A biblia e a ciência (Teoria da Evolução de Darwin X O trabalho de Jacó)

A biblia e a ciência (Teoria da Evolução de Darwin X O trabalho de Jacó)

A bíblia e a ciência parte I

“A teoria darwinista e a seleção artificial x Jacó e a ovicultura” Rodrigo Rosário dos Santos1

É bem conhecida a dissensão existente entre cientistas e teólogos. Inicia-se logo cedo, na escola, o trabalho da ciência de plantar a semente do que os protestantes chamariam de heresia (falsa doutrina ou ensino criado para contradizer as verdades incontestáveis bíblicas). Esta semente, nascente nos livros didáticos primários, trazem aos pequenos e acríticos leitores dúvidas e discordâncias ao longo do tempo. A origem do universo, a criação dos seres vivos, a possível existência de dinossauros (numa era conhecida como Mesozóica), dos seres extraterrestres; enfim, todos estes temas suscitam a imaginação incontrolável naqueles que são bombardeados por uma gama de informações.

Escrevo, então, este pequeno relato para tentar demonstrar com o mínimo de argumentos a veracidade e o pioneirismo dos relatos bíblicos, e assim, evidenciar que um Deus onipotente criou tudo o que há no universo. Mas, antes, convém salientar que ao longo da história do cristianismo algumas doutrinas heréticas erroneamente tentaram integrar o saber cientifico às doutrinas cristãs,

[...] Era um amontoado de erros que tinham a sua origem na cabala dos judeus, uma ciência misteriosa dos rabinos, baseada na filosofia de Platão, e no misticismo dos orientais [...]2

Como se leu anteriormente, esse “amontoado de erros” citado provinha de uma doutrina antiga, batizada como gnosticismo, a qual foi avidamente combatida pelo apóstolo Paulo em sua carta aos Colossensses. Nesta época, certo judeu chamado Cerinto, mestre de filosofia em Alexandria, introduziu parte do Evangelho nesta massa heterogênea da ciência e sob esta nova forma foram enganados muitos crentes verdadeiros3 . Feita esta ressalva o leitor perceberá que não pretendo integrar os dois saberes (cientifico e teológico), mas sim, correlacionar semelhanças entre eles. Para tal, irei deter-me a um assunto bem conhecido: as teorias evolucionárias. Charles Darwin, um teórico inglês, considerado o pai das teorias evolucionárias propôs a eminente teoria que junto com Louis Pasteur corroborou para a derrubada oficial das teorias abiogênicas. Segundo Darwin, a evolução dos seres vivos se dá ao longo das gerações; permeada por algo que ele denominou como seleção natural (algo que a natureza se encarrega de fazer quando seleciona os seres mais aptos a sobreviverem no ambiente). Nisto há algo que nos importa saber, Darwin era um criador de pombos e os selecionava artificialmente escolhendo neles as características desejadas. A este tipo de seleção, uma “imitação” daquilo que a natureza faz, chamou-se seleção artificial. É nesta altura que quero fazer emergir o conhecimento teológico e provar que já se fazia seleção artificial entre os primeiros homens da Terra (segundo a bíblia) e com isso demonstrar que o Deus de

1 Estudante e leitor da bíblia sagrada.

2 Knight, A. e Anglin, W. A História do Cristianismo. p.16

3 Idem ao anterior

Israel preocupou-se em permitir que o seu profeta registrasse tal fato para em um futuro distante nos mostrar que ele, sendo o empreendedor de tudo o que vemos, é conhecedor dos mecanismos biológicos naturais. Apresento agora uma história que ligará a ciência à bíblia ou desligará a ciência da ciência. Por volta de mil novecentos e vinte e nove anos antes de cristo nascia um homem chamado Jacó. Ele e seu irmão Esaú eram filhos de uma ex-estéril, Rebeca4 , com Isaque (filho de Abraão e Sara). Antes de nascerem os dois irmãos, foi predito que constituiriam duas nações inimigas; tanto que ao nascerem, o mais novo segurou no calcanhar do mais velho. Para ser o mais breve possível, dizem os relatos bíblicos que após uma briga com o irmão, Jacó sai de Canaã (sua terra natal) e vai à Padã-Harã, onde morava o seu tio, para buscar uma mulher para se casar. Como nem tudo são flores, o tio, Labão, um criador de gados, não abre mão tão facilmente de suas duas donzelas; a mais velha Leia e a mais nova, Raquel, por quem Jacó logo se apaixona. Jacó deixando o amor falar mais alto aceita o acordo que seu tio lhe propunha, trabalhar sete anos para conquistar a mulher amada. Ora meu amigo, as quebras de acordos e trapaças também estão presentes na história bíblica. Labão, depois de passados os sete anos de trabalho pesado engana o ingênuo Jacó e lhe dá a filha mais velha no lugar da mais nova, pois, aquela, pensava Labão, não podia ficar para titio vendo a sua irmã mais nova casar-se primeiro. O recém-infeliz-casado Jacó não gosta nada da idéia e resolve trabalhar mais sete anos para conquistar a mais nova (o insesto e a poligamia eram estritamente permitidos naquela época). Passados os outros sete anos tudo parece cumprido, Jacó consegue o que queria e com suas duas esposas sonha em voltar para a sua terra. Jacó então chama Labão e diz

Dá-me as minhas mulheres, e os meus filhos, pelas quais te tenho servido, e ir-me-ei; pois tu sabes o serviço que te tenho feito.5

O tio não gosta nada da idéia, exita em deixá-los ir, e Jacó então propõe algo aparentemente comum,

31 E disse ele [Labão]: Que te darei? Então disse Jacó: Nada me darás. Se me fizeres isto, tornarei a apascentar e a guardar o teu rebanho; 32 Passarei hoje por todo o teu rebanho, separando dele todos os salpicados e malhados, e todos os morenos entre os cordeiros, e os malhados e salpicados entre as cabras; e isto será o meu salário. 3 Assim testificará por mim a minha justiça no dia de amanhã, quando vieres e o meu salário estiver diante de tua face; tudo o que não for salpicado e malhado entre as cabras e moreno entre os cordeiros, ser-me-á por furto.6

Perceba que Jacó com uma idéia aparentemente comum propõe ao tio que o deixe ficar com todas as ovelhas e cabras manchadas, para que o seu próprio rebanho fosse aos poucos formado. Labão, que era esperto, certamente pensou com sigo mesmo, “ora, as ovelhas manchadas do meu rebanho são poucas; ele não conseguirá arrebanhar muitas

4 A saber, Rebeca, segundo a história bíblica era uma mulher estéril, portanto, não podia gerar filhos.

Segundo Moisés (o escritor do gênesis), após Isaque haver orado a Deus, o onipotente, abriu a madre de

Rebeca, isto é, ela passou a conceber. Isso justifica a expressão “ex-estéril”.

5 Biblia Sagrada, Genesis 30 v 26 delas”. Mas, Jacó, iluminado pelo Espírito Santo, estava nada mais nada menos tendo uma idéia que o ilustre Darwin só teria a 3600 anos depois; a da seleção artificial. Observe que um homem comum, indouto e sem letra realiza algo que somente alguém letrado em biologia objetivaria fazer para alcançar resultados previamente esperados.

Jacó, então, faz o seguinte,

35 E separou naquele mesmo dia os bodes listrados e malhados e todas as cabras salpicadas e malhadas, todos em que havia brancura, e todos os morenos entre os cordeiros; e deu-os nas mãos dos seus filhos. 36 E pôs três dias de caminho entre si e Jacó; e Jacó apascentava o restante dos rebanhos de Labão. 37 Então tomou Jacó varas verdes de álamo e de aveleira e de castanheiro, e descascou nelas riscas brancas, descobrindo a brancura que nas varas havia, 38 E pôs estas varas, que tinha descascado, em frente aos rebanhos, nos canos e nos bebedouros de água, aonde os rebanhos vinham beber, para que concebessem quando vinham beber. 39 E concebiam os rebanhos diante das varas, e as ovelhas davam crias listradas, salpicadas e malhadas. 40 Então separou Jacó os cordeiros, e pôs as faces do rebanho para os listrados, e todo o moreno entre o rebanho de Labão; e pôs o seu rebanho à parte, e não o pôs com o rebanho de Labão. 41 E sucedia que cada vez que concebiam as ovelhas fortes, punha Jacó as varas nos canos, diante dos olhos do rebanho, para que concebessem diante das varas. 42 Mas, quando era fraco o rebanho, não as punha. Assim as fracas eram de Labão, e as fortes de Jacó. 43 E cresceu o homem em grande maneira, e teve muitos rebanhos, e servas, e servos, e camelos e jumentos.7

É perceptível nos versículos anteriores que Jacó, ao selecionar as ovelhas e cabras mais fortes e com certas características, praticava a seleção artificial proposta a pouco por Darwin. E como se não bastasse a simples idéia de “cruzar” os animais com as características desejadas Jacó previa que “a natureza seleciona pela sobrevivência os seres pela aparência”; isso é provado quando ele descascava varas verdes de álamo e as riscava com listras brancas espalhando-as pelo ambiente e desta forma as ovelhas pejadas ao longo da gestação olhavam excessivamente para elas concebendo cordeiros listrados e malhados. Percebemos então, que a bíblia, considerada por alguns como um livro de maus costumes ou uma antologia de histórias de carochinha, contém implicitamente conhecimentos científicos que só vieram a ser desvendados pela ciência há pouco tempo. Logo, o que relatei no início deste relato, que a ciência seria ligada à bíblia, ou desligada de si mesma explico aqui. Ela, que temporariamente crê somente naquilo que pode ser observado e experimentado, cegamente tenta explicar aquilo que já está revelado, aquilo que já foi explicado por profetas e homens de Deus. Por isso, somente utilizando estes versículos de uma ínfima parte do esplêndido livro das revelações, consigo provar, ainda que parcialmente, que ela, é sim dotada de racionalidade lógica e biológica. Seria a ciência então um simples elemento de réplica do que já está desvendado? Estaria ela levando a fama de descobertas que os homens de Deus inspirados pelo espírito já relataram nos escritos bíblicos? Se conseguirmos reunir argumentos suficientes e responder positivamente a tais perguntas, seria então a ciência desligada de si mesma?

Comentários