atendimento educacional especializado em surdez

atendimento educacional especializado em surdez

(Parte 1 de 7)

Mirlene Ferreira Macedo Damázio Pessoa com Surdez

Presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Ministério da Educação Fernando Haddad

Secretário de Educação a Distância Ronaldo Mota

Secretária de Educação Especial Cláudia Pereira Dutra

SEESP / SEED / MEC Brasília/DF – 2007

Formação Continuada a Distância de Professores para o Atendimento Educacional Especializado

Pessoa com Surdez

Ficha Técnica

Secretário de Educação a Distância Ronaldo Mota

Diretor do Departamento de Políticas de Educação a Distância Helio Chaves Filho

Coordenadora Geral de Avaliação e Normas em Educação a Distância

Maria Suely de Carvalho Bento

Coordenador Geral de Articulação Institucional em Educação a Distância

Webster Spiguel Cassiano

Secretária de Educação Especial Cláudia Pereira Dutra

Departamento de Políticas de Educação Especial Cláudia Maffi ni Griboski

Coordenação Geral de Articulação da Política de Inclusão Denise de Oliveira Alves

Coordenação do Projeto de Aperfeiçoamento de Professores dos Municípios-Polo do Programa

“Educação Inclusiva; direito à diversidade” em Atendimento Educacional Especializado Cristina Abranches Mota Batista Edilene Aparecida Ropoli Maria Teresa Eglér Mantoan Rita Vieira de Figueiredo

Autora deste livro: Atendimento Educacional Especializado para Pessoas com Surdez

Mirlene Ferreira Macedo Damázio

Projeto Gráfi co Cícero Monteferrante - monteferrante@hotmail.com

Revisão Adriana A. L. Scrok

Impressão e Acabamento Gráfi ca e Editora Cromos - Curitiba - PR - 41 3021-5322

Ilustrações Alunos e professores da

Fundação Conviver para Ser - Uberlândia - Minas Gerais

Marcus Vinícius Silva (13 anos) Maria Clara Souza Freitas (14 anos) Mariana Oliveira Gomes (12 anos) Paulo Alberto Fontes Rocha (14 anos) Wesley Alonso de Oliveira (21 anos) Danilo Rischiteli Bragança Silva - Professor em Libras Elaine Cristina B. de Paula Bragança - Instrutora de Libras Fabíola da Costa Soares - Professora de Língua Portuguesa

Ilustrações da capa Alunos da APAE de Contagem - Minas Gerais

Alef Aguiar Mendes (12 anos) Felipe Dutra dos Santos (14 anos) Marcela Cardoso Ferreira (13 anos) Rafael Felipe de Almeida (13 anos) Rafael Francisco de Carvalho (12 anos)

O Ministério da Educação desenvolve a política de educação inclusiva que pressupõe a transformação do Ensino Regular e da Educação Especial e, nesta perspectiva, são implementadas diretrizes e ações que reorganizam os serviços de Atendimento Educacional Especializado oferecidos aos alunos com deficiência visando a complementação da sua formação e não mais a substituição do ensino regular.

Com este objetivo a Secretaria de Educação Especial e a Secretaria de Educação a Distância promovem o curso de Aperfeiçoamento de Professores para o Atendimento Educacional Especializado, realizado em uma ação conjunta com a Universidade Federal do Ceará, que efetiva um amplo projeto de formação continuada de professores por meio do programa Educação Inclusiva: direito à diversidade.

Incidindo na organização dos sistemas de ensino o projeto orienta o Atendimento Educacional

Especializado nas salas de recursos multifuncionais em turno oposto ao freqüentado nas turmas comuns e possibilita ao professor rever suas práticas à luz dos novos referenciais pedagógicos da inclusão.

O curso desenvolvido na modalidade a distância, com ênfase nas áreas da deficiência física, sensorial e mental, está estruturado para:

- trazer o contexto escolar dos professores para o foco da discussão dos novos referenciais para a inclusão dos alunos;

- introduzir conhecimentos que possam fundamentar os professores na reorientação das suas práticas de Atendimento Educacional Especializado;

- desenvolver aprendizagem participativa e colaborativa necessária para que possam ocorrer mudanças no Atendimento Educacional Especializado.

Nesse sentido, o curso oferece fundamentos básicos para os professores do Atendimento

Educacional Especializado que atuam nas escolas públicas e garante o apoio aos 144 municípios-pólo para a implementação da educação inclusiva.

CLAUDIA PEREIRA DUTRA Secretária de Educação Especial ão desenvolve a política de educação inclusiva que pressupõe a da Educação Especial e, nesta perspectiva, são implementadas diretrizes d d l l d f d l

A educação escolar do aluno com surdez é um desafio que estamos demonstrando, por meio do trabalho de uma escola que abraçou a inclusão, sem restrições e incondicionalmente.

O que transparece na sua apresentação são as possibilidades de os alunos com surdez aprenderem nas turmas comuns de ensino regular, tendo a retaguarda do Atendimento Educacional Especializado – AEE.

Esse atendimento é explicitado detalhadamente e nos faz conhecer o que se propõe para quebrar barreiras lingüísticas e pedagógicas que interferem na inclusão escolar dos alunos com surdez.

Coordenação do Projeto.

ar do aluno com surdez é um desafio que estamos demonstrando,por meio APRESENTAÇ‹OAPRESENTAÇ‹O

EDUCAÇ‹O ESCOLAR INCLUSIVA PARA PESSOAS COM SURDEZ13
Para saber mais16
TENDNCIAS SUBJACENTES ¤ EDUCAÇ‹O DAS PESSOAS COM SURDEZ19
Para saber mais2
COM SURDEZ: UMA PROPOSTA INCLUSIVA25
Momento Didático-Pedagógico: O Atendimento Educacional Especializado em Libras na Escola Comum26
Momento Didático-Pedagógico: O Atendimento Educacional Especializado para o ensino de Libras32
Momento Didático-Pedagógico: O Atendimento Educacional Especializado para o ensino da Língua Portuguesa38
Para saber mais46
O PAPEL DO INTÉRPRETE ESCOLAR49

CAP¸TULO IV Para saber mais... ................................................................................................................................................................. 52

Capítulo I - Educação Escolar Inclusiva para Pessoas com Sur dez

E studar a educação escolar das pessoas com surdez nos reporta não só a questões referentes aos seus limites e possibilidades, como também aos preconceitos existentes nas atitudes da sociedade para com elas.1

As pessoas com surdez enfrentam inúmeros entraves para participar da educação escolar, decorrentes da perda da audição e da forma como se estruturam as propostas educacionais das escolas. Muitos alunos com surdez podem ser prejudicados pela falta de estímulos adequados ao seu potencial cognitivo, sócio-afetivo, lingüístico e político-cultural e ter perdas consideráveis no desenvolvi-mento da aprendizagem.

(Parte 1 de 7)

Comentários