Relatorio de soluções, e padronização de solução NaOH, concentração de acido acetico

Relatorio de soluções, e padronização de solução NaOH, concentração de acido acetico

(Parte 1 de 3)

Universidade Federal de Goiás

Instituto de química

Laboratório de Transformações Químicas

Solução, Padronização de Solução, e Determinação da Concentração de Produtos Comercias.

Alunos:

Murilo Henrique

Nayara Felix

Rubens Pereira

Suzan Conceição

Professor: Felipe

Goiânia, 11 de Maio de 2011

Índice pags

  1. Introdução__________________________________________ 3

  1. Objetivo ___________________________________________4

  1. Materiais e Reagentes __________________________________5

    1. Materiais Pratica 1_________________________________5

    2. Materiais Pratica 2_________________________________5

    3. Materiais Pratica 3_________________________________5

  1. Métodos_______________________________________________6

    1. Método Pratica 1____________________________________ 6

    2. Método Pratica 2____________________________________ 6

    3. Método Pratica 3____________________________________ 7

  1. Resultados e Discussões__________________________________ 8

    1. Pratica 1___________________________________________ 8

      1. Cálculo do volume de HCl _______________________ 8

      2. Cálculo do volume de acido concentrado em 250ml___ 9

      3. Solução de NaOH______________________________ 9

    1. Pratica 2__________________________________________ 10

      1. Padronização Solução de Borax___________________11

      2. Padronização de NaOH _________________________11

      3. Concentração molar da solução NaOH_____________12

    1. Pratica 3_______________________________________ 13-14

      1. Concentração Acido acético Vinagre______________ 14

  1. Conclusão____________________________________________ 15

2

1.Introdução

Uma solução é uma mistura homogênea de duas ou mais substancias, ou seja, corresponde ao estado em que as substancias estão subdivididas de modo que suas

partículas estão em dimensões moleculares, atômicas ou iônicas, dependendo da

natureza das substancias. As propriedades de uma solução não dependem apenas dos seus componentes, mas também da proporção entre as quantidades desses componentes, isto e, dependem de sua concentração, que e dada pela razão entre a quantidade de soluto e o volume da solução. A concentração e expressa comumente em moles de soluto por litro de solução. Tal concentração e chamada de molar idade da solução.

Quando não se tem o reagente na forma pura, como e o caso da maior parte dos

hidróxidos alcalinos e de alguns ácidos inorgânicos, preparam-se inicialmente soluções

que tenham aproximadamente a molaridade desejada. Depois estas soluções são

padronizadas pela titulação contra solução de uma substancia pura, com concentração

conhecida com exatidão, chamada de padrão primário. Um padrão primário e um composto com pureza suficiente para permitir a preparação de uma solução padrão através da pesagem direta da quantidade da substancia, seguida pela diluição em um volume definido de solução. A solução que se obtêm e uma solução padrão primaria.

Titulação e uma técnica laboratorial que se refere a analise química quantitativa

efetuada para a determinação de concentrações. Numa titulação adiciona-se lentamente

e com agitação, o titulante, que e o reagente de concentração conhecida, ao titulado, que

e a substancia de concentração desconhecida, ate se detectar uma variação brusca de

uma propriedade física ou química, resultante da reação completa entre o titulante e o

titulado. Conhecendo a estequiometria da reação, os volumes das soluções utilizadas e

umas das concentrações, e possível determinar a outra concentração. Para isso, a adição

do titulante deveria parar quando os reagentes estivessem nas proporções

estequiométricas, ou seja, no ponto de equivalência, que geralmente e identificado pela

adição de um reagente auxiliar, conhecido como indicador. Um indicador é um acido fraco sensível a mudanças de pH. A fenolftaleína e o alaranjado de metila são exemplos de indicadores.

A fenolftaleína é usada com freqüência em titulações. Esta em pH abaixo de 8,2 apresenta-se incolor, em pH entre 8 e 10 possui uma coloração rosa e em pH entre 10 e

12 apresenta-se carmim ou roxa. Depois de a reação entre as substancias estar praticamente completa, o indicador deve provocar uma modificação visual nítida na solução. O ponto em que isto ocorre e o ponto final da titulação. Numa titulação ideal, o ponto final visível coincidira com o ponto de equivalência. Para que uma reação seja adotada na titulação, e necessário satisfazer as

seguintes condições:

● Deve ser uma reação simples que possa ser expressa por uma equação

química; a substancia titulada deve reagir completamente com o reagente, em

proporções estequiométricas;

● A reação deve ser relativamente rápida;

● No ponto de equivalência deve haver alteração de alguma propriedade física ou

química da solução;

● Deve-se dispor de um indicador que, pela alteração de propriedade física possa

definir o ponto final da reação.

3

2.Objetivo

Encontrar o volume de ácido clorídrico para preparar 100ml de solução, preparar solução de NaOH (Pratica 01). Através de uma solução de Biftalato de potássio (C8H5KO4) contendo fenolftaleína padronizar uma solução de hidróxido de sódio (NaOH), este sendo solubilizado pois inicialmente estava no estado sólido (Pratica 02). Determinar a concentração de Acido Acético no Vinagre (Pratica 03).

4

3.Materiais e Reagentes

3.1 Pratica 01

  • Béquer

  • Bastão de vidro

  • Hidróxido de sódio sólido (NaOH)

  • Solução de HCl(36,5-38%)

  • Proveta

  • Balão Volumétrico

  • Bureta

  • Pipeta Graduada

3.2 Pratica 02

  • Balança eletrônica

  • Vidro relógio

  • Pedaço de papel para pesagem

  • Erlenmeyer de 250 ml

  • Balão volumétrico de 250 ml

  • Espátula

  • Fenolftaleína

  • Pipeta

  • Béquer

  • Bastão de vidro

  • Hidróxido de sódio sólido (NaOH)

  • Biftalato de potássio sólido (C8H5KO4)

3.3 Pratica 03

  • Balança Eletrônica

  • Béquer

  • Erlenmeyer

  • Espátula

  • Pipeta

  • Acido Acético liquido (CH3COOH) e Hidróxido de sódio sólido (NaOH). 5

4.Métodos

4.1 Métodos Pratica 01

Mediu-se o volume de HCl concentrado que continha a massa necessária para preparar uma solução 0,1 mol.L-1, Transferiu-se o volume medido para um balão volumétrico e completou-se o volume para 250ml com água destilada,Agitou-se a solução para homogeneizar,Transferiu-se a solução para um frasco rotulado, repetindo o mesmo processo para a solução de 250ml de NaOH.

4.2 Métodos Pratica 02

Com o cálculo de massa necessária para o experimento em questão, pesou-se o hidróxido de sódio sólido na balança eletrônica, com o intuito de obter um valor próximo a 1g. Nessa pesagem, com a utilização da espátula, o NaOH foi gradualmente adicionado sobre o Béquer que estava na balança eletrônica.

Vale lembrar que antes da adição de NaOH, a balança teve sua tara selecionada a partir da massa do Béquer. Após a pesagem do hidróxido de sódio, o conteúdo no Béquer, foi tampado com um papel qualquer para se evitar a exposição direta ao ambiente, visto que essa exposição prejudicaria o estudo, já que o NaOH absorve água facilmente. A massa protegida foi colocada então em um Erlenmeyer, onde se adicionou água gradativamente, tendo o cuidado de toda a massa pesada inicialmente se mantivesse no interior do balão.

Agora analisando o Biftalato de Potássio. A partir do cálculo de sua massa, pesou-se seu conteúdo (sólido) sobre um papel na balança eletrônica. Tentou-se obter uma massa próxima a 0,4082g, proveniente do cálculo preliminar.

Dissolveu-se o C8H5KO4 no béquer, em 100ml de água, com auxilio do bastão de vidro (para misturar o conteúdo)..

(Parte 1 de 3)

Comentários