PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

(Parte 1 de 3)

SÃO LUÍS 2011

Esta apresentação objetiva despertar e explicar ao espectador e leitor como se dá o processo do

Planejamento Estratégico e a sua verdadeira essência, através do seu processo evolutivo bem como da utilização de ferramentas que ajudarão as organizações na criação de estratégias e orientarão a tomada de decisão.

1 – INTRODUÇÃO

2 – PROCESSO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

3 – ELABORAÇÃO

4 – IMPLEMENTAÇÃO

5 – CONTROLE

6 – ESTUDO DE CASO

7 – VANTAGENS DE DESVANTEGENS

8 – DISCUSSÕES IMPORTANTES SOBRE ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

9 – COMENTÁRIOS DE ESPECIALISTAS

10 – VÍDEO SOBRE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

1 – CONSIDERAÇÕES FINAIS

12 – FRASES PARA REFLEXÃO 13 – BIBLIOGRAFIA

1 - INTRODUÇÃO: Evolução Histórica

O homem está em constante busca de novas invenções e mudanças. O termo estratégia tem origem militar.

O planejamento estratégico nas antigas

civilizações. A obra “O Príncipe”, de Maquiavel, publicada em 1532. A Revolução Industrial do século XVIII.

A planejamento a longo prazo idealizado em 1950 e o planejamento estratégico em meados dos anos 60.

Surge em 1970 as filosofias do planejamento: satisfação, otimização e adaptação bem como os conceitos e ferramentas do planejamento estratégico.

1 - INTRODUÇÃO: Conceito, Objetivo e Importância

Segundo Philip Kotler (1992), o planejamento estratégico é uma metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela organização, visando maior grau de interação com o ambiente.

O planejamento estratégico serve como mola mestre para as criações estratégicas.

O objetivo maior do planejamento estratégico é desenvolver estratégias com adaptações.

Importância do planejamento estratégico baseia-se em associar os recursos disponíveis com as necessidades do mercado.

2 – PROCESSO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

3 – ELABORAÇÃO: Análise de Ambientes

O diagnóstico estratégico é o primeiro passo do processo de planejamento estratégico.

Análise externa refere-se a competitividade, oportunidades e ameaças à organização: a) a organização como sistema aberto b) macroambiente e microambiente c) análise dos aspectos do ambiente em geral: socioculturais, legais, políticos/governamentais, econômicos e tecnológicos.

d) poder de competitividade definido pelas 5 forças de Poter e) levantamento de oportunidades e ameaças pela matriz S.W.O.T.

3 – ELABORAÇÃO: Análise de Ambientes Análise externa: as 5 forças de Poter

3 – ELABORAÇÃO: Análise de Ambientes

Na análise externa utiliza-se da matriz S.W.O.T, as oportunidades e ameaças do mercado.

A análise interna refere-se aos pontos fortes e fracos de uma organização:

a) ambiente organizacional b) análise dos aspectos tangíveis e intangíveis c) avaliação dos fatores críticos de sucesso da organização d) matriz S.W.O.T.

e) ambiente externo x ambiente interno f) ótica gerencial ilimitada

3 – ELABORAÇÃO: Análise de Ambientes

3 – ELABORAÇÃO: Análise de Ambientes Análise interna: matriz S.W.O.T.

3 – ELABORAÇÃO: Diretrizes

Organizacionais

Caracteriza-se por elementos que definem a posição em que a organização está e aonde quer chegar.

Negócio: percepção das oportunidades que o mercado oferece ou demanda.

Missão: é a razão de ser além de determinar a identidade da empresa focando nas necessidades do mercado consumidor.

Visão: é um macro objetivo que expressa onde e como a organização pretende estar no

futuro baseado-se em componentes racionais e emocionais.

3 – ELABORAÇÃO: Diretrizes Organizacionais

Objetivos: são os resultados que a empresa busca atingir de formas específica, passível e

flexível podendo ser de curto, médio ou longos prazos.

Valores: representam as crenças básicas ou atrativos de uma organização.

(Parte 1 de 3)

Comentários