APÊNDICE16
6.1 PLANO DE AULA I16
6.1 PLANO DE AULA I17

SUMÁRIO 6.1 PLANO DE AULA I........................................................................................... 18

1. INTRODUÇÂO

Como todos nós reconhecemos, dentro da construção dos futuros educadores, em todos os cursos de Licenciatura, determina-se que cada aluno desempenhe uma longa carga horária em Estágios Supervisionados, geralmente, nas Unidades Escolares próximas ao local onde o mesmo cursa sua faculdade.

Perante disso, proporcionamos o presente documento que se trata do Projeto de Estágio para os alunos das turmas do Curso de Licenciatura em matemática, modalidade de Educação a Distância - Ead, de Afrânio, cidade do Estado do Pernambuco, da Universidade Estadual de salvador da Bahia.

O Estágio proposto pelo presente Projeto terá a duração de 3 (Três) meses, correspondendo ao ano letivo de 2012, indo do início das aulas, em fevereiro, até o término das mesmas, em maio.

1.1 INDENTIFICAÇÃO DOS ESTAGIÁRIOS

Cleciano Gomes Damasceno Rua Aureliano Francisco neto, 590, Antonio Avelar, Afrânio-PE Data de nascimento: 17/12/1988 Tel: (87) 8836 6522 Formação: Licenciatura Plena em Matemática

Arivaldo Rodrigues da purificação Rua Marechal Floriano Peixoto, 130, Afrânio - PE Data de nascimento: 26/10/1987 Tel.: (87) 8826 9101 Formação: Licenciatura Plena em Matemática.

1.2 IDENTIFICAÇAO DOS ESTUDANTES

NOME DA ESCOLA ESCOLA MUNICIPAL CLEMETINO COELHO SÉRIE 6º SERIE ANO 2012 GRAU ENSINO FUNDAMENTAL SEMESTRE 1º SEMESTRE TURNO NUMERO DE ALUNOS DISCIPLINA MATEMÁTICA PROFESSOR REGENTE

1.3 IDENTIFICAÇÕES DA AÇÃO

Todo curso de Licenciatura tem por princípios a formação de professores para atuarem na rede de ensino pública ou privada em cumprimento à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996).

1.4. TEMA Ensinando a compreender a aprendizagem matemática.

1.5 PROBLEMA

Em todas as Escolas da Rede Pública Municipal o planejamento é apresentado como fundamento para todos os métodos administrativos e pedagógicos. Desse caráter, o planejamento é efetivado sucessivamente com o objetivo de conhecer a organização do trabalho a ser desenvolvido de forma agregada e participativa, tendo em vista a preparação, desempenho e avaliação do Projeto Pedagógico-curricular.

O Planejamento é um processo consecutivo. Já o Plano de Aula e o Projeto Pedagógicocurricular são documentos norteadores das ações pedagógicas das Escolas. A prática do Planejamento é feito por meio da Análise da Unidade Escolar. A Análise consiste no levantamento de informações e elementos sobre a realidade da Escola. Assim, a realização concluída desse Projeto de Estágio contará inicialmente com a realização da Análise da realidade escolar e a disponibilidade das Escolas almejadas pelos alunos. Durante a Análise da Escola, os alunos estagiários do curso de licenciatura plena em matemática serão seguidos de um Educador - Conselheiro ligado à escola, de acordo com o Projeto de Estágio.

Posteriormente, com a verificação da Análise da Escola, as atividades de todo estagiárias serão ampliadas de acordo com os subsídios dominados no “Plano de Atuação” que permanece proposto no Projeto. Recordamos que o Plano de Atuação desse Projeto de Estágio é exclusivamente uma orientação para cada aluno, pois cada estagiário poderá completar pequenas alterações, descrito com a contribuição da equipe pedagógica da Escola, aproveitando a realidade local para aprimorar ainda mais.

1.6 HIPÓTESE

O raciocínio matemático influenciará ser exercitado a partir de atividades lúdicas tendente para a direção construtiva de conhecimentos que intervém em meio ao professor e estudante no ensino da matemática na 6ª série do Ensino Fundamental;

1.7 JUSTIFICATIVA

Este Projeto de estágio consiste na reflexão da práxis do professor de Matemática e visa salientar a importância de contextualizar e interdisciplinar os conteúdos estudados, já que foi constatado que a maioria dos professores não faz relação dos conteúdos com a realidade do aluno e que utilizam métodos didáticos antigos que não estimulam o aluno a pensar e a refletir. Diante disso, nosso plano de ação, pretende no aluno um entendimento entre teoria e prática, fazendo com que o mesmo sinta motivação e tenha uma visão crítica e reflexiva do conteúdo estudado.

Ao observarmos a realidade do ensino-aprendizagem na área Matemática e confrontando com os conceitos que envolvem nos Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino fundamental, temos que perceber a falta de alguns pontos muito importantes, como a contextualização e a interdisciplinaridade dos conteúdos estudados em sala de aula.

mesma, pelo seu objetivo lúdicoAo fim do jogo, a criança deve ter treinado algumas

A utilização de recursos didáticos será de suma importância para atingirmos nossos objetivos. Entre esses recursos destacamos o jogo educativo, a utilização de gráficos e tabelas trazidos pelos alunos, resolução de problemas e explanação de como utilizar “funções” no contexto social do aluno. O jogo educativo tem como finalidade promover a motivação e participação dos alunos. Para IRENE DE ALBUQUERQUE o jogo didático “..., serve para fixação ou treino da aprendizagem. É uma variedade de exercício que apresenta motivação em si noções, tendo melhorado sua aprendizagem”. Podemos abranger que os avanços teóricos têm comprovado que a aprendizagem não se dá pelo treino mecânico descontextualizado, ou pela exposição extenuante do professor. Pelo contrário, a aprendizagem dos conceitos ocorre pela interação dos alunos com o conhecimento. Além disso, o professor deve-se dar conta que para um bom aprendizado de matemática é essencial que o aluno se sinta preocupado na resolução de um problema, qualquer que seja ele, despertando, assim, a sua curiosidade e a sua criatividade ao resolvê-lo.

Citando o que escreve Biaggi (2000), "não é possível preparar alunos capazes de solucionar problemas ensinando conceitos matemáticos desvinculados da realidade, ou que se mostrem sem significado para eles, esperando que saibam como utilizá-los no futuro".

1.8 OBJETIVOS

1.8.1 OBJETIVOS GERAIS

Elucidar e aprimorar nossas informações, conhecimentos e experiências, buscar e explorar meios a facilidade de comunicação, baseadas em experiências anteriores e esclarecer o espírito de responsabilidade na ampliação do Estágio Supervisionado I.

1.8.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

* Entender a metodologia pedagógica desempenhada na sala de aula de modo a pratica aplicada e atuação didática/pegadógica do professor regente;

* Compreender os conhecimentos da construção dos planos de aulas, aplicar jogos educativos no alvo de uma melhor fixação e aprendizagem dos alunos, bem como auxiliar na repercussão das novas propostas da educação Matemática através de jogos. * Desenvolver atividades e métodos qualificados, com o objetivo de conectar a maior participação e o interesse do aluno; * Assistir a exibição de DVD e vídeos com situações problemas;

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Conforme a maior parte da população, movimentar com cálculos, algarismos, expressões, formas e símbolos matemáticos é um exercício bem árduo e em muitas ocasiões necessitado de conveniência técnica. No conceito dos estudantes, muitos acontecimentos em matemática são superabundante, isso significa desnecessário. Muitas pessoas avaliam a importância da sabedoria matemática sem reconhecer antecipadamente a sua autêntica influência e extensão.

A matemática nos períodos finais é espontaneamente uma extraordinária área para a conjuntura escolar, não só para os seus atuantes diretos, mas, além disso, para o notório em geral.

Um dos maiores pedagogos do nosso século; Paulo Freire afirma: “Ensinar, numa perspectiva progressista, não é a simples transmissão do conhecimento em torno do conteúdo, transmissão que se faz muito mais através da descrição do conceito do objeto a ser mecanicamente memorizada pelos alunos”.

Ensinar, do ponto de vista progressista, não pode reduzir-se a um puro ensinar os alunos a aprender através de uma operação em que o objeto do conhecimento fosse o ato mesmo de aprender. Ensinar só é válido quando os educandos aprendem a aprender.

Outro grande autor George Pólya na sua ideia de como resolver problemas diz: “- O estudante deve adquirir tanta experiência de trabalho independente que quantidade for possível. Mas se for deixado sozinho com um problema, sem qualquer ajuda ou com ajuda insuficiente, é possível que não faça qualquer progresso.”

“- Uma das tarefas mais importantes do professor é a de ajudar os seus alunos”. Esta tarefa não é fácil; exige tempo, prática e bons princípios.

3. DESENVOLVIMENTO

Esse Projeto de estágio é uma orientação para que cada aluno possa se orientar pedagogicamente em seu estágio.

No dia-a-dia em sala de aula, os alunos serão analisados durante todo o estágio, através da observação do interesse, participação, cumprimento das atividades, orais, escritas e práticas. Os conteúdos explorados também serão examinados pelos trabalhos e provas aplicadas em sala de aula durante cada bimestre.

Em seguida vamos apresentar os Direitos e Deveres das partes envolvidas nesse Projeto de Estágio Supervisionado.

Cabe a escola-campo, durante o período de estágio docente, permitir o uso dos espaços disponíveis na escola, como salas de aula, biblioteca, laboratórios, auditórios entre outros, pelo estagiário em matemática como melhor concordar a este, bem como o uso de recursos audiovisuais que porventura a escola disponha. Por outro lado, fica reservado à Direção/Supervisão da escola tomar as devidas providências com o aluno estagiário que não cumprir com as normas da escola, ausentar-se durante o estágio ou mostrar falta de comprometimento e responsabilidade com a turma em que estagiamos ou com o professor titular de matemática da mesma. Ocorrendo as últimas atitudes citadas, aos professores da escola.

Com o consentimento das escolas, torna-se responsabilidade do aluno estagiário, durante seu período de estágio, comprometer-se com suas atividades docentes tanto na turma em que estagia quanto com o professor responsável da escola e com a direção da mesma, cumprir com as normas escolares, cuidar e zelar pelos locais e recursos didáticos disponibilizados pela escola e avisar qualquer ausência inesperada antecipadamente. É direito de o aluno estagiário usufruir toda estrutura que a escola possa proporcionar, bem como relatar à direção qualquer problema interno que venha a ter na(s) turma(s) de estágio em relação ao não cumprimento por parte dos alunos das normas da escola. Também cabe ao estagiário, informar a direção e supervisão escolar de qualquer projeto ou oficina que venha a oferecer e desenvolver no espaço escolar. Ao professor de matemática da turma de estágio cabe, apenas, a orientação ao estagiário de quais conteúdos devem ser desenvolvidos durante o período que o mesmo assumirá sua turma, qual a participação deste trabalho de estágio na avaliação trimestral da turma, bem como acompanhar suas atividades.

Por fim, acrescento que a participação dos estagiários no dia-a-dia escolar não traz nenhum vínculo financeiro para a Escola que o recebe.

3.1 CONTEÚDOS

Significado de número racional; Representação Geométrica;

Comparação de números racionais;

(Parte 1 de 3)

Comentários