Questões de Língua Portuguesa

Questões de Língua Portuguesa

(Parte 1 de 19)

Voltar IMPRIMIR

Língua Portuguesa - Interpretação de texto IIMPRIMIR

VoltarGABARITO Avançar

1.U. Católica de Brasília-DFAssinale V, para os itens verdadeiros, e F, para os falsos.

()A figura ao lado trata-se de uma charge, cujo tema versa sempre sobre algum acontecimento que já foi veiculado na mídia. Dessa forma a charge não é responsável por uma nova notícia, mas é uma releitura de uma notícia ou de um fato.

()Observando os elementos que compõe a charge, é correto afirmar que ela se refere a alguma notícia sobre aviação. Isso é comprovado pelos elementos icônicos, pois nenhum elemento verbal faz referência à aviação.

()O verbo ter, utilizado na fala do passageiro, poderia ser substituído pelo verbo haver, o que configuraria o uso do nível formal da linguagem.

()A opção de reserva de um lugar na caixa-preta, que em caso de sinistro com a aeronave, é um instrumento que pode ajudar a identificar as causas, é a responsável pelo humor na charge e, ao mesmo tempo, permite inferir que a charge foi feita depois de algum desastre aéreo.

()As palavras “algum”, “vago” e “caixa-preta” são respectivamente, adjetivo, advérbio, adjetivo e substantivo.

()Caixa-preta, sob o ponto de vista de sua estrutura, contém dois radicais, por isso, quanto ao processo de formação, é considerada uma palavra derivada.

2.Analise a charge que segue, publicada na revista Veja, de 07. jun. 2000.

A leitura da charge permite as seguintes afirmações:

()nos desenhos humorísticos, a caricatura é uma representação gráfica de uma pessoa ou situação que explora aspectos ridículos ou grotescos.

()a legenda, texto curto que, às vezes, acompanha o desenho, tem a finalidade de determinar para o leitor o sentido da charge.

()o cartunista interpreta uma idéia presente no imaginário do torcedor brasileiro: os técnicos de futebol, quando cometem erros, são chamados de burros.

()a frase “O técnico Wanderley Luxemburgo examina as condições do gramado” funciona de modo redundante, visto que repete o significado contido no desenho.

Língua Portuguesa - Interpretação de texto IIMPRIMIR

VoltarGABARITO Avançar

Folha Ilustrada. Folha de São Paulo, 14 de julho 2000, p. 34.

No texto do convite para ver a exposição de Guignard, no MASP, passa-se a idéia de que: a)ver Guignard é ter uma aula de como funciona o sistema nervoso humano; b)a emoção provocada pela arte nem sempre pode ser traduzida com palavras; c)a arte causa, no homem, uma sensação de leveza tal, que o adormece para a realidade; d)o sentimento gerado pela obra de arte lírica é constante e equilibrado em cada ser humano; e)o humanismo lírico de Guignard está na sua capacidade de associar a arte ao equilíbrio das sensações humanas.

4.UFPEObserve os quadrinhos abaixo e responda à questão.

Assinale a alternativa em que se faz um comentário inaceitável com relação aos quadrinhos de Ziraldo.

a)O menino tinha idéia clara acerca da finalidade apelativa do seu texto. b)Os termos do cartaz reproduzem a sintaxe típica desse gênero de texto. c)O menino demonstra inabilidade para ajustar-se às exigências de textos publicitários. d)As incorreções gramaticais do segundo quadro vão da ortografia à sintaxe. e)Os erros do cartaz constituíram uma estratégia para atrair possíveis consumidores.

O equilíbrio da pressão nas membranas celulares dos tecidos nervosos, sem variação nos níveis de sódio e potássio, provoca impulsos que vão do córtex cerebral até o sistema nervoso central, confirmando uma sensação agradável e sem grandes alterações. De tão relaxado, você pode até tirar um cochilo.

“O Humanismo Lírico de Guignard”. Um dos maiores pintores do modernismo brasileiro.

Em exposição até 13/8,das 1 às 18h.Av. P aulista, 1578

Informações: w

. zip.net/guignar

Ziraldo. O Menino Maluquinho.

Língua Portuguesa - Interpretação de texto IIMPRIMIR

VoltarGABARITO Avançar

5.Univali-SCA leitura dos quadrinhos abaixo remete-nos à seguinte conclusão:

Márcio Kühner a)Os ditados não estão sempre certos.d)Devemos rir dos nossos percalços.

b)Errar é fundamental para crescer.e)É preciso sempre acertar. c)Tirar o proveito de todas as situações.

6.PUC-RSInstrução: Responder às questões 2 e 3 com base no texto abaixo.

Considerando as atitudes e falas dos personagens, é correto concluir que:

a)a mãe já sabia que Calvin havia decidido não ir mais à escola, como se depreende da expressão “Sei”, no primeiro quadrinho; b)a mãe de Calvin, indecisa sobre o que fazer com o filho, viu-se obrigada a consultar o pai; c)Haroldo, o tigre presente no último quadrinho, demonstra apoio incondicional à atitude do menino, pelo fato de estar disposto a acompanhá-lo à escola; d)não havendo outra saída, foi necessário usar a força física para mandar Calvin à escola, como se depreende da expressão “esmagar”, do último quadrinho; e)as expressões “os pais” e “uma criança”, no último quadrinho, indicam que Calvin generalizou a conclusão a que chegou.

7.PUC-RSInstrução: Responder à questão 3 com base nas idéias abaixo, que completam a frase sublinhada.

Pela leitura da tira, é correto afirmar que Calvin:

1.Demonstra temer uma vida adulta em meio à poluição. 2.Usa sua fantasia para tentar convencer sua mãe do acerto de sua decisão. 3.Considera-se injustiçado pelos pais.

4.Conclui que seu projeto para o futuro foi rejeitado por ser ambicioso.

As idéias que complementam adequadamente a frase sublinhada, de acordo com o sentido da tira, estão na alternativa:

a) 1 e 2. b) 1, 2 e 3. c) 2 e 3. d) 2, 3 e 4. e) 3 e 4.

Língua Portuguesa - Interpretação de texto IIMPRIMIR

VoltarGABARITO Avançar

8.U.F. Goiânia-GOLeia as tiras do cartunista Angeli, publicadas no caderno Ilustrada, da

Folha de São Paulo, em 29. jul. 1999. Depois assinale V, para os itens verdadeiros, e F para os falsos.

Sansão e Dalila são personagens do universo gráfico de Angeli. Eles formam um casal sem charme, cujo cotidiano é retratado de forma ridícula pelo cartunista.

De acordo com os elementos que constituem as tiras acima:

()as expressões crak, flap e tuf! são consideradas onomatopéias, porque procuram representar, na escrita, sons naturais.

(Parte 1 de 19)

Comentários