Sumário

1.1 Introdução3
1.2 Revisão de Literatura3
1.3 Problema5
1.4 Hipótese5
1.5 Objetivo6
1.6 Justificativa6
1.7 Metodologia7
1.8 Referência Bibliográfica7

1 Lixo Eletrônico 3 1

1.1 Lixo Eletrônico4
1.2 Componentes de computador6

Lista de Figuras 2

Capítulo 1 Lixo Eletrônico

1.1 Introdução

Quando falamos em lixo eletrônico, a primeira coisa que vem à mente são aqueles incômodos spams que ocupam espaço na caixa do email, trazendo vírus e corrompendo o seu sistema operacional. Porém, não é deste lixo que estamos nos referindo. Os resíduos eletrônicos, também denominados de e-lixo (e-waste em inglês), são artigos eletrônicos que são considerados obsoletos pelos seus usuários, como computadores, celulares, notebook, câmeras digitais, MP3 player, entre outros, e por isso são descartados pelo seus proprietários. São considerados lixos eletrônicos tudo o que é proveniente de equipamentos eletroeletrônicos, incluindo televisores, telemóveis, geladeiras e outros dispositivos. “Com a rápida modernização das tecnologias, os aparelhos tornam-se ultrapassados em uma velocidade assustadora. No Brasil, por exemplo, o tempo médio de uso de um celular é inferior a 2 anos, de um computador são 4 anos nas empresas e 5 nas residências.”([1]) A vida moderna está mais veloz, e as novidades que antes demoravam anos para chegar ao Brasil, atualmente podem ser conhecidas em tempo real. Os lançamentos são mundiais e cada vez mais há novos produtos sendo oferecidos no mercado.

Quando o equipamento eletroeletrônico é trocado, se não for dada a destinação correta a esse equipamento, ele poderá prejudicar o meio ambiente, já que são compostos de materiais nocivos a saúde humana e ao meio ambiente. Muito dos materiais utilizados no computador devem ser retirados da natureza, iniciando já na extração o impacto sobre o meio ambiente. O que nos leva a umas das grandes perguntas do mundo atual, qual a destinação correta a dar a esse lixo eletrônico, o que fazer com ele, como evitar que lagos, lençois freáticos e seres humanos sejam contaminados pelo material nocivo de que é composto todo equipamento eletrônico atual? Portanto, faz-se com que seja cada vez mais necessário trabalhar com a reciclagem. Cada computador utiliza materiais diversos que podem ser reciclados. No entanto, é importante fazer uma triagem daquilo que ainda funciona no equipamento eletrônico, no caso de um computador, por exemplo, além de separar os diferentes tipos de cabos, plásticos e metais, entre outros elementos que compõem um computador. As placas, por exemplo, têm diferentes quantidades de metais (por exemplo, ouro), o que torna seu valor de mercado variável. Já os cabos podem conter cobre, zinco, alumínio e até vidro, dependendo da função para a qual foram fabricados.

1.2 Revisão de Literatura

Muitas trágedias tem acontecido recentemente devido as mudanças bruscas no clima, como furacões, terremotos, enchentes, chuvas torrencias em um lugar e seca e outras regiões, esse tipo de intempérie climática sempre aconteceu, mas não com tanta frequência como ultimamente, o homem tem interferido de forma negativa no clima, poluindo o meio ambiente, abrindo buracos na camada de ozônio. Para produzir os bens de consumo, as indústrias precisam executar pro-

Figura 1.1: Lixo Eletrônico cessos que poluem a atmosfera, causando o tão falado recentemente aquecimento global, apesar das discussões em seu entorno, se realmente está acontecendo ou não, uma coisa ninguém pode negar, as tragédias ambientais que vem acontecendo nesses últimos anos, não são coincidência, são causadas pela intensa produção de bens de consumo. “Os efeitos do aquecimento global está cada vez mais presente em nosso cotidiano. Aos poucos, vai se deixando de lado a velha máxima de que o Brasil é um país abençoado por Deus e bonito por natureza, imune as intempéries. A ventania que sacudiu a zona Sul de São Paulo na primeira semana de abril é um prenúncio do que pode ocorrer nos próximos anos. Um alerta para que as pessoas comecem a despertar para a necessidade da preservação ambiental. Se o forte calor já vinha incomodando os moradores do Sudeste, agora há o perigo iminente de chuvas torrenciais acompanhadas de ventanias destruidores que somente acompanhávamos pelas imagens exibidas no noticiário internacional dos meios de comunicação.”[2] Essas destruição do meio ambiente, tem como base o consumismo, as pessoas e empresas só visam o lucro, a custa de questões humanas e ambientais, não importando a quem fere ou o que fere, importa apenas se o negócio vai gerar o lucro esperado, com esse ponto de vista, somos levados a crer que empresas de eletrônicos, constroem equipamentos não tão duravéis como poderiam ser, isso para que quando esse equipamento não funcionar mais, o consumidor seja induzido a comprar outro equipamento, aumentando o lucro da empresa, esse mesmo fenômeno pode ser notado com o constante lançamento de novas tecnologias e aparelhos, tornando os já existente obsoletos, aumentando assim o lixo eletrônico e contaminando o meio ambiente. “Nos últimos anos, as indústrias de eletroeletrônicos de todo o mundo têm incentivado e se beneficiado do frenesi de consumo desse tipo de equipamento. Em consequência dessa política, a produção desses equipamentos teve um crescimento vertiginoso na última década. Atrelada ao consumo e produção desses bens está a geração de resíduos advindos do descarte de equipamentos antigos. Muitos equipamentos são descartados apenas por estarem desatualizados e não atenderem mais aos “anseios” de seus usuários e não por apresentarem algum defeito ou dano que prejudique o seu funcionamento. Assim, quanto mais se produz menor se torna o ciclo de vida desses produtos. ”[3].

Com o crescimento populacional, a quantidade de lixo produzido tambem tem aumentado.

degradavel, está os eletronicos que “descartados de forma incorreta representam o tipo de

A decomposiçao é uma forma de controlar o lixo urbano, porem grande parte desse lixo não é biodegradavel, portanto, não se decompoe causando a poluiçao. Dentre esse lixo não bioresíduo sólido que mais cresce no mundo, um dos problemas dessa variação de resíduos está nas substâncias tóxicas não biodegradáveis em sua composição. O lixo eletrônico é um problema de responsabilidade das empresas, do governo, da sociedade e das instituições de ensino em seus diversos segmentos, que devem assumir o compromisso quanto ao ciclo completo desses equipamentos (BEIRIZ, 2005).”[4] Resíduos eletroeletrônicos possuem grandes quantidades de metais pesados, que destinados de forma incorreta podem acarretar diversos e graves problemas ambientais, além de causar danos à saúde da população. Computadores se tornam obsoletos, segundo lógica comercial a cada dois anos. Máquinas são trocadas, equipamentos de impressão e conexão, cabos, infra-estruturas de rede, entre outros materiais, são descartados (SILVA & OLIVEIRA, 2007, p.6). [4] A problemática ambiental gerada pelo gerenciamento inadequado de resíduos m geral é de difícil solução. A maior parte das cidades brasileiras apresenta um serviço de coleta que não prevê asegregação dos resíduos, pois é comum ser observado hábitos de disposição final inadequados. Materiais sem utilidade amontoados indiscriminadamente e muitas vezes em locais indevidos como lotes baldios, margens de estradas, fundos de vale e margens de lagos e rios (MUCELIN & BELLINI, 2008, p.113).[4] As instituições de ensino tem como função a formação de crianças, jovens e adultos, sendo responsável por perpetuar e desenvolver a cultura desempenhando um papel distinto na sociedade, diante disso torna-se um ambiente propicio para discutir as questoes ambientais considerando a responsabilidade ambiental, ou seja disseminar a educaçao ambiental, imprescindível a toda população. “Entende-se por educação ambiental a disseminação de informações sobre o meio ambiente e a importância de preservá-lo, ao passo que, o ser humano entenda sua relação de causa e consequência com a natureza e se conscientize de que ao destruí-la estará destruindo a sua própria existência. Resumindo, nada mais é do que a metodologia utilizada pela sociedade para a construção de valores, conhecimentos e atitudes voltadas para a sustentabilidade ambiental e, consequentemente, para a melhoria na qualidade de vida. A importância da educação ambiental dá-se em vários processos, sendo essencial nos primeiros anos escolares, uma vez que as crianças já crescerão com a devida consciência e, desse modo, as novas gerações não depredarão os recursos oferecidos”([6]).

O Lixo eletrônico é um grande problema da sociedade atual, com o advento de tecnologias cada vez mais impressionante, de produtos cada vez mais equipados com utilidades nunca antes pensadas (há alguns anos era imaginável entrar na internet pela televisão, e isso já existe hoje em dia), surge uma importante questão, onde descartar esses equipamentos depois que estes não servem mais para uso ou estão obsoletos? No lugar apropriado, seria a melhor opção, mas não é o acontece, o lixo eletrônico é descartado juntamente com o lixo convencional, causando intensos danos ao meio ambiente, devido ao alto grau de produtos nocivos a saúde presentes em todos equipamentos eletrônicos. “O contato com as substâncias tóxicas presentes no e-lixo pode provocar inúmeros problemas. O chumbo, por exemplo, causa danos ao sistema nervoso e sanguíneo; o mercúrio além de causar danos cerebrais, compromete o sistema epático; o cádmio causa envenenamento, danos aos ossos, rins, pulmões e também afeta o sistema nervoso; o berílio causa câncer de pulmão; o arsênio cause doenças na pele, problemas no sistema nervoso central e diversos tipos de câncer (FAVERA, 2008).

Além de todos os problemas ambientais causados pela disposição incorreta de resíduos eletrônicos e dos graves danos a saúde humana, a indústria de eletroeletrônicos também consome inúmero recursos naturais, principalmente de fonte não renováveis como os combustíveis fósseis. O processo de fabricação de um computador, por exemplo, consome cerca de 240 kg de combustível, 2 kg de produtos químicos e 1,5 t de água (Relatório da ONU, 2009).”[3]

1.3 Problema Lixo eletrônico: o que fazer após o término da vida útil dos seus aparelhos?

1.4 Hipótese

As soluções para o problema do lixo eletrônico são duas: reciclagem e reutilização, para que aconteça qualquer uma das duas, é necessário primeiro a separação do lixo eletrônico do lixo convencional, depois de separado, ai sim dá a correta destinação. Uma boa proposta de solução seria a criação de pontos específicos para o recolhimento do lixo eletrônico.

1.5 Objetivo

Estudar a destinação do lixo eletrônico no Brasil e apresentar um proposta de destinação adequada a este lixo.

Específicos - Apontar possibilidades para minimizar a contaminação do meio ambiente não seja afetada pelo desperdício do ser humano. - Contribuir com a formação de cidadãos mais comprometidos com as questões ambientais.

1.6 Justificativa

O lixo eletrônico é um grande problema no mundo e se agrava em países em desenvolvimento, pois um equipamento eletrônico é feito com muito material nocivos ao meio ambiente e a saúde humama, por exemplo, um computador mediano é feito de elementos básicos, conhecidos de todos, como plásticos e metais, mas também de componentes extremamente danosos à saúde, como chumbo, cádmio, belírio, mercúrio.

O mercúrio, muito utilizado em computadores, monitores e TVs de tela plana, pode causar danos cerebrais e ao fígado. Já o chumbo, o componente mais usado em computadores, além de televisores e celulares pode causar náuseas, perda de coordenação e memória. Em casos mais graves, pode levar ao coma e, consequentemente, à morte.

Até produtos utilizados apenas para a prevenção de incêndios pelo computador, como o BRT, pode causar disfunções hormonais, reprodutivas e nervosas.

Figura 1.2: Componentes de computador

A partir do momento em que estes elementos tóxicos são enviados para lixões e contaminam tanto o solo como a água, todos aqueles que se utilizam dessas fontes será contaminado pelos detritos.

Não existe um computador sem produtos nocivos à saúde e somente o processo de retirada dos produtos da natureza já atinge o meio ambiente, seja por causa do transporte, do uso de água para a fabricação de componentes, etc.

A organização não governamental Greenpeace estima de 20 a 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico são geradas no mundo a cada ano. Ainda de acordo com a ONG, o chamado e-lixo (e-waste, em inglês) responde hoje por 5% de todo o lixo sólido do mundo, quantia similar à das embalagens plásticas. Com a diferença de que, quando descartados de maneira inadequada, os eletrônicos podem ser mais nocivos.

Esses equipamentos contêm centenas de diferentes materiais – um celular, exemplifica o Greenpeace, tem de 500 a 1 mil componentes diferentes. Na composição de muitos deles há metais pesados, como mercúrio, cádmio e chumbo, que podem poluir o ambiente e prejudicar a saúde das pessoas. Para ficar longe do problema, muitos países ricos exportam seu lixo eletrônico para nações pobres.(referencia). Portanto, se a reciclagem prevenir qualquer uma das etapas da fabricação ou a contaminação do solo e da água, já é um ganho para a natureza.

1.7 Metodologia

Levantamento bibliográfico em artigos, sites, evento cientifico em meio eletrônico e resoluções descritivas sobre a gestão ambiental de resíduos eletrônicos.

O levantamento bibliográfico foi subsidio para descrição dos impactos ambientais causados pelo destinação inadequada do lixo eletrônico, e a busca de soluções existentes no Brasil para o problema do lixo eletrônico.

Foram verificados por meio da literatura especializada, que a destinação inadequada deste lixo podem causar prejuízos para saúde humana e poluir o meio ambiente quando descartados em lugares inadequados.

1.8 Referência Bibliográfica

[2] ALMEIDA, S. Meio ambiente, ação e reação. Portal EcoTerra Brasil. Disponível em <http://w.ecoterrabrasil.com.br/home/index.php?pg=temas&tipo=temas&cd=1637>. Acesso em: 15 nov. 2011.

[3] DISTRITO FEDERAL. Universidade de Brasília. Instituto de Química. In:_.

O Lixo eletrônica na universidade de Brasília: Um estudo exploratório. Brasília, 2010. Disponível em <http://bdm.bce.unb.br/handle/10483/1841>. Acesso em: 15 nov. 2011.

[4] OLIVEIRA, S. Lixo eletrônico: Um Estudo de responsabilidade ambiental no contexto do

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Amazonas-IF-AM Campus Manaus Centro. In: I SENEPT: SEMINÁRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA. 2010, Manaus. Disponível em <http://w.senept.cefetmg.br/galerias/Anais_2010/Posteres/GT06 Acesso: 15 nov. 2011.

[5] TEIXEIRA, A, C. Meio ambiente, consumo e lixo eletrônico: antes que a Terra vire uma “emundície”. Portal TerraGaia. Disponivel em <http://terragaia.wordpress.com/2011/06/05/meioambiente-consumo-e-lixo-eletronico-antes-que-a-terra-vire-uma-%E2%80%9Ce-mundicie%E2%80%9D/>.

[6] BATISTA, G. A Importância da Educação Ambiental e da Sustentabilidade. AtitudesSustentaveis. Disponivel em <http://w.atitudessustentaveis.com.br/conscientizacao/aimportancia-da-educacao-ambiental-e-da-sustentabilidade/> Acesso em: 15 nov. 2011.

Comentários