Manual Técnico laje

Manual Técnico laje

(Parte 1 de 2)

As Lajes

As lajes são estruturas destinadas a servirem de cobertura, forro ou piso para uma edificação. Feitas de concreto armado, elas podem ser pré-moldadas ou concretadas no próprio local. As lajes concretadas no local, também chamadas de lajes maciças de concreto armado, devem ser projetadas por um profissional habilitado, que também orientará e acompanhará a sua execução. As lajes pré-moldadas são constituídas por vigas ou vigotas de concreto e blocos conhecidos como lajotas ou tabelas. As lajotas e as vigotas montadas de modo intercalado formam a laje. O conjunto é unido com uma camada de concreto, chamada de capa, lançada sobre as peças.

As lajes pré-moldadas comuns vencem vãos até 5m entre os apoios. Em geral, os seus comprimentos variam de 10cm em 10cm. Outro tipo de vigota conhecida é a vigas treliçadas, utilizam vergalhões Soldados entre si formando uma treliça. Essa laje pode vencer vãos de até 12m entre apoios.

A execução das lajes pré-moldadas é muito rápida e fácil, mas o fabricante deve fornecer o projeto completo da laje, incluindo as instruções de montagem, a espessura da capa de concreto e os demais cuidados que devem ser seguidos à risca.

Quais os tipos de lajes mais usadas?

Tipos: Podem ser de dois tipos básicos: as maciças e as nervuradas.

As lajes maciças são mais utilizadas em obras grandes e especiais, necessitando de cálculo apropriado executado por especialista. Dentro do tipo nervurado estão as lajes pré-fabricadas, também chamadas de mistas, que tem utilização mais ampla, atendendo também as obras de menor porte. As lajes pré-fabricadas são aquelas constituídas por vigas ou vigotas de concreto e blocos que podem ser de diversos materiais, sendo mais utilizados os de cerâmica e os de concreto. Dependendo do tipo de vigota utilizada, as lajes pré-fabricadas podem ser: protendidas, comum ou treliçadas. Vamos tratar aqui somente da LAJE do tipo Treliçadas.

Laje Treliçada

A laje treliçada possui como armadura uma estrutura metálica denominada treliça que é fundida a uma base de concreto formando assim, a vigota. As medidas são em média as seguintes: Viga ou vigota treliçada Podem ser compostas com blocos de diversos materiais, mas os mais Utilizados são os de concreto e, principalmente, os cerâmicos (lajotas). Após a montagem, que é feita da mesma forma que a laje comum, a laje fica da seguinte forma: Como parte da armadura da vigota fica exposta o concreto da capa que é lançado após a montagem da laje, envolve totalmente a treliça favorecendo a aderência, evitando assim, o aparecimento de trincas na laje. Este tipo de laje pode ser utilizado tanto em obras grandes que necessitam de uma resistência maior ou são necessários vãos maiores (neste caso são usadas treliças maiores nas vigotas que são fornecidas sob encomenda), como também para forro ou cobertura (espessura de 8cm - treliças de 8cm) ou piso (espessura de 10cm - também com treliças de 8cm) para vãos de até 5cm, em obras residenciais de pequeno porte.

Qual é a laje pré-moldada mais leve que existe?

Laje com isopor! Vantagens no uso do EPS (isopor)

- Redução no peso próprio. - Isolamento térmico comprovado.

- Produtividade na montagem aumentada.

- Elimina perdas por quebra de material.

- Facilmente recortável.

- Alivia estruturas de suporte (vigas, pilares e fundações).

O isopor tem características muito favoráveis para utilização como elemento enchimento de lajes, é leve e resistente.

Usado em lajes pré-moldadas nervuradas em uma só direção ou em grelha, permite grande economia de cimbramento, mão-de-obra e tempo.

Escoramento da Laje Treliçada. Contra-Flecha, Escoramento e Guias de Escoramento

· Contra-Flecha: É o deslocamento vertical intencional aplicado nas vigotas pré-fabricadas, vigas até 3 MT não recebem o arqueamento “contra-flecha”, após 3mt a contra-flecha aplicada devera ser de 5mm por metro. Ex: abaixo na figura 4

· Escoramento: É uma estrutura provisória, destinada a auxiliar as vigotas pré-fabricadas a suportar a carga de trabalho (vigotas, lajotas, ferragens auxiliares, concreto, pessoas, etc.) durante a montagem da laje e período de cura do concreto.

livre é de 4.0 MT será necessários duas (2) guias de escoramento

. Guia de Escoramento: Para as guias de escoramento são utilizados: Tabuas de 30 / 20 cm e ou Pernas de 3x3, as tabuas são colocadas de cutelas para que possa resistir maior cargas adicionais de preferência sem emendas, a distancia mínima das guias são de 1,30 MT Ex: em um cômodo onde o vão

Através do escoramento e guias se consegue aplicar a contra flecha necessária. A contra flecha é muito importante para a qualidade final da laje, pois é através dela que contra balanceamos as deformações causadas pelos carregamentos acidentais e permanentes (flechas). Ela deve ser aplicada na obra, após a montagem do escoramento no centro do vão, utilizando-se cunhas que são colocadas no pé das escoras que se desejar suspender. A contra flecha deverá ser calculada para que após a retirada do escoramento e a aplicação de todo o carregamento, a laje fique praticamente nivelada. Quando as escoras forem apoiadas no solo, deverá haver um preparo preliminar para que elas não afundem, e isto pode ser feito através da colocação de pedaços de tábuas sob cada escora. Quando as escoras forem esbeltas e oferecerem baixa rigidez, será necessário contra-ventar o pontalete à meia altura. Isto também ocorre nos casos de pé direito elevado ou duplo, onde poderá ser necessário mais do que uma linha de contra-ventamento.

Armadura de distribuição (# F.D)

É uma armadura complementar, posicionada na capa no sentido transversal e longitudinal, para a distribuição das tensões oriundas de cargas concentradas e para o controle da fissuração. Podendo ser usada malha pronta ou vergalhões. 25x25 ou 30x30.

Nervuras de Travamento (== N.T)

Tem a função de dar estabilidade lateral às vigotas, travando o painel da laje e aumentando assim a rigidez do conjunto.

No caso de lajes armadas em uma direção, deve-se colocar nervuras secundárias ou de travamento, na direção perpendicular às nervuras principais, quando o vão teórico for superior a 4 m, exigindo no mínimo 2 nervuras se esse vão ultrapassar 6 metros

Essas nervuras também são indicadas sempre que houver cargas concentradas a distribuir entre as nervuras principais. Nota: Nas lajes pré-fabricadas unidirecionais, as nervuras de travamento ou transversais são indicadas pela sigla (NT) enquanto que as nervuras longitudinais, ou principais são indicadas pela sigla (NL).

Exemplos de Colocação

Colocação

Escorar todos os vãos, com intervalos definidos neste guia, com uma travessa de madeira em espelho pontalerada “de cutela”, mais alta que o nível do respaldo, obedecendo aos índices da tabela de escoramento fig. 4, o qual será retirado no mínimo 18 dias após a concretagem.

Depois de observar rigorosamente a direção, quantidade e comprimento das vigas dos respectivos vãos, colocá-las sobre apoios encostadas com os tijolos intermediários uma ao lado da outra. Iniciar sempre a 1ª fiada com lajota sobre parede ou viga.

Ferragem:

Para resistir a momentos negativos, adicionar no topo das vigotas, ferros negativos no apoio da laje em alvenaria ou viga armada Sobre a laje, no sentido transversal, colocar pelo menos um ferro corrido de distribuição de 5mm a cada 30cm, que também servirá de ligação com a capa. Nervuradas de travamento, são necessárias em vãos superiores a 4.0 m.

Concretagem

Molhar bem as lajes antes do lançamento do concreto, preparado com cimento, areia e pedra 1 na dosagem de areia (3 latas), de pedra 1 (2.1/2latas) e 1 saco de cimento, nas nervuras, cintas de amarração e capa. Manter a laje úmida durante 2 dias ou mais depois de terminada.

Concreto = Fck 20 MPA (200 kg/cm quadrados) durante a concretagem é necessário andar sobre as tábuas apoiadas nas vigotas.

As Lajes - Concretagem

Concretagem da capa

Antes de lançar o concreto, molhar muito bem todas as lajotas e vigotas para evitar que as peças absorvam a água existente no concreto. Utilizar um concreto estrutural nas seguintes proporções:

. 1 saco de cimento . 2.5 latas de areia . 2,0 latas de pedra ou pedrisco . 1 1/4 latas de água NOTA: As medidas são para lata de 18 litros.

Concretagem da Laje

O lançamento deve ser feito com cuidado para não sobrecarregar a laje em pontos isolados. O adensamento poderá ser feito com simples batidas de desempenadeira ou com o auxílio de vibradores.

Não esquecer que a altura do concreto deve ser no mínimo de 4 cm e no máximo de 5 cm para laje de 12 a 13 cm altura.

a) Os conduítes e caixas de eletricidade devem estar fixados nas suas posições definitivas antes da concretagem. b) Caso seja necessário, colocar qualquer ferragem complementar, seguir as instruções do fabricante para sua montagem. c) Nunca pisar diretamente sobre os blocos. Colocar tábuas sobre as vigotas no sentido transversal.

Cura

Após o término da concretagem da capa, o concreto deverá ser mantido úmido, no mínimo durante 7 dias. A laje deve ser molhada levemente com auxílio de regador ou mangueira.

A cura pode ser feita por um dos seguintes processos:

a) molhagem freqüente do concreto evitando que a superfície chegue a secar; b) aplicação de folhas de papel (como por exemplo, sacos de cimento vazios), de tecidos (aniagem, algodão) ou camadas de terra ou areia (com espessura de 3 a 5 cm) mantidos úmidos durante o período de cura; c) aplicação de lonas ou lençóis plásticos impermeáveis, de preferência de cor clara (para evitar o aquecimento excessivo do concreto). A prática mais comum é molhar o concreto por aspersão de água, e/ou usar panos ou papel para reter a umidade junto ao concreto o máximo possível. A duração da cura deve ser de pelo menos 7 dias, no caso de cimento Portland comum pois nesse período o cimento irá desenvolver Aproximadamente 60% (da sua resistência final) e de 14 dias, no caso de cimento Portland de alto-forno e pozolânico. No entanto, quanto mais tempo durar a cura (até 3 semanas), melhor será para o concreto. Existe a chamada cura química que consiste em aspergir um produto que forma um película na superfície do concreto e que impede que haja evaporação da água do concreto. A cura mais eficiente é a cura a vapor que ao mesmo tempo em que garante a umidade necessária ao concreto, acelera a velocidade de ganho de resistência pelo aquecimento.

(Parte 1 de 2)

Comentários