Manuais da NX 350 - SAHARA

Manuais da NX 350 - SAHARA

(Parte 1 de 6)

26. SUPLEMENTO

Este suplemento descreve os procedimentos de serviço e informações técnicas para as motocicletas Honda produzidas a partir de 1993.

Verifique na primeira parte deste Manual de Serviços os procedimentos não descritos neste suplemento.

MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. Departamento de Serviços Pós-Venda Setor de Publicações Técnicas

CBR1000F26-1
CB50026-17
NSR125R26-19
RC4526-21
CBR90026-41
CBR600F26-43
ST1100A26-51
CBR900RR (98)26-75
XR250R/XR400R26-7
CBR1100XX26-79
CBR600F (98)26-9

ÍNDICE 26

SUPLEMENTO CBR1000F

AVISO IMPORTANTE DE SEGURANÇA c

As descrições detalhadas dos procedimentos padrão de oficina, princípios de segurança e operações de serviço não estão inclusas neste manual. É importante observar que este manual apresenta algumas advertências e precauções sobre certos métodos de serviço específicos que podem causar FERIMENTOS PESSOAISou danos à motocicleta. As advertências e precauções aqui apresentadas não cobrem todos os procedimentos para a realização de um serviço, recomendado ou não pela HONDA, nem seus perigos potenciais. Entretanto, qualquer pessoa que estiver seguindo os procedimentos de serviço ou ferramentas, recomendados ou não pela HONDA, deve estar ciente de que a segurança pessoal e da motocicleta será prejudicada pelos métodos de serviço ou ferramentas utilizadas.

Apresenta informações importantes.

Indica a possibilidade de danos à motocicleta se as instruções não forem seguidas. Indica grandes possibilidades de ferimentos pessoais ou até mesmo morte se as instruções não forem seguidas.

O primeiro carburador tipo VP foi introduzido na CBR600F em 1991: Vantagens: • Melhor resposta do acelerador;

• Aceleração mais linear;

• Construção mais compacta.

CBR1000F

FFmáx Fmáx = W x (µ)

Aprender a conduzir uma motocicleta é sobretudo aprender a utilizar os freios. Veja a seguir alguns elementos principais do sistema de freios convencionais:

O peso (W) em cada roda e o coeficiente de atrito (µ) determinam a força máxima de frenagem (Fmáx), disponível para essa roda. Quando a força de frenagem (F) exceder os limites, a roda será bloqueada. Isto acontece especialmente na roda DIANTEIRA.

Quando o freio dianteiro é aplicado, o peso da motocicleta (e do piloto) se desloca para a frente. A carga da roda dianteira aumenta e a da roda traseira diminui.

O gráfico mostra este “deslocamento de peso” para uma determinada condição de carga e para uma determinada motocicleta. Quanto mais elevado for o centro de gravidade da motocicleta e mais inclinadas forem estas linhas, maior será o “deslocamento de peso”. • Isto significa que o piloto deve controlar, a cada instante, a força de frenagem em ambas as rodas, de acordo com a superfície da pista e a desaceleração.

CBR1000F

PORCENTAGEM DE DESACELERAÇÃO A (m/s)

Fmax (kN)

• Os pilotos experientes aplicam o freio dianteiro com muito mais força em superfícies regulares e secas. • Em uma superfície escorregadia, a diferença é muito menor.

A distância para frear é bastante diferente ao se aplicar separadamente os freios dianteiro e traseiro.

• A força de aplicação da alavanca ou do pedal do freio deve ser continuamente controlada.

CBR1000F

VELOCIDADE DA MOTOCICLETA (m/s)

FORÇA (N) TEMPO (s)

A Honda efetuou vários testes a fim de observar a relação entre as forças de frenagem dianteira e traseira. • Diferentes superfícies (coeficiente de atrito µalto ou baixo)

• Pilotos com diferentes níveis de experiência (principiante - experiente) • O gráfico à direita mostra os resultados obtidos.

Esta é a relação idealentre as forças de frenagem dos freios dianteiro e traseiro a fim de obter a desaceleração máxima.

0FORÇA DE FRENAGEM TRASEIRA (KN)

A partir de 1984, começou a ser utilizado na Goldwing um sistema tipo CBS, conhecido como sistema unificado de frenagem.

A válvula de controle proporcional (PCV) reduz a pressão do cáliper do freio traseiro, conforme mostrado no gráfico.

O sistema utilizado na GL1200 e GL1500 está unicamente ligado ao funcionamento do pedal do freio traseiro.

CBR1000F

• Dois sistemas hidráulicos independentes. • Funcionamento“normal”. Não é necessário experiência na pilotagem.

• Não deve haver uma grande desaceleração quando o pedal e a alavanca forem aplicados.

• Percepção“normal” da alavanca e do pedal (sensação de firmeza).

CBR1000F

MECANISMO HIDRÁULICO Uma conexão mecânica transmite a força do cáliper do freio dianteiro para o cilindro mestre secundário. A pressão hidráulica criada pelo cilindro mestre principal aciona o freio traseiro através da válvula de controle proporcional.

CBR1000F

• CILINDRO MESTRE DIANTEIRO PRINCIPAL E TRASEIRO CBR1000F

Desenvolvida especialmente para a utilização em motocicletas. Baseada na PCV utilizada em automóveis. • Adicionando-se os pistões de descompressão e de corte obtêm-se uma característica de frenagem em três fases:

• A característica de distribuição de frenagem mostrada no gráfico abaixo será a obtida:

CBR1000F

• CÁLIPERES DE TRÊS PISTÕES (2 DIANTEIROS E 1 TRASEIRO) Os cáliperes de três pistões são controlados por dois sistemas hidráulicos independentes:

CBR1000F

• Linha de retorno do cilindro mestre secundário (do reservatório para o cilindro mestre traseiro). • Necessário somente para a sangria de ar e durante a frenagem em uma superfície inclinada (O lado de pressão torna-se lado de entrada).

CBR1000F

(Parte 1 de 6)

Comentários