Dimensionamento de vigas

Dimensionamento de vigas

(Parte 1 de 3)

Índice

  1. Introdução 2

  2. Lajes Maciças 5

    1. Exemplos. Lajes bidirecionais 5

    2. Exemplos. Lajes unidirecionais 6

  3. Lajes Nervuradas 7

    1. Exemplos. Lajes bidirecionais 10

    2. Exemplos. Lajes unidirecionais 10

  4. Anexo 1 11

  5. Anexo 2 27

DIMENSIONAMENTO DE VIGAS

Introdução

Ter conhecimentos em termos de estrutura é um fator fundamental à elaboração de projetos de arquitetura. Sendo assim, ter noções de dimensionamento de elementos como vigas, pilares e lajes, se faz indispensável à atividade do arquiteto projetista.

Nesse sentido, a fim de tornar prático o cálculo de estruturas, serão expostos, algumas diretrizes e fórmulas para o dimensionamento de vigas dos tipos BIAPOIADA, CONTÍNUA e COM BALANÇO.

Assim como se deu no estudo de lajes, buscou-se agrupar os ambientes que aparecem mais corriqueiramente em projetos arquitetônicos conforme a carga média que tais devem suportar.

AMBIENTES

CARGA (KN/m²)

Forros

0.5

Bancos, Edifícios Residenciais, Escritórios

2.0

Corredores, Cozinhas não residenciais, Escadas, Escolas, Galerias de Arte, Galerias de Lojas, Garagens e Estacionamentos, Hospitais, Laboratórios, Lavanderias, Restaurantes, Terraços, Vestíbulos

3.0

Arquibancadas, Lojas

4.0

Clubes, Ginásios de Esportes, Teatros

5.0

Bibliotecas

6.0

Casa de Máquinas

7.5

Tabela 1

Procedeu-se então a elaboração de fórmulas para o dimensionamento de cada “tipologia” de viga, levando em consideração a INTENSIDADE DO CARREGAMENTO e a LARGURA DA SEÇÃO TRANSVERSAL das mesmas. (Ver anexo)

Como fruto desse processo, obtiveram-se as tabelas constantes no anexo 2.

Vigas Biapoiadas

Viga biapoiada

De uma forma superficial, tem-se para o dimensionamento de vigas do tipo biapoiada a seguinte equação:

No entanto, para um dimensionamento mais preciso, faz-se necessário considerar as seguintes variáveis: largura da seção transversal e intensidade do carregamento. Assim, para cálculos mais precisos, deve-se fazer uso da seguinte fórmula:

Vale ressaltar que para vigas de forro (Q=0,5KN/m²) a fórmula passa a ser a seguinte:

Vigas Contínuas

De uma forma superficial, tem-se para o dimensionamento de vigas do tipo contínua a seguinte equação:

No entanto, para um dimensionamento mais preciso, faz-se necessário considerar as seguintes variáveis: largura da seção transversal e intensidade do carregamento. Assim, para cálculos mais precisos, deve-se fazer uso da seguinte fórmula:

Vale ressaltar que para vigas de forro (Q=0,5KN/m²) a fórmula passa a ser a seguinte:

Vigas com Balanço

De uma forma superficial, tem-se para o dimensionamento de vigas com balanço as seguintes equações (deve-se adotar o maior valor de “h”) :

e

No entanto, para um dimensionamento mais preciso, faz-se necessário considerar as seguintes variáveis: largura da seção transversal e intensidade do carregamento. Assim, para cálculos mais precisos, deve-se fazer uso da seguinte fórmula:

e

Vale ressaltar que para vigas de forro (Q=0,5KN/m²) a fórmula passa a ser a seguinte:

e

Anexo 1

VIGAS BIAPOIADAS

Q = 0,5 KN/m²

  • b = 12

  • b = 15

  • b = 20

  • b = 25

  • b = 30

  • b = 35

  • b = 40

Q = 2,0 KN/m²

  • b = 12

  • b = 15

  • b = 20

  • b = 25

  • b = 30

  • b = 35

  • b = 40

Q = 3,0 KN/m²

  • b = 12

  • b = 15

  • b = 20

  • b = 25

  • b = 30

  • b = 35

  • b = 40

Q = 4,0 KN/m²

  • b = 12

  • b = 15

  • b = 20

  • b = 25

  • b = 30

  • b = 35

  • b = 40

Q = 5,0 KN/m²

  • b = 12

  • b = 15

  • b = 20

  • b = 25

  • b = 30

  • b = 35

  • b = 40

Q = 6,0 KN/m²

  • b = 12

  • b = 15

  • b = 20

  • b = 25

  • b = 30

  • b = 35

  • b = 40

Q = 7,5 KN/m²

  • b = 12

  • b = 15

  • b = 20

  • b = 25

(Parte 1 de 3)

Comentários