[Elementos de Automação] Aula 01 - Introdução

[Elementos de Automação] Aula 01 - Introdução

(Parte 1 de 3)

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Introdução

Automação Industrial é o uso de qualquer dispositivo mecânico ou eletro-eletrônico para controlar máquinas e processos.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Introdução

Entre os dispositivos eletro-eletrônicos podem-se utilizar computadores ou outros dispositivos lógicos como: CLP - Controlador Lógico

Programável ou CNC – Comando Numérico

Computadorizado, substituindo algumas tarefas da mão-de-obra humana e realizando outras que o humano não consegue realizar.

É um passo além da mecanização, onde operadores humanos são providos de maquinaria para auxiliá-los em seus trabalhos.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Aplicação

É largamente aplicada nas mais variadas áreas de produção industrial.

A Automação Industrial visa, principalmente, a produtividade, qualidade e segurança de um processo.

Uma contribuição adicional importante dos sistemas de Automação Industrial á a conexão do sistema de supervisão e controle com sistemas corporativos da administração das empresas.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Aplicação

Esta conectividade permite o compartilhamento de dados importantes da operação diária dos processos, contribuindo para uma maior agilidade do processo decisório e maior confiabilidade dos dados que suportam as decisões da empresa.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Conceitos Básicos

Um sistema automático pode ser dividido em dois blocos principais:

•os elementos de comando e •os atuadores.

Os atuadores são os componentes do sistema automático que que transformam a energia em trabalho.

Os elementos de comando são os componentes que formam o comando propriamente dito.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Conceitos Básicos 7

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Comando

O comando constitui um conjunto de componentes que recebe as informações de entrada, processa-as e envia-as como informações de saída.

Um comando pode ser realizado:

•em malha aberta, •em malha fechada.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Comando

Em malha aberta as variáveis de entrada fornecem informações para o comando que as processa, segundo sua construção interna e libera informações de saída para os elementos comandados (atuadores).

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Comando

Neste tipo de comando se ocorrer uma perturbação que altere o comportamento do sistema, este não teria como avaliar se a instrução foi executada corretamente.

O comando continuaria a enviar as informações de saída baseado somente nas informações de entrada.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Comando

No comando em malha fechada a variável controlada deve estar em torno de um valor previamente estabelecido.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Comando

Neste tipo, as informações de saída não dependem só da construção interna do comando mas também das informações vindas do elemento comandado as quais são comparadas com as informações de entrada e se for necessário é feita a correção.

Este tipo de comando é mais comum em controle de processos.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Sinais

Sinal pode ser definido como a representação de informações em forma de um valor ou uma curva de valores de uma grandeza física.

•Se a grandeza for a corrente elétrica teremos um sinal elétrico,

•se for a pressão de um fluido temos os sinais pneumáticos ou hidráulicos,

•se for a luminosidade teremos um sinal óptico e etc..

(Parte 1 de 3)

Comentários