Sindrome da Angustia Respiratoria do RN

Sindrome da Angustia Respiratoria do RN

SARRN (Síndrome da Angustia Respiratória do Recém Nascido)

Síndrome da angustia Respiratória Do Recém Nascido - (SARRN)

Denominada antigamente doença da membrana hialina é um distúrbio respiratório no qual os alvéolos (sacos aéreos) dos pulmões do recém-nascido não permanecem abertos por causa da elevada tensão superficial resultante da produção insuficiente de surfactante.

Para que um recém-nascido seja capaz de respirar independentemente, os alvéolos pulmonares devem ser capazes de permanecerem abertos e cheios de ar após o nascimento. Eles conseguem fazê-lo em grande parte graças a uma substância denominada surfactante.

O surfactante é produzido por células dos alvéolos pulmonares e reduz a tensão superficial. Ele é produzido à medida que os pulmões do feto amadurecem, freqüentemente em torno da 34a semana e quase sempre em torno da 37a semana de gestação.

  • O surfactante é produzido por células dos alvéolos pulmonares e reduz a tensão superficial. Ele é produzido à medida que os pulmões do feto amadurecem, freqüentemente em torno da 34a semana e quase sempre em torno da 37a semana de gestação.

  • Os recém-nascidos muito prematuros podem ser incapazes de começar a respirar, pois, sem o surfactante, os seus pulmões são muito rígidos. Os recém-nascidos um pouco maiores podem começar a respirar, mas, como os pulmões tendem a colapsar, ele apresenta dificuldade respiratória.

  • A síndrome da angústia respiratória ocorre quase que exclusivamente em recém-nascidos prematuros. Quanto mais prematuro o recém-nascido, maior a chance dele apresentar a síndrome da angústia respiratória.

Sinais / Sintomas

  • Abdome escafóide com tórax super inflado

  • Acúmulo excessivo de secreções na oro faringe

  • Batimentos Cardíacos 160min, ritmo irregular

  • Batimento da asa do nariz

  • Cianose

  • Crise de Apnéia

  • Esforço Respiratório moderado a grave

  • Gemidos respiratórios

  • Hipertermia / Hipotermia

  • Incapacidade para mamar

  • Queixo caído

  • Taquipnéia

Complicações

  • Colapso Pulmonar

  • Hemorragia cerebral

  • Hemorragia intra ventricular

  • Pneumotórax

  • Broncodisplasia pulmonar

  • Sepse

  • Dispnéia

Meios de Diagnósticos

  • História clínica da mãe (parto prematuro e Diabetes)

  • Exame físico do RN após o nascimento

  • Radiografia torácica do Recém Nascido

Critérios para o Diagnóstico

  • Prematuridade

  • Desconforto respiratório precoce

  • Trabalho Respiratório aumentado

  • Necessidade de Oxigênio

Tratamento

  • Cuidados Gerais:

  • manter temperatura, para evitar hipotermia

  • oferta de líquidos adequadamente(líquidos em excesso favorecem o desenvolvimento da persistência do canal arterial);

  • cuidados com infecção

  • ventilação mecânica

  • terapia com surfactante exógeno;

  • oxigenoterapia;

  • pressão positiva em vias aéreas,CPAP nasal;

  • ventilação de alta frequência;

  • suporte hemodinâmico e oferta calórica

Assistência da Enfermagem

  • Manter as vias respiratórias desobstruídas

  • Manter o RN em decúbito discretamente elevado, cabeça lateral e tórax expandido

  • Manuseá-lo o mínimo possível

  • Avaliar e registrar Freqüência, ritmo, características da respiração

  • Estimular o RN, Oferecer Oxigênio

  • Detectar sofrimento respiratório, dispnéia, gemido, queixo caído

  • Comprimir suavemente o tórax com os dedos

  • Cuidados rigorosos com sondagens, soroterapia e medicação

  • Realizar cuidados higiênicos, conforto, monitorizarão dos SSVV

Comentários