Pôster- Ergodesign- Análise ergonômica do carrinho de feira

Pôster- Ergodesign- Análise ergonômica do carrinho de feira

ANÁLISE ERGONÔMICA DO CARRINHO DE FEIRA
ALINE FREITAS, JARLESON ANDRIÃO | UCL - FACULDADE DO CENTRO LESTE
INTRODUÇÃO
Segundo a definição dada pela Ergonomics Research Society, ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e particularmente a aplicação dos conhecimentos da anatomia, fisiologia e psicologia na solução dos problemas surgidos deste relacionamento. (IIDA, 1998) Deste modo, para o desenvolvimento de produtos têm-se como premissa a resolução de um problema, ou a concepção de um produto inédito para atender a uma demanda ou uma necessidade humana. Assim, a ergonomia vem assumindo um papel fundamental na consolidação do produto final, através dos seus métodos e técnicas contribuindo com o designer no projeto de novos produtos, maximizando o conforto e satisfação ao usuário. Este estudo mostra resultados iniciais de uma pesquisa em desenvolvimento com vista a melhorar a concepção do carrinho de feira que será apresentado neste trabalho, para que isso fosse possível foram feitas algumas visitas a feira do Bairro de Jardim da Penha - Vitória/ES.

RESULTADOS
Através de uma análise de observação macroergonômica a partir dos dados analisados nas fases da intervenção ergonomizadora , foram feitas abordagens com entrevistas, observações sistemáticas do produto, registros dos comportamentos dos usuários e duração das posturas assumidas.No entanto, foram questionados alguns problemas em relação ao produto em questão: - O suporte para empurrar o carrinho possui um tamanho pequeno (altura) em relação ao usuário, ou seja, as medidas antropométricas dos usuários não tem relação a dimensão do produto. Assim, após algum tempo empurrando o carrinho, exercendo um esforço o usuário sente fadiga muscular no braço e antebraço, no qual utiliza para exercer força para puxar o carrinho, causando desconforto ao realizar a tarefa; - No suporte não há uma proteção adequada de acordo com a anatomia da mão, para facilitar a pega. - As rodas sendo de polímero termoplástico, se desgastam com facilidade, visto que o carrinho é utilizado em ruas; -Ao redor do carrinho, não possui suporte para serem colocadas sacolas; uma vez que verduras em folhas amassam em contato com outras mais pesadas; - A estrutura do carrinho é muito frágil para o transporte de cargas. De acordo com a análise ergonomizadora, segue as recomendações ergonômicas para o carrinho de feira pesquisado; - Inserir ao redor do puxador, onde o usuário utiliza para puxar o carrinho um artifício que facilite a pega, em formato anatômico da mão; com um material siliconado; - Trocar o puxador atual. No lugar deste, inserir o do tipo “Mala de viajem”, deste modo irá se adequar à altura do usuário; - Inserir ao redor do carrinho, ganchos para serem colocadas as sacolas, deste modo às mesmas não ficaram amarradas ao redor do carrinho, atrapalhando o transporte e também não amassando os produtos ; - Projetar um novo modelo de rodas, mais resistentes e com uma proteção ao redor da mesma (onde mantém contato com o solo); - Utilizar uma armação mais espessa na estrutura do carrinho, porém leve.,

OBJETIVOS
Esta pesquisa tem por objetivo realizar uma avaliação ergonômica no carrinho de feira (Figuras 1 e 2), verificando os problemas ergonômicos e como o designer pode contribuir para melhorá-lo através de uma intervenção ergonomizadora. Após a análise foi proposto um redesign do mesmo seguindo as recomendações ergonômicas.

Fig 01

Fig. 02

CONCLUSÕES
Com base nestes resultados, atrelados à demanda dos usuários e a recomendação da literatura citada, será estabelecido um novo projeto o para carrinho de feira. Por meio de testes com protótipos realizados na própria feira. Deste modo o produto passará por um processo de redesign para ser adequado as recomendações ergonômicas.

METODOLOGIA ERGONÔMICA
Para o desenvolvimento da Análise Ergonômica em questão foram utilizadas as fases e etapas de pesquisa dentro do método de intervenção ergonomizadora de MORAES & MONT' ALVÃO (2003), que compreende as seguintes etapas : Apreciação Ergonômica: Compreende o mapeamento dos problemas ergonômicos, terminando com a próxima etapa; Diagnose Ergonômica: Aprofunda os problemas priorizados, faz-se a análise macroergonômica e/ou do SHTM; Projetação Ergonômica: Trata-se de adaptar as estuações de trabalho, equipamentos e ferramentas as características do usuário/operador; Avaliação, Validaçãoe/ou testes ergonômicos: Retornar aos usuários as propostas e alternativas projetuais; Detalhamento ergonômico e otimização: avaliação do projeto e finaliza com as especificaçoes ergonômicas. A ergonomia, ao avaliar as condições de trabalho e analisar a tarefa, realiza pesquisas descritivas (MORAES e MONTALVÃO, 2003).Deste modo, o tipo de pesquisa utilizada neste trabalho é um estudo do tipo descritivo, onde procuraremos conhecer e interpretar os dados, descobrir e observar fenômenos e registros de comportamentos.(Fig. 4,5, 6 e 7)

Fig 08 - Modelo proposto para um redesign do carrinho de feira.

REFERÊNCIAS

CHAFFIN, Dom. B. Biomecânica Ocupacional. Don B. Chaffin, Gunnar B.J Anderson e Bernard J.Martin. Tradução por Fernanda Saltiel Barbosa da Silva . Belo Horizonte: Ergo, 2001 GRANDJEAN, Etienne. Manual de ergonomia: adaptando o trabalho ao homem. 2. ed. Porto Alegre : Bookman, 1998 IIDA, Itiro. Ergonomia: Ergonomia: Projeto e Produção. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 1998. LIMA, João Ademar de Andrade. Bases Teóricas para uma Metodologia de Análise Ergonômica. Anais do 4º ERGODESIGN Congresso Internacional de Ergonomia e Usabilidade de interfaces Humanas - tecnologia: Produtos, programa, Informação, Ambiente construído. 26 e 25 de maios de 2004 – PUC – Rio – Rio de Janeiro.

Fig 04

Fig. 05

Fig.06

Fig.07

MORAES, Anamaria de; MONT'ALVÃO, Cláudia. Ergonomia: Conceitos e Aplicações. Rio de Janeiro: 2003.

Fig. 4, 5, 6 e7 - Registros de comportamentos dos usuários com os carrinhos. ( Arquivo dos autores)

Comentários