FATORES DE RISCO DOS PROFISSIONAIS DE RADIOLOGIA

FATORES DE RISCO DOS PROFISSIONAIS DE RADIOLOGIA

(Parte 1 de 3)

FACULDADES INTEGRADAS DE JACAREPAGUÁ

PÓS GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DO TRABALHO

RIANA MARIA SAMPAIO CARDOSO

FATORES DE RISCO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE RADIOLOGIA: UMA ANÁLISE DAS NORMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO EM UMA UNIDADE DE SAÚDE.

TEIXEIRA DE FREITAS

2011

RIANA MARIA SAMPAIO CARDOSO

FATORES DE RISCO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE RADIOLOGIA: UMA ANÁLISE DAS NORMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO EM UMA UNIDADE DE SAÚDE

Trabalho de Conclusão de Curso de Pós Graduação apresentado as Faculdades Integradas de Jacarepaguá – Unidade de Teixeira de Freitas, como requisito parcial para obtenção de diploma de Pós Graduação em Enfermagem do Trabalho.

Tutor: Marcos Eduardo Pereira Lima

TEIXEIRA DE FREITAS

2011

AGRADECIMENTOS

Agradeço a Deus pela oportunidade de mais uma conquista;

Agradeço carinhosamente aos meus pais, pelo amor incondicional, pela dedicação, pelos ensinamentos e pelo apoio em tudo e todos os momentos da minha vida.

Ao meu noivo e companheiro Átila Higino Andrade pelo apoio, amor, afeto e por estar sempre ao meu lado.

Aos profissionais da área que me deram a oportunidade de fazer a pesquisa, em especial a Drª Cecília Gonçalves.

“Quando amamos e acreditamos do fundo de nossa alma em algo, nos sentimos mais fortes que o mundo e somos tomados de uma serenidade que vem da certeza de que nada poderá vencer a nossa fé. Esta força estranha faz com que sempre tomemos a decisão certa, na hora exata e, quando atingimos

nossos objetivos ficamos surpresos com nossa própria capacidade.”

Paulo Coelho

Coelho

RESUMO

Esta obra tem como finalidade analisar os riscos radiológicos e proporcionar informação fidedigna aos profissionais da saúde sobre a exposição e riscos aos acidentes ocupacionais, para que estejam atentos aos cuidados para a prevenção e proteção da sua integridade física, e identificar qual a carga horária de trabalho e os tipos de acidentes de trabalho que os profissionais da saúde estão frequentemente expostos no ambiente hospitalar. Tendo como objetivo Analisar o conhecimento dos profissionais de radiologia sobre as normas de segurança e avaliar o equipamento necessário para a proteção radiológica dentro das normas de segurança do trabalhador em unidade de saúde (Centro de Imagem São Paulo), Teixeira de Freitas – BA. Este trabalho se desenvolve expondo os fatores de risco dos profissionais de radiologia, abordando seus detectores e como prevenir este tipo de exposição.

Palavras Chaves: exposição, proteção, detectores, radiologia, prevenir, segurança.

ABSTRACT

This workaims toanalyze theradiological hazardsand providereliable informationto health professionalsabout the exposureand risks tooccupational accidents, so they are aware of thecarefor the preventionand protectionof their physical integrity, and identifywhere theworkloadand the types ofaccidents thathealth professionalsareoften exposedin the hospital.Aiming atanalyzing the knowledge ofradiologyprofessionalsonthe safetyand evaluatethe equipment necessary forradiation protectionwithin thestandards ofworker safety inthe health unit (Imaging Center Sao Paulo),Teixeira deFreitas- Bahia.This workunfoldsexposingthe risk factorsofradiologyprofessionals, addressing their detectorsand how to preventthis typeof exposure.

Keywords: exposure, protection, detectors, radiology, prevent, security.

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO……………………………………………………….......................... 8

2 EVOLUÇÃO E CONSIDERAÇÕES HISTÓRICAS DA SEGURANÇA DO TRABALHO............................................................................................................ 13

2.1 FUNÇÕES BÁSICAS DA ENFERMAGEM DO TRABALHO.......................... 14

2.1.1 Funções técnicas.................................................................................. 15

2.1.2 Funções de ensino................................................................................ 16

2.1.3 Funções administrativas........................................................................ 17

3 SEGURANÇA NO SERVIÇO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM..................... 18

3.1 DETECTORES DE RADIAÇÃO IONIZANTE................................................ 18

3.1.1 Detectores de gás................................................................................... 18

3.1.2 Detectores do estado sólido..................................................................... 19

3.1.3 Detectores de cintilação.......................................................................... 19

3.1.4 Dosímetros integradores......................................................................... 19

3.2 FATORES DE RISCO EM RADIOLOGIA DIAGNÓSTICA............................. 19

3.2.1 Exposição intra-uterina e a regra dos 10 dias........................................... 20

3.3 SISTEMA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA................................................. 20

3.3.1 Justificação............................................................................................. 20

3.3.2 Otimização da proteção radiológica.......................................................... 21

3.3.3 Limitação de doses individuais.................................................................. 21

3.3.4 Prevenção de acidentes.......................................................................... 22

4 ANÁLISE DOS FATORES DE RISCO DOS PROFISSIONAIS DE RADIOLOGIA................................................................................................... 23

4.1 METODOLOGIA................................................................................................ 23

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS............................................................................ 24

6 REFERÊNCIAS................................................................................................ 26

1 INTRODUÇÃO

A enfermagem é uma profissão comprometida com a saúde do ser humano e da coletividade. Atua na promoção, proteção, recuperação da saúde e reabilitação das pessoas, respeitando os preceitos éticos e legais.

No início do século XIX, surgiu a enfermagem do trabalho, conhecida anteriormente como enfermagem laboral. Os primeiros enfermeiros prestavam assistência de enfermagem na prevenção/saúde pública, realizando visitas domiciliares aos trabalhadores doentes e seus familiares. Nesse período de transição da enfermagem tradicional para a moderna, os instrumentos de trabalho de enfermagem relacionavam-se mais ao treinamento disciplinar dos agentes do que a elaboração do saber de enfermagem.

No Brasil, a enfermagem do trabalho, assim como os demais profissionais de segurança e medicina do trabalho, foi incorporada nas empresas como obrigatória, pois o governo tinha emergência em reduzir o elevado índice de acidente de trabalho no início dos anos 70, quando o Brasil se consagrou campeão mundial de acidente de trabalho. O governo impôs que as empresas contratassem profissionais especializados como médico do trabalho e técnico de segurança do trabalho. (MORAES, 2007).

A lei orgânica da saúde n°. 8080/90 coloca no artigo 6°, no 3° parágrafo, a saúde do trabalhador como um conjunto de atividades que se destina, por meio de ações de vigilância epidemiológica e sanitária, a promoção e proteção da saúde do trabalhador, assim como visa a recuperação e a reabilitação dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho.

Segundo a política de saúde e segurança do trabalhador entende-se por trabalhadores homens ou mulheres que exercem atividades para sustento próprio e de seus dependentes, sejam no mercado de trabalho formal ou informal da economia. Inclusive os que trabalham ou trabalharam como assalariados, domésticos, avulsos, rurais, autônomos, temporários, servidores públicos, cooperativos e empregadores, proprietários de micro ou pequenas unidades de produção e serviços, entre outros.

O trabalho quando realizado em condições ideais é gratificante e saudável, no entanto, quando realizado de maneira incorreta ou em locais que expõem os trabalhadores a riscos, pode trazer sérios problemas a saúde e a vida desses trabalhadores. Quando existem condições no ambiente de trabalho capazes de provocar dano à saúde ou a integridade física do trabalhador, considera-se então, que há riscos ocupacionais.

O trabalho dos profissionais em radiologia é permeado por riscos, pois ele convive regularmente com o perigo radioativo e biológico, sendo necessário que trabalhe atendendo às normas da legislação em vigor e de biossegurança. (MORAES, 2009).

Biossegurança é o conjunto de medidas voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades que possas comprometer a saúde do homem, dos animais, do meio ambiente, ou a qualidade dos trabalhos desenvolvidos. (SAÚDE, 2005).

O reconhecimento dos riscos ambientais é uma etapa fundamental do processo que servirá de base para decisões quanto às ações de prevenção, eliminação ou controle desses riscos. Reconhecer o risco significa identificar, no ambiente de trabalho, fatores ou situações com potencial de dano à saúde do trabalhador ou, em outras palavras, se existe a possibilidade deste dano. Para se obter o conhecimento dos riscos potenciais que ocorrem nas diferentes situações de trabalho é necessária a observação criteriosa e in loco das condições de exposição dos trabalhadores.

Deve-se saber reconhecer os riscos de cada profissão para poder ter controle sobre estes, sendo assim, os radiologistas devem ser orientados quanto as medidas de segurança nos cursos de profissionalização, e continuamente em serviço, são responsáveis pelo seguimento dessas normas.

Os técnicos que trabalham no setor de radiologia convencional estão expostos a um elevado número de riscos ocupacionais, tanto na área de atendimento aos pacientes quanto na parte operacional de execução do exame, predispondo estes profissionais à ocorrência de acidentes de diversas naturezas.

Portanto é importante analisar as condições em que estes profissionais executam os processos de trabalho e produção. Por isso existe a NR-32 (Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho em Estabelecimentos de Assistência à Saúde) que tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores em estabelecimentos de assistência à saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.

Entende-se por estabelecimentos de assistência à saúde, qualquer edificação destinada à prestação de assistência à saúde da população, em qualquer nível de complexidade, em regime de internação ou não. 

(Parte 1 de 3)

Comentários