(Parte 1 de 2)

Cuidados com drenos

Aline Carrilho Menezes 2º período

Finalidade

Algumas cirurgias exigem a necessidade da colocação de drenos para facilitar o esvaziamento do ar e líquidos (sangue, secreções) acumulados na cavidade.

Dreno pode ser definido como um objeto de forma variada, produzido em materiais diversos, cuja finalidade é manter a saída de líquido de uma cavidade para o exterior.

Finalidade

Em procedimentos cirúrgicos, drenar significa remover líquido e/ou secreções que se acumulam numa ferida, ou entre os tecidos, ou numa cavidade do organismo.

Pode-se realizar essa drenagem através de uma incisão, ou de uma seringa para aspiração, ou então, pela introdução de um dreno.

Todo o procedimento deve respeitar os princípios de assepsia.

Tipos mais comuns de drenos

Dreno torácico selo d’água (Sistema drenagem fechado)

Dreno Portovac (sanfona)

Dreno de penrose (Sistema drenagem aberto)

Dreno com reservatório de Jackson-Pratt (JP).

Portovac

É um sistema de drenagem fechado que utiliza de uma leve sucção (vácuo), apresentando um aspecto de sanfona.

Consiste em manter a pressão dentro para facilitar a drenagem.

É usada em cirurgias que se espera sangramento no pós-operatório, ou seja, secreção sanguinolenta.

Pode ser usado em cirurgias ortopédicas, neurológicas e oncológicas.

Contra-indicação

Não pode ser usado em cirurgias que a dura-mater não esteja totalmente fechada, ela aberta provoca dor, desconforto, e pode fazer sucção do LCR.

Risco de infecção

Fechar a ferida sem o dreno faz com o sangue se acumule entre os tecidos formando um hematoma, tornando meio de cultura.

Cuidados com o Portovac

Prazo de permanência: aproximadamente 48 horas.

Não tracionar

verificar drenagem (presença de coágulos)

Manipulação asséptica

Dreno JP

Drenos com reservatório JP, que funciona com pressão negativa e diferencia-se do anterior por possuir a forma de uma pêra.

Indicação: cirurgias abdominais.

Principal cuidado: manter vácuo (então culmina por alterar o volume drenado, podendo acumular o que provocaria dor, desconforto, alteração de sinais vitais e outras.

Dreno Penrose

Drenagem Sistema aberto.

Indicação :cirurgias com abscesso na cavidade, sendo exteriorizado por um orifício próximo à incisão cirúrgica.

Manipulação estéril: risco para infecção.

Dreno torácico Anatomia pulmonar

Dreno torácico Dreno torácico

Finalidade do dreno torácico

Na presença de colapso pulmonar, quando por perfuração devido trauma, ou cirurgia, presença de ar, pus ou sangue, faz-se necessária drenagem para reexpansão pulmonar e restauração da pressão negativa.

Cuidados com o dreno

A equipe deve observar e realizar algumas ações específicas para impedir a entrada de ar no sistema, pois causa atelectasia e compressão pulmonar, provocando dispnéia e desconforto respiratório.

Por isso, a importância do meso.

Cuidados com o dreno

Certificar se não há escape de ar;

Manter o frasco coletor abaixo do nível do tórax, principalmente durante a deambulação;

Evitar quebrar, caso ocorra, deve imediatamente pinçar com os dedos a extensão entre o dreno e o frasco o que impedirá um pneumotórax.

Cuidados com o dreno

O dreno deve ser mantido mergulhado em solução estéril (selo d’água) contida no frasco coletor, no qual deve ser colocada uma fita adesiva em seu exterior, para marcar o volume drenado (coloração, viscosidade, aspecto)

Observar a oscilação da coluna de líquido no interior do frasco,pois deve estar de acordo com os movimentos respiratórios.

(Parte 1 de 2)

Comentários