Exame Fisico Cardiovascular

Exame Fisico Cardiovascular

EXAME FÍSICO DO SISTEMA cardiovascular

6MOD086 – Aspectos Morfofisiologicos e Psíquicos do Ser Humano

Anatomia e fisiologia

Funções

  • Funções

    • Remoção de CO2 e metabólicos
    • Transporte de nutrientes, oxigênio
  • Composição

    • Coração
    • Vasos sanguíneos (artérias, arteríolas, veias, vênulas e capilares)

CICLO CARDÍACO

  • Geração espontânea de PA no nodo sinoatrial

  • Despolarização dos átrios e contrações destes

  • PA percorre o feixe AV até os ventrículos

  • Despolarização dos ventrículos

  • Repolarização simultânea dos átrios

  • Despolarização

Exame Físico

AVALIAÇÕES INICIAIS

  • Estado geral do paciente: posição, conforto, estado emocional, cansaço durante entrevista

  • Tipo morfológico

  • Nível de consciência

  • Pele, mucosas e anexos: coloração, turgor, umidade , temperatura, textura

  • Presença de ascite: palpação e percussão abdominal

  • Estase jugular:

    • Decúbito 45°
    • Escala cruzes (+ a ++++)
    • Distenção: alterações de pressão e volume no AD
  • Edemas:

    • Membros inferiores
    • Escala de cruzes (+ a ++++)
  • Membros:

    • avaliação perfusão periférica: pressão sobre polpa digital
    • coloração das extremidade

SINAIS VITAIS

  • Pressão arterial

    • Aferir PA dos MMII caso haja alteração nos pulsos ou sinal de alteração vascular
    • Diferença de PA entre membros pode ser sinal de aneurisma de aorta
  • Pulso

    • Artérias radial , carótida e femoral mais comuns
    • Intensidade
    • Ritmicidade
    • Homem 60 a 70 Mulher 65 a 80 Crianças 120 a 125 Lactentes 125 a 130

Frequência cardíaca

  • Frequência cardíaca

    • Ausculta do pulso apical ou visualização pelo cardioscópio
    • Batimentos/min (ou batimentos em 15s x 4)
    • Verificar diferenças quanto ao pulso radial
  • Temperatura

  • Respiração

INSPEÇÃO

  • Paciente em decúbito dorsal com tórax exposto

  • Observar ictus cordis

  • Observar levantamento

sistólico do precórdio

Pulsação epigástrica acentuada: sinal de hipertrofia ventricular direita ou hipertensão

  • Pulsação epigástrica acentuada: sinal de hipertrofia ventricular direita ou hipertensão

  • Pulsação supra-esternal acentuada: aneurisma da aorta, hipertensão arterial ou síndrome hipercinética

PALPAÇÃO

  • Precórdio

    • Mão espalmada
    • Frêmitos: vibrações causadas por sopro cardíaco

Ictus cordis

  • Ictus cordis

    • Ponta dos dedos
    • Hipertrofias e dilatações: deslocamento para baixo
    • Patologias VD: fora da linha hemiclavicular
  • Caso haja dificuldade para apalpação, colocar paciente em posição lateral esquerda

AUSCULTA

Focos de ausculta: melhor

ressonância das bulhas cardíacas

  • Aórtico: 2° espaço intercostal direito

  • Pulmonar: 2° espaço intercostal esquerdo

  • Mitral: 5° espaço intercostal com linha hemiclavicular

  • Tricúspide: base do apêndice xifóide

Bulhas cardíacas:

Bulhas cardíacas:

  • 1ª bulha (B1): início sístole

    • “TUM”
    • Melhores focos: mitral e tricúspide
  • 2ª bulha (B2): final da sístole e início diástole

    • “TÁ”
    • Melhores focos: aórtico e pulmonar
  • Dobramentos fisiológicos (normais) - B2

    • Fechamento retardado da valvula pulmonar na inspiração
    • Melhor foco: pulmonar

Iniciar ausculta pela área apical sob ao longo da borda esternal esquerda até as áreas aórtica e pulmonar

  • Iniciar ausculta pela área apical sob ao longo da borda esternal esquerda até as áreas aórtica e pulmonar

  • Observar:

    • Ritmo: regular ou irregular.
    • Freqüência: número de batimentos cardíacos em 1 minuto.
    • Arritmias cardíacas: alterações no ritmo, freqüência ou ambos.

REFERÊNCIAS

http://www.youtube.com/watch?v=8mxiFgAjwnY

http://www.youtube.com/watch?v=vNMH8I5RDME

BARROS, A. L. B. L. et al. Anamnese e exame físico: avaliação

diagnóstica de enfermagem no adulto. Porto Alegre: Artes

Médicas, 2002.

JUNQUEIRA, L.C.U.; CARNEIRO, J. Histologia Básica. 10 ed.

Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2004.

Comentários