Manual de sobrevivencia do INTERNO MEDICINA

Manual de sobrevivencia do INTERNO MEDICINA

(Parte 4 de 4)

IMPORTANTE: A maioria das drogas em BIC desse manual estão pré-calculadas para um “paciente padrão” de 60kg.

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 43 -

Kit’s do Paciente com Imobilidade (2 Kit’s)

Kit 1: Kit Básico do Paciente com Imobilidade

1-Kit Paciente Grave 2-Mudança de decúbito 2/2h 3-Cabeceira elevada 4-Colchão caixa de ovo ou elétrico inflável 5-Óleo hidratante (Dersani® ou Renoderm® ou Óleo de Girassol) após o banho ou a critério da enfermagem (ACE) 6-Liquemine® (Heparina Não Fracionada) 0,25ml (5.000U) SC 12/12h ou Heptron® (Heparina Baixo Peso) 0,2ml (20mg) SC 24/24h 7-Fisioterapia motora

Kit 2: Kit Avançado do Paciente com Imobilidade

Se úlcera: 8- Trocar curativo diariamente 9- Avaliação da Cirurgia Plástica

Se necrose: 10- Debridar ferida 1- Papaína tópica 6–10%

Kit Exames Básicos na Urgência

(Para interpretação, ver Kit Exames Complementares) 1-Hemograma completo 2-Íons: sódio (Na+), potássio (K+) 3-Função renal: uréia (UR), creatinina (CR) 4-Glicemia 5-Gasometria arterial 6-ECG (se >40 anos) 7-Radiografia Tórax (se Intubação ou Sonda)

O pulo do gato

Dica: os exames acima não são obrigatórios, são apenas uma sugestão para o “paciente grave”. Pedir sempre exames baseados na história e nos achados clínicos e na individualidade de cada caso (Ex: TCE: Tomografia; Trauma: Rx etc).

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 4 -

Kit’s Atendimento Inicial ao

Politraumatizado – ABCD do Trauma (3 Kit’s)

Kit 1: Kit Primário Atendimento Inicial ao

Politraumatizado

A- Via aérea com controle cervical (2A)

O pulo do gato

Dica para memorizar: vias Aéreas pérveas e Amarrar pescoço com colar cervical Sempre imobilizar coluna com colar cervical, se suspeita de trauma ou história desconhecida.

O pulo do gato

Tamanho ideal do colar: calculando-se distância entre linha dos ombros onde o colar ficará apoiado e base do queixo.

É bomba

Colar pequeno: imobilização insuficiente; Colar grande: hiperextensão cervical

B- Boa respiração e Bom pulmão Boa respiração: 1- Ver, ouvir, sentir

Bom pulmão: 2- Inspeção, Percussão, Ausculta do Tórax

3- Revisar A

C- Circulação (3C) 1- Cor (Cianose) 2- Pulso olhar os 2 (“Cimetria ”- Simetria ) 3- Perfusão (Enchimento Capilar)

Se trauma, observar (2C): 1- Estabilidade da Bacia (Comprimir Bacia) 2- Sangramentos (Controlar Sangrametos)

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 45 -

O pulo do gato

Se sangramento periférico, o que fazer: 1º- Compressão 2º- Se a 1ª medida não funcionar: Elevar membro 3º- Se a 2ª medida não funcionar: Realizar Digito-Pressão do pulso arterial proximal a lesão 4º- Se a 3ª medida não funcionar: Torniquete 5º- Se 4ª medida não funcionar: Camplar artéria proximal com pinça hemostática

4- Revisar A e B

D- Déficit Neurológico (3D) 1º D- Dilatação Pupilas) 2º D- Dominar Glasgow, M6 V5 O4

O pulo do gato Escala de Coma de Glasgow

3ºD- Déficit Neurológico Focal (Ex.: descerebrando de um lado, e localizando do outro)

4- Revisar A , B e C

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 46 -

O pulo do gato

Avaliação Rápida das Pupillas: Pupilas Puntiformes: Provável Lesão na Ponte (Pra lembrar: “Ponteformes”) Pupilas Mediofixas: Provável Lesão no Mesencéfalo Pupilas Anisocoria: Provável Hernião de Uncus (Gravíssimo)* Midríase Fixa: Provável Morte Encefálica (Avaliar protocolo específico)

* = Lembrar que +- 5% da população tem anisocoria “fisiológica”

E- Exposição e Evitar Hipotermia 1-Cortar calça (corte reto ao longo dos mi) 2-Cortar camisa em T 3-Aquecer paciente 4-Revisar A , B , C e D

Kit 2: Kit Secundário de Atendimento ao

Politraumatizado

1-PA 2-FC 3-2 acessos venosos calibrosos (gelco 14 ou 16) 4-História mais completa possível 5-Exame Físico Completo 6-Exames Complementares (Ver: “Kit Exames de Rotina no Trauma”)

Kit 3: Kit Exames de Rotina no Trauma

1-Rx Coluna Cervical 2-Rx Tórax 3-Rx Bacia 4-Outros exames conforme indicação específica

Kit Intubação Rápida (4 etapas)

1ª Etapa: Pré-Drogas:

Providenciar Laringoscópio Lâmina 3 ou 4(adulto) Testar lâmpada laringo Providenciar Tubo 8,5 (♂); 8(♀, ♂pequeno), 9(adulto grande) com fio guia Providenciar seringa 10ml Testar o Balonete do Tubo Providenciar Respirador Mecânico

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 47 -

2ª Etapa: Drogas na Intubação (F3, D3, Q6)

1- Fentanest® (Fentanil) 50mcg/ml 3ml IV 2-Dormonid® (Midazolan) (5mg/ml) 3ml / SF0,9% 10ml IV OU

Quelicin 500mg / ABD 10ml – Separar 2ml / ABD 8ml: Fazer 1ml

Se suspeita de TCE: Hypnomidate® (Etomidato) (2mg/ml) 10ml IV 3-Quelicin® (Succinicolina) 5ml / ABD 10ml: Fazer 1ml IV para cada 10Kg (Máx 10ml) OU IV para cada 10Kg (Máx 10ml) Ex: Paciente 60kg: 6ml Quelicin

3ªEtapa: Pós-Drogas

1-Esperar fascicular 2- Aspirar 3- Entrar com o Laringo da Dir para Esq empurando a língua 4- Quando visualizar a epiglote, posicionar a ponta do Laringo na valécula 5- Movimento de anteriorização (nunca báscula) 6- Visualisar cordas vocais (Ver Figuras em anexo) 7- Fazer manobra de compressão da Cricoide BURP(Back, Up, Right Press), para melhorar visualização e evitar aspiração por refluxo (Ver Figura) 8- Introduzir o Tubo

O pulo do gato

Escala de Dificuldade na Intubação pela Laringoscopia (Comark):

Visualiza Glote / Cordas-vocais - Comark 1 Visualiza parte inferior da glote – Comark 2 Visualiza epiglote – Comark 3 Não visualiza nada – Comark 4

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 48 -

O pulo do gato

As manobras de BURP ou de Sellick podem auxiliar na visualização, diminuindo a dificuldade (normalmente cai 1 na escala) Ex: Sem manobra: Comark 2; Pós-manobra: Comark 1. Se Comark 4, intubação as cegas ou crico

4ª Etapa: Pós-passagem do Tubo:

1-Insuflar Balonete (±10ml) 2- Auscultar estômago, Base tórax E e D e Ápice E e D 3- Se ausculta OK: Fixar o tubo (nº 2 nos incisivos centrais superiores). Se seletivo: tracionar o tubo em 2cm 4- Conectar tubo ao respirador 5- Iniciar sedação contínua SN

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 49 -

Kit Ventilação Mecânica

Parâmetros Básicos do Respirador para Adulto Médio 1-Modo: PCV (Ventilação por Pressão) 2-Pep: 5 (Pressão na expiração – mantém alvéolos abertos) 3-Pressão na Inspiração 12 4-FiO2: 1 ou 100% (Fração de O2 inspirada; Ar ambiente = 21% ou 0,21)

Inicia-se com 100% e depois regula-se conforme saturação 5-Freqüência Mandatória: 12-14 (Freqüência Respiratória) 6-Relação Insp / Expiração 1:3 7-Sensibilidade: 2-3 (Determina quando o respirador “vai entrar”; Quanto < o Nº, > a sensibilidade. Ex: 2 é + sensível que 3)

O pulo do gato

Ventilação no DPOC 1-Modo: Volume 400-600ml ou 6-10 ml/Kg (DPOC tem > resistência a Pressão) 2-Relação Ins/Ex 1:4 3-Usar PEP de 8 4-Freqüência Mandatória: 6 – 10

O pulo do gato

--Dayson Henrick Salvino---dayson@hotmail.com

--Vademecum do Interno de Medicina-- - 50 -

É bomba

SARA (Sd da angústia respiratória aguda) X LPA (Lesão pulmonar aguda) (1, 2 e 3 comum as duas entidades) 1-Início abrupto 2- Infiltrado bilateral ao Rx tórax 3- Ausência insuf. VE 4- Hipoxemia 4.1-LPA: PaO2 / FiO2 < 300 4.2-SARA: PaO2 / FiO2 < 200 4.3-SARA Grave: PaO2 / FiO2 <100

O pulo do gato

Ventilação Mecânica na SARA 1-Modo: Assistido Controlado Volume 300-360ml ou 5 - 6 ml/Kg 2- Pressão de Platô < 30 - 35 3- Manter FiO2 adequada (PaO2 > 60) 4- Usar PEP mín de 8

(Parte 4 de 4)

Comentários