TEORIA DE VYGOTSKY NOS PROCESSOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE FÍSICA

TEORIA DE VYGOTSKY NOS PROCESSOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE FÍSICA

TEORIA DE VYGOTSKY NOS PROCESSOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE FÍSICA

Denis Silva Amorim1

"O processo de ensino-aprendizagem inclui sempre aquele que aprende aquele que ensina e a relação entre essas pessoas". (Vygotsky)

PALAVRAS CHAVE

Aprendizado, desenvolvimento, mediação, signos, sistemas de símbolos, zona de desenvolvimento proximal, ambiente de aprendizagem.

RESUMO

O presente artigo tem por objetivo apontar algumas das implicações da teoria sócio-histórico-cultural de Vygotsky ao processo de desenvolvimento do indivíduo em um ambiente de ensino-aprendizagem mediado pelo professor na aula de Física.

INTRODUÇÃO

Os processos de aprendizagem e desenvolvimento do indivíduo no contexto social atual, no qual a difusão de informações e a apropriação do conhecimento ocorrem de forma acelerada, intensa e eficiente em função dos grandes avanços nos setores científico e tecnológico, têm revelado novas necessidades e desafios à prática pedagógica e também com relação à participação do indivíduo na sociedade e na transformação da mesma.

Considerando as situações colocadas acima, é notada a influência do meio e de todos os seus aparatos no que diz respeito ao comportamento e ação do indivíduo, bem como ao seu desenvolvimento, conforme a teoria de Vygotsky. Assim, sentimos a necessidade uma reflexão sobre os processos de ensino e aprendizagem que podem ser avaliados, devido a necessidades de reestruturação dos modelos pedagógicos na área da educação principalmente das ciências naturais mais precisamente a Física, que se constitui o foco de análise deste texto.

Portanto, o propósito deste texto é analisar a relevância da metodologia utilizada para o ensino da Física no Ensino Médio, que é entendido como etapa final da escolaridade básica, deve se organizar de tal forma, que proporcione ao aluno a aquisição de novas habilidades importantes no desenvolvimento do conhecimento, para que ele possa ler e interpretar a realidade e desenvolver capacidades necessárias para atuação efetiva na sociedade e na vida profissional. Assim, nesta etapa da escolaridade, a Física vai além de seu caráter instrumental, colocando-se como ciência com linguagem própria e métodos específicos de investigação, e com um papel integrador junto às demais Ciências.

Partindo deste pressuposto, consideramos necessária um revisão de alguns dos conceitos da psicologia educacional de Vygotsky, para assim, poder relacioná-los às ações pedagógicas no processo educativo e discutir as implicações da disciplina aqui considerada no fazer pedagógico e na prática docente.

No que diz respeito à ação do professor, é fundamental que ele tenha compreensão dos fundamentos da teoria de Vygotsky, à medida que os toma como alicerces para sua prática pedagógica, evitando assim, discrepâncias ou antagonismos entre teoria e prática.

Acreditamos, também, que esses professores tenham clareza dos objetivos daquilo que estão propondo, das necessidades específicas do contexto social, ao qual estão inseridos e que atuam, bem como do tipo de indivíduo que pretendem formar para interagir neste, pois só assim poderão escolher metodologias e recursos adequados a essas práticas, avaliando necessidades, observando e vencendo desafios, possibilidades e limitações que surgem com a utilização destes instrumentos.

A TEORIA SÓCIO-HISTÓRICO-CULTURAL DE VYGOTSKY

Lev Semynovich Vygotsky nasceu em Orsha, Bielo-Rússia, em novembro de 1896 e morreu em junho de 1934, com apenas 38 anos, vítima de tuberculose, doença que o acompanhou desde os 20 anos de idade. Embora sua carreira tenha sido breve, suas contribuições à Psicologia deram novos rumos às pesquisas nesta área na época e tornaram-se elementares para a compreensão do processo de desenvolvimento do indivíduo até os dias atuais.

Vygotsky, desde muito jovem, demonstrou grande preocupação com a questão do desenvolvimento do ser humano e, em todas as suas experiências e pesquisas, sempre buscou explicar os processos de aprendizado e desenvolvimento e sua relação com aspectos sociais. Assim, sua teoria se baseia no princípio de que, o desenvolvimento do indivíduo se dá como resultado de um processo sócio-histórico e cultural, observando o papel da linguagem e da aprendizagem nesse desenvolvimento à medida que este indivíduo interage com seu meio. Para Vygotsky, a linguagem humana é o principal instrumento de mediação, constituindo-se como um sistema simbólico fundamental para mediação de sujeito/objeto.

Embora tenha sido rápida a sua passagem por aqui, em conseqüência de uma morte precoce, a carreira de Vygotsky é marcada pela produção de memoráveis trabalhos no campo da psicologia, além de ter dado contribuições significativas nas áreas de pedagogia, filosofia, literatura, deficiência física e mental, este ultimo, onde fora professor e pesquisador. Devido a estas experiências e a complexidade e abrangência dos seus estudos, a maioria das suas observações e conclusões são aceitas e estudadas ate os dias de hoje.

Aspectos relevantes na teoria de Vygotsky

De acordo com a teoria sócio-histórico-cultural de Vygotsky, a origem das mudanças que ocorrem no ser humanos, ao longo do seu desenvolvimento, está associada as interações que ocorrem entre o individuo e a sociedade, sua cultura e história de vida, além das oportunidades e situações de aprendizagem que resultaram neste desenvolvimento durante toda a sua existência, considerando a influência das várias representações de signo, uso de diferentes instrumentos, e influência da cultura e história, propiciando o desenvolvimento das funções mentais superiores.

Para o desenvolvimento do indivíduo, as interações com o outro ser social são, além de necessárias, fundamentais, pois delas emergem signos e sistemas de símbolos que são responsáveis pelo transporte de mensagens da própria cultura, os quais, do ponto de vista genético, têm primeiro uma função de comunicação e logo uma função individual, à medida que são utilizados como instrumentos de organização e controle da conduta do indivíduo.

Vygotsky, ainda demonstrou, em seus estudos, grande preocupação em compreender e descrever o processo de desenvolvimento do indivíduo, de modo que sua teoria baseia-se neste aspecto sob influência de fatores externos do meio e da interação desse indivíduo com outros indivíduos desse meio.

Assim, ao formular a sua teoria, Vygotsky abordou conceitos que são essencialmente importantes em um trabalho pedagógico, por serem necessários à compreensão do processo de desenvolvimento. Os conceitos abordados por ele são: mediação simbólica, signos, sistemas de símbolos, zona de desenvolvimento proximal, desenvolvimento e aprendizado.

A mediação, segundo Vygotsky, é o processo pelo qual a ação do sujeito sobre o objeto é mediada por um determinado elemento. Por exemplo, a ação de um pedreiro sobre sua construção (obra) é mediada pela colher de pedreiro. Neste exemplo o elemento mediador (colher) possibilita a transformação do objeto (construção). Esta etapa intermediária “colher  construção” é denominada mediação. Então, mediação é o processo de intervenção de um elemento intermediário numa relação - a relação deixa de ser direta e passa a ser mediada por esse elemento.

A questão da mediação nos leva, forçosamente, a expor aspectos referentes ao elemento mediador que o classificam em três categorias: instrumentos, signos e sistemas simbólicos.

O instrumento, de acordo com Vygotsky, é o elemento mediador que age entre o sujeito e o objeto do seu trabalho, com a função de ampliar as possibilidades de transformação da natureza, ou seja, ele é criado ou usado para se alcançar um determinado objetivo. Ele é, então, um objeto social e mediador da relação do indivíduo com o mundo.

É importante lembrar que o instrumento carrega consigo, além da função para o qual foi criada, também a sua forma de uso que foi se configurando no decorrer da história do grupo que o utilizava.

Os signostambém são mediadores, porém sua função se faz presente na atividade psicológica, por esta razão Vygotsky os denominam instrumentos psicológicos. O signo é intrínseco ao indivíduo e tem por função regular e controlar as ações psicológicas do mesmo. Eles agem no sentido de ativar outra atividade psicológica, memória, por exemplo, pois representam ou expressam objetos, fatos.

OSímbolo, por sua vez, é o recurso utilizado pelo indivíduo para controlar ou para orientar a sua conduta, assim, o indivíduo se utiliza desse recurso para interagir com o mundo.

À medida que o indivíduo interioriza os signos, que controlam as atividades psicológicas, ele cria os sistemas simbólicos,que são estruturas de signos articuladas entre si. O uso de sistemas simbólicos, como linguagem, favoreceu o desenvolvimento social, cultural e intelectual dos grupos culturais e sociais ao longo da história.

Vygotsky é taxativo, em seus estudos, com relação a importância da linguagem como instrumento que expressa o pensamento, afirmando que a fala produz mudanças qualitativas na estruturação cognitiva do indivíduo, reestruturando diversas funções psicológicas, como a memória, a atenção voluntária, a formação de conceitos etc.

Portanto, a linguagem atua decisivamente na formulação do pensamento, além de ser o instrumento essencial no processo de desenvolvimento. A linguagem, em seu sentido amplo, é considerada por Vygotsky instrumento, pois ela age no sentido de modificar estruturalmente as funções psicológicas superiores, da mesma forma que os instrumentos criados pelos Homens modificam as formas humanas de vida.

Outro conceito muito importante proposto por Vygotsky é a zona de desenvolvimentoproximal,que se refere à “região” ou “distância” entre aquilo que o aluno já sabe que já foi assimilado, isto é, aquilo que ele consegue fazer sozinho, daquilo que o aluno(individuo) pode vir a aprender ou a fazer com a ajuda de outras pessoas, denominado desenvolvimento potencial.

De acordo com Vygotsky, a zona de desenvolvimento proximal (ZDP) da criança é a distância entre seu desenvolvimento real, que se determinar através da solução independente de problemas e o nível de seu desenvolvimento potencial, determinado através da solução de problemas sob a orientação de um adulto ou em colaboração com companheiros mais capazes.

De todos os conceitos propostos por Vygotsky, a zona de desenvolvimento proximal é o conceito que mais aplicações obtiveram na área da educação, pois é na zona de desenvolvimento proximal que deve acontecer à intervenção pedagógica do professor no caso de Física.

Em seu trabalho investigativo sobre as Aplicações de Vygotsky à Educação Matemática, que é uma ciência exata, assim como a física uma natural, também envolve cálculos, Moysés (2004, p.162) diz que:

No que tange ao desenvolvimento das funções psíquicas dos alunos, o conceito de ZDP foi, sem dúvida, o principal suporte para que o professor pudesse levá-los ao desenvolvimento de tais funções. Ao lado dele, também, as idéias acerca da atividade compartilhada e da relação entre a atividade e consciência ajudaram nessa tarefa.

As implicações que o conceito de zona de desenvolvimento proximal traz para a prática docente são inúmeras, uma vez que explorar essa “região” leva o professor a enfrentar novos desafios, que exigem dele maior atenção para com o processo educativo.

A aprendizagem ou aprendizado é o processo no qual o indivíduo se apropria de informações e conhecimentos que são apresentados a ele por meio da sua interação com o meio. Ela se dá a partir do momento em que signos e sistemas simbólicos são assimilados pelo sujeito, contribuindo para o desenvolvimento das funções mentais superiores do mesmo.

Assim, podemos perceber que existe uma estreita relação entre aprendizado e desenvolvimento, ou seja, o aprendizado permite ao indivíduo a maturação das suas funções psicológicas propiciando o seu desenvolvimento.

UMA PROPOSTA PEDAGOGICA

Fichas auto-instrutivas

Uma das ações pedagógicas que nos propomos é a do ensino programado realizado através de fichas auto-instrutivas que têm por finalidade a apresentação didática dos conteúdos da disciplina.

A cada novo conteúdo de Física, uma ficha é elaborada contendo a teoria e a problematização dos conceitos por ela abordados e também, exercícios propostos, resolvidos e comentados. Este material fica disponível ao aluno alguns dias antes de sua abordagem, possibilitando que ele se relacione antecipadamente com o conteúdo da aula.

Esta estratégia propicia algumas vantagens:

  1. Não envolve o aluno com despesas de livros, possibilitando que todos tenham acesso a um material didático de qualidade;

  2. Permite um melhor aproveitamento do tempo de aula, pois o aluno já teve acesso ao conteúdo e conhece o assunto abordado e pode, portanto, fazer questionamentos pertinentes;

  3. Contribui com o desenvolvimento da autonomia do educando para administrar seus estudos (Visto que a grade curricular é enorme).

Ambientes informatizados

Os recursos computacionais de ensino-aprendizagem surgiram através do questionamento sobre as contribuições e limites dos meios tecnológicos no processo de interação entre indivíduos. Pela abordagem sócio-construtivista de Vygotsky, o desenvolvimento do ser humano é um produto desta interação já que, segundo ele, “na ausência do outro, o homem não se constrói homem”.

O contato do professor com o aluno é a modalidade de interação usual nas aulas presenciais. A interação entre indivíduos, máquina e informação é construída a partir das abordagens de materiais digitais como, por exemplo, através de um software educativo. A interação entre indivíduos mediada pela tecnologia acontece através do uso dos ambientes virtuais de comunicação: salas de bate-papo, fóruns e listas de discussão.

Assim, os ambientes informatizados apresentam-se como ferramentas de grande potencial no auxílio, de alunos e professores, nos processos cognitivos e o ensino-aprendizagem da física vêm se constituindo um terreno fértil para o uso desses recursos.

Internet

A tecnologia como mediadora na comunicação entre professor e aluno, não é uma alternativa em nossos dias, percebemos como uma necessidade. Desde o uso do material impresso, passando pela televisão, até chegar aos computadores, os elementos tecnológicos têm estado presentes nos processos educativos.

Mas, o contexto atual, favorecido pelo uso da Internet como ambiente virtual de comunicação, tem presenciado um enorme avanço nas relações humanas de aprendizagem. Através da rede, o aluno toma contato com uma fonte inesgotável de informação e de possibilidades de interações. Atualmente, várias pessoas, em lugares diferentes, podem comunicar-se entre si, trabalhar juntas, trocar informações, aprender e ensinar.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A preocupação de Vygotsky em demonstrar suas investigações não só deu novos rumos às pesquisas no campo da psicologia da educação, como também, contribuiu para que muitos outros pesquisadores se dedicassem a compreender o processo de desenvolvimento do indivíduo, e ainda de buscarem investigar as contribuições e atribuições da escola nesta tarefa, como forma de colaborar para a formação dos indivíduos no que se refere a, prepará-los para agir e interagir em seu meio de forma consciente e planejada em diferentes momentos de sua vida e assim, também fazer história.

ABSTRACT

The objective of this paper is to highlight some implications of Vygotsky socio-historical-cultural theory for the developmental process of the individual with this theory Physical.

BIBLIOGRAFIA

.

MOYSÉS, L. Aplicações de Vygotsky à Educação Matemática. São Paulo: Papirus, 1997.

VIGOTSKY, L.S. A formação social da mente. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora Ltda, 1998.

VIGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem.São Paulo, Martins Fontes, 1987.

1 Aluno, em nível de Graduação em Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciências e tecnologia do Maranhão, IFMA - Campus Imperatriz, sob orientação da professora Daniela Cortez.

Comentários