aula 1 PRÁTICA DE LABORATÓRIO

aula 1 PRÁTICA DE LABORATÓRIO

(Parte 1 de 2)

Práticas de laboratório e análise

Faculdade Pentágono – Processos Químicos

Bibliografia básica:

•VOGEL, A. I. “Química Analítica Qualitativa”, tradução da 5a ed., Editora Mestre Jou, São Paulo, l981.

•FARIAS, R.F. “Práticas de Química Inorgânica”, Editora Átomo, São Paulo, 2004.

Bibliografia Complementar:

•BACCAN, N. et al. “Química Analítica Quantitativa Elementar”, Editora da Unicamp, Campinas, 2001.

•OHLWEILER, O. A. “Química Analítica Quantitativa”, Vols. 1, 2 e 3, Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., Rio de Janeiro, 1974.

2001

•HARRIS, D. C. “Análise Química Quantitativa”, LTC, 5ª edição,

•SkOOG, D. A.; WEST, D. M.; HOLLER, F. J.; CROUCH, S. R. "Fundamentos de Química Analítica“, Pioneira, São Paulo, 2006.

Objetivos:

Proporcionar ao aluno uma visão das técnicas básicas empregadas e nos práticas laboratoriais e as determinações no que se refere a composição química.

Ementa:

•Segurança em laboratório;

•Uso correto e aplicações de materiais e equipamentos de laboratório;

•Operações básicas: medidas de massa, volume, cristalização, filtração, evaporação, secagem e concentração;

•Separação e identificação de cátions e ânions, análise de chama, estudo analítico de amostras desconhecidas contendo misturas de cátions e ânions.

• Aulas expositivas, demonstrações, exercícios e trabalhos práticos no laboratório.

• Média das notas obtidas em duas provas teóricas e atividades de laboratório.

Segurança é assunto de máxima importância e especial atenção deve ser dada às medidas de segurança pessoal e coletiva em laboratório.

Embora não seja possível enumerar aqui todas as normas de segurança em laboratório, existem certos cuidados básicos, decorrentes do uso de bom senso e de conhecimento científico, que devem ser observados.

O laboratório

1.Conheça a localização do chuveiro de emergência, do lava-olhos, dos extintores de incêndio, dos registros de gás de cada bancada e das chaves gerais (elétricas). Saiba usar estes dispositivos.

2. Mantenha as janelas abertas para ventilar o laboratório.

3. Verifique se os cilindros de gás sob pressão estão presos com correntes ou cintas.

4. Ao se retirar do laboratório, verifique se não há torneiras (água ou gás) abertas. Desligue todos os aparelhos.

Durante a sua permanência no laboratório, use sempre óculos de proteção

7. Nunca use lentes de contato. Vapores corrosivos podem ficar presos entre a lente a córnea e, em caso de algum líquido espirrar no olho, o lava-olhos não é eficiente. 8. Use avental. 9. Não use sandálias ou chinelos, que não protegem de respingos e de queda de objetos. Use somente sapatos fechados, de preferência de couro. 10. Prenda seu cabelo se for comprido. Pode pegar fogo ou ficar preso na correia de uma bomba de vácuo.

1. Não fume, não coma e não tome nada no laboratório. Isto pode contaminar reagentes, comprometer aparelhos e provocar intoxicação. 12. Não coloque bolsas, malhas, livros, etc. sobre a bancada, mas apenas o caderno de anotações, caneta e calculadora. 13. Não brinque no laboratório. Esteja sempre atento à experiência. 14. Não trabalhe sozinho no laboratório. É preciso haver outra pessoa para ajudar em caso de emergência.

Continuação

Consulte o professor antes de fazer qualquer modificação no andamento da experiência e na quantidade de reagentes a serem usados.

•Nunca teste um produto químico pelo sabor (por mais apetitoso que ele possa parecer).

•Não é aconselhável testar um produto químico pelo odor, porém caso seja necessário, não coloque o frasco sob o nariz. Desloque com a mão, para a sua direção, os vapores que se desprendem do frasco.

Os acidentes

•Em caso de acidente, procure imediatamente o professor, mesmo que não haja danos pessoais ou materiais.

•Todo acidente, por menor que pareça, e qualquer contacto com reagentes químicos deve ser comunicado ao professor.

•Caindo produto químico nos olhos, na boca ou na pele, lave abundantemente com água a parte atingida. A seguir, avise o professor e procure o tratamento específico para cada caso.

•Vidros quebrados devem ser descartados, depois de limpos, em depósitos para lixo de vidro. Nunca jogue vidros quebrados no lixo comum, onde podem causar cortes no pessoal de limpeza.

ALMOFARIZ COM PISTILO - Usado na trituração e pulverização de sólidos. Porcelana Ágata

CADINHO - Geralmente de porcelana cuja utilidade é aquecer substâncias a seco e com grande intensidade, por isto pode ser levado diretamente ao BICO DE BUNSEN.

CÁPSULA DE PORCELANA - Peça de porcelana usada para evaporar líquidos das soluções.

BALÃO DE FUNDO CHATO - Utilizado como recipiente para conter líquidos ou soluções, ou mesmo, fazer reações com desprendimento de gases. Pode ser aquecido sobre o TRIPÉ com TELA DE AMIANTO.

BALÃO DE FUNDO REDONDO - Utilizado principalmente em sistemas de refluxo e evaporação a vácuo, acoplado a ROTAEVAPORADOR ou MANTA DE AQUECIMENTO

BALÃO VOLUMÉTRICO - Possui volume definido e é utilizado para o preparo de soluções em laboratório.

BEQUER - De uso geral em laboratório. Serve para fazer reações entre soluções, dissolver substâncias sólidas, efetuar reações de precipitação e aquecer líquidos. Pode ser aquecido sobre a TELA DE AMIANTO.

em análises volumétricas

BURETA - Aparelho utilizado TITULADOR AUTOMÁTICO

vapores gerados pelo aquecimento de líquidos

CONDENSADOR - Utilizado na destilação, tem como finalidade condensar

Leibig Graham ALLIHN

ERLENMEYER - Utilizado em titulações, aquecimento de líquidos e para dissolver substâncias e proceder reações entre soluções.

KITASSATO - Utilizado em conjunto com o FUNIL DE BÜCHNER em FILTRAÇÕES a vácuo.

(Parte 1 de 2)

Comentários