apostila libras basico

apostila libras basico

(Parte 3 de 5)

Pronomes Pessoais

Na Língua Brasileira de Sinais também há uma forma de representar pessoas no discurso, ou seja, um sistema pronominal, para tanto se usa as seguintes configurações de mão.

Singular – Todas as representações têm a mesma configuração, mudando somente a orientação.

Plural – A configuração muda conforme o número de participantes, mudando também a orientação conforme a pessoa do discurso.

NÓSVÓS / VOCÊS ou EL@S

Pronomes Possessivos

Os pronomes possessivos em Libras estão relacionados às pessoas do discurso e aos objetos de posse, também não possuem marca de gênero. Mais uma vez a direção do olhar e da mão são importantíssimos.

ME@TE@ / SE@ - DEL@

VEJA NO DVD – “Pronomes em LIBRAS”

⇒ Note que a direção da mão e do olhar é determinante na significação do sinal.

⇒ Note que para sinalizar pronomes possessivos plurais usam-se os pronomes pessoais apropriados.

Sinais em Foco: Formas de Cumprimento / Identificação

VEJA NO DVD – Vocabulário Básico _ Tudo Bem? _ Bem!! _ Eu sou Ouvinte. _ Eu uso Libras.

Verbos em Libras: LEMBRAR / ESQUECER

Um amigo encontra outro que não via há muito tempo

Pratique o diálogo abaixo e veja o DVD:

B – HUMM!! NÃO LEMBRAR VC
A – U-B-I-R-A-J-A-R-A R-A T-A-N-T-AM-O-R-E-I-R-A
B – U-B-I-R-A-J-A-R-A R-AT-A-N-T-A M-O-R-E-I-R-A

VEJA NO DVD – “Bate-papo em Libras - 1”

Publicou o primeiro livro sobre surdos com o título

“ Reduccion de las letras y arte para ensenãr a hablar a los mudos”, onde apresenta a ilustração de alfabeto manual. Disponível em http://www.cervantesvirtual.com/portal/signos/index.html

ESTUDO DA LÍNGUA 3

Expressões Faciais ou Não-maunais

Observe as expressões faciais abaixo e dê significados para elas:

Expressões faciais são formas de comunicar algo, um sinal pode mudar completamente seu significado em função da expressão facial utilizada. Quadros e Pimenta (2006) explicam que existem dois tipos diferentes de expressões faciais: as afetivas e as gramaticais (lexicais e sentenciais).

As afetivas são as expressões ligadas a sentimentos / emoções. Veja os exemplos:

As expressões faciais gramaticais lexicais estão ligadas ao grau dos adjetivos:

E as expressões faciais gramaticais sentenciais estão ligadas às sentenças: INTERROGATIVAS

ATIVIDADE - 2 Qual a Expressão?

Cerrados

- sobrancelhas levantadas e boca aberta em A

- sobrancelhas abaixadas e dentes cerrados

- sobrancelhas levantadas, olhos arregalados e lábios cerrados

- olhos cerrados boca aberta

- testa franzida e boca torta para o lado

- boca em O, olhar de espanto

Visualize no DVD as expressões faciais que correspondam a uma das alternativas abaixo:

1 – DÚVIDA () MEDO ( ) RAIVA ( )
2 – ESPANTO () ADMIRAÇÃO ( ) ESTRANHEZA ( )
3 – ALEGRIA () SATISFAÇÃO ( ) PENSATIVO ( )
4 – TRISTEZA () DESANIMO ( ) ZANGADO ( )

SINALIZANDO: Quem? De Quem É? Quem É?

As expressões, QUEM – DE QUEM É – QUEM É, são feitas com a mesma configuração de mão, a principal diferenciação você irá perceber no contexto, na expressão facial e no sinal auxiliar.

VEJA NO DVD – Quem? / De Quem É? / Quem É?

ATIVIDADE 3 NO DVD – Reconhecendo as Expressões

Sinais em Foco: Pessoas, objetos e animais.

VOCÊ SABIA

Escrita de Sinais – SIGN WRITING

Os primeiros estudos brasileiros sobre a escrita da Língua de Sinais, mais precisamente sobre o Sign Writing8, tiveram início com o Dr. Antônio Carlos da Rocha Costa, Marianne Stumpf (Surda) e a Professora Márcia Borba, na Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio Grande do Sul, em 1996.9

Segundo Costa (COSTA et. al., 2004), William C. Stokoe foi o primeiro lingüista a realizar um estudo sistemático das línguas de sinais nos Estados Unidos, iniciando inclusive a escrita dessas línguas. O mesmo informa que:

O Sign Writing é um sistema de escrita com características gráfico-esquemáticas, que permite uma representação de textos de línguas de sinais através de uma forma intuitiva e de fácil compreensão. O sistema é constituído de um conjunto de símbolos e um conjunto de regras de escrita, definidos para representar os diversos aspectos fonético-fonológicos das línguas de sinais. Desse modo, o Sign Writing apresenta a feição de um sistema de escrita fonética para línguas de sinais, mas plenamente apto a suportar a delimitação de um subsistema de escrita de línguas de sinais que tenha características estritamente fonológicas. (COSTA et. al., 2004:pág.254).

Quadros (2004) em seu artigo, “Um capítulo da história do Sign

Writing”, relata que o Sign Writing teve origem num sistema para escrever passos de dança, que acabou despertando o interesse de pesquisadores da Língua de Sinais dinamarquesa que estavam procurando uma forma de escrever os sinais. A autora nos diz também que

Em 1974, a Universidade de Copenhagen solicitou a Sutton que registrasse os sinais gravados em vídeo cassete. As primeiras formas foram inspiradas no sistema escrito de danças. A década de 70 caracterizou um período de transição de Dancewriting para Sign Writing, isto é, da escrita de danças para a escrita de sinais das línguas de sinais. (QUADROS, 2004, disponível em: http://www.signwriting.org/library/history/hist010.html).

8Escrita criada em 1974 por Valerie Sutton, dançarina.

9QUADROS, 2004. Um capítulo da história do Sign Writing. Disponível em: http://www.signwriting.org/library/history/hist010.html.

A escrita de sinais de Valerie Sutton é um sistema de representação gráfica das línguas de sinais que permite, através de símbolos visuais, representar as configurações das mãos, seus movimentos, as expressões faciais e os deslocamentos corporais.

O Sign Writing possui um alfabeto que pode ser comparado com o alfabeto usado para escrever a Língua Portuguesa, a Inglesa, a Espanhola, a Francesa, etc. Dessa mesma forma, os símbolos do alfabeto Sign Writing também podem ser utilizados para escrever diferentes línguas de sinais. Atualmente, o Sign Writing se encontra em uso em vários países, como Dinamarca, Irlanda, Itália, México, Nicarágua, Holanda, Espanha, Inglaterra, Estados Unidos e em fase de pesquisa no Brasil. (CAPOVILLA, 2002).

Um exemplo deste modo de transcrever a língua de sinais para o papel é o seguinte:

Configuração de mão

(Parte 3 de 5)

Comentários