Satisfação no trabalho

Satisfação no trabalho

(Parte 1 de 7)

SATISFAÇÃO NO TRABALHO: um estudo com trabalhadores em regime de turno de uma empresa de energia elétrica de Santa Catarina

SATISFAÇÃO NO TRABALHO: um estudo com trabalhadores em regime de turno de uma empresa de energia elétrica de Santa Catarina

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito para a obtenção do título de Bacharel em Psicologia, na Universidade do Vale do Itajaí, Centro de Educação de Biguaçu.

Orientadora: MSc. Renata Susan Pereira

ÁREA DE PESQUISA Psicologia Organizacional

TEMA Satisfação no Trabalho

TÍTULO DA MONOGRAFIA: SATISFAÇÃO NO TRABALHO: um estudo com trabalhadores em regime de turno de uma empresa de energia elétrica de Santa Catarina.

Centro: BiguaçuCurso: Psicologia Semestre: 6°

ALUNO Nome: Adney Acácio Martins Código de Matrícula: 0320230

ORIENTADOR Nome: Renata Susan Pereira Categoria Profissional: Psicóloga CRP-12/03929 Titulação: Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina Curso: Psicologia Centro: Biguaçu

SATISFAÇÃO NO TRABALHO: um estudo com trabalhadores em regime de turno de uma empresa de energia elétrica de Santa Catarina

Profª. MSc. Renata Susan Pereira Orientadora

Profª. MSc. Ilma Borges Membro da Banca Examinadora

Profª. MSc. Jaqueline Longo Xikota Membro da Banca Examinadora

Profª. MSc. Maria Suzete Salib Coordenadora de TCC

Prof. MSc. Almir Pedro Sais Coordenador do Curso de Psicologia

Agradeço sinceramente: A Deus, que me concedeu chegar até aqui por sua bondade indescritível, seja Ele sempre engradecido.

À minha esposa Tânia Regina, que esteve sempre me apoiando para que eu pudesse vencer esta etapa.

A meus filhos Anderson, Desirrê e Gabriela, que sofreram eu sei, com minha ausência.

À minha orientadora Renata, que sempre prontamente forneceu subsídios, indicou bibliografias e teve paciência comigo, que Deus te abençoe.

À minha irmã Alessandra, que, além de palavras, usou de todos os meios ao seu alcance para incentivar-me.

A meus pais Acácio e Arlete, pelo apoio sempre presente. A todos, que, ao passar por mim, proporcionaram-me não só a condição de chegar até aqui, mas de crescer como ser humano.

Esta pesquisa aborda a percepção dos trabalhadores que atuam na operação da distribuição de energia elétrica de uma empresa de energia elétrica, com relação à satisfação no trabalho. É importante notar que quando as condições de trabalho são recompensadoras, produzem sentimentos positivos em relação ao trabalho. Já em condições adversas, nas quais se tolhe a possibilidade de manifestação subjetiva, o indivíduo acaba por desenvolver uma aversão ao seu trabalho ou ao produto dele. A investigação destas condições constituem-se no escopo desta pesquisa que tem como objetivo geral caracterizar os fatores do trabalho que atuam na satisfação do trabalhador em regime de turno na operação da distribuição de energia elétrica. Assim procurou-se investigar na literatura os fatores que influenciam na satisfação no trabalho, suas conseqüências, correlatos, a qualidade de vida no trabalho (QVT) e trabalho de turno com suas influências sobre o trabalhador. Ao investigar as características que influenciam na satisfação do trabalhador na operação da distribuição utilizou-se a técnica de pesquisa qualitativa com entrevistas semi-estruturadas onde procurou-se nas falas dos indivíduos as percepções quanto a satisfação e a insatisfação no trabalho, buscando identificar quais facetas da satisfação no trabalho estão presentes neste centro de operações. Durante a pesquisa houve mudanças na organização que se refletiram nos relatos dos indivíduos entrevistados, em falas que revelaram insatisfação. Entretanto os resultados obtidos revelam um equilíbrio de temas entre as duas grandes categorias encontradas - satisfação e insatisfação - assim como nas unidades de analise que envolvem as relações com os colegas, reconhecimento, salário e segurança no trabalho observou-se que aparecem em ambas as categorias. Um item que merece destaque é o fato de o horário de turno surgir como um tema relacionado à satisfação, o que aparece em oposição ao que foi encontrado na literatura referente ao tema.

Palavras chaves: Satisfação no trabalho; facetas da satisfação; qualidade de vida no trabalho.

Gráfico 1: Distribuição dos entrevistados conforme a faixa etária29
Gráfico 2: Distribuição dos entrevistados conforme o grau de escolaridade30
trabalham em regime de turno

LISTA DE ILUSTRAÇÕES Gráfico 3: Distribuição dos entrevistados conforme o tempo de empresa e tempo em que 30

1 INTRODUÇÃO

SUMÁRIO 10

2 OBJETIVOS
2.1 OBJETIVO GERAL13
2.1.1 Objetivos específicos13
3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
3.1 A SATISFAÇÃO NO TRABALHO15
pessoais

3.1.1Sentir-se satisfeito: percepção do ambiente de trabalho e características 16

3.1.2 Conseqüências da satisfação no trabalho18
3.1.3 Avaliação da satisfação no trabalho19
3.1.4 Correlatos da satisfação no trabalho20
3.1.4.1 Comprometimento organizacional20
3.1.4.2 Envolvimento com o trabalho21
INTERESSES

3.2 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: CONCILIAÇÃO DE 21

3.3 O TRABALHO EM REGIME DE TURNO24
4 MÉTODO
4.1 COLETA DE DADOS29
4.2 CARACTERIZAÇÃO DOS SUJEITOS DE PESQUISA29
4.3 PROCEDIMENTOS DE ANÁLISE DE DADOS31
4.4 ASPECTOS ÉTICOS32
5 RESULTADOS
5.1 ANÁLISE DAS CATEGORIAS SATISFAÇÃO E INSATISFAÇÃO34
clientes

5.1.1 Análise dos temas relacionados às relações com os colegas e 36

organização

5.1.2 Análise dos temas relacionados às relações com os superiores e a 38

5.1.3 Análise dos temas relacionados ao trabalho em si
5.1.4 Discussão
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
APÊNDICES

1 INTRODUÇÃO

O lugar que os profissionais ocupam como diferencial competitivo nas organizações evidenciou a necessidade de mantê-los satisfeitos e dar condições de desenvolvimento. Não basta ter pessoas competentes em uma empresa, deve-se, antes, oferecer condições para que desenvolvam o seu potencial a fim de que se comprometam com a organização e produzam os resultados almejados. O conhecimento dessas premissas despertou o interesse de analisar a atuação dos eletricistas da operação de distribuição de energia elétrica e a sua satisfação com o trabalho (ST).

O trabalho quando possui condições recompensadoras leva a sentimentos positivos com relação a ele e em condições adversas produz tanto aversão ao trabalho quanto a seu produto. Isto denota que o trabalho é significado pelos sujeitos podendo produzir satisfação ou insatisfação de acordo com os sentimentos que o acompanham. Portanto “a Satisfação no Trabalho [...] é uma variável de atitude que reflete como a pessoa se sente em relação ao trabalho de forma geral e em seus vários aspectos” (SPECTOR, 2006, p. 221). A ST pode ser abordada de formas diversas, desde o conteúdo do trabalho, ou os aspectos psicossociais, nos quais as características das atividades atuam no surgimento da motivação e da ST (SANT’ANNA; MORAES; KILIMNIK, 2005) até sua expansão para outros contextos. A satisfação varia entre indivíduos que possuem condições semelhantes de trabalho, o que significa que existem outros fatores, além destas condições concretas de trabalho que atuam na satisfação. Essa evidência tem conduzido pesquisadores como Staw e Ross (1985 apud SPECTOR, 2006) a abordar a Satisfação no Trabalho sob a ótica da personalidade, do ambiente e, ainda, da interação, que combina fatores de personalidade e ambientais.

Há outra questão importante no estudo da ST: o enfoque global ou por fatores. Um indivíduo pode se satisfazer com o seu trabalho de modo geral, apesar de não estar contente com algum aspecto dele. Isso significa que a ST pode ser analisada no todo – enfoque global – ou ainda sob a ótica dos fatores que a compõem. A análise da ST com base na perspectiva das facetas ou fatores permite uma observação mais pormenorizada da satisfação. A soma das facetas, contudo, não representa necessariamente a satisfação global dos indivíduos, embora seja uma aproximação a esta.

A forma como as pessoas se sentem em relação ao seu trabalho perpassa a sua atuação nas atividades laborais, bem como a sua percepção dos aspectos do trabalho, influenciando, assim, o seu comprometimento, o envolvimento, o absenteísmo, entre outros. Os aspectos ou facetas do trabalho, segundo Weiss, Dawis, Lofquist e England (1966 apud SPECTOR, 2006) são: atividade, independência, variedade das tarefas, status social, supervisão técnica e de Recursos Humanos (RH), valores morais, segurança, serviço social, autoridade, utilização de habilidades, políticas e práticas da organização, compensações, avanço na carreira, responsabilidade, criatividade, condições de trabalho, companheiros de trabalho, reconhecimento e realização.

O regime de turno, outro fator importante na caracterização dos sujeitos desta pesquisa, influencia nas relações sociais, na saúde e provoca problemas como sono, desgaste psicológico e fadiga (SPECTOR, 2006). Mesmo possuindo aspectos contraproducentes, algumas empresas são obrigadas a trabalhar em regime de turno por terem de atuar 24 horas todos os dias, tais como: bombeiros, hospitais, empresas de vigilância, limpeza, transporte, energia elétrica, ou porque um turno não é suficiente para atender a necessidade de produção, o que ocorre nas indústrias.

Esta pesquisa foi definida como qualitativa de cunho exploratório, na qual investigaram-se os aspectos ou as facetas que estão em evidência na composição da ST em um grupo específico de profissionais. Seu cunho exploratório deve-se à finalidade de proporcionar mais informações sobre a ST, bem como maior intimidade com o problema, com vistas a torná-lo mais explícito.

O objetivo desta pesquisa consiste em caracterizar os fatores que atuam na satisfação do trabalhador em regime de turno na operação da distribuição de energia elétrica de uma empresa catarinense. Para tanto, entrevistou-se sete sujeitos com idades que variam de 31 à 45 anos. Os indivíduos entrevistados possuem, em sua maioria, o ensino médio ou superior incompleto.

A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semi-estruturadas, a partir de informações sobre o perfil dos sujeitos, bem como a percepção destes sobre o seu trabalho e a sua satisfação e insatisfação com o mesmo. análise do conteúdo deu-se mediante a procura dos sentidos do texto (FRANCO, 1994).

Os depoimentos geraram trinta e cinco temas agrupados em duas grandes categorias: satisfação e insatisfação. Destes, quatro temas aparecem tanto na categoria satisfação como na insatisfação.

A relevância social deste estudo está no uso de seus resultados para o grupo em que a pesquisa se realizou. Estes forneceram subsídios para uma intervenção que possibilite uma maior satisfação no trabalho e, conseqüentemente, uma melhora na qualidade de vida dos trabalhadores da operação da distribuição de energia elétrica, bem como uma contribuição à cultura organizacional desta empresa.

A relevância científica para a psicologia, encontra-se no fornecimento de subsídios, baseando-se nas experiências e vivências dos trabalhadores sobre seus cotidianos laborais e suas situações, contribuindo assim com a literatura disponível na área.

Os resultados obtidos possibilitaram a visualização das questões apresentadas na bibliografia, como também apresentaram questões novas concernentes à alguns temas.

2 OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

Caracterizar os fatores do trabalho que atuam na satisfação do trabalhador em regime de turno na operação da distribuição de energia elétrica de uma empresa catarinense.

2.1.1 Objetivos específicos a) Identificar, na literatura da Psicologia Organizacional e do Trabalho, os fatores que compõem a satisfação no trabalho; b) Distinguir, na literatura da Psicologia Organizacional e do Trabalho, os diversos aspectos que agem sobre o sujeito no trabalho realizado em regime de turno; c) Analisar junto aos trabalhadores em regime de turno na operação da distribuição de energia elétrica a sua satisfação com o trabalho.

3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O trabalho constitui o ato de transmitir significado à natureza, de transformá-la e utilizá-la para uma determinada finalidade, implicando certa capacidade de idealização daquilo que não está presente e existe inicialmente apenas como uma idéia (COSTA, 2006). Essa capacidade simbólica cria o desenvolvimento de conhecimentos que proporciona a autoreflexão e transparece a subjetividade do indivíduo no produto final. Assim, “trabalhar é impor à natureza a nossa face” (CODO; SAMPAIO; HITOMI, 1994, p. 189). Isso denota que o homem é um ser que se cria pela formação da própria existência por meio do trabalho (FIGUEIREDO, 1991).

Quando as condições de trabalho são recompensadoras, produzem sentimentos positivos em relação ao trabalho. Já em condições adversas, nas quais se tolhe a possibilidade de manifestação subjetiva, o indivíduo acaba por desenvolver uma aversão ao seu trabalho ou ao produto dele. Todo o trabalho, portanto, possui significados que podem produzir satisfação quando seguidos por um estado emocional positivo, ou insatisfação quando este prazer não o acompanha.

A diversidade de significados humanos faz com que os indivíduos reajam de forma diversa aos estímulos que os rodeiam e pode ser chamada de motivação, “a vontade de empregar altos níveis de esforço em direção a metas organizacionais, condicionado pela capacidade do esforço de satisfazer alguma necessidade do indivíduo” (ROBBINS, 1999, p. 109).

(Parte 1 de 7)

Comentários