Anatomia Atlas digestivo

Anatomia Atlas digestivo

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. Sistema Digestivo

Iniciaremos o estudo do sistema digestivo pela BOCA que ocupa a porção mais inferior da face estando dividida em vestíbulo e cavidade bucal propriamente dita. O vestíbulo está limitado anteriormente pelos lábios, lateralmente pelas bochechas e póstero-medialmente pelos dentes e gengivas. Os lábios estão separados pela rima oral e unidos nas extremidades pelas comissuras labiais. A cavidade bucal está limitada antero-lateralmente pelas arcadas dentárias, superiormente pelo palato duro, inferiormente pelo soalho da boca e posteriormente pelo palato mole que é fibro-muscular. Observando a boca aberta numa vista anterior, identificamos o palato duro formado pelos processos palatinos da maxila e laminas horizontais do osso palatino. O palato mole tem uma projeção mediana, a úvula palatina de onde partem dois arcos, um em direção à base da língua que é o arco palato-glosso ou pilar anterior e outro, em direção a faringe, arco palatofaríngeo ou pilar posterior. Identifique a tonsila palatina entre os dois pilares.

A língua é um órgão muscular localizada no soalho da boca onde devemos identificar as faces: dorsal e ventral e as margens direita e esquerda além do ápice. O sulco terminal, em forma de V, divide a língua em uma porção posterior denominada raiz e uma porção anterior que corresponde ao dorso, no vértice deste sulco encontramos o forame cego. As tonsilas linguais formadas por nódulos linfóides agrupados, se localizam porção posterior do dorso da língua. As papilas linguais, na região anterior, podem ser de quatro tipos: papilas valadas anteriormente ao sulco terminal; papilas fungiformes, no dorso e margens da língua,; filiformes, distribuídas pelo dorso e folheadas, nas margens da língua. Na face ventral identificaremos uma prega mediana que é o freio da língua. Identificar os dentes implantados nos alvéolos dentários dos maxilares e da mandíbula e as gengivas que são estruturas muco periósticas.

A faringe se localiza posteriormente as fossas nasais, boca e laringe, dividindo-se em três porções: Naso-faringe – onde identificaremos: óstio faríngeo da tuba auditiva, tórus tubário, pregas: salpingo-nasal, salpingo-palatina e salpingofaríngea, tonsilas faríngeas, recesso faríngeo e suas comunicações: com as fossas nasais através das coanas, com a oro- faringe pelo istmo faríngeo e com a orelha média por meio da tuba auditiva. No Oro-faringe - encontramos: arco palatoglosso, arco palato-faríngeo, fossa tonsilar, tonsila palatina, pregas glosso-epiglóticas mediana e laterais e as valéculas glossoepiglóticas. Comunica-se com a cavidade bucal através do istmo das fauces e inferiormente com a laringo-faringe. Na Laringo-faringe - identificamos os recessos piriformes. A laringo-faringe comunica-se com a laringe através do ádito e inferiormente vai se comunicar com o esôfago.

O esôfago se comunica com o estômago através do óstio cárdia. Lembrar dos estreitamentos cricóideo, aórtico-brônquico, diafragmático e cárdico. ESTÔMAGO: Comunica-se superiormente com o esôfago e inferiormente com o duodeno através do piloro. Identificaremos a borda lateral, grande curvatura, de onde parte o omento maior e a borda medial que é a pequena curvatura onde identificamos o omento menor (ligamento gastro-hepático). É dividido em fundo, corpo e antro. INTESTINO DELGADO: É dividido em duas porções: duodeno e jejuno-íleo. O duodeno com a forma da letra C apresenta quatro porções: primeira ou superior, segunda ou descendente, terceira ou horizontal e quarta ou ascendente. Em sua porção descendente identificaremos a papila duodenal maior onde desembocam o duto colédoco e o duto pancreático principal, e dois cm acima a papila duodenal menor onde desemboca o duto pancreático acessório. Internamente identificamos inúmeras pregas em sua mucosa denominada transversas. O Jejuno-íleo, continuação do duodeno estende-se até a junção íleo cecal. Devemos identificar as alças intestinais e o mesentério que é uma expansão de peritônio que vai fixar e nutrir o jenuno-íleo, com suas pregas circulares. INTESTINO GROSSO: Inicia-se na junção íleo-cecal indo até o orifício anal, apresenta características como: apêndices omentais ou epiplóicos que são glóbulos de gordura revestidos por peritônio, haustros ou bosseladuras que são dilatações saculiformes em todo seu trajeto e tênias que são fitas musculares em número de três que percorrem o intestino grosso no sentido longitudinal. Divide-se em: ceco, colo ascendente, colo transverso, colo descendente, colo sigmóide, e Reto. No ceco identificamos o apêndice cecal que está fixado pelo mesenteríolo. No interior do ceco encontramos o óstio íleo-cecal contornado pela valva que é formada por duas válvulas uma superior e outra inferior. O mesocolo é responsável pela sua fixação e nutrição, suas pregas são semicirculares sendo no reto as colunas retais e entre elas os seios retais.

FÍGADO: apresenta uma face antero-superior ou diafragmática e outra póstero-inferior ou visceral. Os lobos hepáticos são: direito, esquerdo, quadrado e caudado. Na sua face visceral podemos identificar: veia cava inferior, vesícula biliar alojada na fossa cística e o pedículo: duto hepático comum, veia porta e artéria hepática. Os ligamentos são: Ligamento Falciforme entre os lobos direito e esquerdo (face diafragmática), Ligamento Venoso, Ligamento Redondo - na porção inferior da fissura longitudinal, ligamento Coronário, ligamentos Triangulares, direito e esquerdo, nas extremidades do ligamento coronário. As vias biliares representadas pelo duto hepático direito e esquerdo que se unem para formar o duto hepático comum que vai se unir ao duto cístico proveniente da vesícula biliar para dar origem a um único duto que é o colédoco. Devemos identificar a vesícula biliar. PÂNCREAS: é contornado pelo duodeno, divide-se em cabeça, corpo e cauda. Identificar duto pancreático principal duto pancreático acessório. GLÂNDULAS SALIVARES: Parótida, Submandibular e Sublingual.

Comentários