Evidências de Reações Químicas

Evidências de Reações Químicas

(Parte 1 de 3)

Universidade Federal Rural de Pernambuco- Campus Dois Irmãos

REAÇES QUÍMICAS

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Departamento de Química

Curso: Licenciatura Plena em Química- 2011.1

Turma: LQ3

Disciplina: Química Experimental

Professor (a): Cláudia Cardoso C. Bejan

Alunos: Marília Alves de Santana

Marcelo Queiroz [Escolha a data]

Mayara Larice de Souza Oliveira

Índice geral

IIntrodução...................................................... pág 03

IIObjetivo........................................................ pág 07

IIIProcedimentos Experimentais.................... pág 08

IVResultados e Discussões.............................. pág 13

VConclusão....................................................... pág 18

VIReferências................................................... pág 20

I- Introdução

A matéria encontra-se em transformação permanente na Natureza. Sob a ação de agentes, a matéria pode sofrer alterações em seu estado físico ou químico. Uma transformação física não altera a identidade da substância ou matéria, a exemplo das mudanças de estado. Água gelada ou congelada, mesmo que sólida, ainda é água. Um pedaço de ferro pode ser triturado e ainda fundido, mas continua sendo ferro. Uma transformação química é mais fundamental, pois nela a substância ou matéria é destruída e outra ou outras novas são formadas. Em nosso dia-a-dia é comum misturarmos diferentes substâncias. Ao cozinhar, por exemplo, estamos misturando diferentes ingredientes para obter um resultado final diferente do inicial e irreversível, ou seja, mudamos a natureza íntima dos ingredientes para formar outras substâncias. Na química ocorre o mesmo com as moléculas. Quando não há mudança na natureza íntima da matéria, não há reação química. No caso de não serem reações químicas, os compostos formados por diferentes moléculas que não reagem são apenas misturas, que é a reunião de várias substâncias sem que haja reação, ou seja, elas interagem mas não se transformam. Quando o aglomerado de moléculas forma apenas uma mistura não há indícios de reação química. É fácil reconhecer uma reação química graças a estes indícios, que são a liberação de calor, mudança de cor, mudança na consistência, formação de precipitado, aquecimento ou resfriamento, odor, luz, entre outros. Para haver uma reação química, as moléculas dos compostos tem que ter afinidade e manter contato, reagindo. Para reagirem, as moléculas precisam colidir, mas não é qualquer colisão, é preciso ter um choque específico chamado choque efetivo, que é o choque que faz com a reação ocorra, pois quebra as ligações antigas e forma novas ligações químicas. O choque efetivo é um choque bem orientado com bastante energia; com bastante energia porque é preciso bastante energia para quebrar as ligações antigas e formar ligações novas; bem orientado porque as moléculas se encaixam bem após o choque. As moléculas quando colidem formam o complexo ativado, então os reagentes passam pelo complexo ativado e formam o produto.Quando representamos um fenômeno químico por fórmulas e símbolos teremos uma equação química. As equações químicas possuem coeficientes para mostrar os aspectos qualitativo e quantitativo da equação. Podemos classificar as reações de acordo com diferentes critérios, são eles:

  1. Quanto à relação entre o número de reagentes e o número de produtos:

    1. Reação de síntese, composição ou adição:

Neste tipo de reação um único composto é obtido a partir de dois compostos.

Fórmula geral: A+B  AB

    1. Reação de análise ou decomposição:

Neste tipo de reação, duas ou mais substâncias produzem apenas um produto.

Fórmula geral: AB  A+B

Em função do agente que provoca a decomposição as reações são classificadas em:

      1. Eletrólise:

Decomposição provocada pela corrente elétrica.

      1. Pirólise:

Decomposição provocada pelo calor.

      1. Hidrólise:

Decomposição provocada pela água.

      1. Fotólise:

Decomposição provocada pela luz.

    1. Reação de deslocamento ou simples troca:

São reações em que um elemento químico de uma substância simples substitui outro elemento de um composto, libertando-o, como substância simples.

Fórmula geral: A + BC  AC + B

      1. Condições de ocorrência de reações de deslocamento:

As reações de deslocamento ocorrem quando o elemento que substitui outro, da substância simples, é mais reativo.

A + BC  B + AC

“B” é mais reativo que “A”.

    1. Reações de dupla troca ou duplo deslocamento:

Esta reação ocorre quando duas substâncias compostas trocam entre si partes de suas estruturas, formando duas novas substâncias compostas.

Fórmula geral: AB + CD  AD + CB

      1. Características de reações de dupla troca:

        1. Formação de precipitado

        2. Formação de uma substância volátil

        3. Formação de uma substância mais fraca.

  1. Quanto à velocidade da reação:

A cinética química é responsável por medir a rapidez dos fenômenos que ocorrem na química. São vários os fatores determinantes da velocidade de uma reação química, dentre eles destacam-se a temperatura, concentração, catalisador e superfície (área de contato).

    1. Reações rápidas: são aquelas que, como o próprio nome diz, ocorrem de maneira bastante rápida, em segundos ou em alguns casos em poucos minutos, quanto mais rapidamente às moléculas se chocam, mais rapidamente elas reagem.

    1. Reações lentas: são aquelas que, como o próprio nome diz, ocorrem de forma mais demorada, por fatores de determinantes da baixa velocidade da reação (a barreira que desacelera o processo é a energia de ativação).

  1. Quanto ao estado físico dos reagentes e produtos:

    1. Reações homogêneas: Aquele onde o reagente e produtos estão no mesmo estado físico.

    1. Reações heterogêneas: Aquelas onde pelo menos um dos reagentes ou um dos produtos esta em estado físico diferente dos demais.

  1. Quanto à perda ou ganha de elétrons:

As reações que apresentam elementos químicos sofrendo oxidação ou redução são denominadas reações de oxi-redução. Algumas reações de síntese, algumas de análise, todas de simples troca e nenhuma de dupla troca são reações de oxi-redução

    1. Oxidação: É a perda de elétrons por uma espécie química.

    1. Redução: É o ganho de elétrons por uma espécie química.

  1. Quanto ao calor envolvido:

    1. Reações endotérmicas: São reações que ocorrem absorvendo calor. Experimentalmente, o recipiente onde a reação ocorrer ficará frio.

    1. Reações exotérmicas: São reações que ocorrem liberando calor. Experimentalmente, o recipiente onde a reação ocorrer ficará quente.

  1. Quanto à reversibilidade:

    1. Reações Reversíveis:

São reações ou processos que reagentes e produtos são consumidos e produzidos ao mesmo tempo. Os reagentes e produtos destas reações são separados por uma dupla seta.

Ex.:  2

    1. Reações Irreversíveis:

São reações que ocorrem em um único sentido. A reação que ocorre da esquerda para direita chama-se REAÇÃO DIRETA. A reação que ocorre da direita para a esquerda chama-se REAÇÃO INVERSA.

II -Objetivo

O objetivo desta experiência é diferenciar uma mistura de uma reação química, ou seja, verificar os indícios de reação química, identificar porque ocorreram determinados fenômenos (liberação de gás, por exemplo) e relacioná-los com os diferentes tipos de reação química. Identificar as diferenças entre os tipos de reações químicas. Representar reações através de uma equação química e balanceá-la de modo correto.

(Parte 1 de 3)

Comentários