Diagnóstico empresarial da empresa alfa

Diagnóstico empresarial da empresa alfa

(Parte 1 de 3)

Gerson Andrade Caldas Teixeira de Freitas, 26 de abril de 2011

1 INTRODUÇÃO5
1.1 CONTEXTO5
1.2 OBJETIVOS5
1.2.1 OBJETIVO GERAL5
1.2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS5
1.2.3 METODOLOGIA5
2 EMPRESA ANALISADA6
2.1 HISTÓRICO6
2.2 FILOSOFIA DA EMPRESA7
2.3 VISÃO7
2.4 MISSÃO E VALORES7
2.5 PRINCIPAIS PRODUTOS7
2.6 PRINCIPAIS FORNECEDORES7
2.7 PRINCIPAIS CLIENTES7
2.8 PRINCIPAIS CONCORRENTES7
2.9 NEGÓCIO DA EMPRESA8
2.10 LOCALIZAÇÃO DA EMPRESA8
EMPRESARIAL DEMONSTRADO9
3.1 DESEMPENHO GERENCIAL – GESTÃO9
3.1.1 LIDERANÇA9
3.1.2 ESTRATÉGIAS E PLANOS10
3.1.3 CLIENTES E SOCIEDADE1
3.1.4 INFORMAÇÕES E CONHECIMENTO1
3.1.5 PESSOAS12
3.1.6 PROCESSOS12
3.1.7 RESULTADOS DA ORGANIZAÇÃO13
3.1.8 TECNOLOGIA DE GESTÃO13
3.1.9 FINANÇAS E CONTABILIDADE14
3.2 DESEMPENHO GERAL - OPERAÇÕES15
3.2.1 USO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS15
3.2.2 LOGÍSTICA DE AQUISIÇÃO15
3.2.3 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO15
3.2.4 MARKETING E VENDAS16
CLIENTES17
3.3.1 DESTINO DAS VENDAS17
3.3.2 PRINCIPAIS CLIENTES18
3.3.3 PORTE DAS PRINCIPAIS EMPRESAS CLIENTES18
3.3.4 PRINCIPAIS CANAIS DE COMERCIALIZAÇÃO19
NECESSIDADE DOS CLIENTES19
3.3.6 REGISTRO DE SUGESTÕES DOS CLIENTES20

3 PROCESSO DE PESQUISA UTILIZADO EM PARTE DO DIAGNÓSTICO 3.3 INTENSIDADE DA COOPERAÇÃO COM OUTRAS EMPRESAS E COM SEUS 3.3.5 DIFICULDADES NA COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS E REALIZAÇÃO DE PESQUISAS DE 3.3.7 INCORPORAÇÃO DE SUGESTÕES DOS CLIENTES........................................................................20

3.3.8 DEFINIÇÃO DOS PRINCIPAIS FORNECEDORES POR REGIÃO20
3.3.9 REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS20
PESQUISA21
4 ANÁLISE DO DESEMPENHO FINANCEIRO2
4.1 FATURAMENTO NOS ÚLTIMOS 05 ANOS2
4.2 TIPO DE TRIBUTAÇÃO2
4.3 RESULTADOS E RENTABILIDADE23
5 ANÁLISE S.O.W.T24
5.1 PONTOS FORTES24
5.2 PONTOS FRACOS24
5.3 AMEAÇAS25
5.4 OPORTUNIDADES25
6 MATRIZ DE PREFERÊNCIA26
7 PLANO DE AÇÃO27
8 CONCLUSÃO28
9 ANEXOS30
10 PERGUNTAS REALIZADAS AO GESTOR34

3 3.3.10 INTERAÇÕES E PARCERIAS COM CLIENTES E FORNECEDORES E EMPRESAS DE ENSINO E

PRODUTO TEM SATISFEITO AS EXPECTATIVAS?34
ATRAVÉS DE TESTES E ANÁLISE DO PRODUTO PELA SUA EQUIPE DE VENDAS E NA ALFAIATARIA34
ASPECTOS?34
PESQUISA DE CAMPO PARA ANÁLISE DOS CONCORRENTES34

10.1 A SUA EMPRESA VERIFICA COM OS CLIENTES, COMO ESTE ESTÁ USANDO O PRODUTO, E SE O R - A FORMA ADOTADA É CONSUBSTANCIADA NA ANÁLISE DO CLIENTE ATRAVÉS DA AQUISIÇÃO DO PRODUTO E NO SEU USO (PÓS-VENDA), ONDE É PERGUNTADO AO CLIENTE O NÍVEL DE SATISFAÇÃO 10.2 SUA EMPRESA SE MANTÉM ATENTA ÀS ATIVIDADES DOS CONCORRENTES EM TODOS OS R - EM TODOS OS ASPECTOS SE DIRIA QUE NÃO, PORÉM EM ALGUNS ASPECTOS SIM, DENTRO DOS FATORES DE COMO ESTÃO SE ADAPTANDO À TENDÊNCIA DO MERCADO, SE ESTÃO ADQUIRINDO MAIS OU MENOS PRODUTOS PARA SEREM COMERCIALIZADOS, DE FORMA EMPÍRICA, POIS NÃO SE FAZ

PROMOÇÃO DE VENDAS?34

10.3 A EMPRESA PROCURA REALIZAR SISTEMATICAMENTE ALGUMA FORMA ALGUMA FORMA DE R - SIM, CONFORME CONVERSA ANTERIOR, A EMPRESA TEM PRAZO PARA COMERCIALIZAR O PRODUTO,

POIS O PRAZO MÁXIMO DE ESTOCAGEM É DE 30 DIAS, DEPOIS DISSO TEM QUE HAVER UM CONSUMO POR PARTE DOS CLIENTES, CASO NÃO HAJA ESSE CONSUMO, É FEITO UMA ANÁLISE PARA SE EXTRAIR INFORMAÇÕES COERENTES DA NÃO SAÍDA DO PRODUTO COMO O PREÇO NÃO COMPATÍVEL COM AS EXPECTATIVAS DO MERCADO, O VALOR ESTAVA MUITO ELEVADO, FAZENDO COM QUE A EMPRESA FAÇA UM PREÇO PROMOCIONAL PARA A SAÍDA DESSE PRODUTO DO ESTOQUE, E REPOSIÇÃO POR OUTRA MERCADORIA............................................................................................................................. 34

10.4 A EMPRESA REALIZA ALGUM ESFORÇO, PARA ASSEGURAR SE O PRODUTO VEM ESTAR À DISPOSIÇÃO E COM MAIOR FACILIDADE PARA A AQUISIÇÃO DO PRODUTO POR PARTE DO CLIENTE?

35
OS FATORES RESPONSÁVEIS SE A EMPRESA NÃO ESTIVER CRESCENDO DE FATO?35
OBJETIVANDO O CRESCIMENTO NUM TODO35
SE TEM REVELADO ADEQUADA?35
INSTITUIÇÃO35
QUESTIONADOS QUANTO A SUA VALIDADE PARA O FUTURO?35

35 R - SIM, A EMPRESA TEM A MANEIRA DE EXPOR, PARA QUANDO O CLIENTE CHEGAR, JÁ IR VERIFICANDO E IDENTIFICANDO O PRODUTO, ALÉM DE SE TRABALHAR COM SISTEMA DE ESTOCAGEM PRATICAMENTE PARA ATENDIMENTO DA DEMANDA DO MERCADO, ONDE SE TEM UM PRAZO DE COMPRA MÉDIO DE 20 A 25 DIAS PARA REPOSIÇÃO DE ESTOQUE, ANALISANDO AS NOVIDADES E TENDÊNCIAS DO MERCADO, SERVINDO ATÉ COMO UM FATOR DIFERENCIAL, FRENTE À CONCORRÊNCIA. 10.5 AS VENDAS DA EMPRESA VÊM CRESCENDO SATISFATORIAMENTE, DEPOIS DO IMPACTO SOFRIDO PELA MESMA, EM RELAÇÃO À EMPRESA CLIENTE INADIMPLENTE, SE NÃO, QUAIS SERIAM R - CRESCENDO SATISFATORIAMENTE, NÃO, A EMPRESA TEM CRESCIDO E TEM MELHORADO MUITO, SÓ QUE HOJE AINDA SE TEM DIFICULDADES EM SE REPOR ESTOQUES PARA SATISFAZER MELHOR A DEMANDA, JUSTAMENTE PELA PRIORIDADE FINANCEIRA DO FLUXO DE CAIXA, PARA NÃO VIR A TRAZER RESULTADOS FINANCEIROS NEGATIVOS NOVAMENTE, SENDO QUE TEMOS A SANEAR DE DÍVIDA, UM ACUMULO DE 10% DO MONTANTE DA DÍVIDA PARA SE TER UM FÔLEGO FINANCEIRO, 10.6 A EMPRESA ELABORA ORÇAMENTO REGULARMENTE DENTRO DE UMA PERIODICIDADE QUE R - SIM, O ORÇAMENTO PRATICAMENTE É EFETUADO E FECHADO QUASE QUE DIARIAMENTE E NORMALMENTE EU FAÇO TODO A MINHA ANÁLISE ATRAVÉS DESSES RELATÓRIOS GERADOS PELA 10.7 VOCÊ ACHA QUE OS CUSTOS, DESPESAS E RESULTADOS, LEVANTADOS EM PERÍODOS ANTERIORES, ELE SERVE COMO BASE PARA O ORÇAMENTO ATUAL, MAS QUE TAMBÉM SÃO R - CONFORME JÁ FOI FALADO ANTERIORMENTE, A EMPRESA TEVE QUE FAZER UMA REANÁLISE EM

QUASE 50% SUPERIOR A HOJE, PORÉM SERVE COMO PARÂMETRO NA TENDÊNCIA36

RELAÇÃO ÀS INFORMAÇÕES ANTERIORES, POIS A 02 ANOS ATRÁS, O NOSSO FATURAMENTO ERA DE

MENSAL?36

10.8 HÁ UM ACOMPANHAMENTO, POR PARTE DA EMPRESA NO SEU FLUXO DE CAIXA DIÁRIO E R - SIM, MEDIANTE ALIMENTAÇÃO E EXTRAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DO SOFTWARE EXISTENTE NA

QUANTO SE PAGOU, QUAIS OS PERCENTUAIS À VISTA E A PRAZO E DEMAIS36

1 INTRODUÇÃO

1.1 Contexto A empresa denominada aqui de Alfa, preservando a sua identidade e de seus sócios, por questões éticas e morais, atua no mercado praticamente a 09 (nove) anos no ramo do comércio varejista de tecidos em geral, e conta com um bom atendimento para os seus clientes, além de possuir um diferencial de mercado, pois possui uma alfaiataria na parte dos fundos do empreendimento, o que visa a trazer mais clientes e a fidelizá-los.

1.2 Objetivos

1.2.1 Objetivo Geral O objetivo geral é a de realizar um diagnóstico empresarial na empresa Alfa.

1.2.2 Objetivos Específicos 1. Fazer uma revisão de leitura do material disponibilizado, e colocar em prática o que foi aprendido durante todos os módulos do Contabilizando Sucesso; 2. Conhecer os setores e processos praticados pela empresa Alfa; 3. Entender como a empresa Alfa, administra todos os seus recursos, a fim de efetuar uma influência sobre os resultados da mesma.

1.2.3 Metodologia 1. Escolha do processo a ser aplicado na pesquisa de Diagnóstico Empresarial da empresa Alfa, o qual será apresentado como conclusão do Curso de Extensão de Gestão de Micro e Pequenas empresas aplicado através do CFC – Conselho Federal de Contabilidade e CRC – BA – Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia, com parceria do SEBRAE.

2. Baseando-se nas teorias já estudadas até o momento, e na busca de temas bibliográficos voltados à resolução das questões propostas, visar o estudo para melhor aplicabilidade do Diagnóstico Empresarial; 3. Foi efetuada a opção dentro das determinações do módulo Diagnóstico

Empresarial, de se fazer uma pesquisa de campo, para se obter informações da empresa Alfa, utilizando uma entrevista com o Gestor da empresa, usando a metodologia de perguntas pré-formuladas e utilização de áudio e vídeo e fotografias para melhor compreensão dos problemas apresentados na organização. As informações obtidas constituíram uma fonte de importantíssima base para o desenvolvimento dos trabalhos. 4. Finalmente, através da orientação dos fundamentos teóricos do Diagnóstico Empresarial, foram emitidas recomendações estratégicas.

2 EMPRESA ANALISADA

2.1 Histórico A empresa nasceu de uma necessidade de mercado, e através da percepção de oportunidades, o sócio aqui denominado A, já tendo um conhecimento desenvolvido no mercado a 08 (oito) anos, primeiramente como funcionário e posteriormente como autônomo através do processo de compra e venda mediante pronta entrega direta ao consumidor final. Aos 2 (vinte e dois anos) de idade, se viu na necessidade de constituir uma empresa para dar sequência ao crescimento dos negócios. Na ocasião, viu-se sem o capital necessário para constituição do empreendimento, foi quando um amigo lhes emprestou o capital necessário, e juntamente com outra pessoa denominada sócio B, que acabara de ficar desempregado, constituíram a empresa Alfa, que teve os seus atos constitutivos registrados na Junta Comercial do Estado da Bahia no mês de junho de 2002 e na Receita Federal do Brasil no dia 18/06/2002, conforme comprovação de relatório de Inscrição da Empresa nesse Órgão. Constituída na Avenida Antônio Carlos Magalhães, X, Teixeira de Freitas – BA, CEP 45.996-051 tendo como CNAE – Código Nacional de Atividade Econômica, 47.5-5-01 – Comércio Varejista de Tecidos, com Natureza Jurídica de código 206-2 – Sociedade Empresária Ltda.

2.2 Filosofia da Empresa Atendimento de qualidade e satisfação a clientes e fornecedores e a sociedade em geral.

2.3 Visão Ser a maior empresa no segmento de tecidos da região do Extremo Sul da Bahia e a melhor empresa em satisfação e logística empresarial, estabelecendo um prazo de 10 anos a partir desse ano.

2.4 Missão e Valores Atender os clientes com excelência na qualidade, obtendo produtos de classe, primando pelo bem estar e satisfação dos clientes, atendendo os interesses dos sócios e necessidades dos colaboradores tendo um bom relacionamento com os fornecedores e governo além de zelar pelos padrões éticos e de responsabilidade social.

2.5 Principais Produtos Tecidos de vários tipos e modelos.

2.6 Principais Fornecedores Advance Indústria Têxtil, Rossete, Rendimundo e ABC em Malhas, todos de São

Paulo.

2.7 Principais Clientes A empresa só possui em sua carteira de clientes, em grande maioria, consumidores finais, e pouquíssimos consumidores pessoa jurídica, todos estabelecidos na região, não dando para visualizar um cliente em especial junto ao seu banco de dados.

2.8 Principais Concorrentes Sudeste Malhas, casas Cazelli e outro concorrente recém instalado na Cidade, sendo todos sediados em Teixeira de Freitas.

2.9 Negócio da Empresa A empresa comercializa tecidos de todos os aspectos e modelos, além de vender alguns acessórios necessários para a fabricação das roupas ou utensílios domésticos.

2.10 Localização da Empresa A empresa está localizada na Av. Antônio Carlos Magalhães, X, Centro, CEP

45.996-051, na Cidade de Teixeira de Freitas – BA, numa localização estratégica para a prática comercial de seu segmento.

3 PROCESSO DE PESQUISA UTILIZADO EM PARTE DO DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL DEMONSTRADO

A ferramenta utilizada para a pesquisa foi o Diagnóstico Empresarial SEBRAETEC APLs, cuja metodologia se resume em entrevista com os gestores ou pessoas por eles indicadas com visão ampla do negócio, objetivando analisar a especialização produtiva, o vínculo de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais tais como governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa. O questionário aplicado foi divido em duas etapas, sendo a primeira, desempenho gerencial, que conta com gestão e operação, e a segunda, que visa diagnosticar a intensidade de cooperação com outras empresas e com instituições locais.

3.1 DESEMPENHO GERENCIAL – GESTÃO DESEMPENHO DE GESTÃO

Finanças e Contabilidade Tecnologias de Gestão Resultados da Organização Processos Pessoas Informações e Conhecimento Clientes e Sociedade Estratégias e Planos Liderança

3.1.1 Liderança A empresa apresenta um perfil de liderança regular, havendo apenas entre os seus sócios um líder que orienta e determina as ações, tendo como aspecto principal, ser pró-ativo, mas, limitando à política de vendas e metas de mercado a serem atingidas passadas para os colaboradores, deixando de aplicar a transparência da missão e visão da instituição para os mesmos, tendo apenas formulados para o seu conhecimento, ocasionando com isso uma perda de identidade organizacional dentro de uma análise objetiva de se atingir o papel desprendido pela própria organização. Do outro lado, existe uma preocupação do gestor, em aprimorar mais os conhecimentos e aplicá-los na prática do dia a dia empresarial, incluindo o corpo funcional da instituição nessa tarefa, participando de treinamentos e eventos que ajudem a qualificação profissional e melhoria de posicionamento dentro da esfera mercadológica. Diante deste cenário, podemos afirmar que um bom líder deve saber desempenhar um papel influenciador, mas não manipular as ações, ser flexível na medida exata se adequando as mudanças e variações sofridas pelo mercado, ajudar no desempenho de melhoria contínua de seus subordinados incentivando-os a buscar sempre a capacidade e o desenvolvimento profissional e pessoal, além de conseguir também bons resultados para a organização ao qual está gerindo.

3.1.2 Estratégias e Planos Como de fato ocorrem na grande maioria dos empreendimentos, a falta de políticas estratégicas e de formulações de planejamentos limita e muito o papel dessas organizações no mercado, chegando ao ponto de causar fatores crônicos levando fatalmente ao colapso financeiro e operacional e tendo como conseqüência o seu fechamento, ceifando de fato o papel requerido por todo e qualquer empreendedor, o de ver o seu empreendimento crescer no mercado e gerar lucratividade satisfatória. Diante da análise efetuada, verificou-se que a entidade não possui nenhum tipo de planejamento estratégico no atual momento contando com um projeto de monografia efetuado como término de estudo do curso de Administração a qual o gestor possui a devida formação acadêmica, mas não o colocado em prática, gerando assim uma imensa necessidade de reaplicação de um novo planejamento estratégico, o qual irá viabilizar várias tomadas de decisões pretendidas pelo gestor e sua equipe, vindo a melhorar a visualização da marca empresarial no mercado e consequentemente o fortalecimento e crescimento da organização e de sua lucratividade. A entidade conta no atual cenário, com o devido conhecimento técnico do seu gestor para criação de planejamentos e estratégias mercadológicas, onde o mesmo tem um grau de comprometimento muito alto com a instituição, cujo foco principal analisado será a implantação de um planejamento estratégico a curto, médio e longo prazo, onde poderá contar com o envolvimento de todos os colaboradores, e podendo analisar os resultados dentro do estabelecimento de metas e dos indicadores de desempenho técnico, tático e operacional, tendo o seu início ainda nesse semestre.

3.1.3 Clientes e Sociedade Em geral, justamente por não haver uma regra de políticas de estratégias e planejamentos na maioria das instituições, há uma deficiência muito grande em se realizar pesquisas de mercado, ou de se utilizar ferramentas do marketing para captação de clientes e conhecer de uma forma melhor, como é o comportamento desse cliente e quais são as suas necessidades e expectativas além de poder utilizar dados fazendo uma segregação em relação a clientes diversos e clientes potenciais. A empresa não possui nenhuma pesquisa de mercado realizada nos últimos 3 (três) anos, não conhecendo de fato o seu potencial cliente e segregação desse mercado para uma possível ampliação. Os contatos com os clientes são efetuados através de telefone ou pessoalmente através dos sócios ou dos colaboradores. Um ponto positivo desse relacionamento está vinculado a um diferencial oferecido pela empresa, que é a manutenção de uma alfaiataria nos fundos do estabelecimento, servindo como referencial aos clientes em relação a moldes e a fabricação de roupas utilizando os tecidos vendidos por ela, havendo com isso um papel de fidelização do cliente para com a instituição, vantagem que não há em seus concorrentes.

3.1.4 Informações e Conhecimento Conforme já citado anteriormente, por não haver um planejamento estratégico, onde no mesmo se tem visualizado as informações alinhadas a um processo de tomada de decisões, não existe uma forma clara e objetiva de captação das informações para de fato aplicar na tomada de decisões buscando o aperfeiçoamento das técnicas empresariais e a melhoria das rotinas explicitadas no planejamento a serem aproveitadas na empresa. A instituição possui um software agregado ao sistema de rede de seus computadores, onde se tem a maioria das informações gerenciais, para a devida tomada de decisão, porém são extraídos relatórios apenas para um planejamento financeiro, ficando as demais rotinas precárias em relação à aplicabilidade de melhorias, mas já possuindo um ponto primordial para se fazer o levantamento do planejamento estratégico.

3.1.5 Pessoas Todo processo envolvido na gestão de pessoas dentro de uma instituição, tem-se o papel arraigado dentro de normas e procedimentos aplicados de forma clara e objetiva, onde o processo passa por etapas as quais servem para uma melhor adequação de relacionamento entre colaboradores, empresa e clientes, visando uma melhoria nos procedimentos de pessoal que começa desde o recrutamento e seleção do pessoal, treinamento e desenvolvimento, remuneração por competência e habilidades, onde temos dentro desse requisito um bom plano de cargos e salários e por fim um sistema de avaliação onde é efetuado o feedback em relação ao que fora aplicado. A empresa possui um processo de recrutamento e contratação efetuado pelo gestor, dentro do conhecimento absorvido na academia do curso de administração, mas, realizada com técnicas comuns, não sendo identificado com clareza o papel desenvolvido nesse processo. Por ser uma empresa de pequeno porte, Foi identificado que a maioria de seus funcionários, num total de 4 (quatro) pessoas, são familiares ou parentes de 1º grau, onde dificulta num papel mais hierarquizado as devidas cobranças de obrigações, e consequentemente o papel das funções a serem desempenhadas dentro de um processo mais burocratizado. Há a participação dos colaboradores em cursos e eventos estendidos à sociedade, para melhor aproveitamento de suas funções, além de haver um livre acesso dos mesmos com a gestão da entidade, não existindo políticas implantadas de revisões de cargos e salários, mas havendo claramente as definições salariais e seus patamares nas contratações.

3.1.6 Processos Os processos gerenciais de uma organização visam dar um aprimoramento e monitoramento das técnicas aplicadas para busca da melhoria e longevidade da empresa no mercado, onde são reunidas todas as tecnologias disponíveis como ferramenta de tomadas de decisões, dentro dos quais está inserido o planejamento estratégico. Partindo do pressuposto que a empresa analisada não tem um planejamento estratégico definido, mas possui algumas ferramentas para tomada de decisões, alguns dos processos sistematizados são elaborados, e extraídos para uma melhor aplicabilidade na instituição, porém, não se tem como efetuar uma avaliação das práticas utilizadas para o gerenciamento dos processos gerenciais, perdendo assim uma avaliação crítica quanto a sua eficácia.

3.1.7 Resultados da Organização Conforme definido em um artigo escrito por Ivan postigo cujo tema é “Organização empresarial e geração de resultados na prática” onde cita a seguinte frase: ‘A morte de uma organização acontece quando os de baixo já não querem e os de cima já não podem’, onde caracteriza fielmente o papel a ser desempenhado pela organização na geração de resultados satisfatórios onde as principais peças desse processo são as pessoas envolvidas neles. Todo resultado organizacional vem prédefinido por processos servindo como parâmetros circunstanciais para a alavancagem de qualquer negócio, tendo como base ferramentas tecnológicas disponíveis para tais resultados. Essas ferramentas são administradas pela parte mais fraca ou mais forte do processo; o ser humano, equipado com recursos motivacionais e de fatores cognoscitivos envolvendo a área aplicada a sua função, a instituição terá plena capacidade de desempenhar o seu papel frente ao mercado, pois possuirá um sistema composto entre a sistematização e o ser humano capacitado para efetuar tomadas de decisões precisas e bem calculadas. Por outro lado, de nada tem valor uma instituição com bons recursos tecnológicos e um ambiente preparado para tal, sem ter o fator intelectual ajustado a esse. A empresa pesquisada contém algumas ferramentas como processo de geração de resultados já citados anteriormente além de possuir um gestor com conhecimentos administrativos e tecnológicos necessários a uma boa gestão, porém é deficitário quando envolve pesquisas de mercado o qual servirá como um fator de aumento frente às perspectivas dos seus clientes e das ampliações dos negócios da instituição, já na área de pessoal, tem controles um pouco rudimentares na obtenção dos resultados satisfatórios.

3.1.8 Tecnologia de Gestão A tecnologia de gestão se baseia em técnicas e ferramentas que ajudam o processo de gestão de uma instituição e consequentemente a tomada de decisões. Temos algumas dessas ferramentas conhecidas como: balanced scorecard – BSC (Indicadores Balanceados no Desempenho), sistemas como ERP (Enterprise

Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial) e CRM (Customer Relationship Management ou Gestão de relacionamento com o cliente), empowerment (empoderamento ou delegação de poder), Gestão pela Qualidade Total, ISO 9000, 9001, 14000, 24000, etc (International Organization for Standardization ou Organização Internacional para Padronização) dentre outras. A empresa analisada tem seus processos de gestão, por ser uma empresa de pequeno porte, praticamente baseados em conhecimentos e experiência de seus sócios e pouquíssimas ferramentas que auxiliam no processo de gestão da entidade, não existindo nenhuma metodologia como Qualidade Total, Balanced Scorecard, ISSO 9000 ou outra sistemática.

3.1.9 Finanças e Contabilidade Conforme definido no Wikipédia, finanças é a arte e a ciência da gestão de ativos financeiros e contabilidade é a ciência que tem como objeto de estudo o patrimônio das entidades, seus fenômenos e variações, tanto no aspecto quantitativo quanto no qualitativo, registrando os fatos e atos de natureza econômico-financeira que o afetam, e estudando suas consequências na dinâmica financeira. Dentro de um resumo colocado a uma junção entre finanças e contabilidade está no conceito formal da origem e da aplicação dos recursos financeiros de forma que venha a agregar valores ao patrimônio de uma entidade, sendo elaborados através de padrões sistêmicos os quais servem para as devidas tomadas de decisões nas origens dos recursos e suas respectivas aplicações. A empresa possui um sistema de software e planilhas onde agregam recursos, tais como: fluxo de caixa, contas a pagar e a receber, controle de custos, controle de estoque, segregação de receitas, despesas fixas e variáveis, etc., que possibilitam a extração das informações necessárias para se efetuar um controle das finanças da instituição e de auxiliar no processo contábil da mesma.

3.2 DESEMPENHO GERAL - OPERAÇÕES

Marketing e Vendas Logística de Distribuição Logística de Aquisição

Uso e Desenvolvimento de Tecnologias

3.2.1 Uso e Desenvolvimento de Tecnologias A empresa em questão se utiliza da tecnologia no processo de identificação e controle da Tecnologia da Informação dentro das premissas de uma pequena empresa, além de efetuar um controle relativo a fatores de Inovação tecnológica. Não foram identificados fatores como desenvolvimento de materiais, processos, metrologia, normalização e a saúde e segurança do trabalho.

3.2.2 Logística de Aquisição A empresa possui um controle dos fatores relacionados a planejamento, programação e controle de estoque relativo aos produtos comercializados, porém não há nenhum controle em referência a suprimento de outros materiais de uso, consumo ou imobilizado, também não há controles referentes a fatores relativos à avaliação, desenvolvimento e qualificação de seus fornecedores de mercadorias para comercialização.

(Parte 1 de 3)

Comentários